Image
Os narcoterroristas das Farcs: apoio político e estratégico, além de 300 milhões de dólares oferecidos por Hugo Chávez

Em consideração aos muitos amigos do blog que leram ontem, segunda, 9, o post em que eu comentava a visita a Brasília, hoje, do parlapatão homem forte da Venezuela, Hugo Chávez, que almoçaria com a presidente Dilma Rousseff, devo informar – aos amigos que ainda não sabem – que Chávez cancelou a visita por uma “lesão no joelho”.

Conversou com Dilma por telefone e a visita foi transferida para junho.

A lesão no joelho veio em boa hora, porque Chávez certamente enfrentaria, de parte da imprensa brasileira, perguntas incômodas sobre sua íntima ligação com os narcoterroristas das chamadas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Pois justamente hoje o prestigiado e independente Instituto Internacional de Estudos Estratégicos (IISS, sigla em inglês), de Londres, divulgou informações segundo as quais, em negociações mantidas em 2007 com os narcoterroristas, forneceu apoio político e acesso a territórios remotos da Venezuela, além de lhes prometer uma fortuna em dinheiro — 300 milhões de dólares.

Essas são algumas das conclusões extraídas pelo Instituto do exame do material, inclusive discos rígidos de computador, apreendido com o dirigente das Farc conhecido como Raúl Reyes (nome verdadeiro Luís Edgard Devía), então número 2 da organização, morto em março de 2008 pelas Forças Armadas da Colômbia numa polêmica incursão ao terrritório do Equador, onde ele e um grupo se haviam instalado. Além de Reyes, 16 integrantes das Farc morreram.

Leia mais aqui.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − oito =

11 Comentários

veiaco em 11 de maio de 2011

Perguntas incômodas inclusive sobre a participação brasileira no epsódio. Top top Garcia, Zé Dirceu e outros que o digam.

JCarlos em 11 de maio de 2011

O bufão deve estar demonstrando indignação, mas entre ele e o IISS...

glauco em 11 de maio de 2011

Por que perguntar ao chaves sobre as FARC, se podemos perguntar ao lula(seu amigão), a dilma,(sua amigona), ao foro de são paulo,(criado pelo PT, 1990- Wikipédia), enfim ao pt como um todo!?

Tonho em 11 de maio de 2011

VIVA CHAVES!!!! A vinda do nosso Glorioso Farol da Sabedoria foi adiada,mas talvez seja melhor,uma vez que temos a chance de recebê-lo com mais festa.Sei de fonte seríssima que o Buarque está compondo um samba em sua homenagem,onde exige que o nobel de quimica de lhe seja concedido. Sabemos que as mais belas atrizes do mundo estão fazendo fila pra apanhar barriga com ele,mas isso não o impede de que olhe a nossa Dilma com fins de casório.Já imaginaram um filho e herdeiro do Trono do Barasil?Sim porque com a reeleição ele já terá entre 7 e 8 anos,o que já constitui idade sufiente, e mesmo porque o nosso Supremo Socialista está lá pra isso mesmo.E ainda mais tendo o responsável pela sua educação e tutor o Iluminante e Iluminado LULA.

Kitty em 11 de maio de 2011

Caro Ricardo, Concordo com o leitor IXE quando diz que as perguntas incômodas não serão formuladas,e os periodistas escalados para as entrevistas,serão escolhidos a dedo entre os governistas e os simpatizantes do governo.Idem com as redes de TV. Seguramente nenhúm periodista de revistas ou jornais independentes poderão perguntar se é verdade que na Venezuela haverá instrução militar desde o ensino básico até a universidade, sem ter nível académico. O presidente Chávez reformou a lei das Forças Armadas, pela quarta vez,para dar assim formação de milicias em todos os níveis do ensino Os alunos poderão ter treinamento com armas; o objetivo é prepará-los para a defesa da Nação. "Patria ou morte, ordene meu comandante!",devem repetir as crianças nas escolas venezuelanas onde aprenderão de forma obrigatória a instrução militar, incluindo formação, desfile, doutrinação e treinamento com armas.O presidente Chávez reforçou legalmente o papel da milicia como um corpo armado paralelo atribuindo-lhes a tarefa de formar crianças-soldados em todos os níveis do ensino. O ex senador opositor Pablo Medina,comentou que a "milicia" vai servir para controlar ás ruas, reprimir protestos e esmagar uma revolta popular, no caso, que o maluquete-mor amargue uma derrota na corrida presidencial de 2012.A velha força armada será substituída pela melicia!! Esta suspeita opositora foi alimentada pelas palavras do próprio Chávez, que assegurou que poderia enfrentar uma insurreção popular na Venezuela da mesma forma violenta como fizeram com o seu amigo Muammar Kaddafi na Líbia. Que barbaridade!!! Este homem maluco esquece que crianças têm de brincar, ser feliz e ir para escola para aprender a enfrentar os desafios da vida com dignidade e não brincar de soldados para serem simplesmente aprendizes de milicianos. As milicias aspiram ter um milhão de integrantes!!! Ricardo fique a vontade para julgar se o tema é pertinente ao tema do blog. Abraços (Clarin/El Mundo/--Jueves 7 de abril de 2011)

Luiz Pereira em 10 de maio de 2011

Setti, boa noite, Essa é a democracia exterminativa, como diria Odorico Paraguaçú. abs

Paulo Bento Bandarra em 10 de maio de 2011

Quem faria alguma pergunta incomoda para Chávez? Não perguntam nem para o Lula! Ninguém lhe pergunta porque estão pagando fortunas para ele palestrar planitudes e grosseirias. Se ele tem como ensinar que os mais ricos fiquem mais ricos, porque ele não tem para ensinar aos mais pobres para ficarem menos?

Jack em 10 de maio de 2011

Setti. Chaves deve ter sido informado com antecedência do relatório da IISS e não quis arriscar um possível questionamento. Cancelou para procurar uma desculpa e atacar o EUA pelas suas molecagens. Ademais, quer fazer o que aqui, se não consegue nem cumprir com o acordo fechado com a Petrobras na construção da refinaria, e ainda quer autorização para construir um gasoduto passando pelo Brasil até a Argentina. Sd.

Jotavê em 10 de maio de 2011

É difícil o presidente que não tenha que responder a perguntas incômodas. Cada um com seus problemas. Venezuela e Colômbia, que andavam às turras, parece que se acalmaram um pouco. A fronteira entre ambos é uma zona, com cidades inteiras dominadas por gangues transnacionais, traficando drogas e gasolina (ridiculamente barata na Venezuela, caríssima na Colômbia). Tem o problema das bases americanas. E tem o problema das Farc. Nâo duvido que Chávez, na sua maluquice, tenha feito acordo com aquela gente no passado. Agora, com a saída de Uribe, o clima todo parece estar mais ameno. Que fique assim. A Venezuela é excelente compradora. Produz petróleo, e pouquíssima coisa além disso. Lucramos bastante com esse comércio, pelo que já li. Mesmo que não lucrássemos, é um país com o qual fazemos fronteira no meio da selva. Nosso interesse num eventual conflito é ZERO. Que venha o homem, que responda às perguntas da imprensa, se quiser, e que nos deixe em paz.

Ixe em 10 de maio de 2011

Acho que as perguntas incômodas não serão feitas de qualquer modo. Não pelo jornalismo amestrado. Se ainda contássemos com você, Setti, como repórter, ou com outros Jornalistas de mesma estatura, como Augusto Nunes ou a Dora Kramer ou mesmo com o pessoal do CQC, aí sim, poderiam fazer as perguntas devidas. Mas seria querer demais. O governo de lá e o de cá escolherão os jornalistas que mais convém ao tiranete amigo.

Agilmar Machado Filho em 10 de maio de 2011

Perguntas sobre assunto tão sério poderiam ser feitas em maio, como podem e devem ser feitas em junho, ou em qualquer data. Não deixemos que a avalanche de deboches, falcatruas e desmandos desse governo nos impeça de criticar essa situação. É tudo o que o PT quer.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI