A área construída do Ministério da Justiça e as mortes no trânsito

A área construída do Ministério da Justiça e as mortes no trânsito Foto: Alexandre Belém -Acervo JC Imagem / Agência Brasil)

Números irrelevantes:

O edifício-sede do Ministério da Justiça, em Brasília, tem 23 mil metros quadrados de área construída.

Números relevantes:

O trânsito matou 110 pessoas por dia no Brasil de janeiro a outubro de 2010.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × cinco =

6 Comentários

  • Kitty

    Ricardo, boa noite!!!!
    Esta é a primera vez que visito este cantinho do
    Blog “Números”.
    Deixando de lado o que é irrelevante,vou comentar
    a segunda parte.
    Os números que Voçê posta aquí, são ao meu entender,mas que relevantes,são estarrecedores!!!
    Não é apenas nas grandes cidades,que suponho Voçê
    está se referindo,mas também aquí na pequenina
    Paraiba.Por exemplo, aquí tem morrido em média,uma
    pessoa a cada 21 acidentes nas estradas, em quanto lá fora,a relação tem sido um morto para cada 11
    disastres rodoviários,o que é pior!!
    Sabe-se que o trânsito brasileiro está entre os mais violentos do mundo, sendo esto consequência
    de muitos descasos.
    Eleição após eleição,os sucessivos governantes
    descuidaram de investir em sistemas alternativos
    de trasporte,tanto de carga como de gente.Tomemos
    como exemplo o sistema ferroviario,que demostrou
    em outros países ser um ótimo meio de trasporte de massas.Aquí no Brasil é apenas limitado para trasportar grãos e minérios.Sei que há projetos
    em andamento,(Ferrovia Norte-Sul e Transnordestina)
    mas não sei em que estágio estão.
    Para piorar as coisas,as estradas ou rodovias estão
    cada vez mas congestionadas com trasporte de carga
    pesada e um parque automotor cada vez maior.
    O que nós precisamos urgente são metrôs,ônibus,em
    fim,um sistema decente de trasporte de massas.
    É, este trânsito caótico, que aumenta tanto os
    riscos de acidentes.
    A todo esto deve-se adicionar que os acidentes
    também ocorrem pela falta de consciêntização dos
    motoristas para respeitar as leis de trânsito.
    Ricardo,só para terminar.Sabe quanto gasta-se com
    danos materiais,hospitais e indenizações por ano,
    pasme, R$ 22 bilhões!!!!!

    Prezada Kitty, que cifra assustadora! O pior sempre será a perda de vidas, mas, além da tragédia, tem o custo. Inacreditável.

    Obrigado por visitar a seção criada algum tempo depois de o blog ir ao ar.
    Um abração

  • Kitty

    Desculpe, mas não me despedí!!!
    Abraços da Kitty

  • Kitty

    Caro Ricardo,
    On second thoughts, é bom comentar!!!
    A construção de certos predios,como este postado
    por Voçê,e o predio do TRE,são na minha opinião,
    um culto á ostentação desnecessária,para um país
    que ainda tem um número muito elevado de pessoas
    que não tem o que comer.Esso chama-se DELIRIO DE
    GRANDEZA!!!!Justiça? a das chicanas jurídicas?
    O ministro-relator do escándalo-símbolo do governo
    anterior,por muito que se esforce,não vai evitar a
    prescrição de crimes dos mensaleiros.Em agosto
    prescreve um deles,o de formação de quadrilha….
    Novamente assisteremos ao espetáculo da impunidade!
    E a lavagem de dinheiro do Edir Macedo engavetada
    faz tempo,prestes a prescrever também?
    Não sou jornalista,mas tenho as minhas fontes(só
    conto pra vc.)VEJA-edição 2203/09/02/2011.
    Abraços,Kitty (Não puxe a minha orelha,se não gostar delete-me)

    Nada de deletar, Kitty. Aqui todo comentário feito em tom civilizado é publicado. Os seus, então, nem se fale…

    Abraços

  • fpenin

    Caro Setti,
    Como médico, cirurgião vascular,quero passar-te um número relevante. Neste momento, em quaisquer cidades brasileiras, inclusive as megalópolis, muitos brasileiros estão correndo sério risco à saúde e à integridade de seus corpos.Explico:como complicação das mais severas, os diabéticos podem apresentar graves lesões, principalmente dos membros inferiores,que são conhecidas genericamente como “pé diabético”.Eles são tratados como verdadeiros párias, vagam em busca de hospitais por muito dias. À medida que o tempo passa, suas lesões agravam-se sobremaneira,de sorte que muitos deles caminham inexoravelmente para a amputação de segmentos corpóreos importantes,como pés, pernas e coxas. Outros,após todo o calvário,simplesmente vão a óbito. As entidades públicas tratam esses pobres diabos como “bombas” (casos difíceis, cujo tratamento é oneroso e que demandam longo tempo de internação hospitalar). É triste falar tudo isso,mas esses nossos irmãos merecem tratamento mais humano. Eu sei que muitos dirão que a coisa não é bem assim, patatipatatá, mas os que trabalham na área sabem perfeitamente do que estou falando.Tenho certeza, Setti, que o que relatei é NÚMERO RELEVANTE, haja vista que eles são milhares. Um grande abraço.

  • Jose Figueredo

    Não somos o Iraque,não somos uma Líbia,mas travamos uma guerra diária no nosso caótico transito todo santo dia.Milhares de familias perdem seus filhos,ainda muito jovem para este inferno rodante.São números relevantes,catastróficamente relevantes.Quinze mil emplacamentos novos e nenhum asfaltamento à vista(estrada,rua,ponte),não vai ter espaço para esta gigantesca frota.Mais mortes prematuras se seguirão.

  • Jose Figueredo

    Ricardo,falando em números,você notou que o mês de fevereiro de 2011 cabe certinho dentro do mês de março?só que este ganha no final mais três dias.Eu não sei se isto acontece outros anos.Você que está mais perto dos meios intelectuais,dentro da Veja e fora dela ,pesquize este fenômeno.Bem, pode nem ser tão relevante,mas achei bastante interessante.heeheheh