Enquanto a Câmara dos Deputados decide hoje se o novo salário mínimo subirá dos atuais 510 reais para os 545 que pretende o governo, ou os 560 defendido por um conjunto de partidos, ou os 600 propostos pelo PSDB, dezenas de milhares de consumidores de São Paulo estão recebendo pelo correio uma oferta extraordinária:

“Encorpado, porém muito elegante e sedoso, com fantático e muito marcante final de boca”, o vinho francês Château Lafite Rothschild safra 1989 está à venda por apenas 5.180 reais a garrafa.

A compra pode ser feita por telefone e aceitam-se cartões de crédito de diferentes bandeiras.

Entre outras “ofertas” sugeridas pela empresa, há o mesmo vinho, safra 1982, que vale dois salários de ministro de Estado até antes do aumento aprovado no final do ano: 19.600 reais.

A garrafa.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

seis + 5 =

9 Comentários

jose roberto campos em 16 de fevereiro de 2011

se passar o salário minimo do desgoverno dá prá comprar um de 89 e beber na laje com churrasco de anha digo picanha...com a correção do IR compro de 82,rótulo preto, autografado, bebendo o respectivo com trufas e escargots (?)...Plebe ignara, moro na ilha da fantasia e vocês no BRASIL..IL...IL..

Marco em 16 de fevereiro de 2011

Caro R. Setti: 87 % de imposto é para a embriagada Gang Ideológica ! Abs.

Lilian em 16 de fevereiro de 2011

Setti, Eu assistí a entrevista do promotor Cembranelli no programa "De frente com Gabi" e ele disse sobre vinhos: "vinho bom é aquele que me agrada o paladar" Então, fico com o que eu conheço! (e posso comprar rsrsrs) Abraços! Eu também...

Roberto de Paula em 16 de fevereiro de 2011

Se for aprovado o novo minimo do governo Dilma, talvez dê para adquirir uma garrafa dessas parcelando em 50 meses, ou pelo consórcio. Brasil, país Rico não tem Pobreza!

Mauro Pereira em 16 de fevereiro de 2011

Caro Ricardo Setti. Se alguma empresa me enviar alguma correspondênca parecida com essa aí, de imediato entro na justiça reivindicando uma indenização mais gorda do que a de ex-guerrilheiro, por falta de respeito, danos morais e prática indevida de humilhação explícita!

Paulo Bento Bandarra em 16 de fevereiro de 2011

Isto é para o Lula tomar, não para nós mortais! Gente de gosto educado em vinícola e não para nós que tomamos vinhos Chilenos, de Bento Gonçalves e Caxias...

Alberto Porem Júnior em 16 de fevereiro de 2011

Que bom que a vida é assim! Sem sonhos como um Château Lafite Rothschild, as Ferraris e tantos outros mimos de muito poucos o que seria de nós? Sonhar com vinho Sangue de Boi e Gol geração IV? Me poupe...

Bernardo em 16 de fevereiro de 2011

Setti, O papel da oposição, neste caso, é muito simples: defender integralmente o valor de R$ 545,00, em cumprimento ao acordo previamente celebrado com as centrais sindicais, mediante uma singela condição. A IMEDIATA REVOGAÇÃO DOS AUMENTOS DE SALÁRIO CONCEDIDOS AO EXECUTIVO E AO LEGISLATIVO. Se é mesmo necessário manter o controle fiscal, os excelentíssimos senhores deputados, senadores, ministros e a digníssima “Presidenta” (sic) da República, têm a obrigação de dar o exemplo de austeridade com as contas públicas começando pelo corte dos próprios salários. Se a oposição anêmica quiser ressuscitar, ela precisa combater os abusos da Nomenklatura e defender os anseios da sociedade. Para isso, é necessário um verdadeiro confronto de valores e princípios. Na forma como está colocada, toda essa história do salário mínimo não passa de uma farsa desdenhosa promovida por sanguessugas da sociedade. Para lembrar o velho aforisma de Stanislaw Ponte Preta, “ou todos nos locupletamos, ou restaure-se a moral”.

Joe em 16 de fevereiro de 2011

Sou mais comedido, como bom patrício, fico com um Conversa D'Ouro (+- R$ 60,00) e depois da refeição um bom cálice do Porto Dom José - Ruby.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI