Cesar Maia comenta, com absoluta razão, a mágica que o governo fez para fazer o país dar um salto no Índice de Desenvolvimento Humano

O ex-deputado, ex-secretário da Fazenda, ex-prefeito do Rio e atual vereador Cesar Maia (DEM), que é economista, fez em seu “ex-blog” uma pertinente análise da estranha e inexplicada mágica que o governo fez para mostrar um suposto “grande salto” ocorrido no Índice de desenvolvimento Humano (IDH), criado pela ONU com base em dados sobre expectativa de vida ao nascer, nível de educação e Produto Interno Bruto (PIB) per capita.

Curiosamente, antes da mudança de critério feita às escondidas e sem explicações pelo governo, o IDH do Brasil durante o governo FHC (no ano 2000) era de 0,766 — o índice é tanto melhor quanto mais próximo chega de 1 — e, com base no censo de 2010 (governo Lula) estava em 0,727.

Mas, como há explicação para tudo… Vejam o que diz Cesar Maia:

IDH: CURIOSAS E PROBLEMÁTICAS MUDANÇAS DE CRITÉRIO!

1. Com base nos Censos de 1991 e 2000, o PNUD e o Governo Federal anunciaram os dados do IDH para o Brasil todo.

Esses dados serviram como elementos para priorizar as políticas públicas em nível municipal, estadual e federal.

2. Em 1991 o IDH do Brasil, divulgado anos depois, foi de 0,696.

Em 2000 o IDH do Brasil, divulgado em 2003, foi de 0,766.

3. Na segunda-feira, 29, foram divulgados os dados de IDH em base aos dados censitários de 2010.

O IDH do Brasil avançou para 0,727.

Mas como, se o de 2000, antes divulgado, já era de 0,766?

Foi anunciado que houve uma mudança de critério.

4. Essa mudança de critério baixou o IDH, em base ao censo de 1991, de 0,696 para 0,493.

Uma redução de 30%.

E baixou o IDH de 2000 de 0,766 para 0,612.

Uma redução de 20%.

5. Mudanças tão drásticas exigiriam explicações semanas antes, para que se pudesse entender e tirar dúvidas. Mas nenhuma explicação foi dada.

E apresentou-se um enorme crescimento do IDH, que — se levasse em conta o número anterior de 2000 — seria uma redução.

6. E como ficaram os governos de todos os níveis, que se pautaram pelos números oficiais anteriores para fazer seus planejamentos sociais?

Algo que merece uma explicação detalhada e didática.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × cinco =

Nenhum comentário

  • Francisco Salgado

    Depois da “Contabilidade Criativa”, somos apresentados ao “Desenvolvimento Humano Criativo”.

  • SergioD

    Ricardo, sem dúvida possíveis maquiagens nos índices do IDHM devem ser explicitadas pelo governo. Isso é fato.
    A única objeção que faço ao seu post é a figura de Cesar Maia. Ontem, se não me engano, discutia-se aqui no Blog a credibilidade de certos reporteres e mesmo de alguns órgãos de imprensa em função de suas posições ideológicas. Bem, eu questino a credibilidade do ex-prefeito carioca. Cesar Maia foi um político que cansou de distorcer estatíticas para demonstrar suas teses. Isso desde o tempo em que foi secretário de fazenda do primeiro governo Leonel Brisola. Sua reputação de gestor também saiu arranhada em sua última passagem pela prefeitura do Rio. Estão aí o estouro dos orçamentos das obras para o Pan 2007 e da Cidade da Música, hoje Cidade das Artes, para jogar no ralo a sua suposta competência. Sua eleição para a Câmara de Vereadores do Rio foi uma grande frustração pois esperava um votação muito maior. O povo do Rio, embora o tenha eleito três vezes (podemos até mesmo dizer quatro pois a eleição de sue vice, Luiz Paulo Conde, em 1996, pode se contar como vitória pessoal sua) não vai esquecer tão cedo as mazelas de sua última passagem pela prefeitura.
    Abraços

  • Luiz Pereira

    SergioD, td bom?
    Concordo contigo. Maia é do tipo de político que poderia ter sido bem melhor do que foi. Operoso, boas ideias, gosta de delegar. Depois que perdeu para Garotinho, entrou numa descendente.
    Poderia ter sido um político nacional. Acabou municipalizado.
    abs

  • Marco Felix

    Os gatunos nem mais se preocupam com o que será fraudado, furtado ou roubado ou qualquer que seja a ilicitação. Pois sabem que não tem punição mesmo e fica tudo como está. Viva os corruptos, viva os ladrões de todas as cores e até quando Brasil?

  • Paulo

    Gol de mão é uma regra que os petistas adotaram. E para os outros só vale gol de perna esquerda fora da área. E aí todos os resultados das partidas anteriores são re-escritos segundo as regras petistas.

  • SergioD

    Luiz Pereira, como anda essa força? Ralando muito? Ando meio afastado com uns problemas familiares para ajudar a resolver (um caso de separação e outro de doença). Além disso não ando com muita vontade de discutir a mixórdia de nossa política no momento atual. Hoje o ambiente anda muito radicalizadoara o meu gosto. A esquerda com sua pauta irreal e gente pedindo golpe militar. Sinceramente cansei de pregar no deserto para que se discuta racionalmente os problemas do país, sem ideologias, sem preconceitos. Fazer o quê? Pior que acho que nem as eleições do ano que vem resolvem ou depuram o quadro atual. Tenho um medo danado de que, para as eleições do ano que vem apareça um Salvador da Pátria sem qualquer base política. Nós já vimos esse filme, né?
    Abração
    PS: Se encontrar erros de digitação perdoe. Não me acostumo muito com esses teclados de celular.

  • meg menezes

    Sr. Setti, o Sr. Cesar Maia, não é lá uma “fonte”muito confiável, vamos combinar.E quanto a delegar…..hum, Sr.Luiz, há controvérsias.Me lembro do caso da Dengue(a reza),os Hospitais Federais,”devolvidos” às ruínas…Cidade das Artes, Música, sei lá, aquele mostrengo na Barra, com o lustre de l milhão, my god!E a saída….Os “bens” pulverizados, para não serem “rastreados”…hum…

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Alo amigo SergioD – de total concordância com você.
    A saúde vai melhorar e o relacionamento se ajeita.
    Grande abraço
    Pedro Luiz
    Meg Menezes:
    Toda a razão!
    Abrraços
    Pedro Luiz

  • Luiz Pereira

    SergioD,
    Espero que vc supere os problemas rapidamente.
    Sobre salvadores da pátria… É aí que mora o perigo. E isso demonstra o quanto estamos em atraso com a institucionalização política do país.
    Muitos partidos que representam apenas seus donos, tirando nacos de grana do governo.
    O risco de um novo Collor aparecer, ou a ressurreição de um Garotinho, ou a canonização do Lula, isso tudo me assusta.
    abs

  • Luiz Pereira

    meg menezes – 01/08/2013 às 22:02,
    Para o bem ou para o mal, Cesar Maia lançou uma geração de jovens na política. Eram seus administradores regionais. Estão aí Rodrigo Bethlem, o Guaraná, o atual prefeito Eduardo Paes, dentre outros.
    Se são bons ou não, isso é outra discussão. Mas todos são crias “delegadas” de Maia.
    att

  • Jaime Balbino

    Cesar Maia costuma ser preciso naquilo que divulga. Mesmo errado ele é coerente, não como certos jornalistas que polulam até na chamada Grande Imprensa.
    Mas é mais razoável supor que até FHC os dados eram inflados. Dizer que em 2001 estávamos próximos ao paraíso com 0,767 é forçar a amizade. Afinal, segundo Maia (e Setti), Lula teria “baixado” em 2003 o IDH dos antecessores porque já estava prevendo o sucesso (ou o fracasso) dos seus dois governos? Mudar os critérios dos outros também muda o seu, então ninguém ganha exatamente.
    Mas analisemos isso pelos próprios dados fornecidos pelo Ricardo Setti, comparando 1991 e 2010:
    – Espectativa de vida ao nascer saiu de 65 anos para 74 anos.
    – Nível de escolaridade melhorou inclusive pela universalização promovida por FHC e seu FUNDEB (de uns 54% de crianças matriculadas para quase 100% hoje)
    – PIB per capita saiu de 2 mil dólares para 8 mil em 2010.
    Se fosse mantido
    Ou seja, mantidos os critérios inflados até FHC, Lula teria conseguido a proeza de ultrapassar a nota máxima e talvez chegasse a 1,5 (o máximo é 1)

  • Santana*100

    meg menezes – 01/08/2013 às 22:02
    “Sr. Setti, o Sr. Cesar Maia, não é lá uma “fonte”muito confiável, vamos combinar.E quanto a delegar…..hum, Sr.Luiz, há controvérsias.Me lembro do caso da Dengue(a reza),os Hospitais Federais,”devolvidos” às ruínas…Cidade das Artes, Música, sei lá, aquele mostrengo na Barra, com o lustre de l milhão, my god!E a saída….Os “bens” pulverizados, para não serem “rastreados”…hum”
    #####
    Caro senhor, não é o caso de saber se César Maia é ou não é uma “fonte confiável” e sim, se o que ele está dizendo é verdade ou não.
    Se estiver mentido, cabe ao Governo federal processá-lo por calúnia e difamação.
    Acredito que o Governo Federal jamais processará César Maia por isso!

  • Corinthians

    Concordo que Cesar Maia não tem credibilidade nenhuma.
    Porém vamos simplesmente esquecer quem colocou os números. Digamos que foi alguém anônimo e vamos olhar o argumento.
    Os números são reais. O “IDH criativo” do PT é fato – assim como o fim da miséria e a gigante classe média de R$ 300/mês.
    Mais populismo do governo lullo-petista, para variar…

  • J.B.CRUZ

    Para mim, desde 2.004,quando o presidente do I.B.G.E, convidado que foi pelo futuro MINISTRO DAS COMUNICAÇÕES, então secretário da comunicação, LUIZ GUSHIKEN***
    para um papinho amigável em seu gabinete;nunca mais dei bola para pesquisas e estatísticas do governo e nem desses fajutos institutos de pesquisas..Fico com a opinião do meu Pai por ocasião do lançamento do P.A.C.(programa aceleração do crescimento), quando Dona Dilma incentivada pelo “padrinho” prometeu de início 200.000 casas e depois de 3 dias já se dizia em 1.000.000(um milhão)…Frase do meu pai:””Já que o governo não vai cumprir mesmo o que promete, por que não 10.000.000(10 milhões),??? Soa melhor aos ouvidos dos coitados…Não vai fazer mesmo???….

    Obs:***(É Só pesquisar em um dos números de VEJA Anos/2.004 e 2.005)….

  • Paula Tejando

    Cesar Maia faz falta como prefeito, o rio, que era referência no Brasil piorou muito depois que ele saiu

  • alberto santo andre

    sera que e por isto que assim como as autoridades argentinas o IPEA e o IBGE perderam credibilidade nos organismos internacionais.afinal de contas o petistas como mentirosos fazem com que pinochio fosse considerado um exemplo de honestidade.

  • alberto santo andre

    ao jaime bambino ,o brasil chegou a sexta economia com o dolar a 1,60 ,com ele a 2,90 a se manter voltaremos a nona posicao e isto sem inflar numeros apenas com dados que se pregoam nas bolsas todos os dias ,portanto posicao que tinhamos a dez anos atras ,o brasil melhorou ,os outros que servem de comparativos muito mais.

  • alberto santo andre

    errata no comentario anterior ,onde se le o dolar a 2,80 reais leia-se 2,30 reais.