Image
O Le Toutou Bar, especializado em cães, em Bruxelas: que crise, que nada

Que crise europeia, que nada.

Que crise da dívida da Bélgica, que nada.

Pelo menos para os cães de pessoas endinheiradas, que desde já há alguns meses podem frequentar o primeiro bar de Bruxelas – ou de qualquer parte – especial para cães, o Le Toutou Bar.

Situado num belo pavilhão, o mais que centenário Pavillion Louis XV, no Parque Wolvendael da capital belga, em meio a um gramado verdejante e cercado de áravores, distante do barulho do tráfego, o Toutou oferece “pratos com baixo teor de sal, preparados por dietistas, e uma cerveza especial para cães”.

Image
Cartaz da cerveja para cães Red Dog

A especialidade da casa é a cerveja Red Dog, “uma bebida sem álcool com um gosto sutil de osso, especialmente concebida para esses animais”, que custa 3 euros (algo como 7,5 reais) a garrafinha.

A base da cerveja canina é idêntica à da cerveja sem álcool para humanos, com a diferença que essa tem, entre seus componentes, um pouquinho de osso moído com o respectivo tutano.

O menu inclui “massas, arroz selvagem, verduras ou hambúrgueres de carne bovina ou de frango, pratos com baixo teor de sal e ricos em fibra”.

Um dos pratos é digno de príncipes: inclui carnes de cervo e faisão, verduras, arroz selvagem e abobrinha. No cardápio, vem a explicação: “Estes ingredientes magros são particularmente adequados para cães com predisposição à obesidade”.

Image
Um dos clientes do Le Toutou, à vontade dentro do bar

Há também sobremesas várias, a começar por crepes – sem açúcar, esclarece o cardápio .

Aos domingos, serve-se um brunch.

Agora vejam o detalhe: “O dono e seu animal”, informam os proprietários, nos folhetos sobre o Le Toutou, “poderão inclusive compartilhar o prato, se assim desejaram, já que todos são aptos para consumo humano”.

Ah, mais um detalhe: é obrigatório fazer reserva antes, por telefone.

Image
Garçonete do Le Toutou com os petiscos para a cachorrada: com baixo teor de sal e ricos em fibras

O Le Toutou foi inaugurado em maio passado e, desde então, vem sendo um grande sucesso. Com a aproximação do inverno, porém — a temperatura em Bruxelas neste momento é de 5 graus –, e a consequente diminuição de proprietários que levam seus cães a passear no Parque Wolvendael, é possível que o bar entre em recesso.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 − 10 =

13 Comentários

Maria MG em 29 de setembro de 2013

Setti, tenho 3 poodlezinhas: Amy Aparecida (1 ano e 11 meses, cinza), Cora Francisca (1 ano e 6 meses, loira), Lea do Carmo (8 meses, branquinha). São tudo para mim e para meu marido: minhas netinhas, minha distração, minha salvação! Sou vovó e ele vovô. Somos aposentados sem netos. Elas vivem conosco dentro de casa, quer dizer, meio casa, meio canil... Realmente concordo com a Camila que, se a gente trata os animaizinhos como humanos, é um desrespeito para com eles. Mas agora é tarde! Elas se acostumaram assim e nós ainda mais. Setti, parabéns por você gostar tanto de animais também! Vejo tanta ternura em suas palavras e tanta satisfação na escolha de suas fotos! Que bom que nós amamos tanto os animais, né? Somos tão mais felizes que os que ainda não conhecem essa maravilha! Obrigada!

Camila em 06 de janeiro de 2012

Tenho 3 cachorros que sao lindos e eu adoro porém acho isso exagero, se o mundo que vivemos existem lugares que tratam cachorros melhor que ser humano alguma coisa tem de errado nesse mundo, e que crise hein?? crise que nada, as vezes acho que essa crise é um belo engodo quando vejo coisas como essa. Morei na Europa e sei que tem gente ganhando por mil pessoas por isso nao tem emprego pra todo mundo e aí uma pessoa sozinha trabalha por mil tb pra fazer mil coisas e nao descansa nem Domingo e ja ta cheia de problemas de saúde devido a excesso de trabalho vide algumas pessoas que conheço que para ganhar milhoes nao vive enquanto isso outros sugam do dinheiro,esposa,esposo,namorado, namorada, filhos etc, até que ponto isso vale a pena?? Desfoquei muito mas a verdade é que isso pra mim de tratar cachorro como gente nao passa de exagero, pq esse pessoal nao se reune e vai fazer algo interessante pro mundo como ajudar pessoas que necessitam? Se já o fazem devem ainda fazer mais pq tem dinheiro e podem, se podem deviam ajudar. P.S. antes que me ataquem eu quero dizer que já morei na Europa e nao via cachorro poder entrar em tudo que é lugar nao, aqui é bem mais oba-oba com a questao - outra coisa - sei que a crise piorou, mas tem 1 ano q voltei e nao vi a tal crise por lá, lá o povo tem uma vida muito boa e se nao tem emprego é pq tem gente ganhando muito pra fazer mil coisas aí nao sobra pra ngm. Desfoco e resumo, desmancho "P.S.'s" rss - cachorro é cachorro, gente é gente e pra mim gostem ou nao tratar cachorro como gente é desrespeitar o próprio cachorro e os direitos dos animais de poderem ser simplesmente animais Acordem!!!! Eles odeiam esses besteiróiss!! Um dia vesti meu cachorro com uma roupa e ele na hora tirou, lógico ele é cachorro e roupa é pra gente, hoje me consertei e sei q cachorro quer é uma vida boa mas de cachorro e nao de gente.

Fã do Diogo Mainardi em 20 de dezembro de 2011

Aquela enfermeira, DONA ( portanto faz o que quer com ele ) de um yorkshire também

Fã do Diogo Mainardi em 20 de dezembro de 2011

Os Chineses, grandes inventores, inventaram uma boa utilidade para os cachorros

Fernanda O Martins em 15 de dezembro de 2011

Minha Princesa adoraria, ja comeu bisoitinhos especiai da confeitaria Le Bouchon, NY, p/ cachorros e se a-cabou... Tres chic, Le Toutou

Jose Francisco Santoro em 10 de dezembro de 2011

Le Toutou...très chic. Au au

Teresinha em 09 de dezembro de 2011

Nossa que criatividade! bichinhos são adoráveis , despertam um amor diferente e compensador. Quem pode que use e abuse.

ESPAÇO CULTURAL E ASSISTENCIAL JUAN GAJARDO em 08 de dezembro de 2011

EU VOU MONTAR O MEU COM MUEU SOCIO ZIP ,,

Mari Labbate *44 Milhões* em 08 de dezembro de 2011

Declaração di AMORE: ADORO O MEU POODLE ERIC! Divertidíssimo, meiguíssimo e deliciosamente arteiro... Ofereço-lhe todos os regalos... É um "Mimadão"!

selminha em 07 de dezembro de 2011

Setti, que delícia ler uma matéria leve como esta. Esquecemos por alguns momentos da crise econômica mundial, da crise ética nacional e da miséria moral que nos cercam. Melhor que isto, só uma boa música. Mande mais. Valeu!

Chris Campos em 07 de dezembro de 2011

ENQUANTO ISSO AQUI NESSE PAÍS NÃO POSSO ENTRAR EM QUASE LUGAR NENHUM COM MINHA MALTESA Ô PAÍS ATRASADO ATE NISSO CHRIS CAMPOS .

Marta Otto em 07 de dezembro de 2011

Prezado Setti, Esse empreendimento prova que a criatividade para se ganhar dinheiro não tem limites. Interessante que a cerveja especialmente desenvolvida para os cães mais chegados à variedade de bebidas, custa menos que uma lata de coca-cola (4 euros, preço na Itália e Portugal). A ousadia do Le Toutou não tem limites, pois, oferece alimentação, cujo teor de composição, é comum ao consumo canino e humano, o que sabemos ser totalmente incompatível. Um dos dois ou ambos talvez estejam expostos a futuras complicações para a saúde do seu organismo.

Esron Vieira em 07 de dezembro de 2011

Os donos do bar tem mesmo que aproveitar este filão (oportunidade) de mercado, quem estiver disposto a gastar é porque não está em crise. A crise não está castigando o capitalista que capitalisou e sim o consumista que só gastou acreditando na ilusão do conto de fadas do consumo. No rol dos consumistas estão o Estado e os pobres que não capitalisaram. E vão pagar caro, pois a agiotagem é implacável.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI