Com crescimento ridículo da economia em seu governo — o pior desde COLLOR –, Dilma deveria ter pudor de “dar lições” aos europeus

Neste segundo ano de mandato de Dilma, o crescimento do PIB será de pífios 1,5% (Foto: Fabio Pozzebom / Agência Brasil)

Vem acontecendo com frequência, e, para espanto de quem conhece os números do Brasil, plateias e jornalistas europeus continuam rendendo homenagens à excelente governança da presidente Dilma Rousseff, que não se furta de dar lições aos governos europeus de como sair da crise.

Ainda esses dias o jornal madrilenho El País, sempre basbaque com o que é oriundo do lulopetismo, ofereceu generosa parcela de sua primeira página a uma entrevista em que a presidente puxava a orelha dos líderes europeus por centrarem seus esforços contra a crise na austeridade fiscal, aconselhando-os a deixar portas para investimentos públicos produtivos — e por aí vai.

Dilma, felizmente, não tem a arrogância sem limites de seu antecessor, Lula, que despejava falatórios perante qualquer audiência, e não limitava suas “lições” a como lidar com a economia — mas incursionava por terrenos movediços, aos quais era (como é) completamente alheio, tal como sua ridícula tentativa de “resolver” a questão da nuclearização militar do Irã.

De todo modo, a presidente poderia reservar-se diante da autocrítica ao contemplar a extremamente medíocre obra que deixa, até agora, como saldo na economia.

Vejam só o que publica o site de VEJA:

A presidente Dilma Rousseff deverá encerrar os dois primeiros anos de seu mandato com a segunda pior média de crescimento da história recente do Brasil, só perdendo para o período Collor.

No biênio 2011-2012, o crescimento médio anual do Produto Interno Bruto (PIB) nacional deverá ser da ordem de 2,1%, considerando uma expansão de 1,52% prevista para este ano pela mediana do mercado financeiro na pesquisa do Boletim Focus, do Banco Central (BC).

Nos dois primeiros anos do primeiro e do segundo mandato de Luiz Inácio Lula da Silva, essa média foi de, respectivamente, 3,4% e 5,6%, e nos de Fernando Henrique Cardoso, de 3,2% e 2,3%.

Já no primeiro biênio de Fernando Collor de Mello, ficou em 0,25%.

Economistas alertam para o risco de 2013 piorar o prognóstico, caso o governo não mude o foco da política de crescimento – hoje baseada no aumento do consumo e que deve passar a incentivar mais o investimento e melhorar a produtividade.

Para continuar lendo, clique aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 + três =

Nenhum comentário

  • Marcondes Witt

    Ao que consta, se o crescimento fosse ‘muito grande’, haveria histeria no mercado em razão do ‘descontrole’ da economia, ‘exigindo’ juros altos para evitar a volta da inflação – a mesma histeria que vimos ano passado em agosto quando o Banco Central deixou de ser dependente do mercado e passou a atuar com independência.
    Além disto, ao que consta, o crescimento mundial também está entre os menores nas últimas décadas, o Brasil não é uma ilha e, portanto, quer queira quer não, sente os efeitos.
    Apenas por comparação, nossa taxa de desemprego está muito inferior à da Espanha.

  • Caio Frascino Cassaro

    Prezado Setti
    Amigo, você só pode estar de brincadeira. A palavra PUDOR há muito tempo foi riscada do dicionário dessa gente. Esta senhora é desde sempre uma despudorada. Não teve pudor em mentir quando se disse doutora em economia, quando disse que não apoiava o aborto, quando só fez uma “limpa” no governo por conta da imprensa golpista, quando se declarou devota de Maria e vai por aí afora. A lista é extensa. Em homenagem a ela, a Luizinacio, a LEWANDOvski, Toffoli, José “Zeca Diabo” Dirceu, João Paulo Cunha, Delúbio “O Nosso” Soares, José “Otário” Genoíno e tantos outros o PT vai mudar de nome para PD – Partido dos Despudorados.
    Um abraço

  • Tuco

    .

    Compreensível.
    Ela é filhote do lularápio.


    .

  • Hélio

    Alguns pontos a se considerar :

    1) Apesar de hoje o Brasil estar com um crescimento bem menor do que até pouco tempo atrás, ainda assim exibe uma economia em muito melhores condições que as da Espanha, Portugal e outros países europeus em crise. Por este motivo, é normal que a imprensa européia dê espaço a dirigentes de nações com uma economia melhor que a deles, como o Brasil, ou qualquer outro país com bons números econômicos.

    2) Se a imprensa espanhola está dando destaque a uma presidente de um país com uma economia tão “ruim”, imagine então como está a deles.e’

    3) Num mundo globalizado, existem inúmeros fatores que influenciam a economia de um país, tanto externos como internos. Se o crescimento dependesse única e exclusivamente dos governantes, todos os países teriam uma economia excelente. Por este motivo, botar a culpa de um crescimento baixo somente no governante, ou então dar todos os méritos de um crescimento alto somente no governante, é injusto.

    4) Dilma não foi a primeira, nem a única e nem será a última pessoa a falar contra a austeridade na resolução da crise européia. Vários políticos, tanto de esquerda como de direita, economistas ganhadores de Nobel (Paul Krugman, por exemplo), entre outros, já alertaram para a ineficácia a longo prazo de medidas austeras na recuperação econômica de países em crise. Mais importante que o discurso, é saber que as previsões destas pessoas se concretizaram : desde o início das medidas de austeridade, a economia destes países piorou, o desemprego aumentou, a pobreza aumentou. Passei 15 dias em Portugal em julho deste ano, e conversando com as pessoas pude perceber a gravidade da situação. Sei que muita gente aqui do blog abomina o Paul Krugman, rsrs, mas o importante é que, em uma séria de artigos, ele previu exatamente a falha das medidas de austeridade.

    5) Já que falamos de Europa, vale também lembrar que a Angela Merkel, é detestada nos países em crise, justamente por exigir deste países, medidas que ela mesmo não precisou usar na Alemanha, tendo em vista a força da economia alemã em vista das demais. Ou seja, faça o que eu falo, mas não faça o que eu faço.

    6) Concordo com o Marcondes. Creio que um dos atos mais corajosos da Dilma foi dar suporte à decisão de COPOM do baixar a taxa SELIC em agosto do ano passado, apesar da gritaria ridícula e histérica dos “analistas econômicos” de parte da mídia (sempre os mesmos, aliás…). Passado um mês, viu-se que foi uma decisão acertada, e que caso a taxa SELIC não continuasse sua trajetória descendente, hoje nossa situação estaria pior.

    7) De acordo com documentos secretos do Wikileaks, a “ridícula” tentativa do Brasil para resolver o problema iraniano, foi uma sugestão do próprio Barack Obama, que depois acabou recuando. Em 2012 um diplomata americana afirmou que a tentativa brasileira, embora infrutífera, havia sido válida, e que as sanções contra o Irã não iriam funcionar, como de fato até hoje não funcionam.

    8) Se os economistas da reportagem da VEJA, aos quais não é dado nome, forem os mesmos que gritaram contra a baixa da taxa SELIC, eu fico mais tranquilo rsrsr

  • Wagner Martos

    Caro Wagner, é diretriz do blog não publicar íntegras de matérias de outros veículos de comunicação no espaço destinado a comentários.

    Desculpe e um abração.

  • Claudinei

    Eu só tenho uma palavra a dizer: dar atenção a esta senhora desqualificada dá nisso. O Brasil continua sendo o centro das atrações de circo mundial. E acham que tem o estofo necessário para dar lições de moral. Estamos muito bem servidos de idiotas….

  • JulioK

    Ricardo,

    Ella foi fazer papel de palhaça, porém, para o consumo interno, será vendido que a crise é por “culpa” da Europa!

    O problema é que para 2013, já esta pintando um crescimento menor ainda!!!!

  • julio

    Caro Setti, essa gente ou não sabe o que diz e quem ouve sabe menos ainda, ou não sei o que dizer.

  • MAIS PREJUÍZO APR O NOSO BOLSO



    constituiçao cidaõa, a do dotô……. + fhc e lula……

    INTENTONA COMUNISTA DE 35…mais prejuízo ao nosso bolso


    União terá de pagar R$ 100 mil a filhos de militar

    05/12/2009 – 07h47 | da Folha.com

    Caro amigo, entendo sua posição e seu desejo de divulgar esse tipo de material, mas a política do blog é a de não divulgar íntegras de matérias publicadas em outros veículos de imprensa no espaço de comentários.

    Um abraço

  • Oswald

    Hélio: bla, blá, blá, blá…

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Amigo Helio:
    Que beleza de análise e o mais importante ZERO de adjetivação!
    Lendo e relendo – desnuda totalmente o Post acima.
    Parabéns,do amigo
    Pedro Luiz

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    REcomendo a todos assistirem este curta no youtube.

    http://www.youtube.com/watch?v=fT94AGqOf8g

    O PASSADO BRASILEIRO DAS REPRESSÕES ASSASSINAS DO ESTADO BRASILEIRO,AINDA ESTA VIVO!
    Pedro Luiz

  • Alberto Porém Júnior

    Acima de questões partidárias e ódios profundos seria interessante a leitura sobre o novo índice chamado Índice de Desenvolvimento Econômico Sustentável ( SEDA em inglês) feito pela Boston Consulting Group (BCG).

    Alguns pontos:
    – O Brasil foi o país que melhor utilizou o crescimento econômico alcançado nos últimos cinco anos para elevar o padrão de vida e o bem-estar da população. Se o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu a um ritmo médio anual de 5,1% entre 2006 e 2011, os ganhos sociais obtidos no período são equivalentes aos de um país que tivesse registrado expansão anual de 13% da economia.
    – Foram usados dados disponíveis para todos os 150 países e que fossem capazes de traçar um panorama abrangente de dez diferentes áreas: renda, estabilidade econômica, emprego, distribuição de renda, sociedade civil, governança (estabilidade política, liberdade de expressão, direito de propriedade, baixo nível de corrupção, entre outros itens), educação, saúde, ambiente e infraestrutura.
    – Para Christian Orglmeister, diretor do escritório do BCG em São Paulo, o desempenho alcançado pelo Brasil é elogiável, mas deve ser visto com cautela. “Quando se parte de uma base mais baixa, é mais fácil registrar progresso. O Brasil está muito melhor do que há cinco anos em várias áreas, até mesmo em infraestrutura, mas é preciso ainda avançar muito mais.”
    – O estudo também compara o desempenho recente dos Brics – além do Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – na geração de mais bem-estar para os cidadãos. Se em relação à expansão da economia, o Brasil ficou atrás dos seus parceiros entre 2006 e 2011, o país superou a média obtida pelo bloco em áreas como ambiente, governança, renda, distribuição de renda, emprego e infraestrutura, diz Orglmeister. China, Rússia, Índia e África do Sul aparecem apenas em 55º, 77º, 78º e 130º, respectivamente, nessa base de comparação, que é liderada pelo Brasil.
    – O desafio brasileiro, agora, é manter esse ritmo no futuro, afirma o diretor do BCG. “O Brasil precisa avançar em quatro áreas principalmente”, diz. “Na melhora da qualidade da educação, na infraestrutura, na flexibilização do mercado de trabalho e nas dificuldades burocráticas que ainda existem para fazer negócios no país.”
    – Pelo que se pode deduzir além do basbaque do “El País”, tem gente séria colocando números sobre nosso crescimento e fazendo críticas construtivas.

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Alberto Porém Junior e Helio:
    A VERDADE não se esconde para sempre – papel aceita tudo até mentiras! quando a VERDADE é mostrada destroça tudo sem pena e piedade.
    Obrigado pelas informações
    Pedro Luiz

  • Angelo

    Senhores,Diante desse fato,temos o inverso o
    crescimento acima do normal das Roubalheiras.
    Realmente a presidenta poderia reservar-se diante
    da autocrítica ao contemplar a extrema mediocridade
    das obras que deixa,até agora como saldo na economia.

  • Hélio

    Caro Oswald :
    Uma sugestão : em vez de somente falar blá, blá, blá, que tal contrapor argumentos válidos? Creio que seria uma forma mais didática e construtiva de debater ponto de vistas diferentes. Abs!

  • João

    Será que a Dilma tem a coragem de fornecer sua receita de “ECONOMIA” para o 1º Ministro da Espanha? Duvido, que ela tem a coragem de esclarecer para o qual, que aqui no brasil, o Trabalhodor vai ao supermercado, de cada KG da cesta básica vai para o governo em forma de tributos uma média de 35% sobre o valor real de qualquer produto; será que a presidente tem coragem de falar, também, que em cada litro de gasolina ou etanol o tributo para o governo fica numa média de 45% sobre o valor do produto…

  • Corinthians

    Setti,
    E isso é só a ponta do iceberg que deve surgir nos próximos anos, infelizmente.
    Por mais que eu concorde com algumas ações de Dillma, como as privatizações, não tenho como concordar a maneira que as coisas tem sido feitas.
    Hoje Dillma é a piada do momento na Alemanha, o país de Angela Merkel, que esteve no centro do furação, escutou as bobagens que teve de ouvir do governo brasileiro e hoje cresce mais que o Brasil.
    As privatizações foram muito mal planejadas, afinal acabou por ter como vencedores os consórcios que não tem como atender os requerimentos.
    A saúde está cada vez pior, assim como a infra-estrutura. Não há obra relevante vinda de Lulla ou da gerentona que não tenha saído à preços que deixariam Maluf envergonhado e que não tenha um atraso que faz o Suplicy parecer a fala mais rápida do Brasil. Não temos Belo Monte. Não temos Jirau. Não temos transposição do São Francisco. Não temos transnordestina ou ferrovia Norte-Sul. Não chegamos à 30% do Minha Casa Minha Vida (o primeiro que prometeu um milhão de moradias até 2010, por que se contabilizarmos o segundo que prometeu dois milhões de moradias até 2014 estamos perdidos). O PAC nem aparece mais, de tão empacado que está.
    Concordei com a mudança na regra do rendimento da poupança – devo dizer que desde Pallocci não tinha visto um acerto na área econômica no governo lullo-petista – mas a ingerência política no Copom ficou flagrante. Os juros foram reduzidos, à custo de maior inflação e maior inadimplência – e o pobre acaba por ser o maior penalizado mais uma vez. A Petrobrás é outra que sofreu com ingerência política, e hoje a empresa que havia se tornado uma das maiores do mundo acumula prejuízos atrás de prejuízos e uma desvalorização gigantesca. Dillma agora resolveu ingerir na eletricidade, levando empresas que empregam dezenas de milhares de pessoas em um rumo de falência. Foram feitas manobras esdrúxulas para proteção de mercado interno através de impostos proibidos conforme tratado assinado da OMC, o que contribuiu para atender ao lobby automobilístico e também à elevar os preços dos carros nacionais. Os investidores já não confiam em um país que muda suas regras como troca de roupa, e os investimentos caem cada vez mais – o que é muito arriscado em um planeta bem menos voraz por commodities.
    Enquanto isso os impostos continuam cada vez mais altos, e a prometida reforma tributária entra no mesmo abismo do esquecimento que a reforma previdenciária de Lulla.
    A educação só piora a cada ano que passa, e nada é feito para impedir isso.
    Mas falar o que sobre um país em que o aumento da classe média se dá através de canetadas que alteram (sempre para baixo) o valor mensal necessário para ser considerado pertencente à esta classe ?
    Agora ? Agora é tentar mais uma vez igualar o governo de ocasião ao governo anterior e falar que é algo normal em uma crise. Fica faltando só falar nas condições em que o país se encontrava e principalmente, nos projetos que foram realizados e executados. Não há no governo Lulla/Dillma nada que tenha sido feito com sucesso – nem privatizações de estradas, nem Fome Zero, nem Luz para Todos. Só um monte de pedras fundamentais. E marketing, ah esse sim, nuncaantesnahistóriadestepaís…

  • Roberto Souza

    Pudor?
    No PT?

  • Marco Antonio

    Setti! Quem faliu lojinha de 1,99 não vai decepcionar: vai falir o Brasil! Forte abraço!

  • Synara

    Só para complementar o comentário do Marco Antônio, a lojinha de 1,99 ao qual ele se refere tinha o nome fantasia de “Pão e circo”. Sugestivo não?

  • Nina - RS

    Sei não Setti, mas olhando para esta foto da Dilma após ler seu texto, só me ocorre a palavra M E Q U E T R E F E para defini-la.
    Aliás, parabéns para aquele advogado da outra mequetrefe que reviveu este termo tão popular nas antigas.
    Prá sorte da presidANTA, a nossa oposição tbém é mequetrefe… infelizmente!
    Abs.

  • Bruno Guerra

    Caro Setti,
    .
    Este era um texto que gostaria de ver escrito. Os termos em que vc coloca o assunto é o correto. Quem é a D. Dilma para dar lições ?
    .
    A capacidade desta maquina de propaganda é uma coisa inacreditável. Dilma é só besteirol, cada medida cada fracasso, cada programa um apagão !!! Um país que precisa de correr para o futuro elegeu mais uma roda presa.
    .
    Não lhe falta vontade, acredito. Mas falta capacidade que nunca teve e jamais terá. Tem muita gente no Brasil que pode dar lições a outros países, não no sentido escolar, mas como contributo. Vou citar 1 pessoa: Arminio Fraga.
    .
    Ultimamente no Brasil um qualquer calhau com olhos vira mestre em dois dias. Calhau é um tipo de pedra pequena, que normalmente cabe numa mão.
    .
    NVM, texto oportuno, criticando esta brincadeira de mau gosto que é a criação de uma “Doutora Dilma” – doutora em tudo, claro, sabedoria em coisa nenhuma.
    .
    Abr, BR

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Corinthinas:
    Realmente foram dois governos de fracasso,fracassos + fracassos – na visão do Corinthians o Povo Brasileiro não esta preparado para as suas análises.
    Pedro Luiz

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Dados recentes do IBGE – merecem ser vistos e
    http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/condicaodevida/indicadoresminimos/sinteseindicsociais2012/default.shtm

  • Fernando

    Corinthians (20:08), sei que seu texto é longo e aborda várias questões, porém algo me chamou a atenção: você é contra as medidas do governo para baixar o custo da energia elétrica? Mas não era esse um dos principais entraves, segundo a maioria dos empresário e imprensa ( que por sinal,inexplicavelmente estão na moita,agora que finalmente atacou-se o problema)para o desenvolvimento do país? E não venha com essa de que milhares de empregos estão em risco,pois,enxergando por esse prisma, a indústria do tabaco emprega milhares também, e nem por isso os governos recuaram de sua cruzada contra o tabagismo.

  • Berta Reel

    Penso que não importa se o Brasil cresce, se será o melhor do mundo, será um dos primeiros no mundo econômico… O que me importa é ter respeito, e definitivamente a política brasileira é uma corrupção intensa e contínua, dá náusea …A ex-guerrilheira deveria pedir para sair, se tivesse vergonha na cara de ser petista.

  • Hélio

    Caro Pedro ”
    Agradeço suas palavras, mas não pretendi desnudar nenhum post, apenas citei fatos concretos para mostrar um outra lado da situação. Abs!

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Amigo Helio:
    A mim seus argumentos derrubaram o POST.
    Abração
    Pedro Luiz

  • Corinthians

    Pedro Luiz Moreira Lima – 28/11/2012 às 14:06
    É isso aí! Perfeito. Apontou falhas, erros e omissões.
    O povo brasileiro são sempre os outros – no caso os que seguem o PT. O resto é dazelite.

  • Corinthians

    Fernando – 28/11/2012 às 21:10
    Sou contra a maneira que foi realizada – via Medida Provisória.
    Ninguém investe em um país onde as coisas mudam ao sabor do vento. Teria que ser previamente anunciado, estudado, definido e dado um tempo para que a nova regra valesse.
    Isso para não emncionar a falta de fiscalização de competência das ag6encias reguladoras.
    A fuga de investimentos em infra-estrutura é gritante, e no caso da energia elétrica já tivemos dois apagões. A manobra foi tão mal realizada que o valor das empresas caiu mais de 50%.
    Vamos ser realistas aqui – você compraria ações das empresas de energia elétrica ? Ou, mantendo o assunto nesta questão, da Patrobrás – a potência brasileira que foi ultrapassada em valor pela Ambev ?
    Estou simplesmente ligando as ações com os resultados que elas provocaram. Também concordo com privatizações – mas não no ritmo e da maneira que foram feitas. Assim como concordo com uma revisão nos contratos também das operadoras de telefonia – mas com algo que dá credibilidade e previsibilidade para não espantar os investimentos que precisamos: PLANEJAMENTO. Isso e redução dos impostos que estão ridículos.
    Sabe o que deve ocorrer caso isso siga da maneira que está agora ? Não haverá investimentos suficientes em infra-estrutura. O preço da energia, mesmo que relativamente mais baixo (ainda continuará sendo um dos maiores do mundo), a demanda vai aumentar mas não teremos crescimento, afinal não teremos infra-estrutura para armazenamento, dsitribuição e geração de energia elétrica no Brasil. Afinal quem vai colocar seu dinheiro em algo que não dá pra prever se vai dar retorno ou não.
    Prevejo mais apagões em um futuro próximo. É hora de voltar a fazer a dança da chuva!

  • João Caetano

    Caro João, comentário com esse tipo de crítica, incluindo o lado pessoal, não publico.
    Sei que você entende.
    Um abração

  • Mauro Pereira

    Caro Ricardo Setti, boa noite.
    Tomo por óbvio que nas hostes petistas há de ter gente de bem e profissionais excelentes. No entanto, o desempenho ético do PT, ou que sobrou dele depois de 2005, ao longo desses últimos dez anos me fez acreditar que não existe nada mais perigoso do que um petista bem intencionado. Via de regra, a boa intenção encenada nada mais é do que um truque barato visando camuflar mais uma patifaria consolidada. É usada, também, como refinada tática de evasão.
    Em se tratando de jornalista militante, então, minha precaução é redobrada, principalmente se ele for da intimidade de Lula. Em seus textos, me parece prevalecer sempre a segunda alternativa. Via de regra deixa transparecer a necessidade de uma saída honrosa a uma situação desconfortável, capaz de aplacar a dor que consome sua alma atribulada, cuja angústia só se dissiparia caso o ex-presidente se dignasse a dar alguma satisfação à sociedade brasileira. E ela, seja qual for o seu conteúdo, seria definitiva, como também seria definitivo o reencontro com a paz que seu espírito anseia. Só não sei se seria finito o acerto de contas com sua consciência.
    Por mais bem intencionado que esteja, no entanto, o articulista-militante não consegue disfarçar o DNA lulopetista facilmente identificado na preocupação de primeiro exercitar a louvação enaltecendo a figura justamente daquele que é a causa de sua aflição e, depois, a obrigação exigindo explicações, sem exageros, é lógico!
    É mais cômodo, e conveniente, enxergar no horizonte uma guerra sem fim criada somente para desmontar a imagem de Lula. E quem teria interesse em denegrir a imagem santificada de Lula? É nessa hora que o subconsciente o trai e a resposta é instintiva: FHC! O rosário interminável de escândalos que tem sido a marca do governo petista,fica por conta da ficção inventada pela mídia suja e golpista. A fileira vergonhosa de ministros que foram defenestrados de seus cargos por envolvimento com a corrupção também é invencionice de uma meia dúzia de brasileiros despeitados e invejosos. A traição à história do partido juntando-se ao que há de pior no submundo da política brasileira é desespero de uma oposição rancorosa e irresponsável. Tivéssemos uma oposição disposta a exercer pelo menos 50% da selvageria que o PT exerceu por mais de vinte anos, certamente Lula teria encerrado sua carreira política em 2005. No mínimo. Seus desdobramentos, ficam por conta da imaginação de cada um.
    Vítimas da própria soberba, os petistas não se deram conta de que caminhavam rumo a um beco sem saída e, ao que tudo indica, se ainda não chegaram estão bem próximos do fim dessa caminhada. A desculpa esfarrapada de Lula dizendo-se apunhalado pela costas já não convence mais, nem mesmo a população menos esclarecida e mais vulnerável à empulhação dessa natureza.
    É chegado o momento em que os petistas, inclusive os bem intencionados, terão de decidir qual Lula eles continuarão a apoiar e a prestar vassalagem. Aquele da mente desequilibrada que tem comandado com mão de ferro ao longo dos últimos dez anos o governo mais corrupto de nossa história, ou aquele representado por um sertanejo nordestino imbecilizado, de capacidade perceptiva reduzida a ponto de ser seguidamente traído por seu auxiliares sem se dar conta do que estava acontecendo ao seu redor.
    Se optarem pela primeira alternativa, confessarão publicamente que o Brasil está nas mãos de mais um psicopata candidato à tiranete ao sul do continente. Se escolherem a segunda, admitirão a implementação da maior farsa política já montada desde a proclamação da República. Eu, particularmente, acredito que Lula jamais deteve tanto poder a ponto de ser a mão solitária a empunhar a colher que engrossa o caldo temperado com a mais fina erva da sordidez que borbulha nesse tacho descomunal, nem, muito menos, o sertanejo com cérebro de ameba ressequido pela inclemência do sol nordestino que o acaso tornou presidente do Brasil.
    Se houvesse uma terceira opção, eu apostaria todas as minhas fichas na hipótese de que ele é apenas a versão pirata de um deus de segunda linha contrabandeado por engano junto com alguns pacotes de cigarros paraguaios. Seguro em terras brasileiras quis reivindicar sua divindade, mas foi tomado pelo pânico quando se deu conta que o Olimpo reivindicado pode estar encravado do lado de dentro de muros altíssimos, assustadoramente inexpugnáveis, onde a vassalagem é permitida somente uma vez por semana. Normalmente aos domingos.

  • fpenin

    O roto tentando ensinar aos esfarrapados a melhor maneira de cuidar de suas roupas…Na vera, é mais falta de “semancol”…

  • Luiz Pereira

    Setti,
    O crescimento é pífio, mas o que tem de gente que edulcora a coisa não tá no mapa!
    Dilma deve ter aprendido economia na Escola do Professor Raimundo: “e o crescimento, óóóó!!!”.
    abs

  • alfredo garrido

    OS PETRALHAS, ESPECIALMENTE O MOLUSCO E A GUERRILHEIRA DE ARAQUE ACHAM-SE NO DIREITO DE DAR PALPITE EM TUDO,EMBORA DE NADA ENTENDAM, A NÃO SER DE CORRUPÇÃO.
    ARRUME A SUA CASA PARA PODER DAR PALPITE NA DOS OUTROS.

  • alfredo garrido

    “MADASTRA DO PAC”
    ARRUME PRIMEIRO A SUA CASA, PAARA TER MORAL DE DAR PALPITE SOBRE A CASA DOS OUTROS

  • Norton Mackinson

    Falam tanto em crescimento no governo Lula, mas n’ao pela politica dele que o Brasil cresceu e sim porque os Units Stats se enfiou em guerras e deixou o rsto do mndo livre para crescer. Hoje eles voltam aos poucos e afundam o mundo novamente em crises.Tenho dito, se cuida Brasil!!!

  • José

    Calma aí!
    Essa é a nossa gerontona!
    Pouco importa se o crescimento é zero ou negativo!
    O que importa é a pose.
    Dá um olhada na poses dela!
    É a nossa gerontona!

  • Mario

    O governo é ruim!
    Pior que o governo é o eleitor que vota nele.
    Povo bunda!

  • Diadema

    A cabidaria não é eficiente. Não tem mágica. Pagamos impostos de Suécia pra sustentar a petezada, sobrando dinheiro pra ter serviços de África e a 2a pior educação do mundo.
    Da pra entender a gritaria contra a “privataria”: menos cabide pra thurminha …

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Setti:
    Foi um crescimento pífio – temos hoje um nível de desemprego por volta de 5% da força de trabalho e os juros baixos geram mais consumo e investimento.
    Não vejo nenhuma hecatombe a frente – sendo assim,poderia ser melhor?SIM! mas sem nenhum desastre a vista.
    Lilás em termos de desastres econômicos, os analistas econômicos de oposição,não têm sido muito felizes em suas previsões e que continuem assim!
    Pedro Luiz

  • Corinthians

    Referente ao comentário do Pedro Luiz Moreira Lima –
    03/12/2012 às 16:09, me sinto obrigado a questionar – lembrando que perguntar não ofende – será ? os analistas acertaram quanto à petrobrás, acertaram quanto à queda de investimentos, acertaram quanto à falta de mão de obra, e pelo visto estão acertando quanto ao crescimento – isso Não é uma redução, é uma pisada no freio!