É tão firme a decisão da presidente Dilma Rousseff de ser chamada “presidenta” que a questão migrou para o próprio site oficial da Presidência da República.

Ali se explica, com recurso a dicionários, que “presidenta” pode, sim, ser utilizado.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × um =

Nenhum comentário

ana em 03 de junho de 2011

por • Jucken | SC / Curitibanos | 30/05/2011 20:30 Por que "presidenta" é incorreto? "Presidenta" é incorreto porque particípio ativo não admite gênero. "Presidente" é particípio ativo do verbo "presidir". Ninguém fala "cantanta", "assinanta", "estreanta", "debutanta", "inicianta". Os verbos "cantar", "assinar", "estrear", "debutar" e "iniciar" têm particípio ativo "cantante", "assinante", "estreante", "debutante" e "iniciante", respectivamente. O verbo "presidir" tem, igualmente, particípio ativo "presidente". Quem tenta justificar o uso de "presidenta" sempre se baseia na difusão do uso, mas este é um péssimo argumento. Não é porque quase todo mundo fala "seje" que a primeira pessoa do singular do presente do subjuntivo do verbo "ser" passará a ser "seje". Ao contrário, continuará sendo "seja". Dicionários podem dizer o contrário, mas nenhum dicionário é tratado da língua portuguesa. Não é porque os principais dicionários reconheceram o erro que ele deixou de ser erro. Tampouco os "principais gramáticos brasileiros" são infalíveis. Claramente não são, especialmente se não conhecem a forma do particípio ativo

Ziaspe em 19 de janeiro de 2011

Sem problemas, porém remova também meu comentário anterior em que o link está visível. Abraços!

Joana G em 19 de janeiro de 2011

Eu aposto que é pirraça!!

Joana G em 19 de janeiro de 2011

Caro Setti, veja: “Depois de tomar conhecimento do texto traduzido, a presidente* Dilma Rousseff agradeceu, por meio de nota divulgada pela Secretaria de Imprensa da Presidência, a carta enviada pela Presidenta* do Comitê de Direitos Humanos da Assembleia Consultiva do Irã, deputada Zohreh Elahian.” Fonte: estadao ------- O Estadao chama a Dilma de presidente e a iraniana de Presidenta. Será porque a diferença? É, realmente o jornal deveria padronizar o tratamento. Não sei lhe explicar a razão. Abração, cara Joana, e volte sempre.

Ziaspe em 19 de janeiro de 2011

Flagra de Dilma exercendo suas atividades como governanta: Abraços! Caro Ziaspe, achei mais correto cortar o link que você forneceu. A brincadeira é um tanto desrespeitosa, e tudo o que é publicado no blog passa a ser de responsabilidade pessoal minha, também. Sorry. Abração

Ziaspe em 19 de janeiro de 2011

Se é presidenta, é governanta! [IMG]http://i55.tinypic.com/30vmx45.jpg[/IMG]

Telma em 19 de janeiro de 2011

Olá Ricardo Apesar do seu esforço em enumerar qualidades da Dilma, penso que uma pessoa que se incomoda tanto com esse detalhe não pode ser séria. Ela poderia gastar toda essa energia consertando tanta incompetência já estabelecida, vide o ENEM/SISU. Aí então ele conquistaria o direito de ser chamada até de presidenta. Por enquanto, presidanta.

Bruno em 19 de janeiro de 2011

Apenas um comentário = RIDICULO

Sylvia em 19 de janeiro de 2011

Oxente, por aqui ela será a presiDENTE e zefini. Visse???

tonia em 19 de janeiro de 2011

# Roberto - 18/01/2011 às 18:52 Se o feminino de presidente é presidenta, o de governante deve ser governanta… Hahahaha, caro Roberto, nada como o bom humor… ---- Quanta sabedoria!!!! Fico de queixo caido! Já que vc postou o tema, diga ai Setti, pode ser Presidenta? ou não? Cara Tonia, poder, pode, mas o termo nunca é usado pelo comjum das pessoas, é uma forçação de barra. Não se fala em "presidenta" de uma empresa, por exemplo. Nunca vi em lugar algum. Dizemos "gerenta" de banco ou "correspondenta" da Rede Globo em Nova York? Então, não soa natural dizer "presidenta" e, obviamente, tampouco é machismo chamá-la de "presidente Dilma". Abraço

Wagner em 18 de janeiro de 2011

Ora, ela não tem uma dentuça proeminente que nem os Ronaldinhos? Então, presiDENTA faz uma referencia a seus incisivos superiores, certo?

Sofia Maria em 18 de janeiro de 2011

Mas que tipinhA não?Isto é falta de ter o que fazer e com que se preocupar!Por que ela não envia uma medida provisória ao congresso sobre o tema?E os colegas dela de antigamente,eram terroristas ou terroristos?

Memyself em 18 de janeiro de 2011

Ela pode querer o que quiser, para mim ela não é nem presidente, nem presidenta. É a govern-anta.

Frederico Hochreiter/BH em 18 de janeiro de 2011

A preocupação e a insistência com bobagens desse tipo definem bem o tipo de prioridades da presidente.São as mesmas prioridades da ministra da pesca. Sua primeira providência foi trocar a placa do carro. Onde se lia ministro agora lê-se ministra. Esse pessoal acredita mesmo que afirmar-se como gênero vai mudar alguma coisa na baderna institucional que aprontaram nos ultimos 8 anos? A expressão "baderna institucional" é perfeita, caro Frederico. Abraço

arthur em 18 de janeiro de 2011

Tem razão o Ajuricabat Manaus e acrescento, como se fosse preciso, amanta, ouvinta, videnta...E a "presidenta" levará Erenice para ser sua "assistenta"? Eu, você e o país inteiro esperam que não, caro Arthur. Era o que faltava... Abração e volte sempre.

Roberto em 18 de janeiro de 2011

Se o feminino de presidente é presidenta, o de governante deve ser governanta... Hahahaha, caro Roberto, nada como o bom humor...

gaúcha indignada em 18 de janeiro de 2011

Infelizmente "ella" é PresidentE do Brasil

Ajuricabat Manaus em 18 de janeiro de 2011

Ela pode querer mandar muito e eles podem querer o que achar mais bajulador. Prá mim chama-se substantivo comum de 2 gêneros. Pronto, tchau e benção. Não se fala estudanta, adolescenta, inteligenta, competenta, benevolenta e também não se fala dentisto.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI