Image
A Blitz no Circo Voador original em 1982, com Fernanda Abreu (a primeira à esquerda), Evandro Mesquita (ao centro) e Lobão (na bateria) (Foto: blitzmania.com.br)

Por Daniel Setti

Pouco a pouco, a história do rock brasileiro dos anos 1980, um momento de grande importância para se entender a evolução recente da nossa música, começa a ser contada em documentários de respeito.

A Vida Até Parece Uma Festa (2008), filme de Oscar Rodrigues Alves e Branco Mello sobre os Titãs, e Rock Brasília – A Era de Ouro (2011), de Vladimir Carvalho, resumo do agito roqueiro da capital nacional no período, são alguns dos exemplos dignos de nota deste seleto clube, cujo novo sócio deve ser A Nave – 30 anos de Circo Voador, de Tainá Menezes, com estreia prevista para outubro.

O documentário repassa as três décadas de história do mais mítico espaço de shows carioca, surgido no verão de 1982 como um circo propriamente dito, montado com lona e tudo, na praia do Arpoador. No mesmo ano seria desarticulado pela prefeitura e relocado nos Arcos da Lapa, onde se encontra até hoje – apesar de ter permanecido fechado entre 1996 e 2004 -, com programação cultural em plena atividade .

Foi lá que, durante os anos agônicos da ditadura militar, despontaram ao estrelato Blitz, Barão Vermelho, Lulu Santos e Os Paralamas do Sucesso, entre muitos outros daquela geração. O farto conjunto de entrevistados que ajuda a explicar a importância do Circo inclui sobreviventes destas bandas e outros músicos de renome como Gilberto Gil, Lenine, Pedro Luís e Marcelo D2. Assistam ao trailer:

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 − 9 =

2 Comentários

Ricardo de Sá em 23 de junho de 2012

Entre 1996 e 2004 o prefeito e sócio afundador do Circo Voador chamava-se Cesar Maia,que também fez naufragar a Fórmula 1 em Jacarépagua.Ave Cesar.

Luiz em 22 de maio de 2012

Eu vou assistir concerteza.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI