As mágicas sombras da companhia de dança Pilobolus

Por Daniel Setti

Em maio, quando realizou turnê por grandes cidades brasileiras, a companhia de dança Pilobolus aproveitou a passagem pelo Rio de Janeiro para organizar uma sessão de fotos e um workshop na favela Pavão-Pavãozinho.

Uma pequena amostra da versatilidade da trupe, fundada há 40 anos em Washington, Connecticut (EUA) e que possui entre suas especialidades a arte de coreografar seus bailarinos/acrobatas por trás de grandes panos iluminados. Como resultado, quem está na plateia contempla impressionantes sombras móveis.

A perícia técnica dos integrantes, combinada a muita criatividade e caprichadas doses de bom humor, gera um espetáculo imperdível, no qual a sombra de qualquer figura pode ser simulada minuciosamente pela união dos movimentos perfeitos dos dançarinos.

Tamanho talento levou o grupo ao Oscar 2007, quando parodiou cenas dos filmes indicados entre uma atração e outra. Extraído de apresentação no talk show de Conan O’Brien em 2008, o vídeo traz a Pilobolus em grande forma. Sobra até, ao final, uma “imitação” do apresentador e seu topete.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 − três =

3 Comentários

  • Marco

    Amigo Setti: Como ficou legal e divertido essas expresões de mimícas e imagens sobre um pano de fundo.

    Que bom que você gostou, amigo Marco!
    Abraço

  • marcelo

    Gostaria de saber qual é o nome da musica, para baixa-lá . Obrigado !

    Caro Marcelo, infelizmente o site de VEJA não pode colaborar com o ato de “baixar” músicas, que viola direitos autorais.