Image
Domenico Oppedisano, chefe da máfia calabresa, cumprimentando os jornalistas ao ser preso pela polícia italiana

Começa a dar resultados a espetacular operação policial, dirigidas por magistrados das cidades de Milão e de Reggio Calabria, que envolveu 3 mil agentes e carabinieri italianos em julho passado e resultou na prisão de 304 pessoas ligadas à ‘Ndrangheta, a máfia calabresa, inclusive seu chefe, o capo Domenico Oppedisano, de 80 anos.

Com frieza e ironia típicos, ao ser levado no banco traseiro de um veículo dos carabinieri, na ocasião, Oppedisano baixou o vidro da janela, sorriu para os jornalistas e cumprimentou-os com vagar e solenidade, tirando o chapéu que invariavelmente usa.

Todos estão sendo processados por assassinato, tráfico de drogas, tráfico de armas, extorsão e agiotagem.

FATURA 150 BILHÕES DE REAIS — A operação resultou no desmantelamento de nove “clãs” da ‘Ndrangheta, e se chegou à conclusão de que a máfia da região da Calábria, no sul da Itália, principal gestora do tráfico mundial de cocaína, fatura anualmente inacreditáveis 44 bilhões de euros (quase 150 bilhões de reais, 10 bilhões mais do que o BNDES tem para investir em 2011). Já se sabe que os criminosos de alguma forma controlam, só na Itália, 160 empresas.

Também se conhece melhor como se organiza a máfia calabresa. Do que pôde transpirar das investigações, sabe-se que não é formada por “clãs” autônomos, como se imaginava, mas que opera com uma estrutura vertical, à maneira da Cosa Nostra, a máfia (propriamente dita) da Sicilia.

Debaixo de Oppedisano, atuam os grupos “comarcais”, de ampla área geográfica de atuação, aos quais se subordinam as chamadas ‘Ndrinas, quadrilhas locais – de uma cidade, de uma pequena província. As ‘Ndrinas, ou clãs, são semelhantes às famiglias da Cosa Nostra, mas diferem em um importante detalhe: são constituídas de famílias verdadeiras, o que, nas palavras de um magistrado que investiga o caso, transforma a ‘Ndrangheta “na máfia mais impenetrável de todas”.

Segundo os juízes de instrução da investigação, “o coração e o cérebro” da ‘Ndrangheta estavam em Reggio Calabria – cidade de 180 mil habitantes 500 quilômetros ao sul de Roma, de frente ao Mar Jônico e bem na ponta da “bota” que é a Itália –, de onde estendia (e certamente ainda estende) tentáculos para o restante da Europa, as três Américas e até a Austrália.

Milão, onde foram encarcerados 180 dos suspeitos, seria uma espécie de capital financeira da organização criminosa.

O alcance dessa faceta do crime organizado pode ser medido pelo fato de que, entre os 304 presos sendo investigados, há um dirigente político da Lombardia – região cuja capital é Milão –, dirigentes de empresas construtoras, empresários de outros ramos, advogados, um biólogo, quatro oficiais dos carabinieri e um professor.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × três =

4 Comentários

Marco em 19 de novembro de 2010

Caro R. Setti: Depois dessa, vou me deliciar apenas com, a astúcia musical do site: italiasempre. Abs.

Lilian em 19 de novembro de 2010

Setti, Notícia 00:01h http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,ministerio-publico-ve-codigos-da-mafia-em-acao-do-ex-chefe,641416,0.htm Abraços!

Lilian em 19 de novembro de 2010

Setti, A máfia italiana é organizada, infiltrada em Órgãos Governamentais, diversas Empresas, dentro e fora do país. Operações policiais como a de ontem, dia 18 foram presos 28 dos 30 procurados, entre eles Antonio Iovine, um dos líderes do clã dos Casalesi da Camorra(via:globo.com). As principais Famílias: . Cosa Nostra de origem siciliana. Camorra, de origem napolitana. 'Ndrangheta, da Calábria- onde o Partido Lega Nord do ministro Roberto Maroni é acusado pelo escritor Roberto Saviano de ter ligações com a máfia calabresa. Há várias Famílias consideradas "pequenas" de "mafiosi".

Ralf em 16 de novembro de 2010

Ricardo, Por que os EUA conseguiram quebrar as pernas das máfias e a Itália continua nessa lama? Também é estranho que Clinton quase tenha caído por um caso com uma secretária e Berlusconi seja notório cliente de prostitutas de todas as idades e as coloque no seu partido e em cargos públicos. Dizem que a Itália é o Brasil da Europa, mas acho que a Itália ficou pra trás. Só a vizinhança da Itália é melhor que a nossa, não? A Itália, por causa de greações de governantes e políticos como Berlusconi e por outras razões difíceis de resumir aqui, vive uma grande crise moral. Mas há uma parte vigorosa da sociedade e das instituições -- como a magistratura -- que resiste. Acho o Brasil pior que a Itália, ainda, nesse sentido. E a herança histórica e cultural e a beleza inigualáveis da Itália ainda a tornam um país extraordinário. A vizinhança é boa, sim.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI