VÍDEO IMPERDÍVEL e bastidores do histórico bate-boca entre Brizola e Maluf na campanha presidencial de 1989

Bate-boca entre Maluf e Brizola, em debate para presidência em 1989

Momento do famoso bate-boca entre Paulo Maluf (PDS, germe do atual PP) e Leonel Brizola (PDT), candidatos à Presidência, em debate realizado na Band durante a campanha eleitoral de 1989. “Não lhe concedo aparte”, diz Maluf ao adversário. “O senhor é um desiquilibrado”

Campanha presidencial de 1989, 17 de julho, segunda-feira: primeiro grande debate entre os presidenciáveis, na TV Bandeirantes, a Band de hoje.

Primeira e movimentadíssima campanha para a Presidência, pelo voto livre e direto dos brasileiros, desde 1960 e após o longo jejum imposto pela ditadura militar (1964-1985).

Bancadas apinhadas de convidados. Por um milagre que não acontece mais, os jornalistas credenciados – ou pelo menos vários jornalistas credenciados – puderam permanecer não relegados às bancadas, mas dentro do estúdio, desde que não ficassem visíveis para as câmeras.

Presentes quase todos os principais candidatos à primeira grande eleição presidencial da democracia pós-regime de 1964: Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Leonel Brizola (PDT), Mário Covas (PSDB), Paulo Salim Maluf (PDS, antecessor do atual PP), Guilherme Afif Domingos (PL, partido que desapareceu dentro do PR de hoje), Roberto Freire (PCB, atual PPS) e Ronaldo Caiado (PSD).

O favorito nas pesquisas de intenção de voto, Fernando Collor, de um partideco chamado PRN, não compareceu, como não apareceria em nenhum outro debate do primeiro turno.

Por diferentes razões, faltaram Ulysses Guimarães (PMDB), Affonso Camargo Neto (PTB) e Aureliano Chaves (PFL, atual DEM).

De repente, o tom subiu de vez

Mediado pela jornalista Marília Gabriela, o debate corria, esquentando e baixando de tom. Até que, a certa altura, o tom subiu de vez.

Durante uma intervenção de Paulo Maluf, o ex-governador Leonel Brizola tenta um aparte, mas Maluf, que segundo o regulamento do debate tinha a palavra, não concede.

Segue-se um bate-boca mas, prevalecendo as regras da emissora, Brizola tem que deixar Maluf seguir em frente:

– Não lhe concedo aparte, porque o senhor é um desequilibrado!

Pausou e repetiu:

– Desequilibrado!

Brizola bufava, tentava replicar, mas Maluf se impõe aos gritos:

– É um desequilibrado!

Apesar das advertências da mediadora, Marília Gabriela, parte da plateia aplaude Maluf.

Brizola, que os correligionários chamavam de “Engenheiro”, por sua profissão original, reage:

– Malufistas! Tudo malufista! Filhotes da ditadura!

Marília Gabriela, para acalmar os ânimos, expertamente chama o intervalo comercial.

“Malufistas! Cambada de malufistas!”

Diante do rumor que continua na plateia, Brizola, fora das câmeras, manifesta crescente desconforto e continua gritando na direção dos aplausos:

– Malufistas! Vocês são todos malufistas! Cambada de malufistas!

Pálido, mostrando indignação, o candidato do PDT levanta-se da bancada e começa a caminhar para fora do estúdio, acompanhado pelo grupo de assessores que trouxera consigo, para preocupação geral, em especial do diretor de jornalismo da Bandeirantes, Fernando Mitre.

Para pasmo geral, Brizola parece estar abandonando o debate.

À época diretor regional do Jornal do Brasil em São Paulo, e escrevendo sistematicamente sobre política, eu estava ali, a alguns metros de distância, encostado à parede do estúdio, justamente no espaço que separava Maluf de Brizola, estando Mário Covas à direita de Maluf.

Como muitos, tive a perfeita sensação de que Brizola, furioso e inconformado, ia mesmo embora, criando um grande caso e produzindo um fato político que teria grande repercussão na mídia e na opinião público. Sobretudo porque todo o seu grupo o acompanhou quando ele se levantou.

Há então um corre-corre atrás do ex-governador.  Um bolo de gente some de minha vista.

De repente, nova surpresa: lépido, já calmo e até risonho, Brizola reaparece no estúdio.

Vai caminhando até a bancada, e volta a sentar-se.

Então se esclareceu o incidente: o Engenheiro só tinha ido fazer xixi.

Não percam o vídeo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

47 Comentários

  • Dias Leite

    Sensacional!

  • Marco

    R.Setti: Aqui no Sul o Brizola sempre foi considerado o Rei do Banzo. O Maluf caiu na dele !
    Abs.

  • Valdivino Alves de Sousa

    Eu, particulamente gosto do Maluf, uma vez numa palestra conversei com ele, achei ele muito simpático por sinal. É que estes debates todos candidatos ficam nervosos, é platéia, é peguntas inutéis, é fotográfos, é o tempo que é muito curto, por fim é umas regras bobas sem fundamentos que o candidato nem é obrigado a obedecer. Debate é livre para debater a um determinado assuntos, sem imposição e coação. Assim, qualquer ser humando fica nervoso, ainda mais o Maluf que já passou dos 70 anos. São Paulo está com Maluf e vai ser eleito. Em breve vai estar em Brasília com este jeito elegante de vestir e expressar.

  • Beto gaúcho

    Grande Brizola… apesar de seus defeitos, era um grande homem, tinha luz própria.
    Se tivesse ido pro segundo turno em 1989, era grande a chance das coisas serem diferentes, tenho certeza de que o Collor teria encontrado mais dificuldade, até porque o Lula era novato. Ficou fora do segunto turno por mais ou menos 450 mil votos!
    Que Deus o tenha.

  • Marco

    Caro R.Setti: Só retificando o termo q escrevi sobre o Brizola, em vez de Banzo é Banzé.
    Abs.

  • Tarcisio Guerra

    Brizola faz falta neste nosso tempos de pouca vergonha. E a história que vc conta é ótima, Ricardo Setti. Este blog dá gosto de ler,parabens mesmo.

  • Mario Bertozzi Neto

    Tenho 23 anos e nunca tinha ouvido falar dessa historia, muito legal, o video é ilustrativo. Eu não sabia que o Maluf era bom debatedor. Não quer dizer que eu goste dele, pelo contrario.Depois do que ele tanto aprontou em S.Paulo, deus me livre

  • Impagável! Hoje, nem se pode debater mais, as perguntas devem ser préviamente analisadas e escolhidas, impõe-se regras que evitem qualquer tipo de constrangimento…ridículo.

  • Esron Vieira

    Desde criança fui avesso ao Maluf, por ser aliado á ditadura. Neste debate torcia pro Brizola. Com o passar do tempo e de eventos futuros, votei em Maluf(quem diria) no segundo turno das eleições pra governador contra o Covas. Lembro que o PT ( da Marta se uniu ao Covas). Com a idade conseguí enxergar que: Maluf era menos maléfico ao estado que o PSDB e PT. Um bandido vigiado conseguiria roubar menos que bandidos acobertados. Em termos de adiministração e competencia ele era bem melhor que um bando protegido pela midia, que iria roubar dentro da lei, um monte de dinheiro do estado. jamais Maluf conseguiria roubar a arrecadação bilionária dos pedágios para sí e seus apaniguados. O Covas e PSDB conseguiu. Nunca o Maluf conseguiria tirar 45 bilhões dos cofres públicos pra sanear o banespa e depois de ter lucro de 4 bilões por ano, entregar aos espanhois por 7 bilhões. Só bandidos acobertados conseguem tal proeza. Pegar o estado com dívida pública de 45 bilões e ter hoje ela impagável ( honestos e competentes). A arrecadação surrupiada dos pedágios com o lucro do banespa teriam pago esta divida, se realmente fossem honestos e competentes. Sabia que Maluf não era flor que se cheirasse, porem seria menos nocivos que PSDB e PT. Que situação mórbida em que chegamos, ter de escolher entre bandido vigiado e bandido acobertado. Chego à conclusão de que os meios de comunicação deveriam ser laicos e apartidários. Desceriam o pau em todo tipo de politico mau intencionado, sem olhar partidos. quando escolhem partidos pra proteger, bandidos espertos migram pra lá. o que vemos é mídia não laica e com interesses dúbios, no tangente à benesses de contratos que podem ter ou não com um governo ou outro (até livros didaticos estão neste alvo).

  • Adelle

    O antes de Duda Mendonça era assim.
    O depois de DM é tanto riso, é tanta alegria.

  • Cris

    Momento para uma boa risada. Apesar de antigo ainda e bem atual.
    http://www.youtube.com/watch?v=SWnZVj0wG7w&feature=player_embedded
    Um abraco

  • Esses debates eram bem melhor que os que vemos hje onde os candidatos fogem dos debates so para manter os saldos de pesquisas. Ate o maluf, um hipocrita, filhote da ditadura era melhor que essa falsa mulher que tenta ser presidente de primeira viagem. Votaria em Brizola, mais do que nunca, se ainda fosse vivo mas como não estea voto Serra 5 sem sombra de dúvida!

  • Ronaldo

    A estréia do xixi político, pode se dizer!

    Viva o bom humor, caro Ronaldo!

    Você entendeu o espírito do blog. Fico muito satisfeito com isso!

    Abração do

    Ricardo Setti

  • Reynaldo-BH

    Este vídeo causa uma certa nostalgia. Nele, vê-se Brizola e Covas. Além de Maluf,
    Brizola – nunca fui brizolista – manteve coerência e retidão de caráter até o fim da vida. Podia-se não concordar com ele. Não concordava. Mas que nunca se acuse de não ser honesto. No trato do dinheiro público e na defesa das ideias.
    Covas sequer necessita de adjetivações. Faz muita falta.
    E Maluf. Vivo, festejando os 80 anos nos salões do Teatro de SP com a presença de Geraldinhos e telegramas de Dilma.
    A pergunta não pode deixar de ser feita: de 1989 para cá o Brasil melhorou?
    Maluf é a resposta de que, infelizmente, não. O novo aliado do PT (quem diria…) está aí, agora incensado pelo PSDB/SP.
    Brizola foi calmo! Foi só fazer xixi!
    Muitos outros teriam…
    Deixa prá lá.

  • Natal

    Diante da enfadonha pasmaceira dos “debates” atuais, é impossível não sentir saudade dessa época. Além dessa refrega entre Brizola e Maluf, houve aquele “bate boca” entre Brizola e Fernando Henrique, acho que em 1994, já fora de uma das emissoras após o debate oficial. Bons tempos em que se era permitido até mesmo esses “golpes baixos” como chamar o outro de “filhote da ditadura”, “desequilibrado”, “sapo barbudo”, “caçador de maracujá”… e por aí vai!

  • Natal

    Setti, me espantei que você tenha deixado esse Esron Vieira sem resposta!

  • Sergio Roberto Santos

    Ao contrario de todos os outros eu acho que evoluímos muito em nossa democracia.
    Hoje temos uma democracia consolidada e instituições solidas.
    Uma revista como Veja faz semanalmente denuncias contra o governo e não se tem noticia de que seus jornalistas são ameaçados ou ela sofre sanções econômicas.
    Nós temos 3 poderes independentes e os cargos do executivo e legislativo são ocupados por eleições diretas.
    Só acredito que falta apenas nossa sociedade perder de vez a ideia de que o governo é um Deus onipotente que com algumas leis vai consertar tudo.
    Como diria o brigadeiro Eduardo Gomes o preço da liberdade é a eterna vigilância.
    Ano que vem teremos a mais importante das eleições, e aquela que é menos valorizada.
    A constituição de 1988 colocou muitos recursos nas mãos dos prefeitos e estes são os responsáveis diretos pela educação básica, a saúde e o transporte, justamente as funções básicas do Estado.
    Ao mesmo tempo uma renovação nos nossos prefeitos e vereadores vai sinalizar novos caminhos para os executivos e legislativos federais e estaduais.
    Sempre é possível não se envolver nas eleições, mesmo de forma não partidária, e depois culpar “O Povo”, ou seja os outros, pelos maus políticos.

  • Sergio Roberto Santos

    Desculpe mas preciso fazer uma pergunta para todos vocês.
    Sexta-feira um motorista dirigindo bêbado matou pessoas, sábado outro motorista bêbado matou outras pessoas, domingo também e não acredito que no próximo final de semana seja diferente.
    Quem são estes motoristas PTralhas?, Membros do PIG? Esquerdistas? Direitistas?
    A nossa sociedade é fruto dos políticos ou os políticos são fruto da nossa sociedade?

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Grande Brizola!!!

  • SergioD

    Ricardo, outra sensacional de Brizola foi na campanha de 1994.
    FHC dissertava sobre o Plano Real quando, se dirigindo ao ex-governador Leonel Briola, afirmou que o Plano vinha de muito tempo, vinha de longe.
    De bate pronto Brizola sapecou: “Veio de longe sim. Veio da Argentina”.
    A platéia explodiu em gargalhadas com a menção que o velho gaúcho fazia ao fato de muitos identificarem semelhanças entre o Plano Real e o Plano Cavallo, implementado na Argentina três anos antes.
    Infelizmente não existem mais políticos tão espirituosos hoje em dia.
    Um abraço.
    Muito boa essa mesmo, Sergio.
    Abraço

  • Eu assisti este debate e torci muito pelo Brizola, chamado de “desequilibrado” logo por quem, pelo procurado pela INTERPOL, o mamaluf.Ninguém é perfeito, mas o que Brizola queria era a passagem do Brasil para o 1º mundo através da “chave mágica” que é a EDUCAÇÂO,dando continuidade a obra de outro grande brasileiro e gaúcho, o Presidente Vargas, educação esta até então tenazmente NEGADA aos brasileiros pelas neo-oligarquias e as forças reacionárias anti-nacionais.Este é verdadeiro motivo de tanto ódio ao gaúcho, este é o motivo do seu “desequilibrio” e tantos outros apelidos pejorativos.

  • Jose Valdoir Vargas

    O Brasil ficou órfão de uma liderança com a morte do Brizola.
    Oh Deus dai-nos um líder!
    Jose Valdoir Vargas.

  • Paulo Cesar Ferreira

    Os dois estão cobertos de razão. Mas justiça seja feita, Brizola evoluiu:
    1- Fugiu do Brasil vestido de mulher e voltou vestido de homem.
    2- Investiu o dinheiro de Fidel, não na revolução Socialista, mas no seu bolso.
    Viva Dom Raton!!!! Viva o miserável que implantou a bandidagem no Rio de Janeiro!!!

  • Gustavo

    A melhor de todas, pra mim, continua sendo o embate de Jânio e Montoro no debate pra governador de SP de 1982. Hoje os políticos não têm a mesma capacidade de oratória e articulação de ideias que os políticos mais antigos tinham (vide o debate de Serra x Dilma, não se sabe qual dos dois tinha pior capacidade de articulação e síntese). Além disso, os mais antigos eram também mais espirituosos, como bem disse um colega em outro comentário. De qualquer forma, o excesso de regras de hoje dificulta debates mais inflamados. Acho que o Brizola nem conseguiria se expressar com as regras de hoje.

  • ANTHONY KUDSI RODRIGUES

    1) Todos sabemos que o Brizola fugiu do Brasil vestindo uma farda da Força Pública do RGS; esta história da fuga vestido de mulher, veio da fossa do esgôto das masmorras do submundo do regime militar, onde praticavam os seus crimes contra a humanidade, os JASONs e FREDIE KRUEGERs do regime, seguindo o seu “guru” o ministro da propaganda de Hitler, Joseph Goebells que textualmente disse:” Uma mentira contada mil vezes torna-se verdade”.
    2) O vestusto ditador barbudo do caribe FULBABYCHET(mistura sinistra de Fulgêncio Batista,Baby Doc e Pinochet)CASTRO, chamava o Brizola de “El Raton” porque o “barbudo” queria botar seus “hombres” no movimento armado de redemocratização do Brasil, e o Brizola só queria combatentes brasileiros, dizendo”não” à internacionalização do conflito. Portanto, se o Brizola deu uma “calça arriada” no “barbudo”, foi muito bem dada.
    2) O Brizola construiu sua vida política através do VOTO, eu mesmo votei nele em algumas eleições e em outras não.
    3) Quem implantou a bandidagem no Rio de Janeiro, foram os que eternamente se colocam contra o povo, negando-lhes os mais comezinhos direitos, em especial a EDUCAÇÂO.

  • RICARDO ROCKENNICVK

    ALGUEM PODERIA ME EXPLICAS, ENTRE: COVAS, MALUF, SILVIO SANTOS, BRIZOLLA, LULA….O POVO VOTOU EM COLLLLLOR;

    O PAIS DIFICIL!!!!!

  • moacir

    Setti,
    Tem razão o leitor Ricardo:por que o Brasil elegeu Collor?!
    Agora,debete assim é bem mais divertido que os atuais,todos esterilizados,engomados,engessados,respondendo as
    mesmas perguntas em letras pretas nos cartões de sempre:segurança,educação,saúde,mobilidade urbana.
    Não dá pra fazer nem mesmo a mais remota idéia de
    como as criaturas articulam,debatem,reagem.Nada.
    Votamos em personagens inventados por marqueteiros.
    Nos mais fotogênicos.

  • Ricardo

    Um era filhote da ditadura direitista,outro era filhote da ditadura esquerdista.Escolham qual é o pior.Se pudessemos cozinhá-los,não dariam uma barra de sabão.

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    ANTHONY KUDSI RODRIGUES
    Que bom estar de volta!
    Leonel de Moura Brizola procurado vivo ou morto pelos golpistas – ainda ficou no Rio Grande do Sul uma semana após o exílio do Presidente João Goulart.
    Em um local determinado, o Capitão Daudt, num pequeno teco teco o resgatou e o grande brasileiro Leonel Moura Brizola protegido pela Brigada Militar do RGS e vestido com o fardamento – rumou no seu longo exílio.
    Faz falta o Velho Briza!
    Quanto ao debate seria justo colocar no mesmo espaço o Direito de Resposta de Brizola na TV GLOBO.
    Pedro Luiz

  • Marcos

    Grande homem público brasileiro, Leonel Brizola. Sem dúvida. Se por aqui ainda estivesse, iria dar muito chute na bund@ do bundão do Lulla, o maior calhorda que apareceu por estas bandas em todos os tempos.

  • Dulce Regina

    Assisti o vídeo de 1989 e, depois o um minuto, de Augusto Nunes de 2013, impressionante nada mudou. Por certo, os debates eram mais quentes, havia oposição mas, ao escolhermos o presidente, nos demos mal, fazer o que ? Hoje, Maluf ainda está aí, junto ao PT, contribuindo com sua experiência, para que o PT aprimore mais ainda, o assalto aos cofres públicos.

  • nilton de souza moraes

    Nilton, deletei outros comentários seus porque as regras para publicação da opinião dos leitores no blog, ampla e cansativamente divulgadas e comentadas por mim, e com chamada permanente na home page, vedam textos escritos somente em maiúsculas.
    Peço sua colaboração das próximas vezes.

  • Marcos

    Caro Marcos, entendo sua indignação e também me repugna a figura política de Paulo Maluf, mas não posso publicar seu comentário por conter acusações que –infelizmente — não foram juridicamente comprovadas, devido às instituições falhas que temos.

  • Marcos

    Lulla é mesmo um grande sortudo eis que se Brizola vivesse, o chamaria, com todas as letras, pelo que verdadeiramente é: um tremendo de um vaselina, despersonalizado, um *****.

  • Andre M. Andrade Jr

    Dois ***** que não fazem falta ao Brasil que com o PT tem milhares por aí enterrando esse país.

  • Marta

    A gente se divertia, convenhamos. Porque coragem é o que nunca faltou para o velho Brizola. Não fui brizolista e até compreendo os que o criticam por certas coisas, mas digo que comparado às figuras políticas que temos hoje , Brizola ao menos manteve coerência e honestidade até o final. Bons tempos aqueles em que ao menos se sabia quem era quem.

  • Bruno Sampaio

    Brizola era um grande demagogo. Sempre. Não dizia coisa com coisa e era comunista até a medula. Acho que votei nele e no cacique Juruna na minha primeira eleição, aos 18 anos.
    Por isso hoje acho que só deveriam votar maiores de 35 anos.

  • Natal Santana

    Bons tempos em que, debates, eram debates. Hoje, pelo tempo concedido aos candidatos, pela praga do politicamente correto, pelas regras engessadas das emissoras… virou uma coisa chata, onde não se pode mais falar do mau caráter do adversário, como fez Covas com Maluf numa eleição em SP; não se pode mais dar nome aos bois. Bons tempos…

  • Luiz

    Lembro de um antigo programa da TV Senado falando sobre o golpe que teve dois entrevistados que vou mencionar aqui. Um foi o Brizola e o outro foi o brigado Rui M. Lima.
    O grande brigadeiro falou de como a lei da anistia é mentirosa, pelo fato dos torturadores terem sido perdoados sem nunca terem sido julgados e ele, como muitos outros militares legalistas, ainda não tinham recebido sua anistia.
    O Brizola relatou do encontro que teve com o brigadeiro Rui. Disse que o herói da 2ª Guerra derramou lágrimas pela democracia ter caído.
    O brigadeiro morreu mas sua honra viverá para sempre nos novos militares que o admiram e tem aversão a ditadura, mas escondem tal sentimento para não sofrerem perseguição dos comandantes saudosistas.

  • Tuco

    .
    .
    .

    Ainda hoje CQCs, Pânicos e afins tentam…
    Mas nunca conseguirão!
    De há muito que o quadro político é uma
    grande piada!
    Nota 10 ao Grande RSetti por nos trazer
    mais esta pérola do corolário resultante
    do miasma que nos cerca.

    .
    .
    .

  • milton

    q q isso companheiro? o ponto alto do duelo foi qd Maluf agredido verbalmente pelo Brizola mandou: esse exilado passou 15 anos na europa e não aprendeu nada!risadase gargalhadas geral…

  • JOSE AUGUSTO

    Um roto falando do rasgado, pra não dizer outras coisa! se juntar os dois não dá uma pedra de sabão, como disse o leitor Ricardo 23/01/2013 às 14:47.

  • Pedro Brasileiro

    Outra passagem destas duas figuras em um debate:
    Maluf: “O Brasil precisa de competência. Eu sou competente!”
    Brizola: “Maluf, tu és competente. Perdeu p/ presidente da república, para prefeito, p governador! Competes, competes e nunca ganhas!” hahahahahaha

  • RONALDE

    O mais interessante nisso tudo é que ambos tinham razão. Cada um era desequilibrado á sua maneira.

  • Adalberto Silverinha

    Bizola, a maior fraude, u embusteiro, destruiu todos governos por onde passou em todos os sentidos. Fugiu vestido de mulher para o Uruguai depois de ter sido o maior responsável por ter acontecido a resolução de 1964, arruinou o governo do fraco Jango.

  • rodrig

    essa discussão não ocrreu no primeiro debate. ocorreu no último produzido pela Band no primeiro turno.

    Caro, eu estava lá, escrevi sobre o debate na época e tenho certeza do que estou falando.

  • Júlio Castro

    Dois VAGABUNDOS fazendo um Teatro de Quinta Categoria!!!
    Dois Ladrões Comunistas Safados,!!!