Image
Fernando Lugo, do Paraguai; López Obrador, do México: no Brasil, é um peso e duas medidas (Fotos: Norberto Duarte / AFP :: Henry Romero / Reuters)
Esta é de um leitor que não quer se identificar, por ter suas razões:
O ex-presidente Fernando Lugo sofreu o impeachment tendo sido seguidos os trâmites determinados pela Constituição do Paraguai, e nosso governo diz que foi golpe.
O segundo colocado nas eleições do México quer impugnar o resultado, e nosso governo saúda o vencedor que pode não o ser.
Freud explica?

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × dois =

Nenhum comentário

Luciano Buisine em 06 de julho de 2012

Infelismente a Constituição Brasileira não é igual e do Paraguai, pois, se assim fosse,não teríamos a infelicidade de termos Lula e Dilma.

Reidson em 06 de julho de 2012

Sua resposta ao Corinthians contém ataques injustificados a VEJA e não será publicada. Tente de novo.

Alberto Semer em 06 de julho de 2012

Ué, o que este monte de petista anda fazendo por aqui? Vai comentar nos sites patrocinados!

ANTHONY KUDSI RODRIGUES em 05 de julho de 2012

É isto mesmo REIDSON, a corrupção é "feia" em todos os LADOS e não só de um.

Pedro Luiz Moreira Lima em 05 de julho de 2012

Caro Reidson - 05/07/2012 às 10:31 PERGUNTAR NÃO OFENDE: Ofende sim caro Reidson,eles são muito sensíveis. Abração Pedro Luiz

Corinthians em 05 de julho de 2012

Bom, coerência não é algo que esperamos do governo malullo-petista. O esquema agora é desviar o foco. Tira a CPI dos holofotes. Inventa alguma outra coisa aloprada. Aciona o pessoal da conversa financiada.

A. Silva em 05 de julho de 2012

Já vai longe o tempo em que a diplomacia brasileira era coerente e tinha juízo. Com chanceleres do tipo Celso Amorim e Antonio Patriota não se pode esperar coisa melhor...

Carlos em 05 de julho de 2012

O Noblat explicou direito, Setti. O que aconteceu no Paraguay não foi nada democrático. Lugo nem teve tempo de se defender, como a própria constituição paraguaia admite. O que o povo do Paraguay terá a "ganhar" aliando-se com os EUA será absolutamente nada. Dilma fez o que a Merkel não teve corajem de fazer com a Grécia: chutar o Paraguay e seguir em frente. Ninguém baterá a Presidenta em 2014. Nem o Eduardo Campos, quanto menos o pobre coitado do amador do Aécio. Fin troppo palese questa situazione. Saluti.

Reidson em 05 de julho de 2012

PERGUNTAR NÃO OFENDE: Com FHC, fazemos assim. Com Lula, assado. Com o PSDB, fazemos assim. Com o PT, assado. Com a privataria, fazemos assim. Com o mensalão, assado. Com blogs sujos, fazemos assim. Com os contratos com o estado, fazemos assado. Com Daniela Dantas, Gilmar Mendes, Cachoeira, Demóstenes, José Serra, Alckmin, fazemos assim... Coitado do Freud. Aguardo comentários sobre as recentes revelações da armação entre PSDB e Cachoeira no caso dos "aloprados". Partidarismo político tem limites. Abafar mais esse escandalo do PSDB vai ser difícil.

Gonçalo Osório em 04 de julho de 2012

Celso Lafer matou a pau a questão do golpe para entrada do Chávez no Mercosul. Em artigo na Folha. O resto é conversa mole de quem tenta defender o indefensável.

Pedro Luiz Moreira Lima em 04 de julho de 2012

Setti: São 2 casos totalmente diferentes - nada une os dois fatos.Como um Post apenas oposicionista aceito mas como Post de opinião,defender ou atacar coisas tão diferentes? Abraços Pedro Luiz

Tuco em 04 de julho de 2012

. Quem deve explicar é a seita dos canalhas - que nunca explica nada. Afinal, explicar o que não há explicação? O brasil de há muito está envergonhando os Brasileiros. .

Luiz Carlos em 04 de julho de 2012

Há 10 anos que desisti de entender qualquer coisa em relação ao Governo Federal; acho que é possível acontecer o inimaginável; acho que o limite do absurdo ainda não foi alcançado; JAMAIS ESPEREM COERÊNCIA de quem não sabe o que é isto...

Willer em 04 de julho de 2012

Deve ser o tal Realpolitik que a intelligentzia lulopetista tanto critica. Sem compasso moral nem seguindo interesses nacionais, as decisões tomadas por critérios "íntimos" e baseados em "amizades"(vide declaração de top top), demonstram o fato consternador de que a diplomacia praticada não é brasileira, mas produto e propriedade do regime petista, e sinceramente, não conheço nada mais anti Brasil do que o próprio PT e seus micro partidos satélites.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI