A volta da CPMF configura estelionato eleitoral, diz consultor

A volta da CPMF configura estelionato eleitoral, diz consultor Imagem: Fecomércio

Amigos, este comentário que recebi de meu amigo Umberto Boihagian, competente consultor, ex-diretor de um grande banco, é tão bom que decidi publicá-lo aqui como post. Vamos lá?

“Concordo que, infelizmente, jamais teremos um imposto único como preconizava o IPMF/CPMF em seu início.

Sendo assim, não é recomendável recriar um imposto perverso e oneroso, pois incide várias vezes sôbre o mesmo capital.

A Emenda Constitucional nº 29, do ano 2000, determina que devem ser investidas as alíquotas mínimas de 12% das arrecadações (União e estados) e 15% (dos municípios) no setor de saúde. Por incompetência administrativa e corrupção, não conseguem fazê-lo. Preferem aumentar a carga tributária, sem reduzir seus gastos gerais.

O governo Lula conseguiu, aperfeiçoando a máquina de cobrança, uma receita duas vezes maior que a da CPMF, após sua extinção, sem beneficiar os recursos de saúde, pois houve aumento paralelo de despesas públicas, incluindo as do Bolsa Família. Se, de qualquer forma, for necessário atuar na tributação, por que não recorrer à oneração de cigarros, bebidas e grandes fortunas?

Quanto ao descumprimento da promessa de campanha [da presidente eleita Dilma Rousseff] e de seu discurso inaugural (“atenuar a tributação”), podemos entender que os demais ítens também podem ser descumpridos (erradicação da miséria, redução de gastos, liberdade de imprensa, estabilidade econômica, etc… ).

Parece que o povo foi vítima de propaganda enganosa, ou estelionato eleitoral. A quem recorrer: ao Procon? À Justiça Eleitoral? À polícia?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 4 =

Nenhum comentário

  • ALICE MELL

    Só resta amargar mais 4 anos de nação otparia e pagar por não prestar atenção em quem vota…mais uma vez, brasileiro mostrou que não sabe votar…isos é fato,… e eles tiram proveito disso… enganam a vontade e fica o dito pelo nao dito…justamente…vai reclamar a quem???? Só na próxima eleição… E quemn votou nela que pague em dobro pra aprender a lição!!! Pois o LUla , que é bem cúmplice dessa safadeza com o povo, vei se fazer de desentendido, com cara d epaisagem e se canditar novamente…e vai a aboiada abobada at´reas dele de novo… tenho certeza!!! Ô povo que nunca aprende…Brincadeira isso, so nao viu quem nao quis!!!!

  • João Menezes

    Meu Caro Setti.
    Passada a euforia das eleições, onde o rescaldo é um 171 (estelionato) aplicado justamente nos eleitores otários, temos então a verdadeira face de um governo corrupto, hipócrita e mentiroso. Sendo uma vítima em potencial desses quadrilheiros, minha indignação é o fato de não ter a quem recorrer, visto nossas instituições estarem todas aparelhadas e atuando como vacas-de-presépio a tudo que “Deus” (entenda-se Lulla) determina. Lamentável vivermos em um Brasil de mentira.

  • Marcus Borelli

    Ricardo

    Já estou com 50 anos e não me considero mais nenhum ingênuo mas gostaria de dizer que quem votou em dilma que fique com ela. Esta senhora dificilmente fará um bom governo, pode até fazer mas acho difícil porque ela terá que distribuir o espólio da eleição. Só para exemplificar: viram o enem? É só o começo.

  • Rosa Maria Pacini

    Pode parecer ingenuidade de minha parte, mas creio que a única forma de impedir que esse estelionato se concretize é através da mobilização popular, já que ao que parece no Congresso “tá tudo dominado”. Vale lembrar que a Dilma não é o Lula, por isso é possível que consigamos encontrar apoio jurídico por parte de magistrados que não só conseguem estabelecer claramente esta diferença, mas, sobretudo, conseguem permanecer imunes às manobras do maior manipulador que este Brasil já produziu: Lula!

  • Everaldo

    Ricardo, acho que como sempre, os jornalistas sérios deverão fazer esta denúncia.

  • Milton

    Ricardo, temos que combater o aumento da carga tributária no Brasil a qualquer custo. Com tudo que temos visto até hoje neste país, não nos resta muita esperança…Entretanto, não podemos deixar de combater esta prática. Como os governantes, notadamente este que atualmente ocupa o poder, não conseguem (ou não querem) controlar seus gastos, a conta acaba sembre sobrando p/ nós. Lamentável!!!

    Olá, caro Milton, que bom que você voltou por aqui.

    É verdade. Se o Congresso aprovar a CPMF com uma pequena alíquota, que permita a fiscalização, logo ela vai subir — e o governo nunca, nunca, vai controlar seus gastos. Você tem razão.

    Abração

  • Marcos Aarão Reis

    Discordo do teu amigo, mas gostei muito da sua terra [estive em Yerevan]. A CSS incidirá diretamente, portanto não será perversa; e não terá custo de arrecadação, portanto também não poderá ser considerada onerosa; incidindo apenas sobre as movimentações, sempre estará sob controle do correntista. Também discordo de aumentar tributos indiretos que incidem sobre o consumo de cigarros e bebidas, este sim, perversos. Mas concordo, afinal, em que o Congresso aprove o projeto de FHC que tributa as grandes fortunas. Talvez seja o caso de atualizar os valores nele inscritos… Penso que acusar a Dilma de “estelionato” é demais: ambos os candidatos prometeram melhorar a situação da saúde, e se da CSS vierem os recursos necessários para isso, sou a favor, cabendo ao cidadão contribuinte fiscalizar a apuração. Aliás, para efeito de coibir maracutaias, a CSS pode ser bem pequenininha… Pra concluir, é claro que a arredação tem crescido, e os recursos destinaram-se[o próprio consultor reconhece],não à saúde, mas aos reajuste do salário mínimo [distribuição de renda], ao restabelecimento das carreiras do funcionalismo público [maior eficiência relativa] e aos programas sociais – um conjunto de medidas que aliadas a outras que não cabe aqui mencionar contribuiram para criar um mercado de consumo interno bom pra todo mundo. Mais uma vez, insisto: no que diz respeito aos tributos, cabe ao cidadão contribuinte estar atento às suas aplicações. Isso é que me paree fundamental.
    Cordial abraço,

  • Perola

    Não há a quem recorrer!O movimento contra a cobrança da CPMF deve começar imediatamente e ser feito pelo povo,mostrando de todos os modos possíveis sua indignação,principalmente mandando e-mails para os deputados,senadores e governadores.Os politicos só tem medo de perder votos,de nada mais.

  • Reynaldo-BH

    Setti, só encontro uma justificativa para este “retorno” deste zumbi. Tenho insistido nisto. Lula tomou esta rejeição como ofensa pessoal. Tanto assim é que colocou como alvos Tasso, Virgílio e Heráclito, que – segundo o próprio Lula – estiveram à frente desta rejeição. A megalomania de Lula, sem nenhum exagero, exige que ele tire esta “mancha” do poder absoluto que julga ter. Lula não aceita ser derrotado. Afinal, para quem disse que os 3% de opiniões contrárias ao governo estariam em algum comitê eleitoral, só isso pode explicar esta obsessão. Concordo com cada linha do comentário. E concluo: devemos ir ao Procom. O Congresso já não vale a pena consultar…

    Tem muita gente defendendo essa tese, caro Reynaldo, a de que Lula é quem está por trás disso por não se conformar em ter sido derrotado pelo Congresso em dezembro de 2007. Ele queria manter a CPMF, fez tudo para isso, mas o Congresso derrubou o tributo.

    Pode ser, mesmo. O ego do presidente não tem tamanho, como sabemos.

    Abração

  • Felipe

    É verdade, ela deveria ter prometido AUMENTO DE 10% DOS APOSENTADOS , 600 R$ DE SALÁRIO MÍNIMO E 13 BOLSA FAMÍLIA.

    por que o senhor não comentou isto durante a eleição setti? Isso não é estelionato eleitoral ?

  • Rodolfo

    Ricardo,
    Não há a MENOR necessidade de se aumentar a carga tributária no Brasil!

    Se quer arrecadar mais, traga mais os infomais para a economia formal, por exemplo.

    Reduza alguns tributos onde essa diminuição resulte em aumento de consumo e por consequência aumento de arrecadação!

    Melhore a GESTÃO da COISA PÚBLICA!

    Existem diversos mecanismos para arrecadar mais, basta vontade política, GESTÃO e ser menos CORRUPTO!

    Tributar grandes fortunas é uma IMBECILIDADE completa: em primeiro lugar, muitos recursos sairão do país e outros serão desviados para contras offshore! Isso é FATO! Fuga de capitais na certa!

    Em segundo lugar, o que seria “grande fortuna”? Imagina um sujeito que trabalhou a vida toda e contribuiu por 35 anos com R$ 1.000,00 para uma aposentadoria PRIVADA(INSS o cara MORRE DE FOME na velhice!).

    Somente levando em consideração o juro básico da poupança(0,5%am), na velhice essa pessoa teria poupado R$ 1,5 Milhão aproximadamente!

    Esse cara pode ser considerado um milionário? Isso é grande fortuna aonde?

    Taxar POUPANÇA é de uma IMBECILIDADE sem tamanho!

  • luiz antonio - rj

    Mais do que pesquisa de opinião foi o censo eleitoral: dos 136 milhões de eleitores apenas 56 foram de lula, muito longe dos 88%. Quase 30 mi de abstenções podiam gostar dele, de Serra ou estarem mortos, mas não foram votar. Outros 44 mi foram com serra ate contra a vontade, mas não iriam de lula nem na morte e 7,14 milhões naõ foram nem com um nem com outra (brancos e nulos). Uma explicação para que lula se ache o máximo é a falta de autocrítica e senso de ridículo. Ele tinha certeza de que poderia conquistar o 3o. mandato e se deu mal.Por ser um sem noção, um ignorante que tem palpite sobre tudo, acredita no que seus bajuladores dizem. É como aquele sujeito muito pobre que, por sorte e mérito proprio fica rico muito rápido (licitamente é lógico) e adora quando o chamam de doutor, é o reconhecimento do individuo. Ele passou a ser alguem, não precisa de ser comparado. Caso de lula é patológico, precisa se comparar FHC, pois sofre do maldito complexo de inferioridade. Não vejo outro motivo , salvo se degenerescencia neuronal por ****.

    O Lula não esquece do FHC, é obcecado. Coisa para psicanalista.

    Abraços

  • pdorio

    Simplesmente paguem a CPMF quem deu o voto a Dilma, eu e + 44 milhões vamos brigar para ficarmos isentos, vc Ricardo como não sabemos em quem votou mas é a favor de alíquota mínima faça este favor ao Brasil e aos petistas gastadores,contribua mesmo que seja com bem pouquinho, pode ser direto no fechamento da Campanha da Dilma, parece que estão precisando muito da colaboração dos bem intencionados.

  • Monica

    O pior não será pagar a CPMF, mas perceber mais uma distorção dos fatos, ou seja, o governo nos promete um país das maravilhas (não tinha um bilhete premiado ??!!), mas esquece de dizer a que custo.

  • Sergio L

    É, aí está a pergunta principal: A quem recorrer?

  • Karla

    Infelizmente o consultor “esqueceu” do aumento do IOF, logo na semana seguinte da queda da CPMF.
    Dos 40 bi o IOF recuperou pelo menos 18.
    Portanto, a CPMF vigorou mediante o IOF, como se o IOF fora uma CPMF de 0,15%.
    Ademais, o efeito da arrecadação que teria “substituído” duas CPMF, parece que o consultor não sabe fazer contas.
    O PIB de 2008 (5,6%), de 2009(-0,2%) e de 2010 (estimado em 7,5%)foram os principais responsáveis pelo incremento de arrecadação.
    Não é de estranhar que consultores do setor financeiro torçam o nariz para a CPMF, isto é, sobre a incidência sobre transações financeiras.
    Nem que seja com alíquota ínfima.
    O setor financeiro, desde Alcides Tápias, da FEBRABAN, em 1993/1994, sempre lutou contra a incidência.
    É sim, um meio infalível, para rastrear todo mundo que passa pelo sistema financeiro.
    Como se fora uma espécie de “pedágio bancário”, na expressão do economista Dércio Garcia Munhoz da UNB.
    O efeito distorcivo poderia ser compensado na declaração da pessoa jurídica e da pessoa física.
    Não só deve existir um imposto sobre transações financeiras, como deve existir de forma compensatória, para atingir tão somente a informalidade.
    Nem se alegue que tal incidência iria fustigar os mais pobres.
    Os mais pobres são mesmo quem pagam impostos no Brasil por conta da regressividade.
    E nestes casos, a incidência sobre salários e aposentadorias até o limite de isenção do imposto de renda poderiam ser estornados para a conta do cidadão.
    O consultor pode ser até teu amigo; porém, mais do que seu amigo, é mesmo um consultor.

  • Joao Cabral

    o pior de tudo,é que o ministerio publico,ta dormindo dimais. essas compras premiadas ja era pra ta tudo fechada. mas ainda acham pouco dos calotes que a maioria ja deu e continuam dando. a compra premiada eletroforte, é uma delas que está se preparando pra dar o maior calote de toda historia de compra premiada.
    chico do tote ta com uma dessas na cidade dele, Viana, e ele ja está se preparando tbem.