Image
Iranianos exilados em Berlim protestam contra apedrejamento

Amigos, a manchete da seção “Internacional” do Estadão de hoje diz tudo: “Brasil cala sobre apedrejamento no Irã”.

O subtítulo também é altamente ilustrativo: “Ao lado de países como Cuba, Sudão, Síria e Líbia [todos ditaduras ferozes e violadoras dos direitos humanos, comento eu], diplomacia brasileira recusa-se a apoiar resolução em comissão da Assembléia-Geral da ONU que condena a lapidação e cobra fim de perseguição a jornalistas, blogueiros e opositores iranianos”.

Um dos pontos principais da resolução, apresentada pelo Canadá e aprovada por 80 países civilizados — da vizinha Argentina ao Japão, dos Estados Unidos a todos (repito, todos) os países europeus, do próprio Canadá, naturalmente, ao Chile — é a condenação do apedrejamento como método de execução. A resolução também pede o fim da discriminação contra as mulheres.

Como cidadão de um país em que a maioria da população é constituída de mulheres, e que — santo Deus — acaba de eleger uma mulher como primeira presidente em 121 anos de história da República, declaro-me indignado e sobretudo envergonhado com a política externa pusilânime e covarde do governo Lula e de seu chanceler de estimação, Celso Amorim em relação à ditadura do Irã.

O regime dos aiatolás fanáticos massacra os direitos das mulheres, adota a pena de morte sob as formas mais vis, enjaula adversários políticos, censura a imprensa, rouba nas urnas e seu ditador, Mahmoud Ahmadinejad, nega a existência do Holocausto e apóia grupos terroristas mundo afora.

O atual governo brasileiro acredita que com “diálogo e cooperação” é que a situação pavorosa dos direitos humanos no Irã vai melhorar. Prefere aproximar-se, ser amigo doDiabo a condenar suas ações.

Imagino o constrangimento da presidente Dilma como mulher e como política que já condenou de forma clara e inequívoca a barbárie que constituem os apedrejamentos de mulheres, em geral por suposto “adultério”, no Irã.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 − nove =

Nenhum comentário

fefeu em 03 de abril de 2013

sou radical ao extremo = eu deixaria o brasil livre de todos os brasileiros, deixava o país completamente sem nenhum brasileiro, e depois passava um wapp bem forte em todo o território e limpava tudo, desinfetava tudo, e depois de bem limpinho eu colocaria o povo oriental, de preferência japonês aqui no brasil, aí vocês verão que em fração de alguns anos este país seria a maior potência do mundo, pois o oriental tem a educação acima de tudo, tem vergonha na cara, tem tradição familiar, tratam da agricultura como ninguém, escola é primordial na família oriental, um maior exemplo desse povo ter dado a volta por cima = o japão foi simplesmente aniquilado na 2ª guerra mundial e em fração de algumas décadas se tornaram uma das maiores potências do mundo através de estudo/escola/educação, ao contrário do "jeitinho brasileiro" que me dá nojo...

Riva Mendes em 23 de novembro de 2010

Olá! Quando da sua postagem sobre a vergonha de termos um presidente semi-analfabeto, pensei, mas não comentei: "Isso é o de menos. Tenho vergonha mesmo é de ter um presidente que apóia o Irã, a mais obscura das ditaduras, criada pelo "mago das trevas" ideológicas, Khomeini." Um horror, um vexame imperdoável, que não combina com o Brasil. Mas afinal, pode uma estrela vermelha combinar com a nossa bandeira? A simbologia diz tudo. Um abraço. Obrigado, e outro abraço pra você, cara Riva.

Miriane Guedes em 23 de novembro de 2010

Ola, Setti bom, concordo plenamente cm a sua matéria.Mais não podemos esquecer que isso Ocorrem até que no Brasil dentro de muitas casas até mesmo cm os moradores de rua. Já a pena de morte é uma pratica usada universalmente para punir os crimes mais terríveis, sua aplicação vem dez da época remota tendo surgido entre as primeiras civilizações... Mas o que vemos que ela não parou por ai acho que a pena de morte é usada até mesmo nós inocentes.. Bom setti já a Dilma que sofreu muito a ditadura. Vamos ver agora que ela esta no poder o que os irão vão dizer... O que vooc acha? Muito obrigado ! Cara Miriane, Presumo que a nova presidente vá ter uma política externa menos espalhafatosa do que a do presidente Lula. Mas tudo ainda está no terreno da especulação. Precisamos esperar o dia 1º de janeiro e os seguintes, não é mesmo?

Carolina Setti em 22 de novembro de 2010

Ô Tio, este asusnto é terrível mesmo... nossa eu li hj mesmo uma reportagem sobre casamentos de homens com mais de 20 anos co menininhas de 3, 4 anos crê? Parece que tem um literatura que fundamenta isto alem do Corão, um outro livro que agora eu não me recordo, ele seria um livro complementar do Corão pelo que entendi... que diz que o pai pode obter prazer sexual com bebes e meninas atraves de bulinação e sexo anal mas não pode ter sexo vaginal para els casarem-se virgens portanto muitos deles dão as suas filhas em casamento pq pelo que diz o livro é mais honroso ela ser casada e sendo assim o marido tem todos os direitos sexuais... imagina 3, 4 anos... fora a multilação genital feminina que estende-se não só ao clitóris mas a todo o aparelho reprodutor genital externo... eu não tenho mais este link tio, sorry e não se afirmar se esta informação da literatura verdadeira mas o casamento tem fotos era um evento com uma fila de casais de jovens de 20, 30 anos de mãos dadas a menininhas... uma cultura dessas aceita como uma "presidenta"?? serío?? idependentemente da minha opinião pessoal em relação a Dilma, eu morro de medo... uma mulher não tem direito NENHUM nesses países e aí? COMO FAZ?? como países com este muslim extremo encara a Dilma? mesmo se ela puzesse um véu, uma burca, sei lá... #MEDOOO

jefferson em 22 de novembro de 2010

Mudando de assunto a Guarda Municipal de São Bernardo do Campo fica em um edificio batizado de Olavo Setti. Conhece? Caro Jefferson, há uma família Setti em São Bernardo do Campo que não é parente da minha. A minha família veio da Itália para Santa Cruz do Rio Pardo (SP), e logo depois alguns de seus integrantes se instalaram na capital paulista e no interior do Paraná. Há também uma família Setti no Rio Grande do Sul que não é parente, veio de uma região da Itália totalmente diferente da nossa, proveniente da Toscana. Abraços

jefferson em 22 de novembro de 2010

Ai credo como vc é melindroso!

Corinthians em 22 de novembro de 2010

Setti, Concordo com você - tenho vergonha de ser brasileiro. Tenho vergonha de meu presidente. Não é justificado isso que está sendo feito. Vergonha de ser brasileiro sim, pois como está no e-mail postado por Reynaldo-BH, ninguém por aqui está preocupado com isso. Não há manifestações contra. E o pior, existem pessoas que são a favor, como o Wilson, colocando as coisas fora de contexto. O Brasil não foi o primeiro à interceder (até por que efetivamente não o fez). Quando Lulla "ofereceu" asilo, o fez de maneira totalmente irresponsável com linguajar cholu, tanto que foi ironizado pelo Irã. Caso o Brasil quisesse realmente interceder, votaria a favor da condenação. Eu tenho VERGONHA pela FALTA DE VERGONHA de nosso governos e da maioria dos brasileiros.

jefferson em 22 de novembro de 2010

Tem gente que usa o passaporte europeu nessas horas. Nessa "gente", não me inclua. Só tenho o brasileiro. Uma pergunta, caro Jefferson: se o blog o irrita tanto, por que você o visita quase todo dia? Abraço

Stella Sottomaior Bond em 22 de novembro de 2010

O lula nao quer perder um otimo comprador de URANIO, O Brasil, segundo dados oficiais das Indústrias Nucleares do Brasil, ocupa a sexta posição no ranking mundial de reservas de urânio[2] (por volta de 309.000t d...e U3O8). Segundo a empresa, apenas 25% do território nacional foi objeto de prospecção, e as duas principais reservas são a de Caetité (mina Lagoa Real), e a de Santa Quitéria. Descoberta em 1976, a mina de Caetité é feita a céu ABERTO, numa das 33 ocorrências localizadas numa faixa com cerca de 80 km de comprimento por 30 a 50 km de largura. Localizada a 20 km da sede do município, o complexo instalado produz um pó do mineral, conhecido por yellow cake. Esta reserva possui um teor médio de 3.000 ppm (partes por milhão), capaz de suprir dez reatores do porte de Angra 2 durante toda sua vida útil O urânio produz envenenamento de baixa intensidade (por inalação ou absorção pela pele), com efeitos colaterais, tais como: náusea, dor de cabeça, vômito, diarreia e queimaduras. Atinge o sistema linfático, sangue, ossos, rins e fígado.Seu efeito no organismo é cumulativo, o que significa que o mineral, por não ser reconhecido pelo ser vivo, não é eliminado, sendo paulatinamente depositado, sobretudo nos ossos. A exposição à radiação pode provocar o desenvolvimento de cânceres. Entre os trabalhadores das minas, são frequentes os casos de câncer de pulmão.O uso de urânio empobrecido também é apontado como possível causa da síndrome da Guerra do Golfo, que afetou soldados americanos e britânicos que participaram da Guerra do Golfo, em 1991. Mais de dez mil veteranos tiveram doenças misteriosas.Ver mais

Andréia em 22 de novembro de 2010

E' apenas mais uma daquelas vezes em que sinto vergonha de ser brasileira.

Amauri em 22 de novembro de 2010

Bom dia a todos! Bom, estou de acordo com o Ricardo e todos os que se envergonham da nossa postura. Não condenar o amigo por conta de outros interesses, é o que vejo que acontece. Pode ser o caso da Arábia Saudita, como foi dito em alguns comentários, mas não justifica o Brasil não condenar ou se manifestar como se manifesta. Devemos dar o exemplo, como sempre demos, mas de oito anos pra cá (nunca antes nesse pais...) o Itamaraty passou a se portar de forma estranha em relação às ditaduras mais impiedosas que o mundo tem hoje em dia. Por que o Brasil não condena o Irã, Cuba e a Arábia? Condenemos todo tipo de desrespeito ao humano, oras! A final o Brasileiro é um amante da vida, veja nossa cultura! Somos pacíficos. No que o atual governo quer transformar nossa cultura? Mão de ferro e subserviência? Uma guerrilheira no poder? Pára o mundo, quero descer! Abraços! P.S.: Vi poucos comentários contrários à reportagem? Será que a carapuça coube?

Bruno em 22 de novembro de 2010

Entáo está combinado. Eles sáo a esquerda e sáo progressistas e querem o bem do país, o outro lado é de direita, conservador e náo querem o bem do país? Fala sério......acorda Brasil.....

Bruno em 22 de novembro de 2010

Nossa politica externa é digna de uma republica de bananas.... O que falar desta turma? Um bando de patetas.......

Siará Grande em 22 de novembro de 2010

Acrescente mais um detalhe de humor negro na história de Sakineh, caro Ricardo. De acordo com o Augusto Nunes, o embaixador petista na ONU é uma mulher.

Adriana em 22 de novembro de 2010

Já demonstraram várias vezes que em nome das "alianças petistas" nada vale mais do que sua própria vontade. Isso não me surpreende. Ou vcs já esqueceram que no episódio em Cuba, a culpa não foi do Fidel???

Karla em 21 de novembro de 2010

Não é de se estranhar. Fizemos a lei da Anistia e esquecemos as juntas militares. "Os facínoras o que mataram", a Rubens Paiva, para rememorar a frase de Ulysses, andam lampeiros pelo país e não passaram pelos tribunais. Que dirá de pedras ou enforcamento no Irã?

watcher em 21 de novembro de 2010

Realmente, concordo contigo.....eu, se pudesse, chutaria minha cidadania brasileira pra bem longe....mas duvido que a Dilma, a forma feminina do ditador da Coréia do Norte, tenha sentido qualquer vergonha nisso......afinal, é petista........precisa dizer mais alguma coisa?

Hugo Leandro Venturini em 21 de novembro de 2010

Novamente caríssimo Setti, concordo contigo em gênero, número e grau! Quando criança imaginava o século 21 algo imensamente distante, quase inatingível, mas jamais pude imaginar chegar à ele vendo as barbáries e atrocidades que estamos vendo nos últimos 10 anos mundo afora, e a complacência do governo brasileiro, que insiste em beijar a mão e pedir as bençãos de ditadores como Ahmadinejad e os Castro me indigna profundamente. Abraços!

Lucas em 21 de novembro de 2010

Eu que não participei de nada disso por culpa exclusiva do dia do meu aniversário acho um saco essa geração de guerrilheiros e militares! Uns se acham no direito de querer abrir o baú os outros querendo que eles fiquem fechados. Abrir o baú só vai servir para longas reportagens, livros e discussões enfadonhas na tv. Mante-lo fechado vai deixar o pessoal meio chateado até que estejam todos mortos e enterrados!

Paulo Bento Bandarra em 21 de novembro de 2010

Na verdade esta discussão da punição tortura do passado tira o foco do movimento do Brasil em direção ao apoio das ditaduras e dos violadores dos direitos humanos HOJE, não no passado! Não na guerra ou para enfrentar o terrorismo, mas para sufocar a vontade popular, sufocar a imprensa livre! Segue a receita do Fórum de São Paulo como traçaram.

Márcia em 21 de novembro de 2010

Ricardo espero estar enganada ,mas quando você escreveu "Imagino o constrangimento da presidente Dilma como mulher e como política que já condenou de forma clara e inequívoca a barbárie que constituem os apedrejamentos de mulheres, no Irã.Eu acredito que se a diplomacia brasileira recusa-se a apoiar resolução em comissão da Assembléia-Geral da ONU que condena a lapidação e cobra fim de perseguição a jornalistas, blogueiros e opositores iranianos,,foi com a anuencia e até com o apoio dela. A presidente eleita que a meu ver compatua sim com esses métodos.A indole má não tem genero a história está ai para nos mostrar.A Dilma mãe do povo foi só propaganda politica.

diocleciano em 21 de novembro de 2010

A Arábia Saudita comete os mesmos crimes que o Iran. Entre eles o assassinato de mulheres por apedrejamento. No entanto tal país não aparece na mídia e não é criticado. A explicação é simples: esse país é aliado dos EUA. Fornece petróleo para os EUA. Seria importante se informar um pouco melhor e ir além das aparências. Que "aparências", Diocleciano? O apedrejamento de mulheres e o enforcamento de homossexuais que ocorre no Irã são "aparências"? E claro que condeno tambem veementemente o regime ditatorial e corrupto da Arábia Saudita. Infelizmente não é apenas no Irã e na Arábia Saudita que existe essa barbárie. Quem é democrata e coerente tem que adotar a mesma postura diante das mesmas monstruosidades. A Arábia Saudita tem aspectos ainda pior do que o Irã: havia escravidão no país até os anos 50 do século XX! Não sei de onde você tirou que criticar o regime bárbaro do Irã significa referendar ditaduras semelhantes.

Newman em 21 de novembro de 2010

Nossa diplonacia seria mais honesta se votasse contra a resolução ao invés de se abster.

Flavia araujo santos de mello em 21 de novembro de 2010

Vivo na França a 20 anos e nestes ultimos 8 anos vivo com um sentimento misto de vergonha e orgulho! A imprensa economica fala do Brasil como um novo eldorado, o paìs em efevercencia, graças a seu novo governo e especialmente ao seu presidente. A imprensa internacional fala da orgias, dos bacanais, da baixaria,da ignorancia, do alcolismo do presidente brasileiro. Ele chega em paris e nem o ambaixador sabe! Fecha hoteis, contrata mulheres e dizem as màs linguas que alem do alcool outras drogas rolam em grande escala nas festas que ele patrocina e nas festas que ele participa na embaixada do Irpatda embaixada do Irãn.~ O Lula é um pesadelo, a Dilma vai ser o maior vexame! Apòs a eleiçao da Dilma decidi pedir minha nacionalidade francesa ja que tenho direito e abdicar definitivamente ( pois somos obrigados a faze-lo mas podemos adquirir novamente apos um tempo)da brasileira . Morro de vergonha de ser brasileira! Cada paìs tem o presidente que merece mas a Dilma foi um golpe de estado.

Augusto Marcacini em 21 de novembro de 2010

Caro Sr. Esron, Agradeço profundamente o seu comentário. Só ressalvaria que a história da humanidade contém uma longa lista de opressão e dominação de um povo pelo OUTRO, e se for para recuperar essa lista vamos ter que voltar aos egípcios, e provavelmente só não vamos antes deles porque não há registros históricos do que ocorreu até então. Entre DITADORES, porém, eu só incluiria aqueles que oprimiram o seu próprio povo apenas e tão somente para se perpetuarem no poder e usufruírem dos benefícios que isso lhes trouxe! Sem dúvida minha lista está incompleta, mas nela não incluiria os variados impérios do mundo. Não é uma justificativa aos muitos massacres cometidos por esses impérios, muito pelo contrário; é apenas uma outra questão, que até poderia ser discutida em separado, mas que não se confunde com ditaduras. Mas o problema mesmo é que, nesta matéria de opressão ao OUTRO, gostaria de saber quem tem a cara limpa para atirar a primeira pedra. Desconfio que não fizemos coisa muito melhor do que americanos e ingleses, quando lutamos contra o Paraguai (Setti, lá vou eu de novo: "eu quero saber o que aconteceu na Guerra do Paraguai!"). Por outro lado, longe de justificar as guerras, pois sou um pacifista convicto, é difícil julgar a história, especialmente com os olhos e os valores do presente.

gusta em 21 de novembro de 2010

que nojo!!!!!!

Álvaro Henrique Rodrigues em 21 de novembro de 2010

"O esperto só dança,quando acha que todo mundo é otário". Será que estamos esperando alguém dar um grito de democracia ou morte. Um Tiradentes ? Será que vamos ter de passar por uma inconfidência, ou preferem uma ditadura light. Regada com esmola prá tampar a boca. Ta comendo, qual é...? Pode reclamar não. Presos nunca tiveram tanta assistência, a bandidagem, vagabundagem tudo contente. O Messias embriagado de mentiras e falcatruas que se desmancham nas apurações sem apontar culpados e lógicos, sem condenação. Que ***** de democracia é essa, nova ? Porque não conhecemos. Estão achando mesmo que somos besta, fácil de ganhar e ludibriar. A gente vai ficar assistindo pela T.V. Senado/SBT, nosso destino ser traçado por ladrões, bem intencionados, tirando proveito da ignorância e construindo impérios, manipulando instituições, extorquindo, chantageando, subornando. Figueiredo falou: "Vão sentir saudade de mim", né que é mesmo, já tinha mandando pendurar e sentar o pau . Invasão de terra.... Oh! Coitado, tratem de trabalhar. Quem vai começar... ? Vão falar que é golpe contra o progresso falso e inventado. É coisa das elites... Essa quadrilha internacional instalada em Brasília acha que os tempos não mudaram, as gerações não se evoluíram, vai cair do cavalo. Hoje, o buraco é mais embaixo. temos armas que não atiram,mobilizam uma nação num instante. São muito bonzinho, vai brincando, pobre analfabeto tem agora chances de ser deputado federal fazendo palhaçada ou presidente *****, que ainda tem coragem de chamar a mulher de primeira dama, é a ultima das brasileiras. Viva a democracia a resistência já começou, vão vê se é brincadeira.

sinisorsa em 21 de novembro de 2010

"O senhor está completamente enganado, o Brasil foi o primeiro país a interceder pela iraniana, o Presidente Lula chegou a oferecer asilo para Sakineh Ashtiani aproveitando o bom relacionamento que mantém com Presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad." Ei, miliciano, você se esqueceu de dizer qual foi a resposta oficial do Irã pra tal oferta de asilo, aquela feita em cima de um palanque. Lembra da resposta do senhor Ahmadinejad, o qual você afirma manter um muito bom relacionamento com Lulla? Ah, não lembra ou prefere esquecer? Olha só, o porta-voz da chancelaria iraniana, Ramin Mehmanparast, disse que Lulla é emotivo e desinformado. É, uma super resposta de um super amigo! Em tempo: eu também me somo aos que se sentem envergonhados pelos atos e dizeres do Brasil. E, além do mais, quando o Brasil ofereceu ridiculamente asilo para a pobre mulher -- asilo só se concede em caso de perseguição política --, meio mundo já havia protestado contra a barbárie do Irã, Sinisorsa.

Luiz Pradines em 21 de novembro de 2010

Setti, Setti... A Dilma já deu uma declaração condenando a barbárie dos apedrejamentos no Irã. Porém, sua posição sobre o assunto somente ficará clara se ela revogar esta política externa irresponsável do seu ex-chefe. Até lá, que tal segurar um pouquinho a sua imaginação? Talvez a sua imaginação não sobreviva aos fatos...

Caio Frascino Cassaro em 21 de novembro de 2010

Muitas coisas me dão vergonha de ser brasileiro. O Presidente Lula, com sua permanente grosseria, ignorância e desapreço pela instituições, me dá vergonha de ser brasileiro. Nossa imprensa, que passou o período eleitoral escamoteando informações a respeito do estouro das contas públicas, da inflação (IGPM 12% no final deste ano), e agora, passado o período eleitoral, traz o tema para a pauta do dia, me dá vegonha de... O povo brasileiro, em sua imensa hipocrisia, reclamando da roubalheira da classe política mas incapaz sequer de respeitar um vaga de idoso no supermercado ou mesmo deixar de jogar papel no chão, me dá vergonha de ser brasileiro. A prova do ENEM, em todos os seus aspectos, desde a sua organização até o seu conteúdo, me dá vergonha de ser brasileiro. A posição do Brasil no IDH me dá vergonha de ser brasileiro O poder legislativo me dá vergonha de ser brasileiro. O poder judiciário me dá vergonha de ser brasileiro. O Luis Inácio Adams me dá vergonha de ser brasileiro. O Ricardo Lewandovski me dá vergonha de ser brasileiro. A lista é infinita.

Cris Mizon em 21 de novembro de 2010

Eu estou envergonhadissima. Nao tenho palavras suficientes para expressar minha indignacao. Deveriamos fazer um abaixo assinado contra essa posicao do governo Lula.

Markito-Pi em 21 de novembro de 2010

Assino embaixo e avalizo, Setti. Até o penúltimo parágrafo. O Brasil do fascismo petista é vergonhoso. Seu último parágrafo é ato de esperança, Setti.Que eu gostaria muito de compartilhar. Mas, declrações desta senhora não valem nada. Basta lembrar que o dono do PT, e adestrador de Lula e Dilma já declarou que, com ela o PT finalmente chega ao poder.

Jean em 21 de novembro de 2010

Eu também estou envergonhado...

Roberto Almeida em 21 de novembro de 2010

Prezado Ricardo Não tenha vergonha, pois você, assim como eu, não tem CULPA por ter nascido aqui. Confesso, entretanto certa surpresa por seu comentário hoje, domingo, já que este fato se deu semana passada, na quinta-feira. Cordialmente. Caro Roberto, nunca é tarde para se manifestar indignação. Abraços

Fernanda em 21 de novembro de 2010

Imagine se o Brasil iria se manifestar contra o grande ditador do Irã...é com esse tipo de despautério que o governo atual se identifica...são com essas piores espécies de ditadores que Lula mais conversa e faz "rapa-pés"...já se fosse para criticar os EUA...ah, ele seria o primeiro a se manifestar. Nesse sentido, eu tenho vergonha é dos brasileiros que elegeram esse governo lastimável, isso sim...

Esron Vieira em 21 de novembro de 2010

Não costumo dar pitacos nos comentários dos meus colegas no post, porém não posso deixar de concordar em genero numero e grau, com o comentário do nosso colega: Augusto Marcacini. Ainda me atrevo a adicionar na sua lista de ditadores sanguinários, o Tio Sam, império britanico (amigo de pinochet), império romano e outros imperios e imperadores que torturaram e cometeram genocidio com o objetivo de prolongar seus poderes infames.

Esron Vieira em 21 de novembro de 2010

Caro Setti, concordo plenamente com o conteúdo do seu post e com sua indignação. O que sempre me deixa desapontado é a nossa cultura de culpar nossa pátria por tudo de ruim que acontece com ela e sentir-nos envergonhados de sermos brasileiros em situações vexatórias. Digo isso pois, governos e governantes, virão e irão. Nossa pátria continuará e não deixaremos de ser brasileiros. Os paises desenvolvidos passaram e passarão por governos que cometem atitudes certas e erradas e para chegarem na situação que estão, cometeram muitos erros graves. O que nos resta é: apoiar os acertos e criticar os erros dos nossos governantes. Fora isso temos as eleições pra mandar nosso recado. Em nosso pais só vejo brasileiro tendo orgulho, quando ganha copa do mundo. Quando acontece algo que nos deixa indignados, botamos a patria na berlinda. Entre nós (Brasileiros) poderemos lavar nossa roupa suja e nos ralar. Lá fora, prefiro ter a personalidade de nosso saudoso Rui Barbosa. O que sempre adimiro na cultura anglo-saxonica é o orgulho de se auto afirmarem, mesmo nos paises colonisados. Nos paises de cultura latina, a corrupção e o atraso vem desde a colonização, quem tinha melhores recursos só queria enriquecer e voltar à europa. quando não conseguiam o objetivo a culpa era do pais atrasado. Os anglo-saxonicos quando chegavam à colonia, procuravam construir seu novo lar e se fixar. Depois exigiam a independencia da metropole. Quando temos uma cazinha humilde nossa, temos orgulho dela, os defeitos e reparos necessários, fazemos na medida do possível. Quando o imóvel é alugado, as goteiras e problemas estruturais nos deixam aborrecidos e cobramos providencias do proprietário. Não é uma critica à vc caro amigo, é um desabafo que faço quando vejo um brasileiro envergonhado com a pátria que em sí não tem nada à ver, com os devaneios dos nossos politicos. Abraços e continue com seu belo trabalho. Obrigado por suas palavras de incentivo, caro Esron. Vergonha de ser brasileiro no sentido de termos um governo que se comporta dessa forma internacionalmente. Amo o Brasil, e o tamanho deste sentimento é proporcional à decepção que tenho com nossas falhas.

ROSANA em 21 de novembro de 2010

Eu como brasileira me sinto envergonhava desse atitude do governo Lula e principalmente em termos um chanceler que nao honra seu cargo. E presidente que disse? Nada, nem uma declaraçao. Isso sim que é continuidade!

maria rita em 21 de novembro de 2010

A falta de tato, e sensibilidade desse governo, é uma aberração e envergonha nosso país perante o mundo civilizado. O presidente é semi-analfabeto, mas o amorim é um homem que, acredita-se tenha estudado para chegar no posto que ocupa, como então explicar essa posição do governo brasileiro abstendo-se numa votação tão importante? A sociedade deve mostrar sua indignação, por esse ato criminoso, o presidente e seu chanceler, tornam-se comparsas dos tiranos, mahamoud ahmadinejad, chavez, fidel.

RitaZ em 20 de novembro de 2010

Ola Setti, sua vergonha é a minha e de tantos outros brasileiros que estão de acordo com a decência, esse governo não se cansa de nos envergonhar, não espere coisa melhor do próximo, Dilma tem a violência em sua alma, caso contrário, não se orgulharia de ter sido uma guerilheira cujas organizações que pertenceu, promoveram a baderna e a morte de pessoas. Sinto vergonha e desânimo. Abs, Rita

Cesar Antonio em 20 de novembro de 2010

Ricardo, não acredito que Dilma tenha qualquer constrangimento, ela em minha opinião será pior que Lula em todos os sentidos. E provávelmente será um fantoche na mão dos Petralhas.......

Renato em 20 de novembro de 2010

Prezado Ricardo : Lula deve apressar-se em vestir o pijama , eu me sinto envergonhado pela decisão adotada .

Jefferson em 20 de novembro de 2010

Um presidente semi-analfabeto como o Lula deveria ter pelo menos um ministro das relações exteriores mais competente, e mais lúcido também, para auxiliá-lo na política externa e repreendê-lo caso necessário. Lula não pode sair por aí defendendo ditadores traiçoeiros e falando o que lhe dá na telha dos países membros permantentes do C.S. - ONU. Estes países não ganharam de presente, mas conquistaram estes postos após vencerem a custo de milhões de soldados e civis a gerra mais sangrenta da história, e possuírem níveis de educação e desenvolvimento tecnológico que justifique sua influência na ONU. Mas com ministros do naipe de Celso Amorim como conselheiros de Lula, por muito tempo o Brasil vai continuar sendo representado nas capas da Veja como o canarinho diante de gaviões (EUA) e lobos (Irã).

Berta Reel em 20 de novembro de 2010

Não tenho palavras. Lamento.

Augusto Marcacini em 20 de novembro de 2010

Sr. Wilson Alves, V.S. deveria dizer o que pensa de um país que apedreja mulheres e prende e tortura a oposição. E explicar porque o nosso Governo teria agido corretamente ao se abster na votação da ONU e se colocar no pólo oposto ao da defesa dos direitos humanos. É o que estamos comentando aqui. Usar de uma manobra diversionista como a que utiliza, implicitamente acusando os que agora se sentem envergonhados de terem apoiado a ditadura no Brasil, além de ser uma visão injusta e preconceituosa contra quem V.S. nem deve conhecer, também parece ser um argumento de quem está a esconder sua própria opinião sobre o que está em discussão e pretende empurrar para o próximo as suas próprias dúvidas. Eu era criança quando a ditadura encrespou por aqui, mas me lembro simplesmente que minha família vivia com medo. Mas se quer saber o que penso de ditaduras e ditadores, sou contra TODOS eles. Se quiser, podemos nos manifestar envergonhados por todos: Pinochet, Salazar, Franco, Stalin, Castro, Mao, Chavez, Hitler, Mussolini, Ahmadinejad, Jong-il e os vários governos militares brasileiros e argentinos... Assino embaixo. Ou o Sr. teria alguma simpatia seletiva por alguns desses nomes?

Lilian em 20 de novembro de 2010

http://www.youtube.com/watch?v=532zUMDGyXc Dilma memória fraca! (04/11/2010)

Reynaldo-BH em 20 de novembro de 2010

Ao senhor Wilson Alves - 20/11/2010 às 21:03 Por favor! Tenhamos ao menos, VERGONHA NA CARA! Esta sua defesa abjeta desta vergonha só merece uma resposta! POR QUE os seus ídolos não conseguiram evitar a morte de ORLANDO ZAPATA no meso dia que, em Cuba, Lula e Franklinteis posavam sorridentes ao lado do Comaandante? Esperamos o apredejeamento para uma declaração desta vergonha chamada "política externa"? Vamos defender o "direito da livre determinação" dos povos, mesmo neste caso? Se a oferta de "asilo" foi séria, por que não a condenação ao ato? Por que o apoio ao Irã? Por favor, nos ppupe, sr. Wilson, de suas opiniões baseadas somente em uma adoração CEGA do que vem daqueles que o senhor (infelizmente!) admira!

Indignado do interiorSP em 20 de novembro de 2010

Caro Setti. Pensar o quê! Falar o quê! So acho que nos temos responsabilidade sobre isso, quando deixamos passar algumas irresponsabilidades adiante, um dia a histó ria cobrará a sua conta.

wilson em 20 de novembro de 2010

Para o nanico do nanismo diplomático trata-se de Lapidação não ortodoxa para reprimendas infidelicas de femeas despudoradas.

carlos nascimento em 20 de novembro de 2010

Estamos vivenciando a era da mediocridade. O que podemos esperar de um Chanceler "megalonanico", que quando viaja dorme de "pijama de bolinhas" nas aeronaves e torna-se um verdadeiro lambe botas do molusco. Resulta nisso, nesses absurdos, totalmente ao contrário do pensamento e da índole do povo brasileiro. Ricardo, aproveito o enfoque para pedir a vc que nos ajude na condenação do episódio da agressão ocorrida na av.paulista esta semana, quando 5 jovens de classe média alta, covardemente, agrediram outro jovem, sem qualquer razão plausivel. É A ERA DA MEDIOCRIDADE.

Wilson Alves em 20 de novembro de 2010

Após ler todos os comentários, quero dizer que acho lamentável a atitude de alguns comentaristas que se dizem envergonhados de serem brasileiros. Será que estas pessoas também ficaram envergonhadas quando os EUA deram apoio logístico para que militares tomassem o governo de assalto, torturassem e matassem cidadãos brasileiros? Ou será que a pusilanimidade e o comodismo foram maiores que sua indignação?

Roberto Xavier em 20 de novembro de 2010

Caro Setti, existem coisas que não há como entender mesmo que após uma explicação razoável. O PT é documentalmente pró-aborto, pró-homossexualismo e contra a pena de morte. No caso do apoio ao Irã ele, o PT, se coloca em uma situação contraditória, pois está apoiando a pena de morte e todas estas Leis daquele país que contrariam seus estatutos. O que seria mais lógico é que o Chanceler brasileiro se posicionasse ante o governo iraniano afirmando quê: “Nós, do PT, somos contrários a tudo o que vocês são favoráveis, com exceção dos atos de censura e terrorismo.

Wilson Alves em 20 de novembro de 2010

Senhor Ricardo Setti O senhor está completamente enganado, o Brasil foi o primeiro país a interceder pela iraniana, o Presidente Lula chegou a oferecer asilo para Sakineh Ashtiani aproveitando o bom relacionamento que mantém com Presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad. Lembro-me perfeitamente que a oferta do Presidente Lula foi feita em meados de Agosto e que Reinaldo Azevedo de Veja quase teve uma síncope, tamanha foi sua indignação pela ousadia do nosso Presidente. Nosso governo já percebeu o que outros ainda estão tentando compreender: pressões não obterão sucesso com o governo de Teerã, por isso nosso Ministério das Relações Exteriores está tentado uma solução negociada.

Reynaldo-BH em 20 de novembro de 2010

Setti, sou advisor de algumas empresas em Portugal. Represento outras do Brasil por lá. A vergonha é intensa. Envio a vc(s) um mail recebido hoje, de um empresário de Braga (autorizado por ele) onde comenta o que fizemos. Melhos: ELES fizeram em nossa nome. Abraços. =========== Caríssimo Reynaldo, Sei de vossas preocupações com a política externa do seu Brasil. E de fato, assusto-me. Cá em Portugal temos a reunião da NATO com os condicionamentos previstos a circulação desde a Praça do Comércio ao Pavilhão dos Descobrimentos. Parece ter resultado. Poucas manifestações de protestos, talvez pela renhida intervenção da GNP e das Forças Armadas. Foram bastantes eficazes no convencimento das desistências. O que mais me causa espanto, pelo que conheço daí, é a falta de qualquer manifestação de repúdio ao posicionamento solerte que parece ter norteado vossos diplomatas. Foi sim vergonhoso. Diria que esta repulsa seria prevista mesmo pelos que nasceram antes da Catedral de Braga. Perdeu-se o leite antes de te-lo como nata. Não há hipótese de ter-se o Brasil como assentado no Conselho de Segurança das Nações Unidas. É impraticável. Portugal estará no Conselho Provisório até 2012 e deu seu contributo a denunciação desta barbárie. Nosso Brasil parece apoiar, sabe-se lá em que argumento apóia-se, na justificação do crime que no Irão pratica-se. É pena. Dou-te razão. Tempos negros estão a vir ao Brasil. Por cá, temos as presidenciais e esperamos o que a Irlanda fará. Mas, como dissestes, são passos curtos. Este fora de prumo que o Brasil deu é mesmo uma vergonha. Um bom descanso, Adeus e força! Toty.

joselito em 20 de novembro de 2010

Só em inglês e francês, infelizmente: http://www.un.org/News/Press/docs/2010/gashc3998.doc.htm "The representative of Brazil said that his delegation abstained, but it continued to note concern about human rights, especially the situation of women in Iran. Gender disparities persisted in the country and still existed regarding political participation. Brazil was also concerned about the rights of minorities, particularly the Baha’i community, which continued to be denied employment and basic public services. Brazil emphasized the importance of fully respecting civil and political rights and freedom of expression and opinion, and of protecting defenders and women’s rights leaders. On the other hand, Brazil noted progress made in Iran regarding social, economic and cultural rights, particularly health care. Positive steps had also been taken towards legal reform. Brazil acknowledged that Iran had accepted several recommendations by the Universal Periodic Review, including the abolition of juvenile executions. He reiterated that the resolutions were the product of a process that must be improved, as country-specific countries were the only ones that did not go through open and transparent consultations, which only reinforced arguments for the selective treatment of human rights issues. Brazil was convinced that the Human Rights Council was the best equipped to deal with human rights issues."

Milton em 20 de novembro de 2010

Ricardo, o título do seu comentário diz tudo!!! abs.

Isabel em 20 de novembro de 2010

Setti, não sei o que me dá orgulho de ser brasileira. Nunca aprendemos com os erros da história. A substituição de uma ditadura ou qualquer outro mal, seja qual for, por outro, nunca resolveu problema nenhum. Lembro de uma iraniana, nas páginas amarelas da Veja. Eu era jovem, e fiquei indignada com a história de uma bela mulher que teve sua pele arrancada (sem anestesia) para fazer enxertos (acho) em soldados queimados (não lembro bem). Ela estava sendo 'punida pelo crime de costumes ocidentais' permitidos na ditadura anterior. Lembro tmb do livro (não lembro o nome) de uma chinesa que conseguiu fugir das prisões de Mao para os USA. Seu 'crime' era ser filha de um pai rico e ter em casa muitas obras de artes centenárias/milenares: todas destruidas. Viva a contra-cultura! Nos longos anos de prisão, sua única companhia era uma lâmpada acesa que lhe impedia de contar os dias. O que faz povos de cultura milenar involuirem tanto?! Tenho muita dificuldade em me ver no século 20/21 e de entender o que significa. Os historiadores sempre terão muito trabalho pela frente...

Lilian Glauce Rossi em 20 de novembro de 2010

Dilma mostra a verdadeira "cara".

Rosa Maria Pacini em 20 de novembro de 2010

Setti eu já havia lido essa notícia ontem e deixei registrada a minha indignação em jornais e redes sociais. Eu sinto a mesma vergonha que você diante de tamanho absurdo, até porque tenho assinado e divulgado manifestos contra a violação dos direitos humanos.É inadmissível tal postura, sobretudo em pleno século XXI.Pouco importa se foram muitos os países que se abstiveram de votar ou até mesmo votaram contra - cheguei a ler tal tipo de argumentação por parte de leitores que obviamente são defensores deste governo -, o fato é que nenhum pais democrático pode compactuar com a violação dos direitos humanos. Ao fazê-lo torna-se cúmplice da barbárie, portanto alinha-se aos países que ainda não atingiram o status de civilizados.E é com essa vergonhosa verdade que temos que nos deparar tendo Lula, Celso Amorim e o Marco Aurélio Top Top Garcia cuidando da política externa de NOSSO PAÍS!

Paulo Bento Bandarra em 20 de novembro de 2010

Dilma não condenou nada. Nem se contrange com o o que concorda. Ela falou da boca para fora, mas tirou qualquer vontade ou intuito em fazer algo. Devia de ter sido CLARO com Lula e o Itamaraty. Falou para a platéia o que ela quer ouvir. Como o caso do aborto, do MST ou das FARCs, cada platéia, um discurso. Alegou falta de poder, quando para ir ao G20 teve todo o que quis. . Eu não morro de vergonha por isto. Morro de vergonha por aqueles que querem criar leis para perseguir quem torturou no passado estes mesmos que agora apóiam os países fascistas e anti-democráticos, como Bolívia, Venezuela, Cuba, Equador, Líbia, Irã, etc.... Os mesmos que tentaram criar as FARCs no Brasil, que foram indenizados por estes crimes, e que hoje estão no poder mostrando claramente que direitos humanos não são para todos. Não devemos nada para eles pela democratização do país. E se tivessem ganho do exército, ou conseguido estabelecer-se em um território, não seria as passeatas, jornalista e as músicas de esquerda que teriam detido eles. Não sei se fui claro.

ALBERTO SANTO ANDRE em 20 de novembro de 2010

O GOVERNO LULA NA REALIDADE, SO EXISTE PARA OS 55 MILHOES DE ANALFABETOS PLENOS E FUNCIONAIS QUE OS ELEJERAM E QUE AINDA ACREDITAM QUE O BRASIL PAGOU A DIVIDA EXTERNA E QUE NAO SABE QUE OS 280 BILHOES DE DOLARES DE CAIXA CUSTOU MAIS DE QUINHENTOS BILHOES DE REAIS COM JUROS REAIS DE MAIS DE 6% AO ANO ,E NAO DE SALDO DE EXPORTACAO COMO A CHINA. Beleza, Alberto. E isso justifica essa política externa pusilânime e covarde, não é mesmo?

Marcos Aarão Reis em 20 de novembro de 2010

Não é simplesmente a legalidade e a soberania alheias que estão em jogo. E obviamente, não se trata de apoiar apedrejamento. Há anos, o Itamaraty vem insistindo em que não se use os organismos da ONU senão para promover acordos dos quais possa resultar a paz, não a tolerância com a infâmia. Por isso que em ocasião anterior, para evitar a eventual condenação de Israel e do Hamas, pelo Conselho de Segurança, o Brasil sugeriu uma mediação, provocando agastamento de ambas as partes. É complicado. Mas condenar um, hoje, outro, amanhã, não nos levará a lugar algum. Respeito sua opinião, caro Marcos, mas não mudo o que escrevi, não. Países têm que ter postura moral, têm que ser coerentes com valores que respeitam internamente. A Espanha, por exemplo, condena quem tem que condenar e é até mais respeitada em política externa por isso. E tem uma política externa ativa e competente.

A. Cabral em 20 de novembro de 2010

O assassino italiano que não foi deportado. A bomba atômica do Irã. Os boxeadores de Cuba. A morte do cubano por inanição após greve de fome. O Brasil, se não é, está rapidamente se tornando persona non grata na comunidade internacional, ao menos entre os paises livres, os que contam. É incompreensível que isso seja tolerado por pessoas de bem.

Roberto Brasil em 20 de novembro de 2010

Parabéns! Você sempre me surpreendendo com suas colocações coesas, coerentes e sempre denunciando as mazelas da manipulação do poder! Isso é digno de aplausos, tomei a liberdade de postar no meu blog: http://betaobrasil.blogspot.com/ a sua reportagem, com os devidos méritos e fontes. Sou seu fã cara! Abraços sinceros, Roberto Brasil. Muito obrigado, caro Roberto. Obrigado pelo fã. E é um prazer estar no seu blog. Um abração e volte sempre.

Amadeus em 20 de novembro de 2010

Setti, Uma pergunta clara, direta: Você aprova a lapidação desde que não no Irão? Aliás, jamais vi você se insurgir antes contra essa prática. Em paises civilizados, como a Arábia Saudita, pode? Se não pode, como explicar o obsequioso silêncio sobre a prática fundada no medievo? O Senhor é contra a lapidação ou contra o Irão? Sua pergunta é tão insultuosa que não merece resposta.

Sergio Santos em 20 de novembro de 2010

Seria preciso deixar claro através de uma forma de manifesto a ser divulgado pela internet, que a posição do governo brasileiro não é a posição da maioria da população. Embora muitos dos que escrevem comentários na sua página condenem a violência contra mulheres no Irã, mas apoiam seus filhos mimados que espacam homosexuais e prostitutas nas ruas de São Paulo. A simples possibilidade de uma mulher ser apedrejada, pelo Estado, em qualquer lugar é um motivo para a união de todos os que acreditam em direitos humanos independente da filiação partidária. Nesta caso qualquer conivência é simplesmente criminosa.

Seilon em 20 de novembro de 2010

Comportamento em relação ao Nazismo,pra deixar claro.

Seilon em 20 de novembro de 2010

Eu fico pensando sobre como seria o comportamento do Governo Lula se este tivese se dado nas décadas de 30 e 40?É bom nem pensar... PS Não caia na conversa da Dilma;ela é igual a eles.

Alltamiro Martins em 20 de novembro de 2010

Fundamentalismo religioso, onde quer que exista, é abominável. Estados religiosos, então... De qualquer modo, concedo que adúltéros de ambos os gêneros merecem algum tipo de punição, ainda que pedras nos rins. Não por acaso, trata-se de transgressão universal, com maior ou menor tolerância do meio que a considera.

Siará Grande em 20 de novembro de 2010

Você não tem por que se envergonhar, caro Ricardo, a menos que Você tenha votado nella. Afinal, só não vê quem não quer, os petistas estão trabalhando duro para implantar uma ditadura bollivariana neste país. E pra elles, qualquer meio justifica o fim. Se a ditadura iraniana apoia o PT, por que é que o PT vai contrariar a ditadura iraniana? O destino de uma pobre mulher iraniana, barbaramente torturada, não tem o menor peso nas decisões da mullher que foi elleita neste país, agora que a elleição passou.

gaúcha indignada em 20 de novembro de 2010

A VERGONHA É NACIONAL! Agora o que esperar o Celso Amorim, Luis Inácio e Dilma, íntimos de governantes como Hugo Chavezm Fidel, etc... FORA DITADURA. Eles entendem de maneira diferente "direitos humanos". INSUPORTÁVEL

Nanã Fernandes em 20 de novembro de 2010

Queria saber, prezado Setti, se algum desses burocratas que ora teorizam quanto a suposta política de defesa genérica de princípios de não intervenção na política assassina de Ahmadinejad e companheiros similares, já refletiram quanto à urgência de tomar atitude digna de país desenvolvido - de respeito à vida e de repúdio à morte indigna de uma pessoa, seja por apedrejamento, seja por mutilação... Afinal, todos defendem com unhas e dentes que o país deverá ser um expoente, que seremos a grande nação a partir de agora. Só se esquecem de quem está com as costas expostas às pedradas, desses infelizes que sucumbirão, sem ao menos poder contar com todo apoio de gente civilizada.

DNamorato em 20 de novembro de 2010

é... também fico envergonhado... também fiquei envergonhado com o caso dos prisioneiros de Cuba...

Augusto Marcacini em 20 de novembro de 2010

Pode me incluir nessa. Poucas coisas que nosso país já fez, ao que me lembre, foram tão infames. Acho que isso só perde para as violações que foram ou ainda são cometidas aqui mesmo. Nem os níveis escandalosos de corrupção são páreo para essa opção vergonhosa! Principalmente porque isso foi uma OPÇÃO consciente (e que ainda se tenta defender com os argumentos mais cretinos já vistos!). Pela ótica brasileira, Hitler também agiu nos limites da legalidade e da soberania de seu país.

Telma em 20 de novembro de 2010

Oi Ricardo Minha vergonha em ser brasileira começou há exatos 8 anos. E digo isso diariamente. Quanto à sua preocupação com o constrangimento da presidente, relaxe. Nesses 8 anos aprendi também que não existe nada que possa constranger nossos atuais líderes e seguidores. Além de estarem acima de qualquer lei, não têm a mínima noção do que seja humanidade ou lealdade. A não ser que seja para trazer algum benefício para eles mesmos. Mas não devem esquecer-se que, mesmo um pacto com o diabo, um dia será cobrado. Que seja logo.

Jose Americo C Medeiros em 20 de novembro de 2010

Que vergonha! Que vexame! Que falta de sensibilidade! Que falta de estudos...

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI