Image
Uma terça-feira regada a ele, George Harrison

Por Daniel Setti

Há exatos dez anos morria George Harrison, aos 58 anos, em decorrência de um tumor no cérebro. Não vamos aqui chover no molhado e discorrer novamente sobre a genialidade do Quiet Beatle, ou o quão importante ele é para a história da música popular.

Vamos, sim, direto ao assunto: um Música no Blog especial homenageando-o com dez dos melhores momentos de sua carreira. Em registros de dez anos diferentes, para relembrarmos cada um dos que já passamos sem o caçula dos quatro rapazes de Liverpool. Em ordem cronológica, o que possibilita também uma divertida retrospectiva dos visuais de George.

Do comecinho nos Beatles, quando tentava timidamente conquistar seu espaço como compositor entre os gigantes John Lennon e Paul McCartney, ao repertório de Brainwashed, excelente álbum póstumo concluído por seu filho Dhani, e que fecha com chave de ouro uma carreira solo de altíssimo nível.

Para que os leitores passem esta terça-feira em excelente companhia.

-1964, ao vivo em Washington: “Roll Over Beethoven” (cover de Chuck Berry gravada no segundo álbum dos Beatles, With the Beatles, de 1963)

-1971, no megaconcerto beneficente que organizou para Bangladesh, em Nova York, acompanhado de Ringo Starr, Eric Clapton e outros: “Beware of Darkness” (de seu primeiro e extraordinário trabalho solo, All Things Must Pass, de 1970)

-1975, no programa Rutland Weeklend, comandado por Eric Idle (do grupo humorístico Monty Phyton) na BBC: paródia de sua inesquecível “My Sweet Lord”, que aparece misturada a “The Pirate Song”, composta pelos dois.

-1976, no programa Saturday Night Live, do canal NBC, com Paul Simon: “Here Comes the Sun” (do canto do cisne beatlemaníaco, Abbey Road, de 1969)

>

-1987, videoclipe: “Got My Mind Set on You” (de seu último álbum de estúdio oficial, Cloud Nine, do mesmo ano)

-1988, videoclipe: “Handle with Care” (do primeiro e homônimo disco dos Travelling Wilburys, supergrupo que reuniu Harrison, Roy Orbison, Bod Dylan, Tom Petty e Jeff Lynne; canção composta a dez mãos)

-1991, ao vivo no Japão: “Give me Love (Give me Peace on Earth)” (do disco Living in the Material World, de 1973)

-1992, ao vivo em Londres: (“Something”, outra de Abbey Road)

-1997, em programa do canal VH1, com Ravi Shankar: “Any Road” (presente no póstumo Brainwashed, de 2002)

-2002, no especial Concert for George, gravado em Londres como tributo ao então recém-falecido George. Com Ringo, Dhani e grande elenco, Eric Clapton e Paul McCartney dividem os vocais na emocionante “While My Guitar Gently Weeps” (de White Album, o petardo duplo lançado pelos Beatles em 1968)

LEIA TAMBÉM:

O tributo de Ringo Starr a George Harrison

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 + dezesseis =

5 Comentários

JT em 30 de novembro de 2011

Bela seleção de vídeos. Particularmente, como grande entusiasta dos Beatles, já havia assistido a alguns. George foi tão genial quanto John e Paul, senão pela quantidade de composições, pela qualidade sublime de seus grandes sucessos.

Kitty em 29 de novembro de 2011

Boa noite caro Daniel, Wow meu caro! Isto sim que é um presentão para quem gosta dos Beatles, especialmente o mais tímido de todos, não por isso o menos criativo, claro me refiro a George Harrison.Dentre as suas várias criações, eu pessoalmente gosto MY SWEET LORD que foi lançada originalmente pelo tecladista Billy Preston no seu disco Encouraging Words. É um dos maiores sucessos de George Harrison!!Sempre, caro Daniel, é bom lembrar de pessoas que de uma maneira ou de outra ocupam um espaço agradável na nossa memoria, e os meninos de Liverpool o fizeram, e, ainda o fazem! Muito grata pela linda surpresa,e hoje com direito a um cafezinho,que virtualmente comparto com você, se me permitir! Um abraço-Kitty Kitty, muitíssimo obrigado pela mensagem. E um brinde, de cafezinho. Um abraço, Daniel

Mario Arone em 29 de novembro de 2011

Caro Ricardo, Putz que bacana este post. Realmente o mundo hoje, tomado por tantos canalhas, se ressente mais ainda da falta deste moço, que foi o beatle mais tímido com certeza, mas com muito talento, poxa como faz falta. Faz sim, Mario. Muitíssima falta. Abraço

Banania S.A. em 29 de novembro de 2011

Excelente matéria, lembrança e homenagem. Talvez agora, se tenha uma real dimensão de usa obra e virtudes. Ele também foi um entusiasta e divulgador do livro "Autobiografia de um Yogue", um clássico, presenteado a ele por R. Shankar.

Elizabeth Correa em 29 de novembro de 2011

Nossa Daniel!!!! adorei a seleção; George sempre foi meu beatle favorito. Saudades.... Ótimo, Elizabeth. Que bom que você gostou. Um abraço, Daniel

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI