Lúcia de Oliveira Menezes, tetraneta de Tiradentes, o Mártir da Independência, recebe do governo federal uma pensão de dois salários mínimos, nem sempre reajustada, como uma homenagem instituída ainda durante o regime militar em 1969,  aos descendentes desse grande brasileiro.

Outros descendentes, já falecidos, também receberam.

Parece digno e justo, como homenagem e reparação simbólica ao patriota que foi enforcado e depois esquartejado em 1789 por liderar a Inconfidência Mineira contra o jugo português.

Agora, Lúcia revela que pode ter 200 parentes, para os quais acha correto estender o benefício que recebe.

Assim, a coisa passa do limite. Do razoável e decente, estaremos no terreno perigoso, e tão brasileiro, da esculhambação e da bandalheira.

Essa avidez por dinheiro público ofende a memória de Joaquim José da Silva Xavier.

Vamos deixá-la em paz.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nenhum comentário

Marco em 30 de janeiro de 2011

Caro R. Setti: O fluxo de detalhes, a diversidade das cores na paixão, tudo pode ser oferecido. Se pode tirar proveito,mesmo q pouco nos compense com o q quer q seja. Sra. Nena acho o programa um jogo, justamente num local q pode ser impertinentemente improvisado e empilhado do nada. Mas não vou dizer q os espectadores são imbecil e recomendar proibir o programa. Meu papel foi de tentar ser apenas Advogado do Diabo, nada pessoal. Abs.

nena em 30 de janeiro de 2011

Ricardo, creio que cabe um esclarecimento sobre a publicação do cordel a Pedro Bial após ler o comentário do Sr. Marco, das 11:45 h: a prudência, esta virtude nobre, nem sempre se faz presente nas minhas qualidades pessoais quando fico indignada com os desserviços, tipo BBB, na formação do caráter desta gente brasileira. Digo isto para que fique bem claro que não foi por prudência que enviei o texto sem ter expectativas de sua publicação. JUSTAMENTE POR VIVER EM SOCIEDADE E SABER O QUANTO O PROGRAMA É NEFASTO é que o enviei. A tal prudência referia-se unicamente quanto à extensão dos versos e talvez por isso o local não fosse adequado, nunca por deferência ao apresentador que, se não afirmei antes faço-o agora, se presta a um papel que me dá náuseas. Viver em sociedade, sr. Marco, é também expor as suas mazelas e/ou cantar os versos do poeta. E que cada um eleja suas preferências - assistindo ou não o tal programa, ou outros, afinal fazem parte da nossa vida em sociedade. Grata ao Ricardo por ter entendido o que não foi antes dito e mesmo assim publicado.

duduvieira em 30 de janeiro de 2011

... Meu prezado Sr. Setti; ..Em sã consciência não entendo como esse pessoal quer criar uma comssião para rever o crimes Anistiados da ditadura? Essa bolsa ditadura foi um bom negócio.. um invstimetno melhor do mundo.,. nem poupança ou bolsa deu melhor dividendos,, Se soubesse que iria molhar minha mão futuramente eu seria um subversivo como chamavam na épocoa. sds

Marco em 30 de janeiro de 2011

Caro R. Setti: Entendi a prudência em citar Bial,mas tenho cuidado com citações com o objetivo de aniquilar, com ares de dizer: " Cuidado, eu sou a pedra preciosa, sou seletivos os outros são chumbo, cinza miserável. Q não sabe viver em sociedade... Abs.

ERASMO SELVAGEM BRASILEIRO DE ROTERDAN em 30 de janeiro de 2011

Lamento discordar com o conteúdo do texto: "avidez por dinheiro público ofende a memória de Joaquim José da Silva Xavier", isso só seria verdade se não existissem Documentos Oficiais mostrando exatamente o contrário, ou seja a nossa História, de Caio Prado e outros Famosos Escritores, é um Perjúrio, só!! Existem duas Cartas Denúncia nos Autos MG/RJ, escritas em cada uma destas Colônias, pelo CORONEL SILVÉRIO DOS REIS, mas denunciando o DESEMBARGADOR TOMÁS ANTÔNIO GONZAGA. Leiam As Cartas Chilenas (se não tiverem tempo e acesso aos Autos), o personagem "Ribério" é (aparece também no Poema "Marília" ou "Mar/ilha" o destino dos exilados) o pseudônimo de Tiradentes (pois todos os Personagens são pseudônimos de alguém vivo a ativo naqueles instantes), entenderão o Nosso Perjúrio Nacional (aliás um Decreto de 1937 do Tirano Vargas o tornou heroi, precisava de demagogia servir de tapa-olhos). Os dois personagens principais (são o próprio Autor da Obra, Cláudio Manuel da Costa) são, quem narra a "Estória" condizendo com a História, Doroteu ("dor-o-teu) e Critilo (de criticar, quem faz as críticas sobre as pessoas e a Sociedade Colonial portuguesa no aqui). ABRAÇÃO.

J.B.CRUZ em 30 de janeiro de 2011

JOAQUIM JOSÉ DA SILVA XAVIER ¨O TIRADENTES ¨ é sem dúvida o único HERÓI BRASILEIRO..JUSCELINO KUBSTCHEK DE OLIVEIRA, o maior ESTADISTA e FERNANDO HENRIQUE CARDOSO o maior LÍDER POLÍTICO da NOVA REPÚBLICA.........HÁ OUTROS???

luiz fernando em 29 de janeiro de 2011

Adorei o " Cordel do Bial". Nena, fantástica. Carlos, é isso . Excelente comentário.

carlos em 29 de janeiro de 2011

Não acho justo ela receber.Tinha é que devolver tudo que recebeu. Como a morte de Tiradentes prejudicou a vida dela? Talvez ela nem existisse se tudo tivesse ocorrido de forma diferente. Além disso mesmo que houvesse o direito quem deveria pagar era o estado português, único responsável pela morte de Tiradentes, e não o brasileiro, que sequer existia. O Brasil está virando uma terra de rent-seekers oportunistas sem limites de simancol, pra diZer o mínimo.

nena em 29 de janeiro de 2011

Ricardo, não encontrei outro jeito de lhe enviar o cordel abaixo. Nem tem a ver com a pensão do artigo, e não estou pedindo para publicar, é só para seu conhecimento e deleite, como diria um bom baiano. Neste país em que a DESeducação vai de vento em popa achei os versos interessantes e muito verdadeiros. Considero que a Globo e não o Bial seja responsabilizada, mas ele tem talento prá coisas melhores e poderia muito bem cair fora dessa roubada. Abs, Nena. O Cordel do Bial Autor:Antonio Barreto -http://barretocordel.blogspot.com/>, * *Cordelista natural de Santa Bárbara- residente em Salvador. *Curtir o Pedro Bial* *E sentir tanta alegria* *É sinal de que você* *O mau-gosto aprecia* *Dá valor ao que é banal* *É preguiçoso mental* *E adora baixaria.* *Há muito tempo não vejo* *Um programa tão ‘fuleiro’* *Produzido pela Globo* *Visando Ibope e dinheiro* *Que além de alienar* *Vai por certo atrofiar* *A mente do brasileiro.* *Me refiro ao brasileiro* *Que está em formação* *E precisa evoluir* *Através da Educação* *Mas se torna um refém* *Iletrado, ‘Zé-ninguém’* *Um escravo da ilusão.* *Em frente à televisão* *Lá está toda a família* *Longe da realidade* *Onde a bobagem fervilha* *Não sabendo essa gente* *Desprovida e inocente* *Desta enorme ‘armadilha’. *Cuidado, Pedro Bial* *Chega de esculhambação* *Respeite o trabalhador* *Dessa sofrida Nação* *Deixe de chamar de heróis* *Essas girls e esses boys* *Que têm cara de bundão.* *O seu pai e a sua mãe,* *Querido Pedro Bial,* *São verdadeiros heróis* *E merecem nosso aval* *Pois tiveram que lutar* *Pra manter e te educar* *Com esforço especial.* *Muitos já se sentem mal* *Com seu discurso vazio.* *Pessoas inteligentes* *Se enchem de calafrio* *Porque quando você fala* *A sua palavra é bala* *A ferir o nosso brio.* *Um país como Brasil* *Carente de educação* *Precisa de gente grande* *Para dar boa lição* *Mas você na rede Globo* *Faz esse papel de bobo* *Enganando a Nação.* *Respeite, Pedro Bienal* *Nosso povo brasileiro* *Que acorda de madrugada* *E trabalha o dia inteiro* *Dar muito duro, anda rouco* *Paga impostos, ganha pouco:* *Povo HERÓI, povo guerreiro.* *Enquanto a sociedade* *Neste momento atual* *Se preocupa com a crise* *Econômica e social* *Você precisa entender* *Que queremos aprender* *Algo sério – não banal.* *Esse programa da Globo* *Vem nos mostrar sem engano* *Que tudo que ali ocorre* *Parece um zoológico humano* *Onde impera a esperteza* *A malandragem, a baixeza:* *Um cenário sub-humano.* *A moral e a inteligência* *Não são mais valorizadas.* *Os “heróis” protagonizam* *Um mundo de palhaçadas* *Sem critério e sem ética* *Em que vaidade e estética* *São muito mais que louvadas.* *Não se vê força poética* *Nem projeto educativo.* *Um mar de vulgaridade* *Já tornou-se imperativo.* *O que se vê realmente* *É um programa deprimente* *Sem nenhum objetivo.* *Talvez haja objetivo* *“professor”, Pedro Bial* *O que vocês tão querendo* *É injetar o banal* *Deseducando o Brasil* *Nesse Big Brother vil* *De lavagem cerebral.* *Isso é um desserviço* *Mal exemplo à juventude* *Que precisa de esperança* *Educação e atitude* *Porém a mediocridade* *Unida à banalidade* *Faz com que ninguém estude.* *É grande o constrangimento* *De pessoas confinadas* *Num espaço luxuoso* *Curtindo todas baladas:* *Corpos “belos” na piscina* *A gastar adrenalina:* *Nesse mar de palhaçadas.* *Se a intenção da Globo* *É de nos “emburrecer”* *Deixando o povo demente* *Refém do seu poder:* *Pois saiba que a exceção* *(Amantes da educação)* *Vai contestar a valer.* *A você, Pedro Bial* *Um mercador da ilusão* *Junto a poderosa Globo* *Que conduz nossa Nação* *Eu lhe peço esse favor:* *Reflita no seu labor* *E escute seu coração.* *E vocês caros irmãos* *Que estão nessa cegueira* *Não façam mais ligações* *Apoiando essa besteira.* *Não dêem sua grana à Globo* *Isso é papel de bobo:* *Fujam dessa baboseira.* *E quando chegar ao fim* *Desse Big Brother vil* *Que em nada contribui* *Para o povo varonil* *Ninguém vai sentir saudade:* *Quem lucra é a sociedade* *Do nosso querido Brasil.* *E saiba, caro leitor* *Que nós somos os culpados* *Porque sai do nosso bolso* *Esses milhões desejados* *Que são ligações diárias* *Bastante desnecessárias* *Pra esses desocupados.* *A loja do BBB* *Vendendo só porcaria* *Enganando muita gente* *Que logo se contagia* *Com tanta futilidade* *Um mar de vulgaridade* *Que nunca terá valia.* *Chega de vulgaridade* *E apelo sexual.* *Não somos só futebol,* *baixaria e carnaval.* *Queremos Educação* *E também evolução* *No mundo espiritual.* *Cadê a cidadania* *Dos nossos educadores* *Dos alunos, dos políticos* *Poetas, trabalhadores?* *Seremos sempre enganados* *e vamos ficar calados* *diante de enganadores?* *Barreto termina assim* *Alertando ao Bial:* *Reveja logo esse equívoco* *Reaja à força do mal…* *Eleve o seu coração* *Tomando uma decisão* *Ou então: siga, animal…* *Salvador, 19 de janeiro de 2010 Aí está, cara Nena, devidamente publicado, para conhecimento e deleite também dos leitores do blog. Obrigado e um abração.

PAULO ROBERTO URBANO DA CRUZ em 29 de janeiro de 2011

Ele que foi enforcado por lutar contra os impostos da coroa, teria vergonha em ver seus descendentes se locupletando dos impostos cobrados de todos. E está na hora de acabar com esta historia, de que somos responsáveis pelo que ocorreu no passado, muitas delas na época da colonia e império.

Atento em 29 de janeiro de 2011

Acho sem sentido homenagear um herói de 1789 dando uma bolsa para UM descendente em 1969. Claro que o benefício vai ser cobrado pelos outros descendentes que não tenham o estofo moral para ver que trata-se de um benefício moralmente injustificável, mesmo que legal. E pronto: cria-se um problema e uma despesa para a viúva, a nossa Pátria mãe gentil. Pobre viúva: tantos a assediá-la e tão poucos a defendê-la.

Carlos Costa em 29 de janeiro de 2011

Com todo respeito,caro jornalista. Há controvérsias sob esse "herói",Tiradentes. Pouca vergonha esses benefícios,....só demonstra que o Inss,é um buraco sem fundo.Sapão etílico me parece; possue 5 aposentadorias, se fores ver, outra falta de vergonha na cara. Em tempo: quem não contribui,não pode se beneficiar do bolo,...o cara é matemático, será que irá ver isso?... POBRE BRASIL. ATÉ QUANDO.

Tito em 29 de janeiro de 2011

Ah, esqueci, nas FFAA, para quem entrou depois de 2000, não existe mais o direito. As outras classes deviam copiar.

Tito em 29 de janeiro de 2011

No Brasil, isso não é novidade. É a famosa farra das pensões. Nas FFAA ainda têm pensionistas da Guerra do Paraguai.Aliás, a pensão para as viúvas e filhas ORFÃS foi criada após aquela guerra e, naquela época, nada mais justo porque culturalmente as mulheres não podiam trabalhar fora e, com a morte dos seus maridos ou pais na guerra, ficavam na miséria.Só que aí começaram a vir outras leis que estendiam as pensões às filhas não orfãs após a morte da viúva, das filhas pras netas, das netas pras bisnetas etc, etc. Depois, vieram as outras classes de funcionalismo público, como juízes, fiscais etc.Tudo na conta da "viúva maior". Concordo com a Rosa Maria. Também não acho justo e muito menos digno que decanetos (vai chegar lá) recebam pensão do Tiradentes (homenagens, ele já tem muitas, e morto não precisa de pensão), ou qualquer outra. Coisas que só existem no Brasil. Tem até bolsa-terrorista. Não sei se essa também vai ter desdobramento, mas como hoje eles viraram heróis, não duvido que queiram homenageá-los. Não há previdência que aguente (absurdo ter caído a trema).

sidney em 28 de janeiro de 2011

Setti Realmente um absurdo viu (e bota absurdo nisso )!! Sera que a ousadia.....nao eeee copiada e ate incentivada pela grande escola encastelada e reverbada ao longo desses anos todos. Se colar e ninguem reclamar , acaba ficando nao ?? Grande abraco

Cil em 28 de janeiro de 2011

É o bolsa-decendente. Para mim, esse tipo de coisa só seria permitido aos descedentes diretos. Netos, tetranetos já é covardia com o erário público... para não dizer palhaçada mesmo!

Rosa Maria Pacini em 28 de janeiro de 2011

Tetraneto recebendo pensão? Não considero digno e justo, não Ricardo. Há muita gente que trabalhou durante anos e se aposentou ganhando apenas um salário mínimo. É muita bandalheira com o dinheiro público, depois não há dinheiro para pagar um salário mínimo adequado aos trabalhadores. Pudera, com tanta gente "sugando a viúva"!

cacalo em 28 de janeiro de 2011

perdoe o seu amigo chato, mas é Joaquim José da Silva Xavier... abração Chato, não, in-dis-pen-sá-vel. Já corrigi. E publico o comentário porque não gosto de esconder nada dos leitores, nem, naturalmente, tenho a pretensão de ser infalível. Obrigado, meu querido, e um abração.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI