Amigos, podem acreditar: o melhor time de futebol da atualidade, o Barcelona, da Espanha, que disputa com o Manchester United inglês o título da Liga de Campeões da Europa — o principal torneio interclubes do mundo –, o badaladíssimo, famosíssimo e riquíssimo Barça, é um clube que ostenta um patrimônio negativo. Para ser exato, um patrimônio negativo de 59 milhões de euros, algo como 135 milhões de reais.

Isso mesmo, amigos. O Barça, que além da fortuna que embolsa pelas transmissões de TV, os direitos de imagens, os gordos patrocínios e a enorme renda obtida com produtos licenciados em suas próprias lojas e em uma ampla rede na Espanha e no exterior, que dispõe de um estádio espetacular, o Camp Nou, somando tudo com suas dívidas, fica devendo. Isso tudo do ponto de vista estritamente técnico. Já explico.

O arquirrival do Barça, o Real Madrid, apesar de dever mais do que o Barça, apesar dos delirantes gastos efetuados por seu presidente, Florentino Pérez, no afã de tentar barrar a hegemonia do time catalão, ostenta patrimônio líquido de 220 milhões de euros (cerca de meio bilhão de reais).

O surpreendente resultado foi obtido pelo professor de Economia Financeira e Contabilidade da Universidade de Barcelona José Maria Gay, com base no que existe de concreto sobre o patrimônio dos dois clubes: as contas anuais até o final de 2010. O estudo indica que, tudo somado, inclusive os investimentos na compra de jogadores, o Barça tem um ativo de 490 milhões de euros e uma dívida de 549 milhões de euros — daí o patrimônio negativo de 59 milhões.

A “pegadinha” no estudo do professor é que, para efeito contábil, como o Barça não investiu dinheiro na compra dos direitos federativos de craques formados em suas divisões de base, como o melhor do mundo Messi, os ótimos Xavi e Iniesta, o capitão Puyol ou revelações mais recentes como Pedro e Busquets, eles não entram no balanço contábil do clube.

Já o Real Madrid, que deve uma fábula aos bancos — 660 milhões de euros, ou 1,5 bilhão de reais, em curto, médio e longo prazo –, dispõe, por outro lado, de ativos de 880 milhões de euros (cerca de 2 bilhões de reais). Um patrimônio líquido, portanto, dos já citados 220 milhões de euros (meio bilhão de reais). Isso porque o clube, como a cobra mordendo o próprio rabo, se endividou para gastar 330 milhões de euros na compra de craques como Cristiano Ronaldo, Kaká e Xabi Alonso (outros, como Özil ou Khedira, vieram em 2011) que, porém, contabilmente ingressam nas contas como patrimônio daquele que, segundo a FIFA, foi o melhor time do século XX.

E, por falar em dívidas ou prejuízos, vejam vocês: também o timaço do Milan, da Itália, pertencente ao primeiro-ministro e bilionário Silvio Berlusconi, está no vermelho. Não se divulgaram dados patrimoniais sobre o clube, mas o balanço financeiro de 2010 não foi bom: o clube faturou 253,2 milhões de euros (582 milhões de reais), contra os 307,3 milhões (710 milhões de reais) do ano anterior, apresentando um déficit de 69,8 milhões de euros (160 milhões de reais), contra perdas menores no ano anterior: 9,8 milhões (22,5 milhões de reais).

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 − 11 =

TWITTER DO SETTI