Image
A maravilhosa capa criada por Peter Blake e Jann Harworth para o disco original: alguns sites contabilizam até 79 homenagens ou paródias

Por Daniel Setti

Foi ontem, sexta-feira, 1º de junho, o 45º aniversário do lançamento de Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band.

Para muitos, trata-se da obra mais importante e inovadora dos Beatles – eu adoro, mas considero Revolver o grande divisor de águas -; outros tantos o têm como melhor álbum da história.

Destrinchar Sgt. Pepper’s… musicalmente renderia horas de chuva no molhado. Para isso, melhor mesmo é se debruçar sobre livros como Um ano na Vida dos Beatles e Amigos (2007), do inglês Clinton Heylin, que investiga o que outras bandas de rock com aspirações vanguardistas (de Velvet Underground a Pink Floyd) estavam aprontando enquanto os rapazes de Liverpool preparavam seu produto mais famoso.

Mas o Música no Blog prefere um viés diferente, mais “plástico”, digamos: uma seleção de quatro capas dos muitos álbuns posteriores que homenageiam ou parodiam o projeto gráfico do disco, criado por Peter Blake e Jann Harworth. A foto original traz os Beatles, ou “A Banda do Sargento Pimenta”, na companhia das versões em papelão, tamanho natural, de personalidades que admiravam (de Marlon Brando a Bob Dylan, passando por Oscar Wilde e William S. Burroughs).

Jun Fukamachi – Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band (1977)

Parece que o japonês Fukamachi, que neste disco transpôs o repertório  de Sgt. Peppers para arranjos instrumentais, levou a sério demais a mania de procurar mensagens subliminares em audições do disco de trás para frente.

The Mothers of Invention – We’re Only in It For The Money (1968)

Crítica da banda de Frank Zappa (1940-1993) ao comercialismo hippie que ele enxergava nos Beatles. Jimi Hendrix (1942-1970)  de carne e osso – e não de papelão – aparece na ponta direita.

Zé Ramalho – Nação Nordestina (2000)

Um primor, não só pelas personalidades retratadas como pelos lindos objetos decorativos, como a foto desbotada do casal, que não deve faltar em casa nordestina que se preze.

The Simpsons – The Yellow Album (1998)

Reparem na família Simpson desenhada à esquerda com os traços toscos das primeiras temporadas. Uma divertida citação vintage, como a reprodução dos jovens Beatles na capa original.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

10 Comentários

funkystreet em 10 de junho de 2012

De novo surpreendendo a gente que é prisioneiro dos anos 70,com notícias como esta dos 45 anos do Sgt.Peppers.Nem acredito que já tem quase meio século da minha primeira audição no "Cavern Club",programa da Rádio Mundial AM do Rio de Janeiro,capitaneado pelo incrível"Big Boy".Estou balançando até hoje.Valeu.

SergioD em 07 de junho de 2012

Daniel, para colocar um pouco mais de pimenta na discussão, o que você acha do álbum Rubber Soul? Lembrei dele em pleno show do Paul no Engenhão (show da segunda), quando ele tocou uma música que não ouvia há muito tempo, I'm looking through you. Cara, foi de arrepiar. Grande abraço. Caro Sergio, também sou grande fã de "Rubber Soul". Houve uma fase em qeu só escutava este disco. "I'm Looking Through You" está entre minhas favoritas, juntamente com "In My Life", "Wait", Norwegian Wood"... mas minha favorita neste álbum, e uma das que mais gosto do repertório dos Beatles, é "Nowhere Man". Valeu. Um abraço, Daniel

Marcos em 07 de junho de 2012

Ricardo, Sugestão(antiga), mas, ainda que a tenha visto e escutado, até hoje é de ótima valia. 163 minutos de magia, emoção e história...sem falar o resto!!! "Paul Mccartney in Red Square". Curta, Abraços, Marcos

Marcos em 07 de junho de 2012

Ricardo, Sugestão (antiga), que talvez você já a tenha vista e escutado mas, como leigo em essas novas tecnologias (prá poder recortar e colocar no "ar"), espero que vejas e ouças o que era no passado na famosa e "adorada" USRS!!! 163 minutos de pura admiração, emoção, sensibilidade e história. Curta (se já não o fez), "Paul Mccartney in Red Square". Um abraço, Marcos Grande dica! Vou atrás. Um abração

Kitty em 05 de junho de 2012

Caro Daniel, O seu texto é fora de serie, tão bom que é difícil fazer um comentário à altura, mas, eu me considero corajosa e topo o desafio, porque, sou uma fã dos “Fab Four” desde o tempo em que o quarteto, além de sensacional, marcou uma época inesquecível. A música, o jeito de vestir, o corte de cabelo e, sobretudo, aquela atitude contestadora aos valores da época, em fim, tudo que eles faziam causava impacto e modificaram a forma de pensar de muita gente. Daniel você colocou que para esta coluna o álbum “Revolver” foi o mais importante, sim? Eu concordo, mas, apenas 60%. Dentre as canções do álbum que mais gostei foram: Here There and Everywhere; Good Day Sunshine; Your Bird Can Sing; Yellow Submarine e só fica a dúvida se Eleanor Rigby é do mesmo álbum Revolver. Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band são 20% e White Álbum o restante 20%. Embora, fã dos Beatles, eu não sou uma fanática de carteirinha ao ponto de me ligar demasiado a álbuns, mas com àquelas músicas que têm a ver com o meu lado um tanto romântico e sentimental. Por isso que “Yesterday”; “Imagine”; “Michelle”; “Love me do”—o primeiro single dos Beatles—“Let it be”; “Strawberry fields forever”, e, não poderia deixar de lado “Live and let die” que marcou a estréia de Roger Moore como 007, mas esta é de Paul McCartney, a primeira após o fim dos Beatles. Claro, que estas canções são, apenas, algumas entre muitas outras já que a lista é extensa. Caro Daniel peço desculpas pela extensão do comment e, não ter concordado com a coluna “One hundred per cent”. Um abraço e boa noite Daniel/Kitty Querida Kitty, ótimo comentário! Sensacional esta divisão em porcentagens entre os álbuns dos Beatles, hahaha. Algo bem beatlemaníaco. Deixa eu ver... se eu fosse dividir assim entre meus discos favoritos deles, acho que seria: 30% Revolver, 20% Sgt. Peppers, 20% Abbey Road, 15% White Album e 15% Rubber Soul. Mas claro que isso pode mudar a cada dia... Muito obrigado por ler, elogiar tanto e compartir seus gostos musicais. Um abraço, Daniel

Kitty em 05 de junho de 2012

Salve caro Daniel!, Comparto com o leitor SergioD de que Sgt. Pepper's Lonely Heart Club Band foi sensacional, sem tirar o mérito do excelente álbum Revolver, que foi, na realidade, a linha divisória entre um antes e depois da trajetória musical dos inolvidáveis Beatles. Sem parecer romântica demais, ainda adoro escutar, The Beatles-Love Songs Compilation! Só para lembrar e quem sabe se você, embora muito jovem,goste de voltar a escutar alguns dos temas como, por exemplo, Yesterday--I'll follow the Sun--I need you--Girl-- You're going to lose that girl...and so on A capa é muito bonita, também! E como sempre, adoro "pay you a visit to this charming corner of Ricardo Setti's blog". Um abraço para você e outro a seu pai Ricardo! Kitty Muito obrigado, Kitty! E concordo, coletâneas dos Beatles são muito proveitosas. Todas as melodias estão na ponta da língua. Um abraço, Daniel

Luiz Pereira em 02 de junho de 2012

Setti, Sgt Peppers foi o álbum que separou os meninos de então nos homens de após. abs Tem razão. Foi um grande marco na história deles. Abraço

nei Brasil 2014, hexaaa... em 02 de junho de 2012

Para quem interessar...esta é a relação das 59 personalidades quem aparecem na capa original, quem é o primeiro? http://virgula.uol.com.br/ver/album/musica/2012/05/31/20298-quem-e-quem-na-capa-de-sgt-peppers-lonely-hearts-club-band, Boa matéria, gracias, Daniel! Hoje é dia da republica italiana. Valeu, Nei! Pelo link e pela lembrança da gloriosa Itália. Abração do Daniel

JT em 02 de junho de 2012

Concordo que Revolver tenha sido o álbum de ruptura dos Beatles com as canções mais românticas do início da carreira deles, mas a evolução da música pop e do rock em si não se explica somente com estes dois álbuns. Revolver foi lançado em paralelo com Pet Sounds do Beach Boys, que por sua fez era a resposta de Brian Wilson para o Rubber Soul dos Beatles. O Sargent Pepper foi idealizado por Paul MacCartney para suplantar o Pet Sounds. Consta que Paul MacCartney, ao ouvir "God Only Knows" dos Beach Boys, perguntou para o produtor George Martin se os Beatles conseguiriam fazer algo melhor - o que parecia impossível. George Martin respondeu que sim. Pessoalmente sou um grande entusiasta dos Beatles, tenho todos od discos de vinil deles (que ganhava de meus pais ainda garoto, nos anos 80) mas acho que os Beach Boys e especialmente seu compositor Brian Wilson são um pouco subestimados pelos críticos de música - talvez pelo histórico de canções ainda mais juvenis que a dos Beatles no começo de carreira. Brian Wilson também se perdeu quando ouviu Sargent Pepper, tacando fogo nos tapes originais do álbum que produzia na época e que ficou engavetado por décadas: Smile.

SergioD em 02 de junho de 2012

Daniel, Revolver é um grande trabalho, mas para mim o disco do Sargento Pimenta é simplesmente Genial. Grande abraço Sergio, é genial mesmo. O mais legal é esta discussão ser mais uma desculpa para debatermos Beatles eternamente. Hahaha. Abraço, Daniel

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI