Acreditem — se quiserem

Lindbergh Farias em ação numa comissão do Senado: o “h” final no nome dá mais votos? (Foto: Agência Senado)

Acreditem se quiserem: o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) recuperou o “h” final de seu nome, que havia abolido a certa altura de sua trajetória, porque, a seu ver, “Lindberg” lhe tirava votos.

Explicação oficial de seus assessores para a nova-velha grafia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito − seis =

14 Comentários

  • L.Candeia

    Definitivamente, o ex líder estudantil – LindbergH e o Sr. José Ribamar Ferreira de Araújo Costa, convertido em “José SarneY” são “farinha do mesmo saco”.
    Pobre Brasil…
    “Vade retrum”, Lulla*** e caterva !

  • Vera Scheidemann

    Meu Deus !!! Que pobreza…
    Inacreditável !
    Vera

  • carlos nascimento

    (………..) censurado !

  • Jefff

    Leia que interessante: Alckmin, inaugura a USP-LESTE às pressas em 2005 – em cima de uma bomba de gaz metano, hoje expondo a vida de quase 6 mil alunos e funcionários, a CETESP, condena o terreno, a universidade funciona SEM LICENÇA AMBIENTAL, e a imprensa paulista o que faz? Ignora, faz de conta que nunca existiu isso.

  • terceira via

    por que esse VVVVosta não vai pintar a cara???

  • Eduardo

    “…por que esse VVVVosta não vai pintar a cara???”

    Porque está com o decúbito sujo!

  • Lapeno R

    Cara pintada hoje senta na mesma mesa com Sarney e Collor…

  • Alaércio Flor

    Este político deve seu nome ao nobre senador e ex-presidente Fernando Collor….juntando-se ao José Sarney…Ele realmente é um político modernoso e louco pelo poder.Dificlmente será reeleito senador .Por que ele não pinta a cara com cores vermelha e azul de…palhaço???

  • Marco

    Amigo Setti:Os atuais modelos de pré requisito das nossas Universidades Federais para se tornar professor,mestre e doutor, ou seguir na carreira politica com sucesso :1 – O revolucionário é um homem perdido. Não tem interesses próprios, nem causas próprias, nem sentimentos, nem hábitos, nem propriedades; não tem sequer um nome. Tudo nele está absorvido por um único e exclusivo interesse, por um só pensamento, por uma só paixão: a revolução.

    2 – No mais profundo do seu ser, não só de palavra, mas de fato, ele rompeu todo e qualquer laço com o ordenamento civil, com todo o mundo culto e todas as leis, as convenções, as condições geralmente aceitas, e com a ética deste mundo. Será por isso seu implacável inimigo, e se continua vivendo nele será somente para destruí-lo mais eficazmente.

    3 – O revolucionário deprecia todo o doutrinarismo: renunciou a ciência do mundo, deixando-a para a próxima geração. Ele só conhece uma ciência: a da destruição.

    4 – Despreza a opinião pública. Despreza e odeia a atual ética social em todas as suas exigências e manifestações. Para ele é moral tudo o que permite o triunfo da revolução, e imoral tudo o que a obstaculizar.

    5 – O revolucionário é um homem perdido. Implacável com o estado e, em geral, com toda a sociedade privilegiada e culta, de quem ele não deve esperar piedade nenhuma… Cada dia deve estar disposta a morte. Deve estar disposto a suportar a tortura

    6 – Severo consigo mesmo, deve ser severo com os demais. Todo os sentimentos ternos e abrandados sentimentos de parentesco, de amizade, de amor, de agradecimento e inclusive de honra, devem ser sufocados nele por uma única e fria paixão pela causa revolucionária.

    7 – A natureza de um autêntico revolucionário excluiu todo o romantismo, todo sentimentalismo, todo entusiasmo e toda a sedução.. Exclui também o ódio e a vingança pessoal. A paixão revolucionária convertida nele em paixão de cada dia, de cada minuto, deve ser seguida pelo cálculo frio. (…) Liguemo-nos com o mundo livre dos bandidos, o único autenticamente revolucionário na Rússia.

    Abs.

  • elizabeth the best

    E dizer que o bebe do Lindbergh sobreviveu aqui.
    O Brasil não toma jeito mesmo.

  • Markito-Pi

    Faz sentido. Este sujeitinho só faz mesmo H na vida.
    PS-Para quem tem menos de 40 anos. Houve época, que em bares de meretricio ou na zona mesmo, para precaver-se de batidas policiais, os donos dos “estabelecimentos” contatavam senhores ( paletó e gravata obrigatórios)para acompanhar as profissionais do entretenimento. A isso se dava o nome de ” fazer u m H”.Considerando-se o atual congresso e o partido ao qual pertence o molecote inutil, o H faz todo o sentido.

  • Pierre

    A constatação feitas pelo senador,mostra o quanto suas idéias vão ajudar o país. Somente um povo medíocre elege esse tipo de gente.

  • ROZENDO

    Cada povo tem os políticos que merecem, e nos verdadeiramente merecemos estes.

  • Sandro Martins

    Uma letrinha a mais ou a menos jamais tiraria votos desse camarada.Um povo letrado sim.