Image
O novo Jeep Compass, um dos campeões de venda da Fiat-Chrysler, responsável por seus bons resultados (Foto: Fiat-Chrysler)

Fonte constantes de más notícias econômicas e financeiras desde que explodiu a crise de 2008, aos poucos vão pingando informações otimistas sobre a economia americana, inclusive sobre criação de empregos — diferentemente do que ocorre na Europa, 2 milhões dos espantosos 8 milhões de empregos perdidos com a crise foram recuperados, por exemplo, conforme já se divulgou.

Como os Estados Unidos são a principal economia do mundo, boa notícia, lá, é boa notícia para todos.

A poderosa indústria automobilística, durissimamente golpeada pela crise a ponto de ter que receber injeções bilionárias de dinheiro público e de o governo passar a virtualmente controlar a gigante General Motors, dá seguidos sinais de recuperação. É um excelente sinal, porque se trata de um dos pilares da economia dos Estados Unidos — entre as grandes dos setor, as indústrias de componentes e as redes de revendedores, dá emprego, hoje, a 2,7 milhões de trabalhadores americanos.

A Chrysler, agora controlada pela italiana Fiat, aumentou em formidáveis 27% suas vendas no mês passado, sobretudo graças a modelos novos como o Jeep Compass, o Dodge Journey, o Chrysler 200 e o Dodge Avenger.

Image
O Ford Explorer, sucesso da empresa: vendeu em outubro o triplo do que no mês anterior (Foto: Ford Motor Company)

A GM subiu bem menos, no todo — 1,7% –, mas o dado é bom.

Já a Ford, único dos colossos do setor a não recorrer à ajuda pública, já vendeu até o final de outubro mais de 6% do que em todo o ano passado. Sua linha de frente é o Explorer, que triplicou suas vendas em relação ao mês passado.

Ainda no mercado americano, a Volkswagen anunciou um espetacular aumento de 40% sobre outubro do ano passado, e seu faturamento em 10 meses deste ano também, como a Ford, superou o do ano passado inteiro.

Como se fosse necessário mais um exemplo dos efeitos da globalização, os carros japoneses desabaram em vendas por causa de falta de componentes feitos na Tailância, país que sofreu inundações graves e teve interrompida grande parte de sua atividade econômica.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

oito − um =

Nenhum comentário

Marco em 19 de novembro de 2011

Amigo Setti: Como te falei q só compro carro semi novos, estou muito satisfeito com a Ford Ecosport q comprei, vou aguardar mais para trocar, essa Explorer já tem no Brasil. Abs. Muito bem, caro Marco. De minha parte, procuro investir o mínimo em carro. Tenho um já de vários anos, de pouco valor comercial, mas estupenda qualidade, e pretendo ficar com ele ainda muito tempo. Um abração

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI