Image
Cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras: centro de excelência forma oficiais e, depois, muitos deles se sentem compelidos a deixar o Exército por questões salariais  (Foto: Agência Brasil)

Até o final de julho, nada menos do que 101 oficiais de carreira pediram demissão do Exército Brasileiro, entre eles 26 formados na Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), reconhecido centro de excelência.

Não há levantamentos disponíveis sobre esse total, mas estima-se que na esmagadora maioria dos casos a desistência da carreira militar — outrora caminho seguro para uma vida sem grandes atribulações econômicas — se deve aos baixos salários pagos às Forças Armadas.

A média de saída do Exército é neste ano de 14,4 oficiais por mês, sendo 3,7 provenientes das Agulhas Negras.

Entre os que deram baixa definitiva, há dois majores, 12 capitães e 11 tenentes.

Segundo informa o blog Montedo.com, um dos muitos dedicados a informações sobre as Forças Armadas e os militares, “nesse ritmo, teremos 173 oficiais fora do Exército Brasileiro até o final do ano, sendo 44 [provenientes] da AMAN”.

Os dados do blog Montedo foram colhidos nos Boletins do Exército, emitidos pela Secretaria Geral, órgão responsável por dar divulgação aos atos administrativos. O levantamento foi realizado por um capitão.

No momento, não tenho informações concretas a respeito, mas o panorama, proporcionalmente ao tamanho das duas Forças, deve estar ocorrendo também na Força Aérea (que tradicionalmente perde pilotos treinados para a aviação comercial) e na Marinha.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 + 5 =

Nenhum comentário

Vitor Augusto Gomes em 26 de setembro de 2014

Trabalho assalariado no Brasil, com raríssimas exceções e em algumas épocas,JAMAIS recompensou o trabalhador, a força-de-trabalho.

Vitor Augusto Gomes em 26 de setembro de 2014

O que é "moderação", aqui?

Vitor Augusto Gomes em 26 de setembro de 2014

Não é "privilégio" dos militares receber soldos por eles considerados como "baixos". Cientistas, professores e pesquisadores sofreram mais: muitos deles tiveram que deixar o país para poder sobreviver. Com relação a isso, vejo escassas manifestações. Por que será?

Paulo Brites em 22 de setembro de 2014

Enquanto nossos Comandantes não entenderem que sem representantes no Congresso Nacional, seremos uma classe isolada da sociedade, a situação tenderá a se agravar.

Edson Furlanetto em 06 de setembro de 2014

Olho com tristeza a realidade salarial dos militares. Em que pese eu ter "pulado do barco" há vinte anos, ainda mantenho grandes amigos no EB. A pouca mobilidade, ou inexistente, entre os quadros, impede que bons praças se realizem profissionalmente, e mais, a centrada hierarquia que maximiza o posto em detrimento da razão, faz-nos pensar em mudanças, mais que necessárias para termos um quadro profissionalizado e melhor remunerado. Saudades, mas sem arrependimento de ter saído.

luiz matos em 27 de agosto de 2014

fui pqd do eb em 82 comandos pioneiro 1983 bfesp nao tive oportunidades nem respeito no eb fui ter tudo isso e muito mais na temida legiao estrangeira francesa estou la ate hoje sou oficial sirvo na coesega (frança) segundo regimento estrangeiro de para quedistas (2rep) estou feliz e com muito dinheiro investido no brasil agora voçe comandos quando o seu filho for ao shoping e querer um tenis bom voçe da grito ou brado de guerra comandossssssssssss ele tera o tenis fui legion patria nostraaaaaaaaaaa

S. MENDES em 05 de agosto de 2014

Comandos, FE, Guerra na Selva... Faça o curso militar que você quiser. Mas a verdade é uma só: brevê não enche barriga e nem torna você um ser superior ou melhor do que os demais. Pare de ser bitolado e capacho de superior hierárquico!! Sábia é a canção de Renato Russo: "Existe alguém que está contando com você, para lutar em seu lugar, já que nessa guerra não é ele quem vai morrer. E quando longe de casa, ferido e com frio, o inimigo você espera, ele estará com outros velhos inventando novos jogos de guerra." A questão não é sair do militarismo por ser um mercenário; é sair para levar uma vida mais digna e ter tempo para a família e para um verdadeiro aprimoramento profissional. Fui Sgt EB por 12 anos. A instituição é boa, mas tem muita gente ruim, principalmente superiores que têm preguiça até em assinar documentos. Outra coisa que muito me motivou a deixar a caserna: impunidade para os atos do superior e punição severa para o subordinado. E um dia ainda ouvi o seguinte de um oficial: "Você tem dúvida de que o EB é dos oficiais?". É isso que os caras aprendem em 5 anos de academia militar: que são os donos de um órgão público. Pronto, falei!!!

1º Ten Carvalho em 01 de agosto de 2014

Sabe aquele filho que sente a preferência de seus pais pelos outros, aquele funcionário que tem a certeza de ser rejeitado pelo seu patrão, que só o mantém na empresa porque reconhece sua importância, preparo, comprometimento, lealdade, obediência e sua disponibilidade em tempo integral para empresa. Caso contrário já teria o demitido a muito tempo. Pois é, este filho e funcionário é o militar, o pai e patrão é o governo, convivência difícil e futuro desanimador!!!!!

Man Com. em 31 de maio de 2014

Ao decidir sair das paredes da caserna enquanto 3º SGT EB, vi que como profissional na área técnica, teria oportunidades, muito melhores como civil. E foi o passo ideal. Havia me enrolado todo em empréstimos, pois, meu salário realmente não existia. Vi absurdos em incursões de patrulhas em morros, tipo oficial negociar com traficante para que a patrulha passasse sem problemas....sim esse cara tinha muitos brevês ...até hoje tento entender pra quê !!! Meu 3º filho nasceu no Hospital Militar em Deodoro até a data da minha saída ainda não havia recebido nem a implantação de meus dependentes no FUSEX. Tudo é muito burocrático ! Hoje minha família possui um bom plano de saúde, temos seguro de vida, conheci novos países e os ganhos tornaram-se superiores a de um general de exército, apenas como técnico. Hoje procuro terminar a Engenharia. Tenho 4 filhos digo a eles que as forças armadas são instituições que ensinam disciplinas e ensinam coisas importantes. Se eles tiverem vontade de seguir caberá a eles, descobrirem estas coisas importantes. Enquanto isso irei preparando um futuro diferente para eles ...

Lamarca em 26 de maio de 2014

Nao tenho do pq a maioria dos graduados tratam soldados como lixo. Pra quem nao fax nada ainda ganham bem. Safos ?! Deveriam ter feito IME pelo menos teriam um diploma de engenheiro. Antes do amor a patria vem o amor pela minha familia e por mim mesmo, lavagem cerebral nao paga as contad.por. Ninguem e melhor do que ninguem respeitem os soldados, pracas e civis que Deus ve tudo, Ele abaixa e eleva quando quer.

Diogo em 23 de abril de 2014

O triste nesta historia toda e que,foi gasto 500 mil reais em cada oficial formado em 5 anos.e esse dinheiro sai do nosso bolso,pra que para nada,para o oficial mandar o praça executar e ele assistir...Entrei recruta cheguei ate 3 sgt temporario,dei meu sangue ao exercito e ele me deu um pé na bunda,mandado embora DOENTE para minha casa.A minha revolta nesse assunto,nao e o oficial pedir a baixa.mais o Dinheiro jogado fora,poderia colocar efetivado um oficial CPOR no lugar do mesmo,Pois em 6 anos de Batalhão Escola de Engenharia que servi,tiverão oficiais CPOR melhores do que AMAM...A coisa mais ridicula foi o ten MAURICIO LIMA hoje em dia cap ou maj,ligar para 190 pedindo ajuda porque um ****** pulou o muro do btl para roubar galinhas em 2004 esse episódio.Como diz o velho ditado,OFICIAL NAO ERRA, OFICIAL SE ENGANA... o que levei do EB foi só amizades...

Diego em 15 de março de 2014

Já servi ao exército em um batalhão com aproximadamente 1200 militares. Vou definir em uma frase: Uma tropa de vagabundos que não contribuem nada para o País!

Comandos! Guerra na Selva! em 22 de fevereiro de 2014

Sgt Fulano: quando vc for, terá ido tarde!!! Será uma pena para a PRF ter que contar com um **** como vc. Será um daqueles que passa os dias dentro do posto, no ar condicionado, sem fiscalizar coisa nenhuma nas rodovias...o que, aliás, tem sido comum demais, na outrora briosa PRF...

ALMIR VASCONCELOS em 12 de fevereiro de 2014

Complementando o post anterior, não vejo justificativa para que um suboficial, que se encontra no ápice da carreira de sargento, sujeito a limitações inexistentes para os civis, receba o tratamento remuneratório atual. É revoltante. A ciência explica que excesso de pressão pode resultar em explosão.

ALMIR VASCONCELOS em 12 de fevereiro de 2014

Servi à FAB por 22 anos, tendo dado baixa em 22.10.92, como 1º Sargento, faltando um mês para ser promovido a Suboficial, em virtude de aprovação em concurso para a Justiça Federal. Apesar de amar a Força, tive que fazer um balanço quanto ao final da minha carreira que se encerraria como Suboficial aos 54 anos (idade-limite para permanência na ativa). Formado em Direito, somente teria acesso ao oficialato auxiliar,inexpressivo, tendo como ápice o posto de Capitão, mediante concurso interno e que exigia excelente performance, em face do reduzido número de vagas por especialidade. Optei, portanto, pela vida civil, embora passando longo período me recuperando da separação (a Força era a rival da minha esposa, porque poderia exigir a minha companhia a qualquer momento e pelo tempo que julgasse necessário). A mudança trouxe bons frutos para mim e minha família. ENTENDO QUE NÃO É JUSTIFICÁVEL O FATO DE UM FUNCIONÁRIO RECÉM-ADMITIDO NO PARLAMENTO NACIONAL, PARA CARGO DE NÍVEL MÉDIO, RECEBER REMUNERAÇÃO DE R$ 12.000,00, EM FLAGRANTE CONTRASTE COM OUTRAS CATEGORIAS COM IDÊNTICA HABILITAÇÃO TÉCNICA. MAS AÍ ALGUÉM OBJETARIA COM BASE NA SEPARAÇÃO DE PODERES.

Morfeu em 11 de fevereiro de 2014

Comandos e Forças Especiais também estão deixando a caserna para ganharem muuuuito mais como agentes de inteligencia e como segurança de autoridades em empresas particulares. Onde está o espiríto inabalável do COMANDOS???? Parem de farsa, são mercenários sim. Forças armadas são instituições decadentes, infelizmente!

helder alves em 04 de fevereiro de 2014

Ó Título de eleitor se transforma em duas moedas .Uma ó REAL e á outra ó DÓLAR.

re..... em 03 de fevereiro de 2014

só acho uma coisa um pm pra anda de viatura até fazer calo na bunda matar gente inocente atuar em milicias ganha 3300... agora um oficial estuda pra caramba batalha ama a pátria ta disposto a perder a vida em uma guerra que as vezes nem dele é ganha uma merreca não é egoismo estou no processo de seleção para o exercito se eu servir e gostar muito seguirei carreira mais só de pensar em horarios puchados de serviço longe da familia por longos tempos e um salario bosta ja me desanima posso me forma em uma faculdade em pouco tempo e com menos esforço e ganhar o que um sargento ganha ... não deveria ganhar bem só pelo trabalho mais sim pelo mérito esses politicos corruptos de merda fazem bosta nenhuma ganha 27 mil fora o que eles roubam funcionarios publicos que não fazem nada de maisficam na internet o dia inteiro ganha o que um sgt ganha meu país é uma vergonha total

O último apague a luz em 30 de janeiro de 2014

E a evasão irá aumentar cada vez mais, depois de 9 anos, daqui a alguns dias estarei indo embora é comigo muitos outros!! O último que apague a luz e feche as portas!!

COMANDOS !!!! em 29 de janeiro de 2014

Seria bom deixar bem claro que a FORÇA está acima de qualquer interesse individual ou particular. Somos homens forjados para superar todas as adversidades na qual vivemos, e somos constantemente submetidos a todas as intempéries que existem na carreira. Portanto, deixemos de lado egoísmos e sentimentos excêntricos, para elevarmos o nome da Instituição no Brasil e no mundo. Termino com essa frase : ” A Pátria tudo se dá, nada se pede, nem mesmo a compreensão”. COMANDOS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Apio medrado em 26 de janeiro de 2014

Um tenente ganha em torno de 5000 reais com especialização . Enquanto um médico imbecíl cubano sem nenhum preparo ganha 10000 reais é justo ?

Celso em 24 de janeiro de 2014

Serafim, procure um psiquiatra, URGENTE ! Vc está precisando !

Heriberto Arboés em 23 de janeiro de 2014

Sou Capitão das Forças Armadas, introduzo minhas palavras dizendo que "amar" a profissão, não é o mesmo que ser alienado, omisso e conformista... Os militares têm o dever de criticar e sugerir idéias para melhorar as suas condições de trabalho, assim como fazem as empresas e outras instituições governamentais. Precisa-se entender o que é uma Ditadura Democrática velada, onde o objetivo do governo não é construir e desenvolver a nação, mas sim, se perpetuar no poder, utilizando-se da mídia ao seu lado manipulando as mentes, aliando-se aos grandes empresários da nação e comprando votos da grande massa da população pobre e ignorante eletiva do país. Para que isso ocorra sem maiores riscos, a estratégia dos "governantes" é fragilizar as Forças Armadas da nação, tanto no quesito material quanto no pessoal. Primeiro, pelo sucateamento dos armamentos, veículos, aeronaves, navios, dos materiais bélicos e instalações físicas, proporcionando um considerável aumento do risco da atividade militar. Segundo, a desmotivação dos recursos humanos, com salários "achatados" pela inflação e muito abaixo dos padrões, se comparado aos outros cargos equivalentes do serviço público federal da área de segurança pública. Diante desse contexto, para aumentar a operacionalidade e poder de combate, faz-se necessário um planejamento de reformas no tanto na área estrutural das Forças Armadas como também no plano de carreira dos oficiais e praças, tais como: - a reduzir o tempo de interstício entre as promoções; - desvincular o soldo dos militares da ativa e dos inativos e pensionistas, criando uma gratificação de atividade; - valorizar os militares de carreira perante os temporários (aumento da porcentagem de qualificação de escolas de formação) - incorporar a gratificação por tempo de serviço anual; - investir em salários indiretos (Vagas ilimitadas nos Colégios Militares; Construções de mais PNRs para atender todo efetivo de carreira; Diminuição do tempo de serviço mínimo nas guarnições, proporcionando mais transferências; mudança dos critérios e aumento do número de guarnições especiais, categorias A e B...). Por fim concluo que, um princípio básico na luta das classes sociais, em busca dos seus direitos é a quantidade e a forma que tem de representá-los. É essencial que as Forças Armadas se unam, para juntas elegerem alguns fortes representantes junto ao Congresso Nacional, que é a instituição que se formam e se mudam as Leis da nação.

Sgt Fulano em 23 de janeiro de 2014

rsrsrsrsr.... Não é apenas o dinheiro que faz eu, SGT FULANO, querer sair da força. Sernhor Comandos, quantos saltos realizastes sob fogo inimigo??? Quantos foram reais???? Pára de historinha!!!!!!!!! Tudo um teatro!!!!! Ja realizei inúmeras missoes com a Policia federal e a PRF... Senti-me envergonhado das atitudes arcaicas e as encenações que fazemos dentro da Força. To estudando muito pra PRF... Faça como eu! Pare de encenar e venha pra realidade!! KKKK Abraços de um quase ex militar e quase agente da Policia Rodoviaria Federal

COMANDOS !!!! em 18 de janeiro de 2014

"Angela Nascimento" as Forças Armadas sempre irão existir, e, independente do seu comportamento individual e mesquinho, que apenas visam interesses particulares, elas sempre cumprirão o seu mirter, que é defender com o sacrifício da própria vida essa nação (juramento que fizemos ), se um dia preciso for. Se a senhora se acha injustiçada eu tenho uma frase para tal situação : " A porta da rua é a serventia da casa ". E tenho outra frase que levo comigo : " Um homem que tem um preço, não tem valor ". FORÇAS ESPECIAIS !!!!!!!!!!!!!

Angela Nascimento em 15 de janeiro de 2014

"Comandos" é por causa de pessoas que pensam como você, que a Força Terrestre está destruída, cursei por 5 anos pra me tornar engenheira do EB, e agora só penso em sair. A Força está defasada e a tropa desmotivada, mas a Instituição Exército Brasileiro continua sendo linda e respeitosa! Pena que há pessoas como vc no comando!!!! E vale ressaltar que de "comandos" vc não tem nada, mais de 70% dos Comandos/FE são praças.

COMANDOS !!!! em 09 de janeiro de 2014

As Forças Armadas são uma instituição feita para homens e não para recalcados que apenas sabem lamentar. Sinto pena desses fracos praças ( soldados, cabos, subtenentes/sargentos) que não sabem dar o valor devido ao Exército. Muitos praças estariam, numa hora dessas, morrendo de fome se o Exército não tivesse lhes dado essa oportunidade. Ao invés de cuspirem no prato que comem, deveriam era trabalhar para engrandecer o nome das Forças Armadas. COMANDOS/BRASIL !!!!

Sgt Fulano em 08 de janeiro de 2014

Como venho lembrando incansavelmente aos amigos do blog, as regras para publicação de comentários, em nome da boa legibilidade e da atenção para com os demais leitores, vedam a publicação de textos escritos em maiúsculas. Consulte as regras, se quiser, no link http://goo.gl/u3JHm Conto com sua cooperação da próxima vez. Obrigado desde já.

Edilson em 07 de janeiro de 2014

De que adianta, ser comandos ou faca na caveira, sem dinheiro na carteira, tem que sair mesmo e procurar outros meios de se ganhar bem, sou 2º sargento da PM do Paraná e ganho líquidos 5 mil. Aqui um soldado em inicio de carreira R$ 3.300,00

negao em 06 de janeiro de 2014

As regras para publicação de comentários no blog, conforme alertei os amigos leitores incontáveis vezes, não aceitam xingamentos. Confira as regras no link http://goo.gl/u3JHm Obrigado

COMANDOS !!!! em 05 de janeiro de 2014

As Forças Armadas são uma instituição feita para homens e não para recalcados que apenas sabem lamentar. Sinto pena desses fracos praças ( soldados, cabos, subtenentes/sargentos) que não sabem dar o valor devido ao Exército. Muitos praças estariam, numa hora dessas, morrendo de fome se o Exército não tivesse lhes dado essa oportunidade. Ao invés de cuspirem no prato que comem, deveriam era trabalhar para engrandecer o nome das Forças Armadas. COMANDOS/BRASILLLL !!!!

Fulano em 30 de dezembro de 2013

Senhora Maria, já estou estudando há um tempo pra sair do meu emprego. Estou estudando para Policia Federal. Agora eu não sabia que não acreditar em algo nos torna uma pessoa fraca...

edi em 29 de dezembro de 2013

Estou fazendo um processo seletivo para entrar como Cabo temporário salário na fixa de 1.800 passei em algumas fases falta exame médico.mas será que vale a pena entrar como temporário afinal no pode ficar 7 anos. Eu não fiquei no quartel quando tinha 18 anos.agora tenho 33 será que compensa arriscar.e tenho algum direito quando sair?

FORÇAS ESPECIAIS em 28 de dezembro de 2013

O Exército pode ter seus defeitos, mas ainda é uma Instituição de nobres soldados. Sempre darei minha vida, se preciso for, para honrar as Forças Armadas. Sou Comandos, Paraquedista e Forças Especiais e levo comigo a seguinte frase: " UM HOMEM QUE TEM UM PREÇO, NAO TEM VALOR ". COMANDOS !!!!!!!!!!!!!!

maria em 26 de dezembro de 2013

Gostaria de dizer ao senhor fulano, que deveria sair do Exército, não devemos trabalhar no que odiamos. as vezes ele vai ser competente em outra coisa. O Exército não é para os fracos.

FULANO em 17 de dezembro de 2013

Sou sargento eODEEEEEEEEEEEEEEEEIIIIIIOOOOO o EB!!! Tudo um teatro!!!!!!!!!! Quando um paraquedista fala:”MAS ENQUANTO HOUVER NO CÉU A SILHUETA DE UM PÁRA-QUEDISTA, HAVERÁ SEMPRE ESPERANÇA DE VITÓRIA” BRASIL ACIMA DE TUDO!", quantos saltos dentre seus milhões foram reais?? Nenhum!!!Todos em treinamentos e nenhum sob fogos inimigos...rss... Salários baixos e outras coisas me fazem odiar o q faço. Sinto-me num teatro, onde sou um coadjuvante e o oficial um ator principal. Eles mandam e nós obedecemos!!

daniel em 10 de dezembro de 2013

Realmente vários setores da sociedade clamam por melhores salário. Todos acham que devem ganhar mais, porém, dinheiro da onde? existem outras prioridades, saúde, educação...

romario dos santos batista em 10 de dezembro de 2013

isso é um absurdo..um oficial rala muito pra chegar aonde esta pra ganhar um salario horrivel desse(pelo q eles passam a chegar a oficial deveriam ser reconhecidos melhor) as forças armadas do Brasil esta mt desvalorizada! e s politicos ganhando mt pra nao fazer nada !

Bosco Santana em 07 de dezembro de 2013

Não sou militar mas acho que os mesmos deveriam ser bem pagos. O minimo que os oficiais deveriam ganhar se ria de 10 mil reias.

Tofu em 17 de novembro de 2013

Nossa, cala a boca José Serafim... Carregue consigo seu fanatismo, não saia pregando mundo afora...

Jose Serafim Barbosa Reis em 30 de outubro de 2013

Militarismo é sacerdócio!a igreja católica é o proprio exercito "deus" é o general.

Jose Serafim Barbosa Reis em 30 de outubro de 2013

O exercito só serve para garantir o dominio do vaticano, Malaquias 2:7 o sacerdote é o mensageiro do Senhor dos exércitos. Deuteronômio 19: 21 O teu olho não terá piedade dele; vida por vida, olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé. II Crônicas 32:6 Então pôs oficiais de guerra sobre o povo . I Samuel 8:15 Tomará dízimo, para dar aos seus oficiais. Amós 4:4 e de três em três dias os vossos dízimos. I Samuel 8:17 Tomará o dízimo servireis de escravos. Mateus 11:12 o reino dos céus é tomado a força, Josué 11:19 a todas tomaram à força de armas. DEUTERONÔMIO 29:10 Vós todos estais hoje perante o SENHOR vosso Deus; os capitães os vossos oficiais, todos os homens de Israel; DEUTERONÔMIO 1:15 Tomei, pois, os chefes de vossas tribos, homens sábios e experimentados, e os tenho posto por cabeças sobre vós, por capitães de milhares, e por capitães de cem, e por capitães de cinqüenta, e por capitães de dez, e por governadores das vossas tribos.

Jose Serafim Barbosa Reis em 29 de outubro de 2013

Na verdade bancar exercito é jogar dinheiro no lixo e pagar para serem infectados por vírus e armas químicas,na verdade as causas de doenças tem origem nos exércitos,tudo por que o mundo é governado por filósofos homens que acham ser muito sábios e reduz ao ser humano a um animal qualquer, assim o que muda de uma pessoa á outra é o conhecimento na verdade toda desgraça da humanidade esta na bíblia uma obra de filosofia medieval e militar as pessoas não percebe mais os padres são filósofos e tratam as demais pessoas como tolas mantendo-as na fé o que muitos não sabem é que os padres são oficiais dos exércitos agentes super secretos e o papa é um general romano imperador que finge santidade para disfarçar mais basta olhar o brasão dos exércitos e policias e veras o brasão do papa,no final a arte da guerra é enganar o inimigo a Europa é uma monarquia cotrolada pela rainha Elisabete II e o papa controla o mundo fazendo acordo com políticos tolos que acabam entregando o mundo na mão do vaticano assim onde não há sabia direção o povo cai. "Só um governante hábil ou um general brilhante que pode utilizar os mais inteligentes para a espionagem tem garantia de sucesso “Sun tzu”. A biblia é um protocolo de sabedoria uma obra de filosofia e o povo em geral são analfabetos e isto inclui os ditos doutores que defende tese absurdas no final recebe certificado de tolos mais exige ser chamado de doutor,no final tudo funciona na base da corrupção e falo isto como segundo sargento PMMT.

Robson em 17 de outubro de 2013

Aos revoltados recalcados Todos esses desabafos são desequilibrados, pois extrapolam a realidade. Primeiramente para entendermos a situação, primeiramente precisamos nos aprofundar no conhecimento de onde viemos, de onde estamos e para onde iremos. 1º) Vivemos em um planeta divididos em tribos, ainda não estamos evoluídos, ou seja, a tribo dos brasileiros, dos americanos, dos japoneses, dos argentinos, etc. Cada tribo vendo seus próprios interesses. 2º) O ideal seria que não existisse Forças Armadas, não existisse grades nas janelas, alarme, blindagem nos carros, policia, etc. Porém é utopia, o nosso planeta vive conflituosamente em todos os cantos. 3º) Não existe igualdade, geograficamente o nosso planeta é desigual. Se todo brasileiro quisesse 300m² à beira mar, não há praia para todos, então a idéia de que todos merecem um lugar ao Sol é utopia. 4º) Imagine de John Lennon é utopia. 5º) Com isso vemos que o ser humano na realidade está na Luta pela Sobrevivência, ocasionando os conflitos e discordâncias, cada qual vendo seu próprio interesse. 6º) Chegamos então às seguintes conclusões: a) O País ainda necessita de Força Armada, podendo até ser mudado o nome ou forma de como obtela, mas necessita. É questão de sobrevivência fazendo frente às demais tribos, que também a possuem. b) Socialismo é utopia e mentirosa, pois sempre haverá uma classe dominante e o capitalismo é cruel, no entanto o capitalismo premia ao mais esforçado e menos preguiçoso. Cabe aí, talvez, um capitalismo com feições socialistas em busca do tal sonhado equilíbrio de idéias em prol da justiça. 7º) As Forças Armadas no Brasil (na visão caseira) estão sendo o bode expiatório do socialismo que não emplacou no mundo e na América latina, pelas conclusões acima citadas e também o bode expiatório da esquerda brasileira que quer caminhar no sentido inverso do mundo no tocante à forma de governo, na sua incompetência em governar para si próprio. 8º) E cá estamos nós o triangulo, em um vértice os revoltados e recalcados que conseguiram sair das Forças Armadas não pela coragem e sim por terem alcançado uma zona de conforto jogando “merda no ventilador”, no segundo vértice os que ainda não tiveram a coragem de sair por não terem conseguido dar o ponto com nó alcançando também a tão sonhada zona de conforto, e por ultimo o terceiro vértice, apesar de parecer cabeça de bacalhal, mas que não estão buscando zona de conforto, que realmente são vocacionados e que esperam também ter um salário mais digno, no entanto não cospem no prato que comem. 9º) NA GUERRA EXISTEM OS QUE ENCHEM O PEITO DE CORAGEM E AVANÇAM, OS QUE DESERTAM POR NÃO SUPORTAR A DOR, DEVEMOS RESPAITAR AMBOS, POIS SÃO SERES HUMANOS DESIGUAIS POR NATUREZA, SOMENTE À SEMELHANÇA UM DO OUTRO, MAS NÃO SÃO IGUAIS. INFANTARIA!!!!!!!!!!!

Kleber de spouza Santiago em 07 de outubro de 2013

Prezados Companheiros! pelo que conheço da situação salarial dos militares, nunca foi boa. Meu avô já reclamava e ainda hoje, com 82 anos, continua reclamando mesmo recebendo soldo de major. Também fui sargento do Exército, oriundo de família pobre, como é a maioria dos sargentos e, sabedor desta situação, assim que saí da EsSA, fiz o curso de Pqdt, para pagar um pouco de embuste e comecei a cursar Direito. Hoje sou juiz de Direito, com um ótimo salário e prestígio.Se me permitem aconselhar a estas pessoas que estão insatisfeitas eu diria que: não reclamem da profissão, procurem estudar e melhorar, se estão insatisfeitos, procurem canalizar esta energia negativa para os estudos. Lembrem-se as Forças Armadas têm mais de 420.000 integrantes, é muito difícil dar aumento a uma classe tão grande. Quando se dá um aumento para um coronel, capitão ou sargento na ativa, também estará dando o mesmo para a reserva e para os "coronéis" , "capitães e "sargentos" que são as pensionistas. Por fim, enquanto estiverem vestindo a farda e recebendo os soldos que fazem jus, honrem esta profissão, afinal, e digo isto com experiência de causa, existem muitas carreiras que, intelectualmente, se exige mais e não recebem os salários dos militares.

AUGUSTO PEDROSA em 26 de setembro de 2013

Tadeu Tedesco, Li e reli várias vezes o seu post. o que você disse é a mais pura verdade.

Tadeu Tedesco em 26 de agosto de 2013

Obrigado companheiro Leo Cientista - O importante é que todos queremos o melhor para a instituição e para a família militar, e não nos furtamos de apontar os graves erros que permeiam a caserna...MUITO SUCESSO!

Leo Cientista em 26 de agosto de 2013

Prezado Tadeu Tedesco. Primeiramente quero lhe pedir desculpas por ter sido digitado erroneamente a palavra "incompetência". Depois de escrevê-lo, percebi q não tinha absolutamente fundamento nenhum escrever tal coisa a respeito de ninguém, mt menos de um companheiro q não conheço. Por favor, desconsidere. Segundo, dou-lhe razão, sim, sobre o q pensa. Só não agiria como vc, pois não conseguiria, mas concordo com o q pensa. Sucesso!

Pedro Rocha em 25 de agosto de 2013

Meus ex-colegas de farda estão reclamando dos soldos "de barriga cheia", já que eu fui um ESCRAVO do Exército Brasileiro por quase todo o ano de 2001 como Monitor de Tiro-de-Guerra (TG). A palavra é forte mas é essa mesma: ESCRAVO. Fui obrigado a prestar serviço militar no supracitado Órgão de Formação de Reserva, onde não tínhamos nenhum tipo de remuneração nem alimentação (o Sargento Chefe de Instrução tinha uma parceria com um Colégio Estadual vizinho ao quartel onde pegávamos almoço e janta durante a semana e nos fins de semana tínhamos 1 hora de almoço e 1 de janta para irmos para casa) e mal tínhamos água filtrada para beber. A instrução diária era diminuta (oficialmente de 06h00 às 08h00 de segunda a sexta) mas em média de 2 em 2 semanas tirávamos serviço de 24 horas nas condições que já citei e com armamento de instrução (mosquefal, vulgo "pau de fogo") já obsoleto para os padrões da 2ª Guerra Mundial. Por servir do Estado do Rio de Janeiro, o perigo de invasão para roubo de munição 7.62mm e granadas de bocal estocadas era grande e com esse tipo de arma + baioneta + cassetete pouco poderíamos fazer para defender o perímetro. Para piorar, quando se cai em um TG a obtenção/manutenção do emprego fica bastante difícil e eu mesmo perdi um emprego combinado como instrutor de informática por causa do serviço militar, enquanto outro colega foi demitido de uma padaria e outro chegou a chorar durante o serviço por causa do transtorno que o serviço de 24 horas causava em sua vida profissional. Eu naquela época levava tudo na maior parte do tempo na esportiva porque tinha pretensão de seguir carreira, pois quando terminasse minha faculdade de Informática pensava em prestar concurso para o Quadro Técnico da Marinha do Brasil, mas prestando concurso para escrivão da Polícia Federal em 2004 constatei problemas oftalmológicos incomatíveis com esse tipo de carreira. Hoje sou Técnico de Informática da Petrobras e ganho R$5.300,00 brutos por mês (fora PLR e cala-bocas) e vejo como os militares são desprestigiados pelos governantes. "“Amamos nosso Deus e nossos soldados nos momentos de perigo – não antes. Passada a refrega, eles são recompensados: nosso Deus é esquecido, nossos soldados são desprezados”. (de um soldado veterano do exército do Duque de Marlborough)

Leo Cientista em 25 de agosto de 2013

Caro Tadeu Tedesco, deixe-me reparar 2 erros: primeiro, seu desabafo, realmente, ñ tem nd a ver com o rumo errado q imaginei ter descambado sua carreira militar. Tem, sim, a ver com frustração. Segundo, o q saiu digitado como "incompetência", por favor, desconsidere. Ñ tive jamais a pretensão de julgá-lo assim. Saiu escrito erradamente.

Tadeu Tedesco em 25 de agosto de 2013

AOS COMPANHEIROS Leo cientista, João Roberto Albim Gobert Damasceno e Of Inf QEMA - primeiramente, gostaria de dizer que como oficial combatente fiz inúmeros cursos operacionais, e adicionei os 20% a que fiz jus...além de ter servido por 6 anos na Amazônia( e não foi no Cmdo CMA, foi na tropa mesmo...)ENTÃO NÃO ME VENHAM FALAR EM VOCAÇÃO...pois ela não têm absolutamente NADA a ver com as frustrações inerentes a qualquer profissão, pois nenhuma é perfeita... GOSTARIA MUITO DE ter feito uma faculdade de direito,como o companheiro aí embaixo, que fez a ECEME também, mas exatamente por ser da ala OPERACIONAL do Exército, comecei e não terminei, SIMPLESMENTE POR QUE FOI IMPOSSÍVEL CONCILIAR COM A MINHA CARREIRA...MISSÃO ATRÁS DE MISSÃO! NADA A RECLAMAR...FAZ PARTE DO JOGO... MAS ISTO não quer dizer que eu vá enterrar a cabeça dentro de um buraco e dizer que "tudo está normal". em relação às demissões, como um companheiro comentou...O EXÉRCITO SEMPRE VAI EXISTIR, É VERDADE...MAS A QUALIDADE ESTÁ AÍ, COMANDANTES CARREIRISTAS, OMISSOS,SEM OPINIÃO PRÓPRIA, TROPA DESMOTIVADA,(MENOS EM BRASÍLIA...O PARAÍSO DOS GENERAIS...O SENHOR LEU ESTA MATÉRIA?ONDE UM GRUPO DE GENERAIS SE REUNIRAM PARA SE BENEFICIAR DO GBOEX???ESTES SÃO OS NOSSOS LÍDERES...OU MELHOR...OS SEUS LÍDERES...JÁ QUE PARA VOCÊ TUDO ESTÁ MARAVILHOSO NA FORÇA...QUEM RECLAMA É UM FRUSTRADO OU DESMOTIVADO...)É ISSO QUE QUEREMOS??? FICA A PERGUNTA... outra HIPOCRISIA é dizer que qualquer um consegue fazer uma faculdade!ORA, O COMPANHEIRO DEVE ter servido em um bom lugar (pelo menos com faculdade) para cursá-la...coisa que não se estende a todos os militares...e aqui trato sobre TODOS, e não uma classe privilegiada...PELO SEU COMENTÁRIO, DÁ A ENTENDER QUE O MILITAR QUE NÃO FAZ FACULDADE É PORQUE NÃO QUER...QUANDO A VERDADE DIZ QUE MUITOS(COMO EU), NÃO O FAZEM SIMPLESMENTE PORQUE É IMPOSSÍVEL...OU PORQUE A CARREIRA COBRA OU PELA SIMPLES INEXISTÊNCIA DE UMA NA CIDADE...ENTÃO NÃO NIVELE A SUA CARREIRA À DE TODOS...POIS É IMPOSSÍVEL...DEVERIA NIVELAR PELOS MENOS ABASTADOS QUE NÃO TIVERAM A MESMA SORTE QUE VOCÊ... OUTRO comentário infeliz, é falar que um jovem de 16 ou 17 anos, que entra na Academia, tem plena capacidade de avaliar sua escolha...É UM JOVEM CHEIO DE ASPIRAÇÕES, QUE QUANDO CHEGA NA TROPA VÊ A DURA REALIDADE, QUE NÃO PASSA NEM PERTO DA AMAN...E ELE ESTÁ ERRADO DE PROCURAR ALGO MELHOR!?!?AO MEU VER...NÃO! ENTÃO, CARÍSSIMOS AMIGOS, quando aqui escrevo, só quero dizer que muita coisa está errada na Força, e que precisamos de severas reformas já...simplesmente não acho a situação "normal" como o companheiro ecêmico aí embaixo...onde deixa transparecer, nas entrelinhas de seu texto, quando afirma "que os bons farão ECEME..."ENTÃO QUEM NÃO FAZ ECEME NÃO SERVE PARA A FORÇA???é isso??? também afirma que os MAUS(COMO VC COLOCOU!), SEMPRE REMARÃO CONTRA...SE RECLAMAR POR DIREITOS, POR REESTRUTURAÇÃO DA FORÇA, POR MELHORES SALÁRIOS, POR UMA VIDA DIGNA PARA EU E MINHA FAMÍLIA É SER MAU...ENTÃO SOU MAU!!!MAS UMA COISA TE GARANTO...fiz mais pelo Exército e pelo Brasil que muitos almofadinhas que nesta hora estão em Brasília, preocupados com a PRÓPRIA carreira...e nada mais!!! SE SER BOM, COMO VOCÊ DISSE, é fingir que tudo que está acontecendo com as FFAA é "normal", é não reclamar das condições de trabalho, é "acreditar que nossos chefes estão preocupados..."; quando na verdade estão preocupados em construir um PARAÍSO para eles mesmos...MAIS UM MOTIVO PARA SER MAU...MUITO MAU!!! ABRAÇOS!!!

Leo Cientista em 24 de agosto de 2013

Concordo plenamente com os dois oficiais q aqui opinaram, rechaçando a declaração do Tadeu Tedesco, q, no meu entender, denota frustração com o rumo q a carreira levou - mt das vezes fruto do rendimento profissional do militar. incompetência.

Leo Cientista em 24 de agosto de 2013

Um monte de besteiras escritas aqui, qdo não escritas erradamente. E ainda vêm – os indignados – reclamarem melhores salários, condições de trabalho, blá, blá. Deveriam, sim, instruir-se melhor para depois reivindicarem alguma coisa. Bom, o retrato da situação (em termos de remuneração) é o seguinte: a carreira militar para praças inexiste. Os graduados ganham mal, submetem-se a escrachos continuamente e, no final da carreira, aqueles q chegam a capitães, ganham alguma coisa entre 8 mil e 9 mil reais (sem considerar os 20% de aumento até 2015). O fato é q os filhos adolescentes necessitam de recursos, melhores escolas, livros etc., e com o salário de sargento o praça fica “no sal”, como dizemos. O oficial, por sua vez, só consegue respirar qdo chega a major, recebendo entre 11.500 e 12 mil reais (tb, sem considerar os 20% de aumentos até 2015). O prob é q parou por aí né. De major a coronel o aumento salarial é de míseros 800 reais a mais no contracheque. Ademais, como oficial superior, a situação do oficial fica mais cômoda, digamos, por isso a tranquilidade de muitos qdo chegam ao oficialato superior. Esta, portanto, é a situação. Os praças estão cada vez mais “mal pagos”; os oficiais, no entanto, só “respiram” qdo chegam a major. Neste contexto, mts saem por não suportarem a pseudocarreira (praças), eqto outros evadem por não aguentarem esperar a promoção a major (oficiais). Os q saem já majores, mts das vezes o fazem por entrar na “pilha” de outros, fica o registro. Nota: sou major do QCO, oriundo da carreira de sargento. Gde abs a todos.

João Roberto Albim Gobert Damasceno em 23 de agosto de 2013

Muito obrigado pelo excelente material, caro Gobert. Um grande abraço

João Roberto Albim Gobert Damasceno em 23 de agosto de 2013

Primeiro: em todos os blogs que leio, inclusive o Montedo, eu nunca comento como anônimo. Quem se aproveita do anonimato para atacar, é covarde. Quem defende sua posição usando o anonimato não tem credibilidade. Desafio a me responderem se identificando e debater com um militar que conhece, de verdade, sua profissão e sua Força, e que tem inúmeros exemplos a dar, em todos os postos e graduações, de verdadeiros soldados, aqueles que não se limitam a fazer fila com os pobres de espírito. Segundo: a carreira militar é para vocacionados, dinheiro é secundário e cada um deve viver como pode. Eu sou Tenente-coronel, pago PJ e ganho como subtenente. Não devo 1 centavo e vivo muito bem, com esposa e dois filhos. Não está satisfeito com o salário, estude com afinco e saia. Sua presença prejudica o cumprimento da missão, pois sua prioridade é o dinheiro. Terceiro: a falta de recursos é recorrente nas Forças Armadas de todo o Mundo, mesmo as mais poderosas. A maioria dos que comentam sobre sucateamento da Força, mesmo sendo militares, demonstram não conhecer o tema. As dificuldades materiais estão ligadas a orçamento reduzido. Quarto: A dignidade de uma carreira é consequência da atitude dos homens e mulheres que a abraçam. O militar dignifica a farda que usa, não o contrário. Quinto: cursar uma escola como a AMAN, no nível de exigência intelectual e físico exigidos, formar-se oficial para ter um salário enquanto estuda para concurso público? Questiono até a inteligência de um sujeito que faz isso! Porque não fez uma faculdade civil? Porque não pesquisou sobre a carreira militar antes de se apresentar como voluntário? Sexto: Sobre salários, a melhor fonte de informação ainda é o IBGE, não o achismo de vários anônimos. Acesse, procure pelo gráfico dos salários no Brasil e veja se nós ganhamos tão mal assim. Quer ganhar mais, treine, faça o Pqd, acumule 20 cotas e incorpore-as, faça o Guerra e acrescente mais um pouco. Não há exército no mundo onde os militares sejam ricos. Onde eles ganham mais, o custo de vida é muito mais alto, e as sociedades, em geral, diferem muito em seus hábitos de consumo. Sétimo: basta consultar o Exército em Números, disponível no Portal EBNET, para que se veja que as demissões ex-officio ou a pedido, cujas estatísticas datam desde 1967 vê-se que as QM e especialidades que passam de 20% de demissões são, para os oficiais, exatamente os médicos e engenheiros militares e, para as praças, QMS topografia, aviação (manutenção e apoio) e algumas turmas de QMS Saúde (apoio). Esta é a verdade, e mais, ao longo dos anos, não é possível identificar nenhuma tendência de aumento exagerado de evasão em todas as outras carreiras, apenas flutuações normais. Assim, analisar o que acontece em um determinado ano, fora do contexto de todas as turmas de todas as carreiras, nada significa, não tem relevância estatística. A minha turma, por exemplo, Infantaria/AMAN 1991: de 146 formandos houve 4 evasões, perfazendo 2,7% da turma. Por fim, acredito que as Forças Armadas sempre serão muito maiores que as opiniões de todos que a compõem, tanto os bons, como os maus. Os bons sempre trabalharão em prol da evolução da Instituição, serão Pqd, Guerra na Selva, Comandos, FE, Montanha; cursarão EsMB, EsLog, EsIE, Blindados; serão Amv, L, CC, Av Ex, Caatinga; serão aprovados na ECEME, comandarão Unidades; serão nomeados IC de TG, serão Aux Adido no exterior. Os maus, sempre remarão contra, tentarão desestimular outros, até lograrão algum êxito, mas é impossível que prevaleçam, pois são desunidos e agem apenas para satisfazer seus interesses particulares. O que os maus não sabem é que sempre existiram, e nossa Força subsiste a eles. Assim será, pois até mesmo Deus abençoa o homem de armas, e é chamado de Senhor dos Exércitos. AOS BONS! Prezado João Roberto, muito obrigado por seu comentário tão bem fundamentado. Se você pudesse reenviá-lo para mim, como comentário, "traduzindo" as inúmeras siglas entre parênteses para que possam ser plenamente compreendidas pelos leitores não familiarizados com o universo militar, eu publicaria, devidamente ilustrado, como Post do Leitor, no blog. É uma excelente contribuição! Veja se é possível atender a meu pedido. Um grande abraço

Of Inf QEMA em 22 de agosto de 2013

Prezado Tadeu Tedesco Pelos seus posts, você está na profissão errada. peça suas contas é vá ser feliz em outro lugar, porque no Exército vc só ocupa o lugar de outro vocacionado. Conheço muitos do seu tipo: passam a vida reclamando, mas não movem uma palha para mudar de situação. Reclamam de tudo, baixo salário, missões excessivas, PNR, do Cmt,mas não contribuem em nada para a instituição. Quer formação civil? vá fazer uma faculdade então (antes que fale, eu fiz! Direito, nem por isso deixei de fazer a ECEME). Quer direitos da CLT? Vá procurar em outra profissão.

Tadeu Tedesco em 20 de agosto de 2013

CONTINUANDO...aí você pega os "chefes" militares...CARREIRISTAS, que passaram a vida bajulando e se submetendo a todo tipo de escárnio...para conseguir fazer seu "pé de meia"...uma missão no EXTERIOR,SER PROMOVIDO A GENERAL OU ADITÂNCIA...porque quando forem para a reserva, serão pessoas sem qualificação nenhuma para se manter no mercado...AÍ QUANDO atingem os mais altos postos, em vem de lutarem contra aquilo que passaram, não!!!QUEREM QUE todos tenham o mesmo tipo de comportamento pífio...e aí não admitem QUE OFICIAIS E PRAÇAS façam uma faculdade para tentarem um concurso ou uma nova carreira, mesmo após o "pijama"... a grande maioria dos COMPANHEIROS QUE CONHEÇO, senão todos, só querem fazer a tal famigerada ECEME(escola de comando e estado maior do exército), ONDE as questões do concurso são duas questões de história e duas de geografia, com um TAL MÉTODO que é ridículo, PARA CONSEGUIREM SE encostar em uma "bocada boa". ESSE É O SINAL DA MISÉRIA...Carreiristas sempre existirão...mas quando eles passam a dominar uma instituição...é sinal que algo muito errado está acontecendo. OLHEMOS PARA A INSTITUIÇÃO...algum sinal de melhoras!?!?!?!?ACHO QUE NÃO, NÉ!?!?!?

Tadeu Tedesco em 20 de agosto de 2013

O problema das FFAA estão dentro delas mesmas...vejamos o EB, onde sou oficial de carreira combatente(AMAN)...você passa 4 anos aprendendo alguma coisas úteis, e muitas inúteis...e após todo esse tempo em REGIME DE INTERNATO...Você sai formado em...NADA! o meu diploma de "ciências militares" só serve como papel higiênico, foram gastos quase "duas cargas-horárias de uma faculdade"...para NADA! por que não uma formação útil...DIREITO, ADMINISTRAÇÃO, PSICOLOGIA???( nos EUA, Exército mais bem preparado do mundo...é assim!) Com a capacidade que temos, e aprendemos na AMAN, rapidamente estaríamos integrados DE FATO à população civil...inclusive trabalhando fora...porque não??? médicos e dentistas militares não fazem isso???são menos profissionais por se manterem atualizados com o mundo em que vivem??? aí perdem-se horas e mais horas em FORMATURAS E CERIMÔNIAS INÚTEIS, que não levam à lugar nenhum...E VIRO REFÉM da tal dedicação exclusiva...onde um Comandante que tem problemas com sua esposa acha que simplesmente pode exigir que eu fique no quartel até as 22:00 horas por que ele não tem pressa pra ir para a sua casa... GOSTO DA CARREIRA...mas infelizmente, assim como muitas instituições no Brasil,estamos precisando de reformas urgentes... O SALÁRIO É SÓ UMA DELAS...com certeza o principal...mas precisamos evoluir como instituição...por que um juíz federal, que também pede dedicação exclusiva, pode lecionar em uma faculdade, e eu não posso???porque ele cumpre uma carga horária semanal e eu não...fico à disposição de chefes que muitas vezes não tem o mínimo respeito pelos subordinados???É DEDICAÇÃO EXCLUSIVA...igual o que me é exigido!!! 1) Carga horária semanal...PRA EVITAR OS ABUSOS! 2) Uma formação acadêmica descente, que me permita evoluir JUNTO com a sociedade, e me permita crescer como ser humano... 3) Melhores salários...óbvio!!! 4) E O PRINCIPAL...ESPÍRITO DE CORPO, UNIÃO!!!ENQUANTO ESTA GUERRA VELADA ENTRE PRAÇAS E OFICIAIS CONTINUAR...CHEGAREMOS A LUGAR ALGUM...SOU FILHO DE PRAÇA...SÓ PRA CONSTAR!

Leo Cientista em 19 de agosto de 2013

Um monte de besteiras escritas aqui, qdo não escritas erradamente. E ainda vêm - os indignados - reclamarem melhores salários, condições de trabalho, blá, blá. Deveriam, sim, instruir-se melhor para depois reivindicarem alguma coisa. Bom, o retrato da situação (em termos de remuneração) é o seguinte: a carreira militar para praças inexiste. Os graduados ganham mal, submetem-se a escrachos continuamente e, no final da carreira, aqueles q chegam a capitães, ganham alguma coisa entre 8 mil e 9 mil reais (sem considerar os 20% de aumento até 2015). O fato é q os filhos adolescentes necessitam de recursos, melhores escolas, livros etc., e com o salário de sargento o praça fica "no sal", como dizemos. O oficial, por sua vez, só consegue respirar qdo chega a major, recebendo entre 11.500 e 12 mil reais (tb, sem considerar os 20% de aumentos até 2015). O prob é q parou por aí né. De major a coronel o aumento salarial é de míseros 800 reais a mais no contracheque. Ademais, como oficial superior, a situação do oficial fica mais cômoda, digamos, por isso a tranquilidade de muitos qdo chegam ao oficialato superior. Esta, portanto, é a situação. Os praças estão cada vez mais "mal pagos"; os oficiais, no entanto, só "respiram" qdo chegam a major. Neste contexto, mts saem por não suportarem a pseudocarreira (praças) eqto outros evadem por não aguentarem esperar a promoção a major (oficiais). Os q saem já majores, mts das vezes o fazem por entrar na "pilha" de outros, fica o registro. Nota: sou major do QCO, oriundo da carreira de sargento. Gde abs a todos.

gerson ronaldo em 19 de agosto de 2013

O Projeto do PT é acabar c/ as três forças e implantar uma merda de guarda nacional submissa p/ bater continência para o Zé Dirceu, Jenuíno e Fidel Castro .

DANIEL B. LEAL em 19 de agosto de 2013

A corrupção no governo é descarada e dizem que não tem verba para os militares lutam para defender a Pátria. Os políticos só legislam em causa própria.

militar comunizado pelo PT em 19 de agosto de 2013

Palavras do então comandante supremo das forças armadas, regra mantida pelo seu poste sem luz, referentes aos soldos dos militares: “no meu governo, tiveram que me aguentar e viviam me enchendo o saco pedindo migalhas de reajuste. pediam uma coisa, eu enrolava e nunca dava o que eles pediam; depois dava uma esmola qualquer e não me sacaneavam mais. “não tenho medo deles; nunca tive.” Qual é a fonte dessas supostas palavras da presidente? Pessoalmente, duvido que ela tenha falado com essa linguagem.

IVAN ROBERTO BOESSIO em 19 de agosto de 2013

Você acha que este blog é o que, meu amigo? Não publico uma só palavra em defesa da ruptura da ordem constitucional. E acho que quem prega isso deveria ser preso.

Basta em 19 de agosto de 2013

Os militares sao os maiores culpados desta situacao. Ate antes da revolucao de 64, quando um General falava, o governo ouvia. Agora tem ate que engolir um bosta tipo Amorim como chefe.

Bel em 19 de agosto de 2013

Não esqueçam: O Brasil pode não estar em guerra agora, mas ninguém sabe do amanhã! Senhores... Invistam nas FFAA! Pq se um dia alguma coisa feia acontecer, eles nos defenderão.

Bel em 19 de agosto de 2013

Sabe pq as FFAA são desvalorizadas? Pq não temos nenhuma ameaça real contra o país e os comandantes das três forças não sabem qual é o real papel das FFAA num país: As FFAA estão acima do presidente, pois o presidente muda de 4 em 4 anos, e as FFAA permanecem INTACTAS! Quando os comandantes acordarem e lutarem mais pelo PAÍS e defenderem seus subordinados, a coisa pode mudar... Muitos esquecem que o Pre-sal fez os olhos de outros países brilharem... Quem defenderá o Brasil? Uma FFAA sucateada com soldados ganhando pouco? Pensem bem... Pois ninguém os valorizam agora, mas quando precisar deles, não acharão.

Santana*100 em 17 de agosto de 2013

Não publico qualquer menção a uma quebra da legalidade constitucional.

Marilene L'Abbate - São Paulo em 17 de agosto de 2013

Os mofados-comunistas-golpistas almejam "matar" os militares, abrindo caminho para a Ditadura-Livre. MAS NÃO CONSEGUIRÃO!

Curitibana em 16 de agosto de 2013

Sou casada com um militar e estamos juntos desde que ele era um cadete cheio de sonhos e ideais. Bastou sair da AMAN e chegar na tropa para ver que a realidade era bem diferente do que se esperava. O sofrimento é constante para aqueles que lutam bravamente para servir ao seu país e, infelizmente, não vejo luz no fim do túnel. Vejo apenas uma labareda vermelha rodeada por foices e martelos consumindo a nação. Eis aqui um dos passos para a implantação da picaretagem bolivariana: massacrar as Forças Armadas.

Boca em 16 de agosto de 2013

Amigos, fui da força (EB) por seis anos e pouco! Sei muito bem como as coisas são la dentro, e só digo uma coisa para os companheiros militares, a força e muito boa, mas infelizmente nossos governantes não olham como deveriam olhar, então o que resta e usar a grana que ganha e o tempo, afinal é um cargo público, e estudar bastante e sair fora, como eu fiz, não adianta ficar só chorando, corra atrás, e não o praça ficar chorando o soldo do oficial, e o oficial chorando os vencimentos de outros cargos! Fica a dica companheiros... Forte abraço!!!

PQDT em 15 de agosto de 2013

Sou um sargento,Paraquedista e Mestre de Salto, não troco minha carreira por dinheiro algum, hipócrita? NÃO! sou militar do Exército Brasileiro! com muito orgulho!defendo a nação NÃO O GOVERNO, amo o que faço! Lamento muito o baixo salário dos militares do soldado recruta ao general de exército, a sub valorização, na verdade o completo descaso do governo com as Forças Armadas...mas como poderia ser diferente? temos terroristas no poder, comunistas... e o revanchismo onde fica? tenho a plena convicção de que a intenção do governo é essa mesma, militares insatisfeitos, pedindo baixa do exército, desiludidos com a carreira militar... acreditem, nossos governantes ficam roxos de raiva quando as pesquisas de opinião mostram que o povo brasileiro confia nas Forças Armadas!!! Não se iludam com a falsa propaganda do governo, democracia...hahaha!os senhores acreditam que vivem em uma democracia...só pode ser piada! bolsa disso bolsa daquilo, bandido na cadeia recebe auxílio do governo, enquanto cidadão honesto rala em jornadas de trabalho extenuantes por um salário mínimo(ganha menos que um bandido na cadeia)que país é este? prestem atenção!não existe democracia no Brasil, infelizmente..."MAS ENQUANTO HOUVER NO CÉU A SILHUETA DE UM PÁRA-QUEDISTA, HAVERÁ SEMPRE ESPERANÇA DE VITÓRIA" BRASIL ACIMA DE TUDO!

Santana*100 em 15 de agosto de 2013

Sargento - 15/08/2013 às 15:04 "Sou sargento e odeio o exército! Não só por causa do salário ou por causa dos oficiais que não tão nem ai pra nós, apesar de passar cinco anos de suas pobres vidas se dedicando e aprendendo a valorizar seus subordinados. Só to aqui mesmo pra ganhar meus R$ 2475,00 pra pagar minha faculdade e meter o pé. Não adianta reclamar companheiros, tem gente que só sabe reclamar mas não faz nada pra mudar a própria vida." ####### Sou civil, entendo o seu desalento com a carreira militar. Assim como eu, existem milhões de civis que honram e respeitam as Forças Armadas. Quanto a nós, nos cabe criticar este estado lastimável por que passam nossos militares, principalmente os das Forças Armadas. Quanto aos senhores que estão vivendo na pele o problema, cabe exigir dentro da lei os seus direitos.

Sargento em 15 de agosto de 2013

Sou sargento e odeio o exército! Não só por causa do salário ou por causa dos oficiais que não tão nem ai pra nós, apesar de passar cinco anos de suas pobres vidas se dedicando e aprendendo a valorizar seus subordinados. Só to aqui mesmo pra ganhar meus R$ 2475,00 pra pagar minha faculdade e meter o pé. Não adianta reclamar companheiros, tem gente que só sabe reclamar mas não faz nada pra mudar a própria vida.

prodiscente em 15 de agosto de 2013

Prezado bloguista, Militares de carreira (Oficiais e Graduados)são brasileiros concursados em seleção de alto grau de dificuldade, os quais optaram como cidadãos, ainda na adolescência, por uma carreira de dedicação exclusiva a Pátria. E por serem ainda bem novos, esses jovens são, na maioria deles, orientados por seus pais a seguirem a carreira militar, pais que acreditam que seus filhos terão uma carreira reconhecida e remunerada a altura de suas responsabilidades, tal o grau de exigência intelectual e física exigida, ou seja, são os melhores, além de terem seu caráter forjado de maneira idônea, o que é verdade. Porém, a política de ascensão na carreira militar não reflete o que deveria, pois só para se ter uma ideia do que ocorre na ascensão funcional da carreira - exemplo: Oficiais tem promoção na média a cada 3 anos, menos pior; enquanto que os Graduados, situação bem mais crítica, em média são promovidos a cada 7 anos, isso depois de serem aprovados em concursos internos e das avaliações de seus superiores para terem os valores referentes a mudança de posto irrelevantes. Com salários aviltados pela inflação os militares acabam por passar por dificuldades das mais diversas e humilhantes. Por isso que, depois de certo tempo, ao perceberem a situação esses jovens militares, começam a se desiludir com a carreira e só vislumbram a possibilidade de ascender profissionalmente estudando para tentarem concursos públicos mais atraentes ou seguirem para a iniciativa privada, os quais se sentirão mais respeitados e valorizados profissionalmente, pois competência intelectual e integridade moral é o que mercado também hoje está em busca.

GEROLDO ZANON em 15 de agosto de 2013

Também o chefe das forças armadas é um comunista capacho do LULA o CELSO AMORIM se continuar assim os soldados não nem ter cuecas

Santana*100 em 14 de agosto de 2013

Gilberto Martins da Silva - 14/08/2013 às 15:52 "A leitura de meia dúzia de comentários a este artigo dá um painel do por que os militares estão na penúria. É flagrante a desunião. Sargentos acusando oficiais e vice-versa. Claro que devido à formação e às responsabilidades inerentes a cada ciclo, os salários são diferentes. Inverter esta ordem é ferir o que de mais importante existe na estrutura da carreira militar, a hierarquia (de salários também, obviamente). Quando o bloguista fala dos baixos salários, coloca uma situação generalizada, dando como exemplo os oficiais intermediários e superiores. Mas, todos nós sabemos que até os oficiais-generais estão com salários defasados, que dirá os graduados. Pedir para o sargento estudar para ascender na carreira e ter a expectativa de que vai melhorar o salário é apenas alentador no meio militar, mas frustrante no contexto social. Vai continuar mal financeiramente, por esperar que possa fazer algo mais com o novo salário e descobrirá que continua ganhando mal. Portanto, a estratégia não é se auto-acusarem, mas unirem-se reivindicando correta (inclusive na forma) e objetivamente. Sou militar da reserva da FAB (SO RF), orgulho-me de ter servido 30 anos e agora sou gerente de sistemas de uma estatal. O que aprendi na Força Aérea (que me proporcionou suporte para fazer uma graduação e um mestrado) deu-me experiência e gabarito para exercer minhas atividades com competência e reconhecimento (o militar ainda é respeitado no meio civil, vide pesquisas de confiança da população). Não cabe criticar a instituição FFAA. Portanto, devemos nos unir e ter a coragem de reivindicar, participando dos movimentos para este fim (sacrificar a cerveja em algum final de semana, ler mais e ficar antenado nas convocações). Não as manifestações do black bloc (estas são do PT e camarilha). Mas, por exemplo, a que está agendada para o dia 7 de setembro, em quase todo o país. Abraço em todos." ############# Caro senhor concordo inteiramente com o seu comentário. Os militares devem se unir. Não entendo o porquê deles não participarem ativamente da vida política do país. Se são os Guardiões da Nação têm todo o direito de ter VOZ E VEZ. Por que muitos militares quando passam para a reserva não se candidatam? O único militar que eu conheço é o deputado Jair Bolsonaro, se existe outro na esfera federal desconheço totalmente. Militar também é cidadão têm direito de reivindicar e participar ativamente da vida política do país.

Gilberto Martins da Silva em 14 de agosto de 2013

A leitura de meia dúzia de comentários a este artigo dá um painel do por que os militares estão na penúria. É flagrante a desunião. Sargentos acusando oficiais e vice-versa. Claro que devido à formação e às responsabilidades inerentes a cada ciclo, os salários são diferentes. Inverter esta ordem é ferir o que de mais importante existe na estrutura da carreira militar, a hierarquia (de salários também, obviamente). Quando o bloguista fala dos baixos salários, coloca uma situação generalizada, dando como exemplo os oficiais intermediários e superiores. Mas, todos nós sabemos que até os oficiais-generais estão com salários defasados, que dirá os graduados. Pedir para o sargento estudar para ascender na carreira e ter a expectativa de que vai melhorar o salário é apenas alentador no meio militar, mas frustrante no contexto social. Vai continuar mal financeiramente, por esperar que possa fazer algo mais com o novo salário e descobrirá que continua ganhando mal. Portanto, a estratégia não é se auto-acusarem, mas unirem-se reivindicando correta (inclusive na forma) e objetivamente. Sou militar da reserva da FAB (SO RF), orgulho-me de ter servido 30 anos e agora sou gerente de sistemas de uma estatal. O que aprendi na Força Aérea (que me proporcionou suporte para fazer uma graduação e um mestrado) deu-me experiência e gabarito para exercer minhas atividades com competência e reconhecimento (o militar ainda é respeitado no meio civil, vide pesquisas de confiança da população). Não cabe criticar a instituição FFAA. Portanto, devemos nos unir e ter a coragem de reivindicar, participando dos movimentos para este fim (sacrificar a cerveja em algum final de semana, ler mais e ficar antenado nas convocações). Não as manifestações do black bloc (estas são do PT e camarilha). Mas, por exemplo, a que está agendada para o dia 7 de setembro, em quase todo o país. Abraço em todos.

Maia em 14 de agosto de 2013

No Superior Tribunal Militar em Brasília coexistem servidores civis e militares no mesmo ambiente, sendo que os civis ganham três, até quatro vezes o salário pago ao militar para atividades muitas vezes até inferior. É o melhor laboratório para avaliar os disparates no serviço público.

Afonso Freitas em 12 de agosto de 2013

Saí da FAB em 2009 depois de 18 anos de serviço, já era primeiro sargento no dia da baixa. Estudei com afinco e hoje sou servidor Público, ganho 12 mil bruto por mês, coloquem uma coisa na cabeça: Militar no Brasil nunca vai ganhar bem. Estudem! essa é a única saída.

flavio em 11 de agosto de 2013

as criticas tem que existir, mas temos que luta juntos para que a ordem e leis sejam seguidas, *aproveitando a brecha: quanto um sargento com 18 meses de formação(se contar as horas aula é superior a um técnologo que também é ensino superior) e um oficial de CPOR ganha o dobro, qual as justificativas?? Mas deixamos estes detalhes de lado....e pergunto, pelo que eu conheço, uma medida provisória tem que ser votada em 30 dias e depois tem um prazo que se estende a 60 dias, e se a mesma não for aprovada, voltam as diretrizes antes estabelecidas(pergunto: cada o 1% ao ano???, cade os nossos direitos que foram tirados???? isto anti-constitucional.....

luiz fernando em 11 de agosto de 2013

Quando se afastaram do poder, em 1985, os militares perderam por completo a capacidade de negociar suas carreiras na administração pública brasileira. A Constituição de 88, as administrações desastrosas de Sarney e Collor, serviram entre outras coisas para alijá-los das condições de isonomia salarial, em que havia uma certa equiparação com outras áreas do funcionalismo. E nesses 28 anos, o descontrole só aumentou. O funcionalismo civil,especialmente nos chamados cargos de estado(diplomacia e justiça entre elas), ganhou imensas vantagens salariais,até chegar ao ponto de, hoje, criarem distorções em toda a estrutura pública, com cargos em que se inicia com 13 a 17 mil reais mensais, com as atitudes criminosamente condescendentes dos diferentes parlamentos - onde o abuso salarial justifica até uma revolta! - enquanto os milicos nada podem nem conseguem reivindicar, tal o estado de insignificância a que aceitaram ser reduzidos. Veja-se, apenas como exemplo, que suas manifestações públicas só podem ser realizadas pelas suas famílias, com associações de esposas em substituição a líderes da classe. Com os desmandos dos atuais governos civis em todo o Brasil, a situação promete não ficar assim para os militares. Vai piorar!

Cláudia em 11 de agosto de 2013

Caro Luciano de Aquino, vc mesmo comparou o salario dos oficiais com os de outros órgãos federais, e ainda quer que um Sgt estude pra atingir o oficialato!! Estudar para atingir o oficialato = estudar para continuar ganhando mal! Saiam das FFAA na primeira oportunidade, estudem, mas estudem para ganhar bem e serem valorizados, o que nao eh o caso das FFAA!

julio garcia em 11 de agosto de 2013

É realmente uma pena que a maioria dos brasileiros, de iletrados e miseráveis, não saibam quem verdadeiramente ama o Brasil, quem livrou essa nação da escravidão, do julgo estrangeiro, estabeleceu a República, implantou a industrialização e promoveu o emergimento do Brasil entre as nações de destaque no plano mundial das nações desenvolvidas. Nenhum cidadão brasileiro, razoavelmente letrado, pode ignorar o quão os militares são importantes para a nação brasileira! Os militares são a classe que mais se doou ao país, basta saber História do Brasil, bem como conhecer o trabalho de suas Forças Armadas. O que sobra são calúnias, difamações e injúrias, contra quem não pode se defender, pois, como uma criança abandonada à própria sorte, não temos ninguém para nos defender!!!!

Francisco Barros em 11 de agosto de 2013

Deixei o EB depois de 20 anos de serviço. Saí como 1º Sgt, pois estava cansado de tanto serviço, tantas ordens descortinadas de valor e vivendo minha aptidão profissional no anonimato. Podia dizer que era "advogado do EB", pois fiz inúmeros IPMs, pois os encarregados que eram oficiais só assinavam, fiz diversas respostas em mandados de segurança, muitos pareceres em licitação e até audiências nas varas federais e do trabalho eu participei. Meu maior êxito foi derrubar por unanimidade no STM um habeas corpus impetrado para trancar um IPM. Pena que nenhum desses arrazoados foram assinados por mim. Saí em 2011, hoje tenho um cargo público respeitado, ganho mais de 10 mil e me considero um vencedor pois tive coragem de depois de tanto tempo encarar uma faculdade de direito e abrir as portas para novas empreitadas. Não tenho mágoas do EB, aprendi muito na caserna, principalmente minha idoneidade moral, mas não dava pra viver de canto em canto ganhando 3.700 e pagando aluguel de 1000. Meu carro era um gol 2006. Hoje graças a Deus vivo tranquilo sou chefe e assino o que escrevo. Deixei muitos amigos no EB, dentre eles muitos oficiais que passaram a me admirar depois que eu com muito sacrifício botei as mão no canudo de bacharel em direito e depois no de aprovação na OAB. Cada história tem seus personagens. AS críticas são sempre construtivas e bem aceitas, pois foi pela revolução de idéias que muitos países e povos saíram da escuridão. É o que tinha pra dizer. Por fim lutem por aquilo que acreditam. Abraço

Renato em 10 de agosto de 2013

Salário é relativo, existem mais de mil e duzentos inscritos para o cargo de advogado para o QT da Marinha , o número de inscritos cresce a cada ano. A situação do país é complicada, assim como o salário das FFAA.

Luciano de Aquino Valente em 10 de agosto de 2013

Não entendo o porque de vários sargentos criticarem o salário dos oficiais. Em toda parte é assim, oficial faz faculdade, sargento nível médio, então obviamente o oficial ganha mais. Compare o salário de um capitão que é 7 mil bruto, após cursar 5 anos de academia mais no minimo 6 anos de serviço após a formatura com o de um agente da Polícia Federal, que já entra ganhando 10 mil ou um delegado ou perito que já entram ganhando 14 mil. Só tem um jeito meus bons sargentos, estudar, estudar e estudar. Atingir o oficialato ou prestar concursos para certos órgãos oficiais, como a Polícia Federal ou outros que propiciam melhores salários.

morrâ em 10 de agosto de 2013

O cara que entra pro eb e tem capacidade intelectual, uma boa formação,nivel superior,dificimente fica na força, ficar tirando sv, recebendo ordens,as vezes absurdas e sem necessidade por coisas inúteis,fúteis,que não produz nada,pois lá só se vive de solenidade e formaturas,datas comemorativas disso e daquilo enquanto o mundo, fora dos quartéis do EB, está evoluindo,progredindo,produzindo,etc. Fala sério!

Oficial em 10 de agosto de 2013

Essa daqui é apra o "Zeruela", a do oficial reclamar do salário é porq nossa formação é muito diferente da de vocês, são 5 anos da nossa vida onde nossos amigos estão se divertindo, namorando, vivendo e nós na AMAN, se ferrando. Depois nossos amigos se formam e dependendo da formação em 5 anos eles estão ganhando 10mil, alguns prestam concursos e ganham muito mais do que nós, que ralamos, perdemos anos de nossas vidas estudando para passar na Espcex. Está mais que nós reclamemos, exército agora é só pra quem vibra e realmente o ama.

Zeruela em 10 de agosto de 2013

Engraçado ver oficiais reclamando de salários... só pode ser piada... desafio eles a passarem 3 meses com salario de sargento... eles reclamam demais... a força foi feita para oficiais que não fazem NADA, vivem de assinar papéis e punir praças... e quando o praça desenrola a missão ainda colhem os louros... imagine como está a situação dos praças?? não são valorizados, são constantementes perseguidos, sofrendo assédio moral... ganhando a metade do que um oficial em inicio de carreira ganha e sendo promovido de 8 em 8 anos... ai ai

Mauricio em 10 de agosto de 2013

Ta mas eai? vocês entram na profissão militar por gostar ou pelo salário? estão reclamando de ganhar tudo isso, um sub-tenente que tem 30 anos de serviço militar não ganha o que um tenente ganha, deveriam se envergonhar em ta tendo tal atitude.

edeneu manoel de deus filho em 10 de agosto de 2013

Sou sgt da reserva renumerada, me reformei no ano de 2012, mais precisamenete no dia 29, minha maior dificuldade tem cido, arrumar outra fonte de renda, mais precisamente emprego, como grande parte do meu tempo militar, foi em são gabriel da cachoeira-Am, 2 pef querari, sinto que de nada adiantou os cursos feitos porlá, pois na vida civil eles, lhe pedem tempo de carteira assinada, coisa que nós militares não temos, trabalhei por onze anos, operando trator, grupo gerador, estação de tratamento de agua, roçadeira, micro usina hidroeletrica, mais somente consigo emprego de vigia ou porteiro, mesmo assim, me pedem esperiencia comprovada em carteira, gostaria solicitar aos cabeças pensantes da nossa força, tentar fazer algo pelos militares da reserva que querem realmente trabalhar.

flavio em 10 de agosto de 2013

se para os oficiais esta ruim, entaum oq dizer para os Sargentos formados na ESA, e que praticamente ganham a metade do que um oficial no inicio da carreira, e suas promoções são longicuas, demorando até 9 anos para subir de cargo, e ganhar um aumento muito pequeno...

Guaco em 10 de agosto de 2013

As vezes o problema não é só o salário, costumo dizer que é o "pensamento militar". O próprio exército não valoriza o seu profissional, imagine a sociedade. Só esta semana, no IME, 5 alunos do segundo ano (inclusive o segundo em classificação) pediram trancamento/desligamento. Os motivos apontados são diversos e, salário, é apenas um deles.

Fernando em 10 de agosto de 2013

Com uma folha de pagamentos de inativos 50% superior a de ativos (isso mesmo - O EB, MB e FAB gastam mais com aposentadoria e pensão do que com remuneração dos atuais oficiais e praças... chute de quando vem esta herança?), é difícil bem remunerar os militares de hoje. E olha que o gasto do pessoal ativo mensal em 2012 foi de quase 1 bi de reais... Cf.: http://migre.me/fHMLq

alexandre em 09 de agosto de 2013

Estes números dizem respeito aos Oficiais. Será que há um estudo ou levantamento sobre a quantidade de sargentos que, também deixam a Força? Será que não seria o caso termos mais este levantamento ? Sei que não há uma contagem possível através de boletins, mas é necessário. Acredito que o motivo ou motivos sejam baixíssimos salários e nenhum prestígio.

WILSON RAMIRES em 09 de agosto de 2013

o salário dos generais e coronéis é menor do que um inicial de auditor fiscal da receita e do trabalho, ou do auditor do TCU, etc. Uma vergonha. Só hoje como auditor fiscal me cai a ficha de quanto tempo eu perdi no exército, acreditando no sistema ou não, mas ganhando mal demais. Não fiquei rico, nem ficarei, mas hoje me sinto melhor remunerado, apesar de a DILMA não ter dado as perdas inflacionárias para a categoria.

Lucas Silvestre em 09 de agosto de 2013

O salário de um comandante militar de área, General de Exército, deveria ser um atrativo maior ou equivalente ao de Delegado Federal com anos de desempenho da função. A função é de extrema responsabilidade e deve ser valorizada. O parlamentar que legisla ainda é não é tão importante quanto os generais que garantem que o Estado legisle. FFAA são instituições para prover soluções bélicas para a soberania, alicerce estatal.

cristina carvalho em 09 de agosto de 2013

Como venho lembrando incansavelmente para os amigos do blog, as regras para publicação de comentários — que têm chamada permanente na home page para que possam ser consultadas — vedam a publicação de textos escritos somente em maiúsculas. Conto com sua cooperação da próxima vez. Obrigado desde já

Mara em 09 de agosto de 2013

Vou direto ao assunto.... Fora a Aeronautica e a marinha!!!!! e meu filho optou por essa carreira... porque AMA A CARREIRA MILITAR ele tem orgulho Isso é um absurdo.. ACORDA DILMA. Dia 07 de setembro está chegando... vamos para as Ruas... lutar por salários mais dignos..

alexander em 08 de agosto de 2013

O estrago é ainda maior entre os sargentos, há uma verdadeira enxurrada de baixas por aprovação em concursos e por simples vontade de sair das Forças Armadas.

Paulo em 08 de agosto de 2013

E os pedidos de demissão das FFAA continuam aumentando. Salários baixos, horas trabalhadas por dia acima do normal, equipamentos sucateados e de baixa qualidade, sistema de saúde que deixa a desejar e muito, logo, não tem como ser militar hoje em dia. E, ainda por cima, fazer o trabalho dos outros como polícia quando "bicho pega", defesa civil nas calamidades, atendimento médico na Amazônia, etc. E não ter o devido reconhecimento do patrão, digo, o governo de plantão, não tem como permanecer assim e a saída é procurar algo que te proporcione um salário digno e que lhe proporcione uma melhor qualidade de vida. As FFAA estão ficando a cada dia que passa mais fragilizadas e envergonhadas de serem fracas. É uma pena !

fpenin em 08 de agosto de 2013

Eu sou militar reformado e tenho comigo um princípio: a vida da caserna constitui-se de muita pompa, alguma circunstância e pouca substância ($$$)...

fpenin em 08 de agosto de 2013

Probo, Vida militar é sacerdócio? Conta outra, meu irmão. Nem a dos sacerdotes propriamente ditos o é . Profissional preparado exige contrapartida salarial, pois tem família, obrigações sociais, etc. Acorda, Alice.

Santana*100 em 08 de agosto de 2013

"Respondendo a sua pergunta, o que um democrata deve fazer neste caso é esperar as eleições e votar em candidato de outro partido, bem como votar em candidatos ao Parlamento que dêem suporte ao escolhido" - Obrigado pela resposta! Santana*100

Alvaro B M de Oliveira em 08 de agosto de 2013

O Serra e o Alckimin ,desmontaram estruturalmente e salarialmente a Policia de SP. ,para dar lugar as firmas de Guardas de Segurança Particular ,este é o desgoverno do psdb em SP. contra o Povo de SP. Desmontaram também a Saúde junto com os Servidores com baixo salarios para prejudicar o SUS, e falam que o culpado é a Preesidente....

nei Brasil probo em 08 de agosto de 2013

Exército, ame-o...ou deixe-o...!

nei Brasil probo em 08 de agosto de 2013

Ela deveria ir no supermercado! Uma coisa boa do governo Dilma é...que só falta um ano, 4 meses e 23 dias para acabar!

nei Brasil probo em 08 de agosto de 2013

Quem não tiver satisfeito que peça baixa! Divulgue o salário de um Tenente, e o número de inscritos vai aumentar! Cada um com seus problemas! Militarismo é sacerdócio!

Santana*100 em 07 de agosto de 2013

Ricardo Setti disse: "As Forças Armadas, segundo à Constituição, têm como comandante supremo o ou a presidente da República, seja de que partido for. A presidente Dilma Rousseff, gostemos ou não dela como política ou de seu partido, é a legítima presidente da República Federativa do Brasil, eleita por maioria absoluta pelos brasileiros, e, como tal, comandante suprema das Forças Armadas, tal como ocorre em países civilizados que adotam o regime presidencialista. Para mim, não há saída decente fora do Estado de Direito e da lei. Sem Constituição, sem lei, resta a barbárie." ####### E quando caro Setti o Comandante está levando o "barco a pique" o que fazer? Respondendo a sua pergunta, o que um democrata deve fazer neste caso é esperar as eleições e votar em candidato de outro partido, bem como votar em candidatos ao Parlamento que dêem suporte ao escolhido.

Roberto Silva 51 RJ em 07 de agosto de 2013

Ainda bem que por enquanto nós podemos divergir, apresentando nossas opiniões diferentes sobre o mesmo caso. Vamos aproveitar esse momento de liberdade de expressão, porque do jeito que a coisa vai, a Venezuela é logo ali.

Roberto Silva 51 RJ em 07 de agosto de 2013

Tudo bem Ricardo... Eu já entendi. Para que possamos alcançar o Reino dos Céus, temos a Constituição, temos o Código Civil, temos a Bíblia, temos o Código de Ética do Cabral, temos os Dez Mandamentos, e etc. O que não falta é literatura para ser seguida e obedecida. Mas você não acha que deixar o comando das Forças Armadas subordinadas ao PT e aos seus aliados, é o mesmo que colocar o Fernandinho Beira-Mar no comando da Secretaria de Segurança? Um abraço. As Forças Armadas, segundo à Constituição, têm como comandante supremo o ou a presidente da República, seja de que partido for. A presidente Dilma Rousseff, gostemos ou não dela como política ou de seu partido, é a legítima presidente da República Federativa do Brasil, eleita por maioria absoluta pelos brasileiros, e, como tal, comandante suprema das Forças Armadas, tal como ocorre em países civilizados que adotam o regime presidencialista. Para mim, não há saída decente fora do Estado de Direito e da lei. Sem Constituição, sem lei, resta a barbárie.

Roberto Silva 51 RJ em 07 de agosto de 2013

Prezado Ricardo, Você quer maior baderna do que àquela praticada pelos políticos, que desacatam as leis, roubam sem qualquer pudor e manipulam as regras para se perpetuarem no poder ? Você quer maior insubordinação do que àquela praticada pelos políticos contra os eleitores, que são seus superiores hierárquicos, pois lhes deram a oportunidade de representá-los ? Você acha justo ter sua voz calada por um bando de marginais que se apoderaram do governo, e que querem implantar aqui a "República Democrática Bolivariana do Brasil, à semelhança da Venezuela ? No meu ponto de vista, as Forças Armadas têm o dever de impedir que o país seja roubado descaradamente por quem quer que seja, têm o dever de garantir a democracia se colocando contra todos os que pretendam implantar um regime visivelmente opressor e ditatorial, têm a obrigação de dar um aviso prévio aqueles que se posicionam contrários às leis vigentes e contra a ordem pública. Nenhuma dessas três obrigações significa que as Forças Armadas devam assumir o papel de governo, mas sim, garantir a democracia, os direitos constitucionais (inclusive a nossa liberdade de expressão) e a governabilidade. A polícia existe e se faz presente nas ruas, não para agredir ou incitar violência, mas sim para que todos saibam que ela está ali para garantir os direitos dos cidadãos contra os que transgredirem as leis (ou pelo menos deveria) Por analogia, as Forças Armadas têm que estar presentes, não podem se omitir, e têm que garantir a liberdade do povo e a soberania do país. Pela Constituição, as Forças Armadas só podem intervir em acontecimentos internos no país se convocadas por um dos três Poderes da República. Se assim for, sim, OK. Caso contrário, nem pensar. Um abraço

Roberto Silva 51 RJ em 07 de agosto de 2013

As lideranças militares deixaram de existir há muito tempo. Estão todos aposentados, jogando dominó e carteado no Clube Militar, e vez por outra, soltando notas de repúdio à política petista. Ultimamente, nem isso têm feito, provavelmente porque a velha máquina Olivetti esteja no conserto. Muito pouco para as Forças Armadas, que deveriam zelar pela segurança do país, contra inimigos externos, e eventualmente contra os inimigos internos. Os políticos, estão roubando os cofres públicos mais do que nunca. Estão oprimindo a população que pensa, produz e paga as despesas do país, e dando somente esmolas para os ignorantes. Tentam manipular e alterar as leis, para exercerem controle sobre tudo e sobre todos. De que lado estão as Forças Armadas ? Eu não ouço um único manifesto de um militar da ativa. Estão satisfeitos com as migalhas que lhes são dadas pelos políticos ? Felizmente, Roberto, não há manifestos de militares da ativa, porque os militares, numa democracia, são submetidos ao poder civil e se mantêm dentro de seus tradicionais valores de hierarquia e disciplina. Manifesto de militares da ativa é sinal de baderna e insubordinação. A insatisfação com salários deve ser conduzida pelos canais previstos na Constituição, e não por manifestos.

MILTON SIMON PIRES em 07 de agosto de 2013

GENTE QUE ENTENDA DE MÉDICOS Milton Pires Há algum tempo, colegas que integram o quadro de carreira das Forças Armadas vem lutando por mudanças na legislação que os impede de atuar também fora dos quartéis. Com o gigantesco fracasso das inscrições no Programa Mais Médicos, o governo federal quer agora aprovar projeto de emenda constitucional que autorize isso - é, se não estou enganado, a PEC 122 de 2011. Ocorre o seguinte: podem integrar as forças armadas aqueles médicos temporários que cumprem legislação tradicional aplicada aos MFDV (médicos, farmacêuticos, dentistas e veterinários) ou aqueles que vão "seguir carreira" nas forças armadas. Atualmente, mesmo nos postos de hierarquia mais alta, o salário desses profissionais é tão ruim que vários deles vem se afastando da vida militar em definitivo. O movimento, já antigo, que reivindica a possibilidade de trabalhar fora dos quartéis nada tem a ver com a necessidade da população de médicos em lugares remotos. É para ter um salário melhor que esses colegas querem essa lei. O que o governo quer fazer, mais uma vez, é uma jogada politica e de extrema má fé...Confundir a população apresentando esse tipo de projeto como uma saída para vergonha que passaram com as inscrições no Programa Mais Médicos. Mais uma vez Dilma, o Ministro da Saúde, e a base aliada no Congresso vem com uma medida demagógica destinada a enganar a população. Não vão conseguir, de maneira alguma, obrigar esses médicos a trabalharem onde se faz necessário e muito menos fixá-los lá. Ao contrário das ideias anteriores, porém, é necessário reconhecer que pelo menos "algum bom senso" parece existir nessa. Não há sentido em proibir, por exemplo, um médico militar que já está num posto de fronteira de atender no hospital da cidade mas divulgar para os pacientes a ideia de que isso vai melhorar a qualidade de seu atendimento é uma mentira fenomenal. O Ministério da Saúde insiste em não reconhecer a necessidade de uma carreira de Estado para os médicos, nega mais recursos para a Saúde e continua tentando convencer as pessoas que a simples "presença" do médico pode resolver as necessidades da população. Eu mesmo fui médico temporário da Força Aérea Brasileira durante dois anos. Afirmo a vocês que as condições de trabalho que me foram oferecidas pelos militares quando comparadas àquelas que me oferecem no SUS eram infinitamente superiores. Tudo era absolutamente diferente - a começar pelo respeito que tinham comigo dentro dos hospitais e ambulatórios e que no SUS simplesmente não existe. Vamos ver quanto tempo um médico militar consegue tolerar isso uma vez integrado a essa mentira vendida pelo governo. Nas forças armadas existe, ainda que pequena, uma rede efetiva de apoio aos pacientes graves, os transportes são muito mais rápidos e não se faz "medicina orientada por conveniências" como no sistema público. O número de médicos é adequado aos pacientes militares da ativa e da reserva e a carga de trabalho é infinitamente menor. Simplesmente não há como comparar com o verdadeiro inferno que é ser médico do sistema de saúde pública brasileiro e quem hoje, dentro das forças armadas, quer liberdade para outros empregos está pensando em buscá-lo na rede privada; não no SUS. Até quando, pergunto eu, essa farsa vai continuar? Quais vão ser as outras medidas mágicas do PT em relação ao problema. Liberar os médicos das forças armadas para trabalhar vai fazer com que estejam disponíveis mais leitos no SUS? Vai aumentar o número de cirurgias? Vai melhorar a rapidez de execução de exames? Já se disse uma vez que o governo quer médicos que entendam de gente..Afirmo que nós queremos gente que entenda de médicos.. Porto Alegre, 7 de agosto de 2013.

Bruno Sampaio em 07 de agosto de 2013

Estão sucateando propositalmente as forças armadas, para que quando o exército bolivariano sair às ruas,enm elas, nem a população devidamente desarmada possa opor resistência. Aí, só mesmo com uma invasão norte-americana.

toninho malvadeza em 07 de agosto de 2013

Lendo hoje de que o governo federal quer usar os médicos do exército para suprir a carência,advinhem se também esses não vão, como diz o capitão Nascimento,"pedir pra sair..." ?

Carlos em 07 de agosto de 2013

Setti, Baixo salário porque a inflação corroeu tudo... ENTENDA A FARSA DO CÁLCULO DA INFLAÇÃO, DIVULGUE NO SEU BLOG, POIS É UM ASSUNTO QUE TODOS DEVERIAM SABER E É POUCO COMENTADO. Você sabia que o IBGE alterou em 2012 a forma de cálculo do IPCA, índice usado oficialmente para medir a inflação no Brasil ? Pois é, até dezembro de 2011, o indicador tinha 384 itens que resumiam o consumo médio do brasileiro. Desde janeiro de 2012, porém, passou a ter 365 itens. No lugar dos que saíram, entraram novidades como o salmão e o celular com internet, produtos que a maioria da população não compram com frequência. "A atualização do IPCA é um procedimento de praxe", afirmou a coordenadora de índices de preços do IBGE, Eulina Nunes dos Santos, quando a mudança foi anunciada em 2012. Pois é, disseram que é um procedimento de praxe, tanto que desde 1979 (33 anos), a forma de calcular o índice só mudou cinco vezes, isto porque, aconteceram diversos planos econômicos, uma nova constituição etc. Pois bem, o governo do PT achou melhor mudar o cálculo da inflação, justamente quando a inflação voltou com força no Brasil, por que será? Quando foi anunciada no início de 2012, a nova estrutura do IPCA provocou imediatamente uma onda de revisões das estimativas para a inflação naquele ano. Por coincidência, todas para baixo ! Isso porque a nova fórmula de cálculo dá importância a itens que estão com preços em queda, como automóveis e eletrodomésticos, e reduz o peso de itens que estavam em aceleração, como os serviços domésticos e alimentação. Por exemplo, produtos que a maioria da população procuram economizar em momentos de recessão tiveram aumento de peso, como aparelhos eletrônicos (de 1,38% para 2,77%), veículos (de 7,37% para 12%) e etanol (de 0,42% para 0,84%), enquanto educação (de 7,27% para 4,21%), empregado doméstico( de 3,67% para 3,03%) e alimentos (de 23,32% para 22,09%) perderam importância, apesar de que, a inflação acelerou justamente nestes três itens nos últimos anos. O mais bizarro é que em 2001, o governo FHC já tinha efetuado mudanças nos cálculos, com a incorporação de comunicação e educação, enquanto vestuário por exemplo, perdia importância, caindo à metade em relação à 1991, resultado do barateamento de roupas e calçados, medida oposta à adotada pelo governo do PT, isto é, no governo FHC produtos que ficaram mais baratos perdiam peso no cálculo, enquanto no governo atual, produtos que ficaram mais caros e de grande consumo perdem importância no cálculo. PRA MELHORAR MAIS AINDA A MAQUIAGEM, O PT TAMBÉM ALTEROU A FATIA DAS REGIÕES NO CÁLCULO DO PESO DA INFLAÇÃO. Por exemplo, São Paulo tinha até dezembro de 2012, 33,1% de peso no total do IPCA, devido ao grande consumo. A partir de 2012, participa com 31%. Há 15 anos, tinha fatia de 36%, apesar da população do Nordeste ter crescido apenas 1,07%, indo de 47,7 milhão (2000) para 53,1milhão (2010); enquanto a do Sudeste aumentou 1,05%, de 72,3 milhão (2000) foi para 80,4 milhões em 2010 (uma mudança de apenas 1,5157(2000) para 1,5141(2010), isto é, 0,1% de aumento populacional em relação ao Sudeste). Enfim, quiseram que as populações do Norte e Nordeste, onde o consumo é menor, recebessem maior peso no cálculo da inflação. Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/poder/1046646-entenda-o-que-muda-no-calculo-da-inflacao.shtml http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/908750-regioes-norte-e-centro-oeste-tem-maior-aumento-populacional.shtml

geran em 07 de agosto de 2013

Pois é, o que ocorre é exatamente o que os "capitães do estrume petista" programaram quando iniciaram a escalada política. Acabar com as forças armadas, acabar com a moral das PMs e mandar os municípios contratarem apenas obesos como guardas municipais. Ja deitam e rolam agora, imagine-se quando atingirem 100 ./. de seus objetivos.

MARCONDES em 07 de agosto de 2013

Esta é a outra etapa que tempos atrás foi projetada e levada à rente pelos COMUNISTAS PETRALHAS. Esmaga-se e/ou enfraquece as forças armadas para implantação da DITADURA COMUNISTA.

Bruno em 07 de agosto de 2013

Os militares são treinados para serem disciplinados. Com a evolução na carreira treinam para serem lideres. E até (alguns casos) também pessoas com competências elevadas. . O setor privado tem todo o interesse em incorporar, seja por consultoria, seja por contratação direta, esta mão-de-obra qualificada. E facilmente lhes dar valor e meios de trabalho. Coisa que talvez nas Forças Armadas exista pouco. . Até Dilma foi buscar, e bem, o General Fraxe para o DNIT. Mais uma prova que eu não faço SÓ criticas à Presidenta :)

Sasha Bender em 06 de agosto de 2013

Na FAB também ocorre, e não é só para linhas comerciais não, os salários vultuosos (>15.000) para "analistas" de diversos ministérios fazem boa parte dos oficiais pularem fora das FFAA.

Santana*100 em 06 de agosto de 2013

Quem se abaixa demais.......!

Marco Balbi em 06 de agosto de 2013

O salário por certo contribui, mas não é tudo. Dificuldades e limitações para os exercícios, em especial os de adestramento, material de emprego militar defasado no tempo, descontinuidade nos programas de reaparelhamento, alteração na legislação da remuneração com implicações para a inatividade são alguns aspectos que causam desmotivação.

O ENGENHEIRO em 06 de agosto de 2013

O Brasil é muito maior do que quaisquer nacoezinhas exteriores. Um militar com doutorado vale muito mais do que um medico com doutorado. Quase tanto quanto um engenheiro com doutorado. Deve, portanto, ser remunerado acima de um medico com doutorado e talvez como um engenheiro com doutorado. Questao de igualdade e respeito a sua responsabilidade, envolvendo o futuro do nosso Brasil.

Luiz C. em 06 de agosto de 2013

Ou o glorioso Exército Brasileiro acorda ou dormirá para sempre; está sendo deliberadamente fragilizado... Para termos uma ideia, a Taxa Militar para a confecção do Certificado de Dispensa do Serviço Militar Inicial está em R$ 1,38 a mais de 12 anos!!!

Isaias em 06 de agosto de 2013

Novamente a falta de visão! Há 68 anos em tempos de paz, não precisamos do contingente atual e sim de mais tecnologia e equipamentos, aliados ao investimento em inteligência e prestígio. A solução de "enforcar" as sextas-feiras para conter gastos só pode ter vindo do ministro farejado e inútil da defesa, Celso Amorim.

Daniel B. Silva em 06 de agosto de 2013

Tenho impressão que os nossos militares estão simplesmente sendo humilhados. A FAB virou linha aérea comercial.- Talvez seja um plano deliberado do PT.- Talvez tenhamos, num futuro próximo, militares cubanos usando o uniforme dos nossos militares.

Marcelo Dornelas em 06 de agosto de 2013

PORQUE NÃO VOTAR EM AÉCIO NEVES Muitas pessoas acham que é implicância,perseguição,má vontade ou birra em relação ao mineiro por parte do eleitorado,principalmente paulista,mas não é.Sou mineiro e sei que existem mineiros e "mineiros",sou contra bairrismos desmedidos. Quando Aécio boicotou Alckmin e Serra por 3 eleições seguidas,ele estava "simplesmente" boicotando o Brasil decente. É mentira quando dizem que Serra não deixou Aécio ser candidato em 2010.Foi Aécio quem propôs prévias à época,que foram aceitas por José Serra.Como percebeu que iria perder,desistiu da disputa ou seja "correu do pau",se fez de vítima jogando Minas contra José Serra. Antes disso já havia preparado um dossiê para intimidar Serra a fim de rifa-lo da disputa.Este link do site implicante mostra com detalhes a armação dele para boicotar de forma vil José Serra: http://www.implicante.org/blog/dossie-do-dossie-as-pessoas-por-tras-do-livro-do-amaury/ Leram com atenção?! Agora vejam a última propaganda eleitoral em 2010 do "minerim" bom de bico: http://youtu.be/KlzATrmbXe0 Viram alguma menção ao nome:Serra?! Em 2012,Aécio foi capaz de ir com Sérgio Guerra a São Paulo a fim de conversar com Alckmin no palácio dos bandeirantes para este convencer Serra (que não queria) a disputar as eleições para a prefeitura de Sampa.A finalidade era uma só:tirar Serra de qualquer pretensão presidencial.Serra foi para o sacrifício,o eleitor paulistano percebeu que Serra no fundo não queria ser prefeito. Agora Aécio fala de união,comprometimento e lealdade que nunca teve com seus pares tucanos ou eleitores brasileiros mas que sempre dispensou a seus amigos corruptos como Cabral,Pimentel e Eduardo Campos. AQUI NÃO AÉCIO NEVES!!!

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI