As eleições americanas do dia 4 de novembro de 1996 foram o assunto do programa “Espaço Aberto” daquele dia, comandado pelo jornalista Pedro Bial na Globonews.

Na época diretor de Redação de Playboy, comentei aspectos da grande vitória do democrata Bill Clinton (reeleito) sobre o republicano Bob Dole e suas consequências para o Brasil, junto a quatro outros convidados: o ex-embaixador do Brasil nos EUA Marcílio Marques Moreira e os jornalistas Fritz Uzeri, Marc Margolis e Márcio Moreira Alves.

Os números não foram mencionados no programa, mas Clinton foi reeleito com 47,4 milhões de votos, 8,5 milhões à frente do ex-vice-presidente Bob Dole. O presidente democrata alcançou 49,2% dos votos, contra 40,7% de Dole, e certamente teria mais se não fosse a candidatura, como independente, do bilionário Ross Perot, que, com 8 milhões de votos, obteve 8,4% do total.

Bial me perguntou se a idade de Dole – que tinha 73 anos à época da disputa – influiu em sua derrota. Respondi que a questão econômica fora mais importante, mas sem deixar de dar destaque ao impacto que a imagem desgastada do candidato perdedor causara no eleitorado, sobretudo em comparação com a exuberância e o carisma de Clinton.

Também falei sobre a possibilidade do então general Colin Powell ter sido o candidato republicano, algo que se especulou à época. Em minha opinião, então, um cidadão negro ainda não conseguiria chegar à Casa Branca, embora Powell carregasse a seu favor o aspecto de constituir uma “novidade” e o fato de ser ostentar no currículo a vitória na Guerra do Golfo (1991), na qual foi o principal estrategista militar como chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas dos EUA.

Assista à íntegra do programa aqui)

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito − catorze =

TWITTER DO SETTI