Image
O’Reilly e Obama: até o jornalista inimigo do presidente acredita que ele nasceu nos Estados Unidos

Amigos, Bill O’Reilly, jornalista da rede Fox News dos Estados Unidos, é um dos sujeitos mais arrogantes do planeta. Como jornalista, usa e abusa do poder do microfone e do tempo na TV, que naturalmente ele controla em seu programa, para interromper sem cerimônia qualquer entrevistado que divirja de seus pontos de vista ou não queira ir até onde O’Reilly pretende conduzi-lo — o que incluiu mais de um presidente americano.

Além do mais, é adepto da ala mais reacionária do Partido Republicano e chega aproximar-se da condição de inimigo jurado do presidente Barack Obama, tal é a ojeriza que manifesta contra seu governo e sua pessoa.

Pois bem, até O’Reilly saiu fora dessa história maluca defendida pelos chamados birthers, pessoas que acreditam que Obama – filho de pai queniano e mãe americana — não nasceu nos Estados Unidos, e, portanto, não pode ocupar o cargo para o qual foi eleito por ferir a Constituição.

Neste vídeo, enviado pelo leitor Troy, infelizmente apenas em inglês e sem legendas, O’Reilly esclarece uma série de mitos sobre Obama e a primeira-dama, Michelle, e, no caso específico da nacionalidade de Obama, esclarece que: 1) a certidão de nascimento existe, e está nos arquivos do Estado do Havaí, onde o presidente nasceu; 2) sua equipe de repórteres investigou o caso e descobriu que, sim, Obama nasceu em uma maternidade em Honolulu, capital do Havaí.

Aproveitem, amigos, para ler o excelente artigo de meu colega e amigo Caio Blinder, em que fala das aspirações (e da ficha) do bilionário espertalhão Donald Trump, que quer ser candidato à Casa Branca pelo Partido Republicano e recentemente passou a alimentar, com grande barulheira, dúvidas sobre o país de nascimento do presidente.

Caio dedica um só parágrafo ao caso da certidão, mas o artigo todo é ótimo e o parágrafo liquida o assunto.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × cinco =

8 Comentários

pedro em 02 de agosto de 2011

Essa polêmica foi ridícula desde o início. Além do mais, os Birthers inverteram o ônus da prova: que evidência eles tinham de que Obama não seria americano? uma entrevista dada pela avó dele em que ele teria sido chamado de queniano? Ela se referia à ascendência, não à nacionalidade. Essa polêmica toda é um atestado da decadência intelectual e moral dos americanos. Em 1940, em plena II Guerra Mundial, o partido republicano lançou como candidato à presidência o empresário Wendell Willkie, filho de um imigrante alemão. Nunca ouvi dizer que a campanha de Roosevelt ou qualquer outro meio de mídia tivesse promovido ataques dizendo "Willkie é alemão", "Willkie é nazista" ou " Willkie é da SS ou da Gestapo", ou pretendendo que o candidato republicano provasse exaustivamente sua nacionalidade, posta em dúvida com base em nada. Claro que os birthers americanos e brasileiros, como os que escrevem em blogs neocons, nunca irão acreditar em qualquer evidência que lhes contrariem.

caioblinder em 15 de abril de 2011

Setti, creio que há um componente de racismo, mas junta com ansiedade economica, este interesse do Obama para manter a polemica e assim dar a impressao de que oponentes sao malucos e radicais, odio visceral de qualquer presidente nao conservador da parte de alguns setores conservadores e as alucinacoes da vida Internet, abs, Caio Obrigado, amigo Caio. Um abração. SETTI

caioblinder em 14 de abril de 2011

Obrigado pela canja, grande Setti. Os birthers que tinham atacado na sua coluna migraram para a minha. Exceto os comentarios profanos da turma, estou publicando. Mas estou muito cansado da conversa para desmontar a conspiração, melhor não dar muita corda, abraços, Caio Não há o que agradecer, Caio. É sempre uma honra para mim citar sua coluna. Sou seu leitor, ouvinte e telespectador, e respeito muito seu talento e sua seriedade. Você acha que exagerei ao falar em racismo entre os birthers? Como se fosse só eu a achar isso... Cansei de ver acadêmicos de todas as cores na TV americana insistindo nesse ponto. Abração SETTI

Jefff em 14 de abril de 2011

Se ele fosse brasileiro estaria trabalhando na Veja!

Tuco em 14 de abril de 2011

. O tema, antes aquecido, perde seu viço. Nenhuma prova que reflita a Verdade se nos foi apresentada. Ofuscou-se de todas as maneiras até o esquecimento. Temos uma prova inconteste de vitória por cansaço: Obama é americano! Para inglês ver, lógico. .

Troy em 13 de abril de 2011

De jeito nenhum! O O'Reilly já falou mil vezes que o Obama é um cara simpático, que é uma pessoa agradável, cativante no trato pessoal e recentemente entrevistou o presidente. Não passa nem perto de ser inimigo do Obama. Mas é um ególatra de marca maior mesmo. O Obama, falando da referida entrevista, disse que encontrou alguém com o ego maior que o dele.

Guilherme Macalossi em 13 de abril de 2011

O O'Reilly é fogo Ricardo. Eu particularmente gosto dele. Mas muito mais ácido é o Glenn Beck.

Paulo Bomfim em 13 de abril de 2011

Arrogante, Setti? Esse O'Reilly é um grande babaca. Vi uma entrevista que Richard Dawkins lhe concedeu. O entrevistado tentando falar, e o entrevistador interrompendo. Foram dois ou três minutos do maior falta de educação e civilidade que jamais vi em lugar algum. Pelo menos, parece ser honesto.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI