Vai ser curioso ver uma Copa do Mundo de futebol ser realizada num pequeno emirado riquíssimo, plantado no meio do deserto e pleno de progresso material, mas de costumes medievais e submetido a um regime tirânico, como é o caso do Catar e da Copa de 2022.

Talvez vocês tenham lido que dois repórteres esportivos da Rádio e Televisão Suíça acabam de ser soltos depois de 13 confinados compulsoriamente em seu hotel. Os dois foram detidos, algemados como criminosos e interrogados em delegacias de polícia de duas cidades de Catar, Mesaieed e Wakra. Um juiz da capital, Doha, ordenou sua prisão domiciliar, multou-os e confiscou suas câmeras.

O crime tenebroso dos jornalistas suíços foi tentar fazer uma reportagem sobre o futebol no emirado sede da futura e longínqua Copa, cuja infraestrutura incluirá delírios caríssimos como a fabricação de nuvens artificiais que devem fazer sobra sobre os estádios — cobertos e dotados de ar condicionado para enfrentar o enorme calor — durante partidas diurnas.

Aí, amigos, me voltam velhas dúvidas.

Que atrativos terá tido o Catar para os, digamos assim, incorruptíveis chefões da FIFA a ponto de ganhar o direito de sediar a Copa de 2022 de países tão pouco desenvolvidos como a Austrália, o Japão, a Coreia do Sul e os Estados Unidos?

Oficialmente, pesaram na decisão da FIFA a abundância de recursos do emirado para investir na Copa e a promessa de intenso uso de tecnologia moderna para minorar os efeitos do calor.

Será que foi mesmo só isso? Para quem acredita em Papai Noel…

Leia sobre a prisão dos jornalistas aqui.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × cinco =

6 Comentários

Sergio em 20 de abril de 2011

A FIFA está infiltrada de elementos que querem acabar com o futebol. Deve ser o povo do baseball ou do curling.

Siará Grande em 19 de abril de 2011

O caso aconteceu há muito tempo, mas talvez Você lembre, caro Ricardo, nada tem a ver com a Copa do Qatar e tem tudo a ver com a Copa do Qatar. Lembra da doação que devia ser depositada na conta bancária do probo João Havellange, então presidente da FIFA, mas que foi paga na conta da própria FIFA? Foi um rolo danado, mas, se lembro bem, o probo João Havellange não ficou no prejuízo.

Roberto em 19 de abril de 2011

Ainda sobre a sequência de copas , Africa do Sul (2010), Brasil(2014), Russia(2018) e Catar(2022) Ou é país já quebrado, que estejam quebrando ou sem nenhuma tradição no futebol.

Robson Vieira em 19 de abril de 2011

Infelizmente o dinheiro sempre fala mais alto.

Roberto em 19 de abril de 2011

Caro Setti, A FIFA está se superando constantemente na organização das copas, conseguiu uma sequência impressionante, vejamos: Africa do Sul (2010), Brasil(2014), Russia(2018) e Catar(2022)

Marcio em 19 de abril de 2011

Me espanta o quanto você é maldoso, Ricardo. Como você pode duvidar da integridade dos dirigentes dessa entidade tao cheia de padroes eticos e integros? Afinal essa mesma entidade escolheu o Brasil para a Copa de 2014!!! Claro que os criterios foram tecnicos, claros e transparentes!! A FIFA tem um historico de casos de corrupcao (desde os tempos do Havelange, por que será?) mas foram sempre ataques daqueles que "torcem contra" e que querem ver a desgraca alheia.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI