Image
Monk: sempre em busca de novas direções

Por Daniel Setti

Não só o leitor SergioD, que enviou esta bela sugestão, mas também este blog e um punhado de outros fãs de jazz consideram Thelonious Monk (1917-1982) um dos maiores compositores da história do gênero, páreo para Duke Ellington, Miles Davis, Charles Mingus e outras “divindades”.

Ou, no mínimo, um dos mais inovadores e ousados ao se propor a compor sobre acordes dissonantes sem que isso ferisse os ouvidos de ninguém.

De fato, são muitas os temas de sua autoria – “Round Midnight”, “Epistrophy” e “Ruby, My Dear”, entre outros – que se transformaram em standards que todo jazzista que se preze precisa aprender a tocar. É o caso também de “Blue Monk”, gravada pela primeira vez pelo pianista de Rocky Mount, Carolina do Norte, em álbum homônimo lançado em 1954.

Abaixo, trecho de Monk in Oslo, filme de Harald Heide-Steen Jr. que registra a passagem de Monk e seus fiéis comparsas Charlie Rouse (saxofone tenor), Larry Gales (contrabaixo) e Ben Riley (bateria) pela capital da Noruega em 1966.

Além de mostrarem o pequeno gênio – que completaria 94 anos na próxima segunda-feira – em seu auge, as imagens catalogam as excentricidades pelas quais ele também ficou conhecido: o chapéu, a longa barbicha, o jeito inimitável de solar ao piano de forma falsamente displicente – como um novato que procura as notas sem achá-las – e suas súbitas levantadas do banco. Enquanto os companheiros improvisam, ele os observa, de pé. (Muitas vezes, Monk também dançava passos incompreensíveis em momentos como estes).

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze − 7 =

3 Comentários

SergioD em 09 de outubro de 2011

Daniel e Rossini, a voz da Maud é excelente, mas a interpretação de Mr Carlson nos teclados extrapola. Muito legal. Bom fim de Domingo.

Marco em 08 de outubro de 2011

Amigo Setti: Daniel, excelente ! Abs.

rossini thales couto junior em 08 de outubro de 2011

Caro Daniel: Belíssma perfomance do gênio que foi Thelonious Monk. Que vc continue a nos brindar com essas pérolas do jazz! E por falar em boa música e bons intérpretes, aí vai uma sugestão: A cantora é a excelente Maud Hixson, e a apresentação foi na Goss Opera House, na cidade de Watertown, Dakota do Sul. O trio écliderado pelo veterano Rick Carlson nos teclados, Steve Pikal no baixo e Mac Santiago na bateria. O tema é a belíssima "While we're young", de Alec Wilder, Morty Palitz e William Engick, e que foi imortalizada pelo grande cantor Jack Jones. O endereço é: www.youtube.com/watch?v=LEX_TrTaPVk Um abração, e espero que goste da dica. Rossini Que bom que você gostou, Rossini. Jazz sempre terá espaço aqui, sobretudo via gênios como o Monk. Puxa, gostei dessa dica. Bela voz, hein? Interpretação elegante, também. Não estranhe se aparecer no blog. Um abraço, Daniel

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI