Image
Puyol, do Barça, Casillas, do Real, e Xavi, do Barça: de times arquirrivais, mas juntos na Seleção Espanhola desde 2000 (Foto: Ignacio Gil – El Correo)

O futebol espanhol tem um dos campeonatos mais sem graça do mundo – páreo para o escocês -, culpa da abissal diferença entre o poderio econômico da dupla Barcelona-Real Madrid e o resto das 18 equipes que integram sua Primeira Divisão. É coberto por uma imprensa em geral parcial, preguiçosa e até delirante, cujo principal devaneio, aliás, é classificar o torneio nacional como “la mejor liga del mundo”.

Sim, possui todas essas falhas. Mas, amigos, o futebol espanhol dota-se também de uma base cívica tão sólida que não repercute apenas na impecável organização de seu calendário, nos estádios seguros, confortáveis e lotados e nos grandes contratos publicitários que gera. Tais princípios, construídos desde 1929 (quando foi formada a Liga Espanhola) e que, portanto, foram obrigados a atravessar uma Guerra Civil (1936-1939) e a ditadura de Francisco Franco (1939-1975), permitem, sobretudo, que seus atletas dêem constantes exemplos de ética e esportividade.

O mais recente ocorreu no final da semana passada.

Panos quentes no vestiário da “Roja

Image
Amigos, amigos, rivalidade à parte, mas com limites

Cansado de ver todas as partidas recentes de seu Real Madrid contra o arquirrival Barcelona terminarem em trocas de insultos e empurra-empurra entre jogadores e comissão técnica, o goleiraço e capitão Iker Casillas telefonou para Xavi. Deparou-se com a secretária eletrônica do habilidoso meio-campista, seu companheiro na magnífica Seleção Espanhola e – excepcionalmente na turbulenta última edição do clássico da derradeira quarta-feira – capitão do time catalão. Casillas seguiu em frente e discou os nove números de Carles Puyol, capitão oficial azul-grená e também colega seu no esquadrão campeão do mundo, ausente no embate por causa de uma contusão.

“Puyi”, como é chamado o raçudo zagueiro azul-grená, atendeu. Dias depois, foi convidado pelo guarda-metas merengue, juntamente com Xavi e outros barcelonistas da seleção, para um jantar, sem local ou dia revelados. Os convescotes reunindo os boleiros vencedores da Copa 2010 são uma tradição que se repete um pouco antes de cada apresentação deles a uma nova convocação, e a próxima está agendada para a semana eu vem, quando a Espanha enfrenta Chile em amistoso em Liechtenstein pelas Eliminatórias da Eurocopa 2012.

As versões sobre o teor da conversa entre Casillas e Puyol variam de acordo com o veículo esportivo. Os jornais “do Barça” acusam o ídolo blanco de vazar aos repórteres a própria iniciativa para, desta maneira, salvar sua imagem de bom moço em meio ao filme queimado do Real Madrid em matéria de fair play (a combustão chegou ao fim do pavio justamente na derradeira quarta, com a agressão do treinador merengue José Mourinho ao auxiliar técnico do Barça, Tito Vilanova; veja o vídeo abaixo).

Já os periódicos “do Real” enaltecem a suposta atitude exemplar de Casillas, classificando-a como simples e pura tentativa de amenizar o clima entre craques que, afinal de contas, terão que vestir a mesma camisa vermelha por um bom tempo. Faz sentido, já que as atuais convocações da Roja, como no mundial da África do Sul, trazem nada menos que 9 representantes do Barcelona e 5 do Real Madrid. E, se levarmos em conta recentes declarações de Santi Cazorla, um dos poucos selecionáveis que não pertencem a nenhum dos clubes, o ambiente do vestiário da “Fúria” já está “no limite”. Independentemente do que estava por trás dos telefonemas da Casillas, a intervenção era mesmo necessária.

Fair play: hipocrisia?

Image
Kleber “Gladiador”: rindo do “fair play”

O episódio me faz lembrar o ocorrido há um mês em rodada do Brasileirão, campeonato vinte vezes mais disputado do que o Espanhol, mas que ainda engatinha, como sabemos, em assuntos fundamentais como a ética e a transparência de esportistas e dirigentes. Respondendo sobre sua infantil atitude de não devolver a bola à equipe adversária, em um lance no qual lhe caberia fazê-lo – embora não obrigatoriamente – o atacante palmeirense Kleber disparou: “Acho que tem muita hipocrisia. O fair play é bom só para a sua equipe, né?”.

O “Gladiador” repercutia também o fato de quase ter apanhado de flamenguistas (rivais do Palmeiras naquela noite no Pacaembu) por descumprir o acordo de cavalheiros recomendado pelo fair play, quase marcando um gol diante da perplexa defesa carioca.

É claro, a cartilha do tal fair play envolve alguns exageros no mínimo questionáveis, sobretudo na Europa, onde é praticada à risca. Aí entra também minha birra de torcedor. Por exemplo: é preciso mesmo que os jogadores entrem em campo com as mãos dadas a crianças? Têm mesmo que se abraçar e forçar semblante de soturna consternação nos minutos de silêncio em homenagens a falecidos que nem conheciam? Devem chutar todas as bolas para a lateral diante de qualquer queda do adversário?

São tópicos a discutir. O próprio Kleber, em sua polêmica defesa, exibiu pontos a serem pensados (“Então se o jogador sabe que não sofreu falta deve dizer isso ao juiz, mesmo se este não marcou nada?”). Mas que mais atletas no Brasil deveriam tomar atitudes mais parecidas com a de Casillas – não por acaso capitão também da seleção de seu país – na hora de resolver as intrigas, ah, deveriam.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × três =

8 Comentários

Marco em 26 de agosto de 2011

Amigo Setti: Já q o C. Nscimento, colocou os favoritos dele, tbm vou me atrever a colocar os meus pela Ordem no G4, Fla, Coringão, Vasco, Inter ou Cruzeiro. Meu Amigo C. Nascimento, se não fosse o Adilson Batista, o São Paulo estaria com folga na Lista. E o Vasco é uma coisa interessante, a única coisa q interessa é apenas o titulo. Pq já está na Libertadores. E para o rebaixamento, acho q vai o Atlético MG, Grêmio, América MG e outro q ainda não sei... Abs.

carlos nascimento em 26 de agosto de 2011

Tudo em demasia soa falso, hipócrita, as disputas esportivas necessitam de emotividade, obviamente que sou contrário às agressões e violências gratuitas, as vezes ocorrem lances em que os adversários na realidade buscam parar o jogo para esfriar a reação do time contrário, creio que o bom senso deva prevalecer, como por exemplo, num choque de disputa das bolas aéreas, quando geralmente os jogadores batem cabeça e necessitam de atendimento emergencial, os jogadores com boa formação e conhecedores do grau de risco envolvido, de imediato devem parar o jogo,as demais ocorrências quem deveria aplicar o fair play deveria ser o próprio mediador da partida - o juiz - sinalizando aos jogadores à interrupção. A rivalidade é o combustível que move as paixões esportivas, os clássicos precisam do frenesi de adrenalina , terminado o jogo, fora das disputas, as amizades são livres e nada deve impedir o convívio social. No caso do confronto espanhol, o acirramento deve-se aos milionários salários pagos ao técnico Mourinho, junto com o seu elenco, sem conseguir resultados satisfatórios perante o arqui rival -Barcelona - isso está tirando o sono, levando o Português Mourinho ao extremo. Vai pegar um "gancho" e esfriar a cabeça, saberá assimilar as derrotas e admitir que o rival é SUPERIOR. A ocorrência do Kleber é típica e serve de exemplo, pois estava levando "porrada" da zaga do Flamengo o jogo inteiro, estava perdendo, o adversário começou a fazer cera, fazer cai, cai, isso provocou reação no atleta que em minha opinião agiu movido pelo impulso de revolta e forte personalidade de guerreiro. Vou dar um pitaco no colóquio abaixo, o Campeão Nacional do corrente ano não será Paulista, vai ser Carioca ou Gaúcho. Flamengo ou Internacional são as minhas apostas, quanto ao Corinthians, sinto muito, é cavalo paraguaio, o segundo semestre vai ser conturbado , lembrem-se, haverá eleições, o paiol vai ferver por lá, o Sanches vai querer virar a mesa e tentar a reeleição, isso será FATAL.

Marco em 25 de agosto de 2011

Amigo Setti: Outra curiosidade, q a grande parceria do Inter e do Santos, com objetivo de transformar esses clubes em Gestão La Barça. É o empresário Delcir Sonda. Gaúcho, com negócios aí em SP, ele já é parceiro nos passes de grande parte do jogadores da Base do dois clubes, para tu ter uma idéia o Ganso, Alan Patrick e outros. No Inter do D'alessandro e Kleber. Abs.

Marco em 25 de agosto de 2011

Amigo Setti: A história do Damião é curiosa, ele jogava aí na varzea de SP, junto com a famíla dele, e aí foi fazer teste num time da 2 divisão de SC, não passou, então disse ao presidente desse clube , deixa eu ficar mais um pouco só me paga a alimentação. E começou a fazer Gols, um olheiro do Inter, o descobriu e convidou para fazer teste no Inter, foi dispensado depois de 40 dias. Mas aí o Inter estava abrindo o Sub 23 e resolveu dar mais uma chance para ele. O meu amigo de Infância o Ortiz, aquele da seleção de Futsal. Começou a treinar fundamentos com ele. Hoje o Inter tem 70 % do Passe. Os outros 30 % é do time da 2 divisão de SC. Quando falei em rescussitar o Grêmio, estava me referindo q depois do Palmeiras, será o proximo adversário do Coringão, aí em Sampa. Abs. Caro Marco, deu a louca no Coringão, começou a perder pontos absurdos -- mas faço questão de que passe de trator em cima do Grêmio, hahahaha.

Marco em 24 de agosto de 2011

Amigo Setti: Avisa o Daniel Setti, q estou assistindo a Recopa Sul americana em q o Inter até o momento está vencendo por 2 x 0. Com dois gols do Damião, q atualmente é o maior goleador do Brasil, 40 jogos e 34 Gols. Aqui no Inter já passou o Dario e o Geraldão em termos de média d jogos e Gols. Mas pede para ele dizer, q ele não joga nada, aí na Espanha! Abração. OK, caro Marco. Se ele jogasse, iria ganhar 10 vezes mais, não é? Aqui até cabeças de bagre ganham fortunas... Abração

Marco em 24 de agosto de 2011

Amigo Setti: O Borges do Santos, está fazendo 2 gols no Flu, em jogo atrasado hoje. Apesar de gostar muito do Paulo Odone como dirigente e político do PPS gaúcho, mas infelizmente ele gosta de viver perigosamente. Mandou embora o Portalluppi, q no Atlético PR está com 61 % d aproveitamento desde q assumiu. E o Borges é o atual goleador do campeonato com 12 Gols, sabe quanto o Grêmio já fez em todo campeonato, apenas 16. E tu sabe quem é o 2, o R10 com 10. O meu amigo Paulo Odone ainda contrata o ultra esquerdista Celso Roth. Oremos ! Abs. Ps: Será q o Coringão vai rescussitar o meu amigo, depois do Palmeiras. Não sei como o São Paulo deixou o Borges sair. Quanto ao seu PS, espero que sim...

Marco em 24 de agosto de 2011

Amigo Setti: Clubisticamente, estamos bem representado no Vale Tudo, por 2 grandes lutadores do Brasil, Anderson Silva pelo coringão e agora o Minotauro pelo Inter. Isso deve ser coisa em relação ao Minotauro do Marcelo Dourado ! Abs.

Marco em 24 de agosto de 2011

Amigo Setti: Tá certo tem q parar com isso, jogadores,jornalistas e etc... São profissionais e ponto. Detesto jogador q chega no clube beijando camisa. Abs.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI