Image
Construções da VASP em Congonhas totalizam 126.000 metros quadrados

Espantosa a lentidão paquidérmica com que o governo reage às necessidades impostas pelo aumento do número de brasileiros que viajam de avião.

A falecida VASP parou de voar, quebrada, em 2005, e só agora a Infraero resolveu pedir autorização para os órgãos do patrimônio histórico de São Paulo autorização para demolir hangares e outras construções da empresa no aeroporto de Congonhas, visando o aumento das instalações e do conforto para os passageiros.

A VASP não existe mais, mas ocupa, vejam só, amigos, 10% da área de Congonhas!

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez − seis =

Nenhum comentário

wanderlei em 26 de janeiro de 2012

a vasp e varig quebraram pela conspiraçao do nosso proprio governo,pois ambas ganhara no STJ,e o nosso governo enrrolou ´para pagar aí deu-se a quebredeira,e ai vem o molusco em canpanha dizer que é a favor dos trabalhadores,o cabra mentiroso,por PDP.

Jair de Macedo em 04 de abril de 2011

Veja como age o governo com os ex-trabalhadores das nossas antigas empresas aéreas. A VARIG foi um orgulho do Brasil, uma empresa referência mundial no setor aéreo e várias vezes premiada por isso. E os ex-trabalhadores da VARIG? Foram abandonados pelo governo e até hoje nada receberam de seus direitos trabalhistas mais básicos garantidos na CLT. Assim como o governo federal interveio no fundo de pensão dos trabalhadores AERUS e hoje os aposentados recebem uma miséria que está com os dias contados. Seria bom se a VEJA fisesse uma matéria sobre isso. O escândalo é tão grande que merece matéria de capa.

Elvio em 31 de março de 2011

Ricardo, Só prá começar, os terminais de S.Luiz do Maranhão e Campo Grande estão derretendo. Copa, Olimpíadas? PFFFFF. abs Elvio

Jefff em 31 de março de 2011

Lucro da Cesp cai 80,6% em 2010, para R$ 93 milhões. A estatal paulista de geração de energia Cesp encerrou 2010 com lucro líquido de R$ 93 milhões, ante R$ 478,5 milhões registrados no ano anterior. Isso que é gestão eficiente! Mas como é de praxe vão culpar a empresa e não o gestor pelo problema.

JB/RJ em 30 de março de 2011

Olá Ricardo, O triste pra mim é ver este "Setti-Meia-Setti" - B-767-341, puro sangue da Varig (o 341 significa que o primeiro operador foi a Varig, nr. 41 na Boeing). O PP-VOK (em pintura original na foto) é especial por ter sido o avião que a Varig usou para comemorar os 500 anos do descobrimento do Brasil. Aquí: http://cdn-www.airliners.net/aviation-photos/photos/2/6/8/0771862.jpg A curta visão que o petismo tem das coisas importantes, como a infraestrutura necessária ao crescimento do país, me fez lembrar do filme "A Bolha", de 1958 com Steve McQueen. Veja na sinopse se não é o mesmo que o lulalato fez com o país: “A Bolha... uma malígna forma de vida extraterrestre... Seguindo uma trilha de carnificina e destruição, torna-se maior e mais poderosa com o sangue de suas vítimas”. Pelo menos "A Bolha", filme, tinha uma trilha sonora de Burt Bacharach, até hoje muito gostosa de ouvir. http://www.youtube.com/watch?v=eo4V-8GlPpQ Já o lulalato não combina com nada que lembre bom gosto. Com desculpas à mitologia, penso que tem mais a ver com aquele toque de Midas - mas com polaridade invertida - isto é, tudo em que toca vira M.....

Roberto Souza em 30 de março de 2011

Setti, esse tipo de notícia nos dá mais certeza que o Joseph Blater está totalmente errado a respeito da copa do mundo de 2014. Quem está certo é o Orlando Silva, segundo êle está tudo dentro do cronograma e correndo maravilhosamente bem.

Roberto P. Pedroso em 30 de março de 2011

Caro Ricardo: ..., .....

Nc em 30 de março de 2011

Impressionante. O que os caras da Infraero ficam fazendo no expediente se só para começar a encaminhar a questão demoram 6 anos?

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI