Image
A torcida corintiano no estádio de Oruro: a tragédia na Bolívia deveria ser um marco exemplar para terminar com o conluio entre clubes e torcidas organizadas e para golpear de morte essas entidades de baderneiros de todas as cores (Foto: Daniel Augusto Jr / Agência Corinthians)

Amigas e amigos do blog, leiam esse trecho de reportagem de hoje do site de VEJA:

“O Corinthians deixou claro mais uma vez que não acredita ter qualquer responsabilidade no episódio da morte do garoto Kevin Beltrán Espada, atingido por um sinalizador [disparado por alguém em meio à torcida do clube] durante o empate com o San José, na quarta-feira, em Oruro, na Bolívia. [Doze torcedores estão detidos enquanto as autoridades da Bolívia investigam o crime.]

“Na manhã desta sexta, o clube anunciou que vai recorrer da decisão da Conmebol de barrar a torcida corintiana dos jogos da Copa Libertadores enquanto a tragédia não for esclarecida.

“Em nota divulgada por seu site oficial, o Corinthians diz que ‘lançará mão de todos os recursos legais para reformar a decisão imposta pela Conmebol’. A direção afirma que ‘a punição imposta é injusta, na medida em que prejudica diretamente o direito de inocentes”, citando os torcedores que compraram mais de 80.000 ingressos de forma antecipada para os jogos do time no Pacaembu.

“O clube está tão confiante na chance de escapar sem punições do caso que já avisou aos torcedores que têm os bilhetes para as três partidas que evitem pedir o dinheiro de volta por enquanto. ‘A diretoria acredita na reforma da pena e pede que todos esperem até a próxima quarta’, diz a nota.

Amigos, essa questão da responsabilidade dos clubes de futebol pelo comportamento violento (ou racista) de sua torcida é uma bola dividida. Tecnicamente, como é possível que a diretoria de um clube possa responder por dezenas de milhares de pessoas com a adrenalina a mil num campo de futebol? Como ligar a diretoria de um clube, ou a própria instituição, a dezenas de milhares de torcedores que sequer são sócios?

Do ponto de vista estrito do ordenamento jurídico geral do país, ou dos países, talvez isso seja impossível. Quase certamente é. Felizmente, porém, a legislação e os regulamentos dos campeonatos de futebol conseguiram criar a figura da punição do clube por ações violentas de suas torcidas — mantendo as punições, muitas vezes severas, no âmbito esportivo.

Felizmente, mesmo. No caso do jogo do Corinthians contra o San José de Oruro, acima de picuinhas e interpretações, está em jogo algo sagrado: a vida humana.

A morte pavorosa, horrenda, que teve o jovem Kevín, de 14 anos, com um projétil incendiário entrando-lhe pelo crânio por um dos olhos, mais do que justifica a punição imposta ao Timão — mesmo que os fatos tenham ocorrido em estádio alheio.

Se a Conmebol não fosse uma entidade decrépita, com a credibilidade correspondente, punição exemplar mesmo seria excluir o Corinthians da Copa Libertadores, uma vez identificados como integrantes da torcida corintiana os culpados e seus cúmplices.

O clube pode não ter culpa ao estrito pé da letra, a punição pode ser tecnicamente injusta, mas a manutenção do respeito à vida e à incolumidade física dos torcedores é um valor que, em países civilizados, TEM QUE ESTAR ACIMA DISSO TUDO.

Além disso, uma punição drástica como essa poderia significar dois passos importantes para deter a barbárie nos estádios de futebol:

1. Golpearia duramente o conluio frequentemente existente entre diretorias de clubes, ou parcelas de poder dentro dos clubes, e as torcidas organizadas, utilizadas politicamente por dirigentes.

2. Colaboraria nos esforços que há anos, no Brasil, as autoridades policiais e o Ministério Público vêm realizando para banir a baderna violenta nos estádios, de forma a recuperá-los para a frequência do comum das pessoas.

Como corintiano, é isso o que acho: o Corinthians, como forma servir de exemplo para que fatos horrendos como a morte do jovem boliviano não mais ocorram, deveria ser banido da Libertadores.

E que as autoridades bolivianas descubra mquem disparou o sinalizador e quem mais colaborou para o crime, de forma a que sejam punidos com uma pesada pena de cadeia. Se, eventualmente, chegarem à conclusão de que o criminoso, ou os criminosos, não estão entre os doze presos, mas voltaram ao Brasil, que colaborem com a polícia brasileira para que possam ser apanhados aqui e pagar pelo horror cometido.

Escrevo tudo isso, indignado, mas — como quase sempre acontece — confesso: no final, isso ainda vai acabar não dando em nada.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito + 7 =

126 Comentários

fpenin em 26 de fevereiro de 2013

Esse garoto que alega ter atirado o rojão é um perito. Como ele sabe que o sinalizador que lançou foi o que atingiu o adolescente boliviano? No meio da massa, percebeu o tiro certeiro que desferiu? As quadrilhas que assaltam e traficam drogas encarregam os menores de fazer o serviço sujo; quando pegos, nada lhes acontece e, com isso, os adultos sempre escapam.Essa é uma jogada conhecida de quem é capaz de unir um palitinho a outro e reconhecer que, doravante, terá 2 palitos. Elementar, meu caro Setti.

fpenin em 26 de fevereiro de 2013

Você e todos os corintianos decentes são exceções.

fpenin em 26 de fevereiro de 2013

Setti, Devido ao aparelhamento de todos os setores da sociedade,é bom saber que corintianos como você, apesar de torcedores,ainda colocam a razão à frente da paixão.

Corinthians em 26 de fevereiro de 2013

Setti, Lendo agora seu blog vi que o jogo a ser transmitido é o do Corinthians. Ou seja, quem ganhou com a restrição foi a Globo, que assim consegue passar os jogos sem ter que cumprir a lotação mínima do estádio na cidade onde o jogo ocorre. Se não é aquele timeco da BarraAfunda acho que estaria sem alegrias no futebol neste início de ano.

razumikhin em 26 de fevereiro de 2013

Mais uma vez, o Brasil dá vexame para o mundo. Aliás, o Brasil só dá vexame. Êta maldição. Êta povinho vagabundo, ordinário, chulé. O Curíntia devi ficar fora da Libertadores por uns 3 anos - e ola aqui seus nóia, eu teria a mesma opinião se fosse o Flamengo, Internacional, Cruzeiro etc. etc. etc. Ô vergonha, ô alma vira-lata, ô gente vagabunda.

pedrao em 26 de fevereiro de 2013

Os Palmeirenses, concordamos e apoiamos a supressão do Corinthians ,da Libertadores! Afinal, aqueles torcedores só estavam lá, e por isso cometeram o crime, por causa do time da marginal! O menor que se entregou, é um "bode expiatório"! A culpa por esses infortúnios, começa na diretoria do clube, passa nos empresários gananciosos (incluindo o ronalducho!), atravessa em toda a mídia, perpassa na política por causa do Lullalelé e do patrocínio oficial com dinheiro público, esparrama-se pela torcida em forma de fanatismo e acaba em merdas como essa de Oruro! Esse é o momento de por um fim, nisso tudo! Corretíssima, a decrépita Conmebol!

carlos nascimento em 26 de fevereiro de 2013

As tragédias no esporte são os efeitos causados pelo atual padrão social, educacional e político que nossa Sociedade aceita conviver, anos de desvios, estão gerando essa coisa pavorosa, falta de educação, falta de princípios, falta de ética, etc.,etc. A coisa já chegou no fundo do poço, Santa Maria (Rs), Oruro (Bolívia), e o ano só começou, é hora de reflexões, começando pela Sociedade Civil, tolerância ZERO contra qualquer tipo de conduta delituosa, chega de IMPUNIDADES, as regras devem valer para todos, vamos começar mandando os mensaleiros para à Papuda, chega de aceitar também torcedores assassinos, no esporte cabe vitórias e derrotas, senão qual a graça em torcer, sejamos civilizados, sem os adversários a contenda perde o valor. CADEIA PARA OS INFRATORES.

Marilene L'Abbate - SP em 26 de fevereiro de 2013

"O Corinthians deveria ser excluído da Libertadores"! Obviamente, grande Setti! Com essa justíssima atitude, anularíamos as malignas influências de Lula sobre o Povo-Brasileiro. Gostaria que analisasse, à Luz-da-Verdade, o embate: Cesare Battisti X Menor-Brasileiro X Kevin Beltrán = Itália X Brasil X Bolívia = Questões-Internacionais = Conquista da Democracia, na América Latina. A autoridade boliviana, entrevistada pela televisão, está corretíssima em EXIGIR a presença do "adolescentinho", em Oruro. Adolescente, que pode procriar, já é considerado adulto pelo Universo = Responsável pelos atos cometidos. Um "adolescentinho" pode negar a paternidade, com os atuais Testes-DNA? É a mesma situação. Até a Bolívia possui leis mais adequadas do que o Brasil! Os mofados-comunistas-golpistas sempre atacaram os Estados Unidos da América, qualificando-os como IMPERIALISTAS. Chegou a vez dos "perfeitinhos-brasileiros-comunistas" provarem ao Mundo que não são Imperialistas, na América Latina = ENORME-DESAFIO! Até hoje, a Terranostra sofre com todas ofensas perpetradas por esse Bando-de-Baderneiros, que enxerga somente um lado da Real-Moeda. Aterrorizante = Regime Ditatorial! Queridos comentaristas: As Leis-de-uma-Nação devem ser respeitadas por TODOS cidadãos. Sou palmeirense-violeta e defendo a Total-Felicidade nos Estádios = Respeito + Prazer = Amor-Fraternal. Aprovo a existência de torcidas organizadas, desde que bem direcionadas e responsáveis pelos eventuais crimes. É a impunidade que gera desequilíbrios na Sociedade. QUE SAN JOSÉ AUXILIE-NOS NA CELEBRAZIONE DESSA GRAÇA-DIVINA!

Corinthians em 25 de fevereiro de 2013

Caio Frascino Cassaro - 25/02/2013 às 20:49 Grande Caio, welcome back! Assino embaixo. Acho importante porém frisar que o mesmo vale para Mancha Verde, Independente, Torcida Jovem Isso em SP, tem mais no RJ, MG, RS, etc. etc.).... sempre que tem jogo tem algum tumulto em algum lugar da cidade. Essa relação incestuosa é prática que deve ser abolida.

Caio Frascino Cassaro em 25 de fevereiro de 2013

Prezado Setti: Sou Palmeirense. Por isso, estou muito à vontade para dizer o seguinte: O SPORT CLUBE CORINTHIANS PAULISTA é muito maior do que a Gaviões da Fiel. Esses caras se apossaram da Instituição Corinthians e a estão transformando cada vez mais em algo associado a uma coisa ruim. Tenho primos, sobrinhos, amigos, funcionários e amigos internautas Corinthianos. Esses são os verdadeiros torcedores, não essa súcia que se apossou da marca gigantesca de uma intituição cheia de glórias. Todos estão absolutamente vexados com essa situação, alguns chegando mesmo a chorar com esse episódio tenebroso. E o pior de tudo é que não dá para acreditar que depois de mais de uma semana "encontraram" um culpado convenientemente inimputável. A Gaviões está conseguindo piorar o que já era terrível, inventando uma mentira que obviamente vai ser desmascarada. Eu penso que o melhor que o SCCP poderia fazer no momento era aceitar toda e qualquer determinação da Conmebol relativa ao assunto, sem reclamar. Inclusive porque há o antecedente do jogo Corinthians e River em 2006,em que meia dúzia de PMs impediram a invasão do gramado por uma horda ensandecida e evitaram uma tragédia. Ou seja, o clube é reincidente em problemas provocados pela sua torcida. Acho tudo isso uma pena, pois quando era moleque adorava ir ao estádio assistir a um Palmeiras x Corinthinas, que sempre foi O JOGO aqui em Sampa. Hoje só os muito corajosos vão a um jogo desses, pois o risco de acontecer alguma coisa é muito grande. Enfim, é lamentável ver a Instituição Corinthians virar refém desses marginais, cultores de uma ética e de uma estética violenta, para quem um adversário é um inimigo a ser batido e a quem deve ser imposto o mêdo, não o respeito. E a diretoria tem culpa sim, pois é notória a força que a Gaviões tem dentro do clube, em particular junto ao ex-presidente Andres Sanchez, que incentivou e apoiou o crescimento dessa relação incestuosa entre esse bando de vândalos e o clube. O resultado é que a serpente cresceu e se desenvolveu, transformando-se em uma hidra de várias cabeças que, ainda que decepadas, tornam a crescer em número e em força. Para abatê-la seria necessário atingi-la no coração, cortando todo e qualquer incentivo dado a esses caras na forma de ingressos subsidiados, passagens de graça, presença em vôos fretados, ets. Deve-se, inclusive, cobrar ingressos mais caros para os que fossem em bando ao campo - e isso deveria ser válido para todas as torcidas. Finalizando, isso tudo é uma tristeza. Espero que os dirigentes corinthianos ajam com bom senso e lembrem-se que o clube já era grande muito antes da existência dos "Bobalhões da Fiel". Um abraço Grande Caio, Sai amanhã como Post do Leitor. Abração

Lourival Marques em 25 de fevereiro de 2013

Faço minhas as palavras do JT (JT-23/02/2013 às 10:35). Deveriam cancelar o torneio deste ano. Mas é claro que nada sério vai acontecer na "América Latrina". Aqui pode tudo...

bene em 25 de fevereiro de 2013

Todas as torcidas organizadas têm comportamento similar. Aconteceu esta trágica morte de um jovem em um jogo do Corinthians, poderia ter sido de outro clube qualquer, como também a tragédia de Santa Maria poderia ter ocorrido em qualquer outra boate. Punição exemplar em ambos os casos é a forma de prevenir que aconteça novamente. Cinco anos fora da Libertadores já seria um bom começo. Duvido que as diretorias dos clubes com os milhões de reais que movimentam não seriam mais cuidadosos em patrocinar verdadeiras hordas nos estádios. Vale para todos os clubes e todas as torcidas.

Luiz Carlos em 25 de fevereiro de 2013

Caro Setti, PARABÉNS pela corajosa manifestação. Teu conceito para comigo, que já estava nas alturas, foi para a Estratosfera. Parece que "arrumaram" um "de menor" para assumir o disparo!!! Coisa triste!!!

Ronaldo em 25 de fevereiro de 2013

Esta tal de torcida organizada só serve para causar mortes no Brasil e, agora, no exterior. São bandidos travestidos de esportistas estimulados pelos diretores de clube de futebol, que é uma das pragas do Brasil. O garoto que se apresentou é, acredito,um laranja pau mandado do chefe de torcida que não difere de chefe de gang. São profissionais do crime organizado e sabem como manobrar com as leis do país. O governo brasileiro tem de se preocupar com o ensino e a saúde no país. Marginais que são financiados para matar crianças e adultos em estádios de futebol tem de ficar mofando na cadeia. Na verdade, futebol como diz Digo Mainard é de uma total irrelevância para o país. A cambada que não foi presa deveria estudar e trabalhar. São uns malandros.

Thais Fraga Ferreira em 25 de fevereiro de 2013

Agora os marginais estão solicitando a ajuda do ex-presidente Lula por ser o "melhor presidente da história do CORINTHIANS"...

Leandro em 25 de fevereiro de 2013

Então, Setti. Agora "encontraram" o culpado. Mas o engraçado é que a solução para o crime não vem da polícia, das investigações, do processo, da família da vítima, nada... Vem de quem? Do maior interessado. Ou seja: os culpados. E o que fazem os culpados? apresentam um culpado que não pode ser extraditado, que vai pagar com pequenos trabalhos comunitários e que será regiamente pago pela horda de criminosos, clube incluso, pois financia as organizadas. É o famoso jeitinho brasileiro de acobertar um crime vergonhoso. Da parte diplomática, o Moluscão de 9 Dedos e o Índio Bolivariano vão dar um jeito de aceitarem a estória como verdadeira, a Globo bate o carimbo e o crime estará resolvido. Simples assim.

faustino em 24 de fevereiro de 2013

e quem é vc, ricardo setti, para julgar??????

da Costa Alves e Silva em 24 de fevereiro de 2013

Foda é saber que a justiça brasileira, essa morte vai ser em vão como sempre.

Anderson em 24 de fevereiro de 2013

Morte do torcedor boliviano! Você acredita? Menor foi o responsável pela morte do torcedor boliviano? Se não fosse tão dramático, seria hilário! Que sorte para o Corinthians e para a torcida organizada ter sido um menor, não é mesmo? Muito simples, muito cômodo, um inimputável! Concedo-me o benefício da dúvida! "OBS: Para quem não é familiarizado com terminologia jurídica, inimputável é o menor de 18 anos que, embora esteja sujeito à norma estabelecida em legislação especial, deve ser responsabilizado, unicamente, com base no Estatuto da Criança e do Adolescente)

Joélida Ventura em 24 de fevereiro de 2013

É preciso acabar com a absurda conduta dos membros das ditas 'organizadas', que se preparam para um confronto, como se fossem gladiadores, esquecendo-se de que o esporte é diversão, saúde, congraçamento.

A.Ferreira em 24 de fevereiro de 2013

Certíssimo. A única forma de civilizar as torcidas é punindo os clubes. Basta seguir o exemplo das punições aplicadas após a tragédia do Estádio de Heysel.

Corinthians em 24 de fevereiro de 2013

Setti, Minha vergonha só continua. Seja pelo Facebook, seja aqui mesmo, fico impressionado com a quantidade de torcedores defendendo o indefensável. Devem ser pessoas sem família, sem conhecidos, com incapacidade de imaginar como seria caso o garoto de 14 anos fosse seu filho, sobrinho, irmão. Claro que a culpa é do imbecil que levou um sinalizador e agiu de má-fé atirando o artefato contra a torcida adversária - que aliás foi bem receptiva com o jogo, sem ser abjeta ou violenta. Mas muitos comentários aqui demonstram que grande parte da torcida é culpada de ser cúmplice de tal atitude, ao tentar defender o indefesável querendo tecer argumentações sobre a trajetória do artefato, ou então que outras torcidas tiveram mesmo incidente e não receberam mesma cobrança, ou então que a Conmebol é culpada por que os policiais não rvistaram os bandidos corinthianos que adentraram o estádio. Isso só dá mais validade ao argumento. A torcida, enquanto cúmplice, tem que ser retirada do estádio. Tivesse logo identificado o torcedor que cometeu o delito, não haveria problema. Mas ao tentar justificar o ocorrido e proteger a identidade do assassino, ela se torna cúmplice, e deveria ser proibida de assistir os jogos de seu time, em todas as competições, por longo período, incluindo a transmissão de imagens dos jogos. O clube iria aprender a não mais proteger bandidos e sua quadrilha organizada fornecendo viagens e ingressos grátis - afinal a perda de patrocínio e de renda dos ingressos seria bem alta - e os torcedores iriam aprender que em uma democracia a lei é para todos e não se pode ser cúmplice de um crime sem punição. Desde que tive filhos também não vou à estádios mais. Não vale o risco de encontrar um idiota que possa prejudicar sua vida - seja conforme já colocado com uma pilha atirada, rojões, bandeiras, pedras, carros... exemplos da barbárie que impera neste país de terceiro mundo não faltam. Concordo totalmente com seu desalento, Corinthians. E a palavra correta, e triste, é éssa mesmo: barbárie.

José Eduardo Diniz em 24 de fevereiro de 2013

Bandeiras , não . Não se pode mais levar bandeira para as arquibancadas . SINALIZADOR MARÍTIMO PODE . Nos campos e nas boates . E a gente ainda lê Douglas 13:14 ================================ "... poderia atingir a própria torcida do Corinthians ..." Por acaso , estaria tudo bem sendo a vítima um torcedor companheiro ? É cada uma! E sobre o comentário do Carlos 12:41 ===================================== O Ricardo Setti , que passei a seguir agora , me passa honestidade e coerência nos temas abordados . Não entendi a cobrança feita ao jornalista . Que , por educação , teve a gentileza de responder-lhe . Que tal você usar do mesmo expediente sobre matérias vergonhosamente veiculadas pela GRANDE IMPRENSA no nosso cotidiano ?

arilson sartorato em 24 de fevereiro de 2013

E DIGO MAIS, SE A DIRETORIA DO CORINTHIANS TIVESSE RESPONSABILIDADE E BOM SENSO, SE RETIRARIA DA COMPETIÇÃO EXPONTÂNEAMENTE, MAS O DINHEIRO E O FANÁTISMO VÃO FALAR MAIS ALTO QUE A DIGNIDADE.

jorge molina em 24 de fevereiro de 2013

QUIEN DETERMINA LAS PRIORIDADES DEL EMBAJADOR BRASILERO EN BOLIVIA???CON ASOMBRO VI COMO EL SR EMBAJADOR, QUE SE ENCONTRABA REALIZANDO LABORES OFICIALES EN UNA ZONA ALGIDA COMO LO ES GUAJARAMERIM, FUE DESLOCADO CON URGENCIA A ORURO ,BAJO EL JUSTIFICATIVO DE ASSITIR A LOS HINCHAS DE CORINTHIANS. MIENTRAS EN COBIJA CIUDAD BOLIVIANA COLINDANTE CON RIO BRANCO ( ACRE) UN PRESO BRASILERO CON LESION EN LA CABEZA PRECISA URGENTEMENTE SER REMOVIDO A BRASIL O POR LO MENOS REALIZAR UNA TOMOGRAFIA COMPUTARIZADA PARA AVALIAR LA GRAVEDAD DE SU LESION... SERA QUE LA ORDEN DE DISLOCAR AL EMBAJADOR PARTIO DE LA PRES ROUSSEFF O DEL CO-PRESIDENTE LULA DA SILVA???

Nestor Carvalho em 24 de fevereiro de 2013

Caro Ricardo. Venho fazer estas observações sob a forma de comentário porque não tenho seu email, mas nem é preciso publicar. Trata-se de meu comentário anterior. Longe de mim afirmar que seu artigo não deixou claro o seu ponto de vista. Foi brilhante como sempre, razão por que sou um de seus incontáveis admiradores. Meu objetivo foi o de ressaltar, para os leitores, não para você, que se trata de instâncias distintas, coisa de que poucose fala. Lemos milhares de artgos, blogs e os respectivos comentários, argumentando que o clube não pode ser punido por atos de outras pessoas; que só pode haver punição depois de ser identificado e condenado o autor do disparo; que 30 milhões de pessoas não podem pagar pelo ato de um; que nem se sabe se o autor é mesmo corintiano e que pode ser uma 'armação', etc. E nada disso tem fundamento, quando se trata do âmbito esportivo. Assim como a Polícia ou a Justiça bolivianas não podem determinar a eliminação do SCCP da competição, ou a perda de mando de jogos ou de pontos conquistados e etc., também a Conmebol não pode investigar crimes nem prender e julgar ninguém. Não parece tão difícil de entender, mas o que se vê é uma confusão causada pelo embaralhamento de conceitos, até por gente que teria por obrigação, só se pronunciar após estar informado. Ninguém precisa ser advogado para poder escrever sobre isso, mas precisa procurar se informar e entender o que se passa antes de sair disparando bobagens aí pela mídia como muitos estão fazendo. Mais uma vez, quanto ao 'comenbol', o motivo foi o mesmo. Tenho certeza de que foi erro de digitação, mas basta assitir um noticiário qualquer na TV, ou programa esportivo, epara comprovar que a maioria dos repórteres e 'jornalistas esportivos' vai mesmo é de Comenbol, e eu não quis perder a chance de remar contra a maré, pegando uma carona na sua merecidíssima popularidade. Grande abraço.

CARLOS CESAR em 24 de fevereiro de 2013

Queria também deixar meu repudio ao que aconteceu, não chego ao ponto de pedir a eliminação do Corinthians até poque Tite, jogadores e nós torecdores do timão quer na vitória, no empate ou na derrota nada temos a ver com o que aconteceu, esses mesmos camaradas devem ser aqueles que quando perdemos para o tolima, foram esperar os jogadores no aeroporto armado até os dentes para agredi-los, jogar a libertadores com portões fechados? ótimo! para servir de exemplo a dirigentes reféns desse tipo de "torcedor" e que não tem coragem de afasta-los do clube.

Paulo Padilha em 24 de fevereiro de 2013

Gostaria de voltar a frequentar os estádios mas com tantos marginais fica impossível. Tem que punir o clube sim e aproveitar para reforçar a fiscalização assim como aconteceu com a tragédia de Santa Maria. Só assim esta morte não será em vão.

J.B.CRUZ em 23 de fevereiro de 2013

Vocês já observaram que com o advento do governo petista em 2.003, os brasileiros parecem estar mais impacientes e agressivos?? Nos lares,no trabalho,no trato social,há um ambiente irrascivo,belicoso, por vezes quase insuportável, expulsando até boas maneiras de uma convivência humana..

IRACLAUDIA em 23 de fevereiro de 2013

ai raça de curintianos!!! cadé o fiel assassino? covardão, deve estar embaixo da saia da mãe procurando voltar de onde veio, ASSASSINO!!!!!!! Tirou a vida de um jovem cheio de futuro, inrresponsavelmente. só que qualquer pais tem leis, só não tem na merda do BRASIL, SE ENTREGA AI FIEL COVARDÃO!!! tudo relacionado a violência de futebol, tem que ter torcida do curintia no meio! VCS CORINTIANOS DO BEM, SE SABEM QUEM FÉS ISSO, ENTREGA ESSE CUZÃO PRA JUSTIÇA, TENHAM CONCIÊNCIA! AMANHÃ PODE SER VC OU UM PARENTE TEU RECEBENDO UM SINALIZADOR NA CARA.

carlos roberto chaves pereira em 23 de fevereiro de 2013

Sou fotografo em Minas,e fui em um congresso em São Paulo no mês de agosto,na volta para o hotel,entrei em uma van,no qual o motorista era torcedor do corinthians(gaviões),e ele me dizia que ia no estádio só para dar porrada.Temos que acabar com a torcida organizada.

carlos roberto chaves pereira em 23 de fevereiro de 2013

Torço para o galo mineiro,e vejo quando vou ao estadio a pressão da torcida organizada sobre o torcedor normal,isso não pode acontecer.Temos que acabar com essa torcida,que é infiltrada de bandidos.

RONALDE em 23 de fevereiro de 2013

A diretoria corintiana é a cópia da sua torcida, ou seja, irresponsável. Está fazendo de tudo para se livrar de uma punição conforme reza o estatuto da Comebol.

Ricardo em 23 de fevereiro de 2013

Olá Setti, desculpe quando disse que era bobagem o que escreveu. Não tive a intenção de ofender. Desculpe se o fiz. Apenas fico um pouco indignado quando de certa forma incentivamos entidades como a Conmebol que não contribui de nenhuma maneira para a organização do futebol a "punir exemplarmente". A entidade teve responsabilidade em permitir os artefatos, não orienta quanto a revista dos torcedores e outras tantas omissões neste caso. Quando incentivamos e aplaudimos a punição pura e simples do time me parece que estamos dizendo que quanto maior a punição mais séria se torna a Conmebol. Posso afirmar que a confederação tem muito mais condições de evitar o problema e não o fez. Quando dizemos "sou Corinthiano mas o Corinthians deveria ser punido" estamos legitimando toda e qualquer arbitrariedade que venha a ser cometida. Sou Corinthiano e fui a todos os jogos da Libertadores no ano passado no Pacaembu. Posso afirmar que a organização feita pelo Corinthians e PM de SP foi simplesmente impecável. Já na Bolívia muita gente poderia ter feito seu trabalho melhor. Uma simples revista na entrada de poucos torcedores e o garoto estaria vivo agora. Mas vamos punir o Corinthians e todos vão dormir sossegados. Está desculpado, xará. Abração

Nestor Carvalho em 23 de fevereiro de 2013

Discussões sobre fatos desse tipo geralmente nã levam a nada porque há muita imprecisão e mistura de conceitos, gerando apenas confusão. No artigo foi empregada uma expressão que é essencial para a clareza da discussão: "mantendo as punições, muitas vezes severas, no âmbito esportivo". A punição aplicada (e recorrida) é no âmbito esportivo. Logo, as considerações periciais ou técnicas, criminais, etc. não são aplicáveis. É absolutamente irrelevante se o clube teve ou não alguma participação, por ação ou omissão, se tem culpa ou não, se o autor do disparo teve ou não a intenção de atingir a torcida adversária. Nada disso é relevante. E, ao contrário do que diz o texto, não é impossível ligar à diretoria, ou ao próprio clube, os milhares de torcedores. É desnecessario e irrelevante. Trata-se do conceito de responsabilidade objetiva. Uma responsabilidade atribuída por lei (ou regulamento, no caso). O clube é responsável (estritamente no âmbito esportivo, não esqueçamos) porque o regulamento (que é a lei da competição) assim o pré-determina. Na esfera criminal, ou civil, a questão fica mais difícil de deslindar, pelos diversos argumentos já apresentados por todo mundo. Mas, no âmbito esportivo, não há o que discutir a responsabilidade é da agremiação cuja torcida deu causa ao evento. Simples assim. Uma companhia aérea é a responsável por entregar de volta a sua bagagem despachada. Ponto. Se não entregar, indeniza. Não cabe argumentar que o serviço foi terceirizado e um funcionário da outra empresa desviou a mala, que o aeroporto foi assaltado, que o terminal pegou fogo, nada disso é relevante. A responsabilidade não está em discussão, porque o regulamento diz assim. Entrega ou paga. Os dirigentes ou torcedores do Corinthians que foram à Bolívia e querem eximir o clube de responsabilidade, se ao chegar em São Paulo não receberem suas bagagens, não vão querer saber de desculpas. Vão querer suas malas ou a indenização correspondente. Neste caso, a punição adotada foi a melhor formula, pois pune "a torcida" e não prejudica o clube (esportivamente) como ocorreria em caso de exclusão. A discutir nesse caso, resta apenas o caráter ético da decisão, uma vez que outros eventos dessa natureza são sempre solenemente ignorados e permanecem impunes. Mas essa já é outra discussão... A propósito, não existe CoMenBol. A sigla é ConMeBol, de CONfederação MEridional de FuteBOL. Abraços. Obrigado pela correção sobre a sigla, caro Nestor. O erro, como está mais do que evidente, foi de digitação, mas mesmo assim agradeço e vou corrigir. E longe, longíssimo de mim considerar que o caso não abrange a esfera criminal. Claro que abrange! Deixei isso claro -- que desejo punição criminal severa para os responsáveis -- no final do texto. Mas, como se sabe, existe a legislação esportiva e a que rege o comum dos cidadãos -- todos nós. E a esportiva pode se dar o direito de aplicar punições que, do ponto de vista técnico da legislação penal comum, provavelmente não ficariam de pé. Imaginava que havia deixado isso claro no texto. Abraço

TONY MARQUES em 23 de fevereiro de 2013

Todos os clubes são responsáveis por atos de seus adeptos torcedores em dias de eventos dos quais participam. Há diretores que patrocinam "brucutus" para serem respeitados.Consultem a situação financeira desses 12 presos, se possuem condições de irem assistir jogos fora do Brasil. Alguem deve estar bancando: o clube ou alguem, empresa, seja lá quem for. Que sirva de exemplo e seja aplicadas punições severas contra quem praticar atos desse tipo.

Mariana em 23 de fevereiro de 2013

Como corintiana e cidadã, espero a identificação e punição com prisão para todo e qualquer assassino. Só lamento que nesses casos de violência no futebol, tudo fique no âmbito esportivo. Ou seja, a mídia chama os criminosos de "torcedores", o que a meu ver diminui as chances de punição, afinal, o termo torcedor é generalizante, não há como prender uma torcida inteira. Então esse é um jeitinho de livrar sempre a cara desses criminosos. Nesse caso do torcedor boliviano morto, vejo isso mais uma vez acontecer. Lá vem os debates sobre a punição esportiva.... passa-se o tempo e percebemos que a punição que realmente importa, que é a criminal, nunca acontece. Pergunte aos pais do garoto morto, se se sentirão justiçados apenas com um time jogando em estádio vazio. LÓGICO QUE NÃO. Creio que o que eles querem, é o assassino na cadeia, longe do convívio da sociedade. Chega de só falarem da justiça esportiva, queremos justiça criminal. Parem de chamar esses bandidos de torcedores. Torcedor apenas torce, vibra, grita, xinga, vaia, corneta, aplaude, chora e se diverte entre amigos. Criminosos não tem alma, não tem coração, são frios, preconceituosos e não respeitam o próximo.

Carvalho Netto em 23 de fevereiro de 2013

Caro Ricardo Setti!, não estou aqui fazendo esse comentário para amenizar a polemica, não sou a favor de torcidas uniformizadas, sou Corintiano sim!!!!! mas deixei de ir ao estádio há exatamente 18 anos, pois em uma partida de uma única torcida, no caso o Corintians, eu estava na arquibancada com meu filho, e recebo um copo plástico de urina, pergunto!!! isso é torcida, claro que não, sou contra até debaixo dágua para eliminar essa cambada de vândalos e mal feitores que se intitulam z"torcedores", mas venhamos, não estou defendendo, mas a policia de lá da Bolívia, tinha a obrigação de fazer a revista e proibir tal artefato, mas por causa de 200 marginais, uma torcida toda será prejudicada, aí eu discordo mesmo.

Rubens em 23 de fevereiro de 2013

Sr. Ricardo, como leitor e apreciador de sua coluna confesso-me decepcionado com sua lógica nesta matéria. Acho ingênuo pensar que punir o time vai evitar que isso aconteça novamente, pelo simples fato de que tal ato depende de apenas um criminoso (ou idiota!? não sabemos ainda) e esses sabemos bem, existem aos baldes e sempre existirão. Além do mais, ficaria a ridícula possibilidade de um time eliminar um outro mais forte, que esteja em seu caminho, simplesmente infiltrando um marginal disposto a cometer um crime entre os torcedores adversários. Penso que acões como aumentar a segurança na entrada dos estádios e proibir as torcidas organizadas com certeza surtiriam mais efeitos. Mas é só a minha humilde opinião. Sigamos discutindo e dessas discussões com certeza sairão as idéias necessárias pra evitar outra tragédia como essa. Grande abraço.

Ricardo em 23 de fevereiro de 2013

Ricardo Setti, com todo respeito a você discordo completamente. As torcidas ficam camufladas pelos times. O que você propõe perpetua este fato. Temos que responsabilizar nesta ordem a pessoa acendeu o artefato, quem o comprou, quem organizou a viagem e não orientou as pessoas, a polícia que não revistou os torcedores, o regulamento que não proíbe o uso desses artefatos. O que você propõe apenas encobre os responsáveis diretos. Se o Corinthians for responsabilizado os verdadeiros culpados ficarão impunes. Amanhã alguém mata uma pessoa e vamos ver se estava usando a camisa de algum time e punir o time.

Ricardo em 23 de fevereiro de 2013

Ricardo Setti, com todo respeito a você discordo completamente. As torcidas ficam camufladas pelos times. O que você propõe perpetua este fato. Temos que responsabilizar nesta ordem a pessoa acendeu o artefato, quem o comprou, quem organizou a viagem e não orientou as pessoas, a polícia que não revistou os torcedores, o regulamento que não proíbe o uso desses artefatos. O que você propõe apenas encobre os responsáveis diretos. Se o Corinthians for responsabilizado os verdadeiros culpados ficarão impunes. Amanhã alguém mata uma pessoa e vamos ver se estava usando a camisa de algum time e punir o time. Imagino que você está sob emoção e escreveu uma bobagem dessa. Você poderia perfeitamente ter feito a crítica fundamentada que fez sem dizer que o produto de meu trabalho foi "uma bobagem", não é mesmo. Pode-se criticar sem ofender.

Douglas Pagnard em 23 de fevereiro de 2013

Pelo ângulo da trajetória do sinalizador o artefato foi disparado acidentalmente, poderia ter atingido a própria torcida do Corinthians, contudo, resta o fato de terem levado sinalizadores para o estádio. É urgente tornar o porte desses artefatos crime.

Gustavo em 23 de fevereiro de 2013

Márcio, me perdoe mas, não seja idiota e emocional. Em 13 de maio de 2000, só para exemplificar, houve uma batalha na via Anchieta entre torcedores do São Paulo e do Santos culminando com uma morte, entre muitos feridos. E Essa morte foi de um sãopaulino. O processo está correndo até hoje. Fora com a torcida "organizada"!

Jorge em 23 de fevereiro de 2013

Se o corinthians não financiasse a viagem deste bando de vagabundos, todos com 27, 29, 30 anos que não fazem nada de útil na vida, o acidente não teria acontecido.Se alguem financiasse os custos de um assassino,seria considerado cúmplice, porém, como é com o corinthians, e envolve muito dinheiro, o corinthians passa a ser um inocente prejudicado por tudo e por todos.

Prentice Franco em 23 de fevereiro de 2013

Esse tipo de sinalizador tem sua trajetória aleatória quando acionado, apesar de vc apontar para o alto ele toma uma trajetória totalmente diferente de que apontou, por seu tubo ser curto não é suficiente para concluir uma trajetória direcionada para o foguete, que é o próprio sinalizador, para resolver esse problema com sinalizadores utiliza um tubo 1,5m de PVC com a espessura pouco maior que o tubo do sinalizador encaixe metade do tubo do sinalizador dentro do tubo de PVC aponte para uma direção e acione o sinalizador que o mesmo irá tomar a direção desejada. Eu mesmo já acionei devesos sinalizadores e pode constatar erro na tragetória, ou seja você aponta para uma direção e vai para outro. Tec em Armt e Explosivos do Exercito. Caro Prentice, o sujeito -- vê-se claramente no vídeo -- apontou diretamente em direção quase horizontal, ou seja, em direção à torcida adversária. Por que não apontou PARA CIMA? Aliás, para que levar essa verdadeira arma letal a um estádio de futebol?

Fjcristal em 23 de fevereiro de 2013

Nao sou corintiano, nunca tive este privilegio e nem quero. Agora o incidente que deixou um jovem morto tem alguns questionamentos: 1 - O vídeo nao mostra quem foi o autor do disparo e se teve a intençao de disparar contra alguem; 2 - Cabe a Policia coibir a venda e a entrada deste tipo de artefato em estadio, mas vendiam e entraram com este material; 3 - Nao estão apurando a responsabilidade da policia no caso; 4 - e a prisao de 12 brasileiros sem provas robustas da autoria deste inicidente, é arbitraria e deve ser acompanhada pelo Governo Federal; 5 - incidente pois o acionamento destes dispositivos, como rojao podem o projetil sair para os lados, já aconteceu comigo, que saiu para baixo, queimando minha mao.

Carlos em 23 de fevereiro de 2013

Sr. Ricardo, O Sr. poderia informar seus leitores a sua profissão em 1992 ? Naquele ano, um são paulino matou um corinthiano não com um sinalizador, mas com uma bomba caseira dentro do estádio do Nacional. Não me lembro do Sr. defender na época a exclusão do SP de qualquer torneio, mas talvez minha memória esteja me traindo. Sendo assim, o Sr. poderia comprovar que pediu a exclusão deste time de algum torneio ? Estou aqui sentado esperando sua manifestação. Minha profissão, graças a Deus, é, há décadas, a mesma: jornalista. Por acaso não lhe ocorreu que eu na época não "pedi" providências porque não escrevia em nenhum veículo de imprensa? Na ocasião desse horrível incidente, eu trabalhava como assistente do vice-presidente executivo da Editora Abril e tinha funções internas.

juber em 23 de fevereiro de 2013

Era para o corinthians estar bem caladinho e aceitar todas as puniçoes.São eles,juntos com as TVs,que incentivam a idolatria louca pelo futebol com o fim de vender produtos.Louco por ti corinthians:não é este o refrão mais falado e incentivado?

Gilberto em 23 de fevereiro de 2013

Parabéns pelo texto. De um jornalista como você, não esperava postura diferente. Infelizmente, não acredito em punições. O Brasil, a Comenbol, e a América Latina - de uma forma geral - tem algo em comum: IMPUNIDADE. Estamos a anos-luz da seriedade que existe na Europa. Em poucos dias, tudo será esquecido. Isso dará em NADA. Principalmente em se tratando de Corinthians, o queridinho da imprensa PAULISTA, de Lula, e da Globo. Com o "timão" ninguém mexe!!! Se houvesse menos fanatismo e mais seriedade e imparcialidade, além da violência desmedida, a imprensa divulgaria (com provas) o dinheiro sujo (MSI, Kia Jorabichian, Boris Beresovisky, etc.) que envolveu e envolve o futebol, pagando jogadores e comprando títulos. O que deveria ser lazer e diversão, virou negócio de bandidos.

José Carlos Lopes de Oliveira em 23 de fevereiro de 2013

A muito tempo que a torcida do Corinthians vem cometendo barbaridades nos estádios, sob os olhares complacentes de uma imprensa tacanha, sem ética e anti-profissional que coloca o seu mais arraigado corintianismo a serviço desse clube que leva carradas de bandidos para as arquibancadas.

josue em 23 de fevereiro de 2013

BOM DIA, SITO UMA GRANDE LISTA DE CULPADOS, O TORCEDOR QUE LANÇOU O ARTEFATO O PRESIDENTE DAS TORCIDAS ORGANIZADAS(ELE DEVE DE RESPONDER PELO ATO DE SEUS ASSOCIADOS). O PRESIDENTE DO SAN JOSÉ O CAPITÃO DA POLICIA,QUE PERMITIL QUE ENTRASSEM COM O ARTEFATO. O PRESIDENTE DO CORINTHIANS. EM SÃO PAULO AS ORGANIZADAS NÃO PODEM LEVAR BANDEIRAS AOS ESTADIOS,EXPLOSIVOS SIM SEM RESTRIÇÃO.

josue em 23 de fevereiro de 2013

TAMBEM FALO COMO CORINTHIANO E, CONCORDE PLENAMENTE O TIME DEVERIA SER EXCLUIDO,E, OS RESPONSAVEIS PELA TORCIDAS DEVIDAMENTE PRESOS,PARA APRENDEREM A TER RESPEITO PELA OUTRAS PESSOAS: OBS. ISTO É VALÍDO PARA TODAS AS TORCIDAS QUE, CONTAM COM TORCEDORES IMBECIS,COMO ESTES!!! AS ORGANIZADAS DEVEM TAMBEM ENSINAR OQUE PODE E OQUE NÃO PODE FAZER.

ivens lira em 23 de fevereiro de 2013

O corinthians,tem que ser punido sim,pois que patrocina essas organizadas é o proprio clube.

Rui de oliveira teles em 23 de fevereiro de 2013

Ricardo voce pode ser corintiano, mas nesse caso o que voce que e aparecer, pense? Eu quero "aparecer"? E por que haveria de querer "aparecer"? Tendo um blog, eu já "apareço" no cenário da imprensa mais do que suficientemente. Você não pode conceber a hipótese de que eu pense o que escrevi?

Rui de oliveira teles em 23 de fevereiro de 2013

o colunista nao vendo o outro, uma torcida ou alguns torcedores erram eles tem que pagar, mas sacrificar a honra e mora de um time seria a maior injustiça no futebol, seje voce corintiano ou nao, olhe a luz de direito.

César Augusto em 23 de fevereiro de 2013

Sr. Márcio, tenha um pouco mais de memória antes de falar besteira! http://www.conjur.com.br/2011-out-03/santista-acusado-morte-sao-paulino-ira-juri-segunda-vez Só pra citar um caso!

Nelson Gomes Affonseca Junior em 23 de fevereiro de 2013

Serena e civilizada tratativa do bem supremo, a vida. Tudo o mais é acessório, portanto, não há que se falar em injustiça ao Corinthians e seus seguidores. Posicionamento filosófico, abrangente e humanista. Devemos sempre nos posicionar assim, caso contrário estaremos nos posicionando sempre em favor dos facínoras e/ou fascistas. Parabéns!

JT em 23 de fevereiro de 2013

Sou mais radical: deveriam cancelar a Libertadores deste ano. O garoto boliviano teve morte instantânea, pois o projétil explodiu dentro de sua cabeça. Isso é pavoroso e mais pavoroso ainda é que a partida seguiu até o fim. Foi ridículo ver o Tite choramingando numa entrevista coletiva que durou menos de cinco minutos. Essa entrevista era para ser cancelada, mas aconteceu diante de um painel de patrocinadores. Esse patrocinadores, se tivessem um pingo de vergonha e honradez, não teriam deixado a entrevista acontecer. Essa Libertadores já ficou manchada. O futebol está manchado. O oba-oba em cima do futebol já passou do ponto.

paulo toledo em 23 de fevereiro de 2013

Concordo com o autor do texto em partes, a punição com a impossibilidade da torcida entrar nos jogos da libertadores já está de bom tamanho; com certeza isso irá refletir nas proximas atitudes de todos torcedores, desde jogar uma moeda ao gramado , até um sinalizador na torcida adversária. A exclusão do corinthians da libertadores é um exagero sem tamanho, digo isso com total imparcialidade, pois sou são paulino. Não vejo o porquê da agremiação alvinegra pagar sozinha pelo fato pelos seguintes motivos:1- houve falha de fiscalização quanto a venda indiscriminada de artefatos para uso específico( sinalizador marítimo), com absoluta certeza não era dever do corinthians policiar tal venda ilegal, 2- querer responsabilizar a commebol por ter deixado os torcedores entrarem com o sinalizador é outra imbecilidade, já que a falha no pente fino ao adentrar no estadio, estava a cargo da policia boliviana.3- quem não garante que isso tudo foi armado? existe um baita racha entre a gavioes e o pessoal da rua são jorge, erá que isso não foi premeditado com o objetivo de prejudicar a gavioes? reflitam, nem tudo é tão simples quanto parece.

Gustavo em 23 de fevereiro de 2013

Ô Ricardo. Arrume aí. Escrevi Comembol. O correto seria Conmebol. Errei na grafia mas mantenho o veneno contra essa entidade. Grato.

Gustavo em 23 de fevereiro de 2013

Também, como Corinthiano, gostaria de ver o meu time eliminado da competição. O meu argumento é simples: Não só o Corinthians mas, todos os clubes de ponta, financiam os bandidos escondidos na massa de torcedores para "sustentarem" seus projetos políticos. São uns idiotas os dirigentes. Se eles se livrarem desses bandoleiros nós, que temos famílias, iríamos maciçamente aos jogos. Os preços poderiam ser até mais elevados, reais. Quanto a Comembol, deveria punir também todos os clubes da América Latrina (isso mesmo que vocês estão lendo: Latrina)por deixarem entrar torcedores com pedras, foguetes e o "escambau". Querem imagem mais ridícula do que aqueles coitados vestidos de policiais protegendo os jogadores com escudos, durante a cobrança dos escanteios ou laterais? Por outro lado, a população imita seus governantes. O que esperar de atitudes desses animais travestidos de cidadões se tem "lideres" como Chaves, Lulla, Evo, Cristina e outros, sem falar na adoração dos PTistas pelo Fidel, marco do atraso?

Piloto em 23 de fevereiro de 2013

Muito oportuna e sensata essa reportagem do Ricardo Setti, com certeza uns dos poucos sensatos que ainda existem nessa torcida, que no últimos anos tem extrapolado aos extremos, e essa justiça brasileira como é e com mais os apadrinhados de plantão tipo Lula da Silva, se não tomarem providencias urgentes certamente essa torcida que acha que tudo pode e não importando os meios, estará entrando nos estádios de futebol muito em breve com metralhadoras nas mãos.

José Eduardo Diniz em 23 de fevereiro de 2013

Banalizaram a vida, a morte , os valores. É impressionante como a Grande Imprensa trata os acontecimentos . Diante da morte de uma pessoa nossos bravos jornalistas estão mais preocupados com o que pode acontecer com o time na competição , em como livrar o clube de uma punição , na perda de receitas . É MUITO BOM ler uma coluna na qual o titular sabe exatamente as medidas dos valores humanos . Parabéns pela atitude . Pela opinião . Pela coragem de expressão de sentimentos tão em falta nesses dias tão violentos que estamos a viver . NÃO EXISTEM JUSTIFICATIVAS PARA ATOS COMO ESTES .

Francisco em 23 de fevereiro de 2013

Sou anti corintiano. Torço para 2 times: a favor do São Paulo e contra o Corintians. Mas vamos e vejamos. O controle de objetos ou qualquer artefato, na entrada dos estádios, não é feito pelo clube e sim pela polícia. QUEM TEM QUE SER RESPONSABILIZADO É A POLICIA. Estão desviando o foco. Acho injustiça o que estão fazendo com o Corintians. Como os fogos são liberados, poderia acontecer o inverso, e aí.

Nina - RS em 23 de fevereiro de 2013

Vc corintiano, querido Setti?? rsrs E eu que imaginava que vc era perfeito... No mais concordo integralmente com seu texto, apenas coloco que deveria haver mais rigor na fiscalização de entrada dos estádios. Neste horrível caso houve apenas uma vítima, mas se este destemperado torcedor (?) tivesse em mãos uma granada?? Seria uma carnificina!! E não me digam que quem é capaz de levar um sinalizador marítimo e apontá-lo em direção a uma torcida não haveria de lançar uma granada. Lançariam sim, infelizmente. Abraços colorados!!

roberto em 23 de fevereiro de 2013

Só a exclusão da copa não, MAS TAMBÉM A SUA EXTINÇÃO TOTAL, COMPLETA E IRRESTRITA, ai sim teriamos eliminado um cancro no país.......

Darcy de Oliveira em 23 de fevereiro de 2013

Finalmente um Blog da Veja se manifesta. Estava demorando! Acho que não vai dar em nada. Realmente ainda somos um continente em desenvolvimento, ou seja, subdesenvolvido! Veja o caso da Yoani e dos tiranos no poder!

fpenin em 23 de fevereiro de 2013

Setti, Todo fato, por mais desgradável que o seja, representa possível aprendizado. A desdita do jovem boliviano assassinado por um sociopata deveria servir de exemplo às nossas ditas "autoridades competentes". É com grande apreensão que vemos em grandes eventos , principalmente jogos de futebol,pais desatinados erguendo em triunfo seus bebês e os exibindo às câmeras das televisões. Os miúdos jamais deveriam ser levados a tais locais, pelo risco de adoecer ou até mesmo de morrer. O barulho ensurdecedor, o calor infernal, a possibilidade de contrair doenças resiratórias,etc, são fatores que ameaçam essas crianças de modo REAL, mas não vi, até hoje, nenhum juiz que tenha enfrentado a situação, proibindo o ingresso desses inocentes na arena dos leões. Setti, é possível que o seu engajamento em uma campanha para evitar o sacrifício desses inocentes resulte produtivo. Conto com você. Posso?

fpenin em 23 de fevereiro de 2013

No mundo das torcidas dos maiores clubes do mundo a violência contra qualquer oponente é vista como "paixão". Paixão que mata, que espezinha, passa ao campo dos distúrbios mentais. Pessoas que sublimam seus desvios da alma com atos toscos e selvagens deveriam, antes de ir aos estádios, valer-se de psicólogos e psiquiatras.Eu faço parte da massa que torce pelo Flamengo e reconheço que ela também não é "fácil". No entanto,nos últimos anos, a torcida do Corínthians incorporou, incentivada pelo Capo, o modo Lula de ser. Atos antissociais passaram a afirmativos, de guerra. Alguém que prega desprezo pela literatura e desapego aos livros, que defende o "todos fazem,por que não eu?", que mostra à nação, sem pudor,a face da incivilidade, que faz questão de ser visto como oponente de tudo o que que possa ser entendido como burguês (apesar do patrimônio e da conta bancária),não deveria ser considerado exemplo de coisa alguma, mas a galera corintiana resolveu desatinar: as consequências estão à vista de todos nós, porém o que mais choca é a perda de vidas inocentes.O crime cometido é doloso, premeditado. Como alguém que tenha saúde mental pode dar-se ao trabalho de atravessar um país, chegar aos Andes, transportando material de grande poder explosivo para uma simples partida do seu clube do coração? São loucos, meliantes, e devem pagar por seus atos. À diretoria do grande clube paulista cabem atitudes e providências que visem a coibir a ação insana de todos os "apaixonados" que insistem em ver no adversário um inimigo a aniquilar. Primeiro a razão!

DÉBORA MOUTINHO em 23 de fevereiro de 2013

Gosto muito da revista Veja, leio sempre que posso meu Pai era assinante Veja

Eduardo em 23 de fevereiro de 2013

Morava em Goiás e fui assistir o Brasil jogar no Serra Dourada. Acompanhava-me o filho mais velho, hoje com 41 anos, à época, pouco mais de 16. Alguém atirou uma pilha de lanterna (suponho mais de uma, outros ficaram feridos também) na minha cabeça. Nunca mais fui a campo de futebol. Decisão radical? Exatamente. Cada um julgue o deve fazer com a sua vida --- única --- e comporte-se como deve ser. O resto é conversa de idiotas fanáticos do miolo mole que acham que tolerância com violência em estádio de futebol deve ser tomada no sentido social mais 'light' possível. Não torço para time de futebol nenhum. Assisto os jogos no conforto de minha casa, uso conveniências modernas, tomo minha cerveja e com a TV em alta resolução cobrindo todos os ângulos possíveis, ainda aprecio esse esporte fabuloso, entre outros, como o basquete. Campo de futebol? Se no meu tempo já era assim, imagino como deve ser hoje! Parabéns pelo excelente comentário do Setti sobretudo pela observação jurídica. Falo com conhecimento de causa!

Renata em 23 de fevereiro de 2013

Sou corinthiana,apaixonada,adoro o Corinthians,sinceramente estou com o coração apertado...mas queria que o Corinthians saísse da Libertadores e mais que nem precisasse de imposição...que simplesmente em respeito ao garoto ele se retirasse.Talvez essa seria uma atitude de grandeza....

Gustavo em 23 de fevereiro de 2013

Boa noite , acho de fato um caso absurdo, mas vejamos que existem vários erros nesta situação: 1) porque entrou com sinalizador, nao foi revistado !!!! 2) como que 1 único time pode Ser punido, por erros de terceiros, será que de fato ele e mesmo corinthiano, nao pode algum criminoso querendo ele mesmo punir o corinthians!!!! Existem coisas que mão existem culpados e sim

ze pinto em 23 de fevereiro de 2013

Se em um show de um artsta famoso um maluco mata alguem sera que o artista famoso é que deve sar punido?

fernando gomes em 23 de fevereiro de 2013

Dirigentes do Corinthians mandem apoio p a familia do menino morto!!!

Ruan Duarte em 23 de fevereiro de 2013

Realmente o ocorrido foi uma tragédia, mas o time não tem responsabilidades em cima das atitudes dos torcedores que entram no estádio. Afinal eles estão lá para jogar futebol, e em momento nenhum ouve estimulo por parte do Corinthians para que a torcida tivesse essas atitudes. A responsabilidade é toda da segurança do estádio, que permitiu que os torcedores adentrassem o estádio com fogos de artificio, ou agora o time vai ter que fiscalizar a torcida antes do jogo?

Joca Leite em 23 de fevereiro de 2013

Discordo. Acho que se o mando fosse do Corinthians, seria justa a punição. Agora, responsabilizar o time, por causa de um maluco que acompanha a torcida, acho demais.

MARCIO em 23 de fevereiro de 2013

prefiro ser santista e ver meu time leva de 4 do barcelona do que um santista matando uma pessoa

MARCIO em 23 de fevereiro de 2013

BRASIL UM PAIS DE TODOS BRASIL PAIS RICO E PAIS SEM POBREZA BRASILEIRO E LEGAL KKKKK

Fernando em 22 de fevereiro de 2013

Texto irretocável. Tomara que,contrariando nosso trite histórico de injustiças, o clube e os torcedores envolvidos,incluindo aí os dirigentes das Organizadas, sejam devidamente punidos por essa barbaridade.

Honneur Monção em 22 de fevereiro de 2013

Simples: é só ler o regulamento. Quem se dispôs a jogar, aceitou o regulamento e agora deve ir reclamar ao Bispo. Só quem não sabe ou não quer ler é que fica fazendo suposições sobre quantidade de torcedores, sobre a justiça de medida...

flavio em 22 de fevereiro de 2013

Caro Ricardo, concordo plenamente. Somente dessa forma poderemos ter em um futuro próximo uma condição melhor para que as familias possam ir aos estadios. Todavia, a midia também deveria parar de afagar jogadores que cometeram indisciplinas e foram expulsos de campo.

carlos nascimento em 22 de fevereiro de 2013

Quando do retorno de RS ao site de Veja, por não ter tido a chance de conhecer o seu trabalho de tempos atrás, indaguei de AN, lembro-me como se fosse hoje: Mestre AN, fale-nos de RS e seu retorno à Veja: Foi categórico, trata-se de um espécime humano raro e quase em extinção, é um irmão de idéias e caráter inigualável, vc terá chances de apreciar um fora de série. Desde então venho acompanhando o seu maravilhoso trabalho, hoje foi a gota d'água, poucos, pouquíssimos, possuem esse senso de Justiça e dignidade. RICARDO,OBRIGADO, BRAVO. VC NOS OFERECE UM GRANDE EXEMPLO DE CIDADANIA. Abraços. Carlos Nascimento. Muitíssimo obrigado, caro Carlos. Espero merecer as palavras que você me dedica. Um grande abraço

Indignado do interior SP em 22 de fevereiro de 2013

Caro Setti. O futebol deve ser encarado como um show, uns gostam outros não,mas todos que ali estão querem ver,gols,emoções,vibrarem,aplaudirem e ate vaiarem,mas acima de tudo querem participar de um grande espetáculo.Não, definitivamente não cabem mais as agressões,brigas e infelizmente mortes, basta, sou corinthiano desde sempre,mas concordo com seu ponto de vista, elimine-se que sirva de exemplo,talvez num futuro proximo poderemos estar no mesmo nivel de paises civilizados.

john w barbosa em 22 de fevereiro de 2013

ricardo concordo plenamente com vc ,os clubes estao fazendo de mortos(igual o lula )estao criando monstros igual os hollings (ingleses)que foram abolidos dos estadios;fico pensando qdo for em itaquera,sera terra tombada?valera tudo,e nosso e nòis,futebol nao e isso,nao e doença e paz.

Massaki em 22 de fevereiro de 2013

E isto mesmo nao vai dar em nada ,logo a Sr. Lula vai dar um telefonema para o conpanheiro bolivariano Morales e irao fumar o cachimbo(coca) da paz e ficara td bem, abrs.

Corinthians em 22 de fevereiro de 2013

Setti, Como corinthiano fanático eu discordo. Mas claro, acho que a punição é muito branda. Já me deixa enojado o fato de as torcidas organizadas hoje atuarem como quadrilhas. Ao ver no Globo Esporte o jornalista (ou blogueiro) falando de lá que as pessoas já diziam que quem havia acionado o foguete já havia deixado o país, mas não falam o nome dela, demonstra o quanto desrespeitam a vida humana (ainda mais de um menino de 14 anos) e o próprio time. Eu acho que o Corinthians pode continuar jogando a Libertadores, mas a Conmebol deveria entrar em contato com a CBF e o time deveria ter a torcida proibida de ir ao estádio em TODAS as competições. As torcidas organizadas deveriam estar proibidas. As transmissões de jogos do time deveriam estar proibidos. Ou seja, eu acho que a torcida deveria ser sim excluída. Somente assim vai se quebrar esse maldito vício de ser mais fiel à uma organizada do que aos valores universais. Somente assim vai se punir quem realmente fez a ação. Somente assim as torcidas organizadas vão começar a agir de maneira a impedir e expulsar que bandidos façam parte de seus quadros. Não precisa ir muito longe Não, basta lembrar do Carnaval passado. A exclusão da torcida deveria ser de no mínimo três anos, e caso não identificado a pessoa que lançou o foguete, o tempo deveria ser de 6 anos. A torcida sim deve levar a culpa, e a punição deve ser severa assim afetando à todos para que aprendam a parar de esconder e proteger bandidos e assassinos.

Massaki em 22 de fevereiro de 2013

Assino em baixo,estou com vc ,eu tabem sou corinthiano.

Anchieta em 22 de fevereiro de 2013

Carro Setti, Quanto ao comentário do Sr. Jose Figueredo, não tenhamos duvidas, estamos no Brasil, então tenhamos certeza! E quanto as mudanças só ocorrem quando se usam medidas fortes, punições severas, como as que são impostas aos clubes europeus (não importando o pais de origem), quando os seus torcedores causam transtornos sejam onde for.

Reginaldo em 22 de fevereiro de 2013

Ricardo, permita-me uma colocação: entendo que a responsabilidade é da diretoria corintiana. Afinal,foi ela quem levou e pagou todas as despesas dos "torcedores".É a mesma coisa, quando você manda seu filho para uma excursão da escola. É uma questão de responsabilidade.

Simone em 22 de fevereiro de 2013

Magistral sua colocação, caro Ricardo. Sou corintiana e tenho VERGONHA do time ter recorrido da decisão da Conmebol. É nojento. É grotesco. É prova da lasciva relação desses grupos criminosos e intocáveis (as tais "torcidas organizadas") com o clube. Estou com asco profundo do meu time. Pobre criança. Não estou com asco de meu time, mas dessa corja que se diz "torcida" e dos eventuais integrantes do clube que tenham ligação com ela(s). Abraço

Carlos em 22 de fevereiro de 2013

Como Palmeirense, estou de pleno acordo.

José Figueredo em 22 de fevereiro de 2013

Caro Setti,voce que está na Europa e deve curtir muitos jogos dentro dos estádios como se estivesse em casa confortavelmente,sabe que uma vez não era assim e os holligans não nos deixam mentir.Quando a justiça descobriu a forma de punir o clube pelo mau comportamento de um montão de enegúmenos,a coisa só melhorou para todos.Uma das maiores diversões coletivas virou palco de morte,dor,sofrimento por motivos torpe.Lançar sacos de mijo na torcida adversária já seria motivo de exclusão do marginal das arenas.(arena também é um nome inapropriado para um estádio,pois lembra gladiadores,leões famintos etc.Ou seja:lutas,mortes,sangue,violências).Extravasar com gritos, urros e vaias já estaria de bom tamanho e incomodaria somente a audição do vizinho mais comedido.Quando a América Latina chegará à sombra da Europa?(com crise e tudo mais).Com a cabeça destes políticos que enfeitam nossos palácios atualmente e desde sempre(com raras exceções),chegaremos é nunca. Caro José, eu não estou na Europa, já estou em São Paulo há um mês, mais ou menos. Mas, naturalmente, acompanhei a evolução das coisas por lá. A linha dura adotada pela UEFA e pelas federações nacionais e, naturalmente, a firme atitude das autoridades policiais e judiciárias, mudou completamente o panorama de selvageria nos estádios europeus. Aqui... Será que muda? Infelizmente, tenho dúvidas. Um abração

SergioD em 22 de fevereiro de 2013

Amigo Ricardo, não poderia esperar outro posicionamento de você. Concordo que os responsáveis por esse ato abominável devam pagar com uma pena muito dura. No entanto, permito-me discordar de sua opinião quanto a punição ao clube. O Corinthians como instituição não teve nenhuma responsabilidade sobre esse ato tresloucado de um grupo pequeno de seus torcedores. Que se impeça a presença de torcedores do clube em partidas fora de casa. Mesmo em jogos no Brasil. Já achei um exagero a punição imposta pela Comembol. Retirar o time da competição então nem se fala. A situação merece ser analisada em toda a sua gravidade, mas devemos lembrar que o crime foi cometido por um pequeno grupo e não por um parte significativa da massa corinthiana. Grande abraço

Jaime em 22 de fevereiro de 2013

Pois é, Sr. Setti, depois da dura punição aos ingleses pela tragédia de Heysel, nunca mais tivemos problemas com os hooligans... (Os bons sempre pagando pelos maus.)

Marco Aurelio em 22 de fevereiro de 2013

sim,tem que ser punido e sua torcida banida dos estadios , e esse delinquente que acendeu o morteiro cumpri prisão perpetua.

zm em 22 de fevereiro de 2013

De pleno acordo Setti. Infelizmente, os poderosos interesses vão prevalecer sobre a razão, a lógica e o bom senso.

Alberto em 22 de fevereiro de 2013

Caro Setti, Como você, também sou Corinthiano e acho que eliminação da Libertadores 2013 deveria ser aplicada, desde que ficasse comprovada a participação da diretoria do nosso time, através do financiamento das passagens aéreas e estadia, alem da cessão dos ingressos para o jogo. O que não se pode fazer é condenar sem que haja provas concretas. Punir o clube por algo que não fez seria injusto. Quanto a punir a torcida, isso é inevitável. As autoridades brasileiras devem tomar providencias imediatas visando a extinção, não só das uniformizadas do Corinthians, mas também todas as demais pelo Brasil afora. Não passam de um bando de vagabundos! Entretanto, é importante ressaltar que num país que elege para "presidenta" alguém com um QI de uma ostra, não é estranho que as torcidas de futebol se comportem dessa maneira. É evidente que o problema é bem mais profundo que aparenta ser. Concordo também quando você diz que muito provávelmente tudo vai , mais uma vez, dar em nada. Encerro dizendo que no Japão a torcida (não era a uniformizada.Ali era a verdadeira fiel), deu um show. Não houve relato de confusões, brigas, desrespeito às regras, etc. Por quê será, não é? Porque lá as autoridades jamais impediriam que torcedores entrassem nos estádios com sinalizadores. Japão não é Bolívia. Nem Brasil!

Roberto Souza em 22 de fevereiro de 2013

Caro Setti, mais uma vez você da mostras da sua integridade e da sua honestidade intelectual. Se já sou grande admirador e lhe tenho profundo respeito, esse post só me faz ficar ainda mais convicto da minha opinião sobre você. Infelizmente concordo com sua conclusão de que não dará em nada. Se uma tragédia como a ocorrida há um mês em Santa Catarina já começa cair no esquecimento, ao mesmo tempo a pirotecnia jurídica está em curso para livrar os culpados ou mesmo concluir que não houve culpados, é difícil acreditar que a morte desse garoto provocará grandes repercussões. Não me surpreenderei se aparecer algum imbecil para questionar a presença do menor no estádio, ou seja, tentar culpar a vítima ou seus familiares. Gostaria de lembrar que um dos donos da boate Kiss disse ao Fantástico que muitas pessoas morreram também porque as pessoas que conseguiram sair da boate atrapalharam a saída dos outros por terem permanecido na calçada. Se levarmos para outras esferas lembraremos que atualmente no Brasil os criminosos são festejados em churrascarias e congressos, viram ídolos aclamados. Enquanto isso, Ministros do STF são achincalhados por advogados e condenados e tudo isso com as bençãos dos detentores dos maiores e mais importantes cargos do país. um abraço! Obrigado por suas boas palavras, caro Roberto. E o que você descreve em seu comentário dá vontade de chorar... Abração

Jaime em 22 de fevereiro de 2013

Absurda sua colocação; a morte do torcedor foi causada por um único criminoso, com a colaboração da incompetente polícia boliviana (basta ver os vários sinalizadores que entraram, inclusive com a torcida boliviana). O que o senhor está defendendo, na prática, é que toda torcida pague pelo crime de um único torcedor (se bobear, este é capaz de sair impune dessa). Minha argumentação está toda no texto. Tecnicamente, é um absurdo punir a entidade. Mas, como é só isso que funciona, em nome de um bem maior, que deveria ser bem supremo -- a vida humana --, defendo efetivamente a medida.

arone borges de medeiros em 22 de fevereiro de 2013

acho que já tá na hora dá justiça tomar medidas mais rigorosas,acho que o Corinthians deve ser excluido dessa libertadores!!!!

moacir em 22 de fevereiro de 2013

Prezado Setti, Eu ficaria muito surpreendido se você tivesse escrito menos do que escreveu. Abraço Muito obrigado, caro Moacir.

Roberta em 22 de fevereiro de 2013

Sr. Ricardo, Na maioria das vezes não concordo com o que o sr. escreve, mas desta vez tenho que reconhecer que o sr. manteve uma postura íntegra.

Humberto em 22 de fevereiro de 2013

No Recife, um jovem torcedor do Náutico foi internado no final de semana passado com um tiro na cabeça disparado por um segurança contratado pela empresa de ônibus que transportava um grupo de torcedores do Sport. Aparentemente, os auvirubros ficaram jogando pedras no ônibus. Sou a favor, sim, de punir os clubes que financiam esses "torcedores", que, na sua maioria, são mesmo marginais que se aproveitam da situação para destruir o patrimônio alheio. Aqui no Recife, o MP conseguiu uma liminar para proibir torcidas organizadas durante os jogos do estadual deste ano. A solução começa com essas ações.

João Luis Coyado Reverte em 22 de fevereiro de 2013

Queridos Corinthianos dos quais faço parte e de coração, notem que este colunista está sendo sensacionalista e não fala de verdade o que pensa, pois se pensasse melhor, não falaria esta besteira! A culpa é de quem cometeu o crime e não do time e/ou dos Corinthianos! Meus mais profundos e sinceros sentimentos à familia do Garoto, sinto ainda mais por ser Pai e Avô de Corinthianos Nobres! Deixo minhas Fraternais saudações orinthianas a todos! João Luis Coyado Reverte.'.

Natal Santana em 22 de fevereiro de 2013

Concordo inteiramente com o Ricardo Setti e disse o mesmo quando torcedores do Flamengo (sou flamenguista!) mataram um torcedor vascaino. Na verdade, podemos perceber que os clubes de futebol repetem o mesmo que os partidos políticos: protegem os seus quando deveriam ser os primeiros a pedir punição. Todo time precisa de torcedores; mas não precisa de pessoas violentas que agem da forma como agiu parte dos torcedores corintianos. Assim sendo, o clube merece sim, ser punido, até para evitar a repetição de tão trágico acontecimento.

w sanches em 22 de fevereiro de 2013

Eu sou a fovor do banimento do clube na competição. É uma forma de punir, quem realmente financia diretamente a torcida organizada, e se foi um dos diretores quem financiou, indiretamente o clube financiou. Não devemos aceitar mais as torcidas uniformizadas fazerem o que querem e o clube que é quem cede o nome a elas, não seja punido. Chega dessas uniformizadas acobertarem bandidos dentro de suas dependencias, tornando-se bando ou quadrilha enm vez de torcidas ditas organizadas. Queremos paz nos estádios e liberdade de ir e vir com a camisa do clube que torcemos. Chega de violencia e de impunidade. Aconteceu o que aconteceu no carnaval do ano passado e nenhuma punição severa foi dada a torcida escola de samba organizada. Enquanto houver a impunidade imperando em nosso País, não teremos, nós cidadãos de bem, direito a torcer, usar nossas camisas do clube do coração, pois se toparmos com esse bando de bandidos travestidos de torcedores, teremos nossas vidas colocadas em perigo e nossa integridade fisica também. PUNIÇÃO EXEMPLAR SIM, PARA QUALQUER CLUBE. MESMO O CLUBE XODÓ DA REDE GLOBO E DO METALURGICO METIDO A PRESIDENTE.

Luiz Eduardo G. de Carvalho em 22 de fevereiro de 2013

Ricardo está quase que provado(falta pouco) que aqueles elementos que estão presos lá na Bolívia são financiados pelo Corinthians nas suas idas e vindas ao exterior para assistir os jogos do time. Ou você acha que aquelas figuras tem condição financeira de ir para lá com recursos próprios? São velhos conhecidos e com um curriculum promissor em arrumar confusões. O Corinthians tem que ser punido exemplarmente, assim como todos os outros clubes brasileiros que insistirem em continuar apoiando este bando de arruaceiros. Que sirva de exemplo. A polícia Boliviana está agindo no rigor da lei e lá felizmente, até prova ao contrário, eles não terão os padrinhos para tirá-los da cadeia. Serão julgados ao rigor da lei. Da lei Boliviana. E só me falta o Lulinha Rosemary pedir para o Evo amolecer com os caras.

Nélio em 22 de fevereiro de 2013

Concordo contigo, Setti. E ainda acrescento: a punição mais grave, segundo os estatutos da Comenbol é a exclusão do torneio; se uma morte não motivar isso, a punição seria aplicada em que caso? Genocídio?

Bruno Carvalho em 22 de fevereiro de 2013

Não concordo Ricardo, veja bem: de quem realmente é a culpa? O(a) torcedor(a), independentemente do time pelo qual ele(a) torça, com certeza jamais terá a intenção de matar alguém durante um jogo de futebol com um sinalizador daquela distância. Daquela distância? Talvez se estivesse ocorrendo uma grande confusão, mas... Com um sinalizador? A grande questão deve ser: porque um sinalizador e/ou fogos de artíficio são sequer permitidos dentro dos estádios brasileiros? Onde é que nós vivemos, afinal? Somos ou não somos civilizados? Veja os principais clássicos europeus! Veja os campeonatos! Temos ótimos exemplos e modelos a serem adaptados por nós, brasileiros, e até aperfeiçoados com maestria! Temos tudo para ser uma nação exemplar, e o melhor país do mundo. Porém, hoje não nos sentimos seguros o suficiente para frequentar os estádios e dar ao futebol a audiência que ele merece. O futebol é uma grande atração, é um show, uma verdadeira Disney brasileira e deve ser tratado tal. Deve ser possível quem sabe bebês, mas levar crianças, adolescentes e adultos para frequentarem o espaço pago com conforto, segurança, limpeza e organização. Os estádios não devem espantar o seu público! Deve-se acolher, prezar pela experiência e querer fazer com que voltem mais vezes pela experiência tão positiva. Os estádios possuem este espaço que é frequentado publicamente em dias de jogos, horas. Uma espaço público deve ser um espaço civilizado, com o mínimo de orzanização e bom senso. Tudo bem que temos péssimos exemplos no Brasil para citarmos, mas um espaço frequentado por tanta gente deve seguir algumas regras. Elas existem, algumas fazem sentido, outras não, mas fato é: onde é que já se viu permitir SEQUER UMA FAÍSCA dentro dos estádios? Os jogos de futebol são como filmes também; duram cerca de 2 horas. Torça como um louco em casa! E deixemos para TORCER CIVILIZADAMENTE nos estádios! Afinal, queremos todos assistir ao jogos, como todos assistimos a um bom filme. Best regards,

Vladimir em 22 de fevereiro de 2013

Caro Ricardo, Concordaria com você em gênero, número e grau se a realização dos jogos da Libertadores fosse mínimamente organizada e que não fosse permitida de forma alguma a entrada de qualquer artefato de fogo. O que dizer quando um jogador do time adversário vai bater um simples escanteio e a polícia tem que ir lá e o proteger om escudos??? E quando o ônibus é apredejado?? Quando cortam a água dos vestiários. Também sou Corinthiano e com muito orgulho, mas esta decisão da Conmbebol foi apenas para "jogar para a galera". É óbvio que nada, absolutamente nada, justifica a morte de um ser humano, ainda mais da forma imbecil que foi. Mas uma coisa você acertou em cheio: Caso houvesse a eleminação do Corinthians do torneio, abalaria a relação lasciva que existe entre clubes e organizadas. Mas pergunto: Que tal combatermos a causa, e não o efeito???

Helton Campos em 22 de fevereiro de 2013

Parabéns pela lucidez no seu comentário. Esse é o momento de uma reflexão profunda no comportamento permissivo das diretoria dos clubes que são omissos em coibir os marginais infiltrados nas torcidas "des" organizadas, não só do Corinthians como de outras equipes brasileiras. Além disto, os "jornalistas esportivos" de certos meios de comunicação precisam deixar o fanatismo pelo clube de lado e começar a pensar no esporte como algo sadio e socializador e não como um campo de batalha onde vale tudo para ser campeão, até mesmo passando a mão na cabeça destas diretorias que juntamente com o Estado, não conseguem por fim a essas barbáries que maculam a imagem do Brasil. O torcedor, até mesmo os marginais, precisam entender que seus atos podem prejudicar o seu time. Se não respeitam a vida alheia talvez sabendo que haverá punição para o clube do coração comecem a se comportar, até mesmo entregando seus pares que violam as leis e consequentemente comecem a agir como pessoas normais.

Reynaldo-BH em 22 de fevereiro de 2013

Um cruzeiresnse (e principalmente Tricolor das Laranjeiras) falando para um corintiano amigo. 1 - O Corinthias é um clube com uma torcida ou o inverso? 2 - A denominação de "bandos de loucos" é elogio ou ofensa? De onde eu vim, loucos precisam de tratamento. 3 - Os tricolores (do Flu) que se auto-intitulam "geurreiros" poderiam me explicar qual é a guerra? 4 - Aqui em Minas, um cruzeirense foi morto a socos e pontapóes por estar com uma camisa do time e encontrar torcedores do Galo. 5 - Do mesmo modo, um atleticano foi assassinado na porta de um bar por estar com a camisa do Galo. 6 - No Recife, no último fim de semana, um jovem torcedor do Náutico foi atingido por uma bala disparada por "torcedores" do Sport. Continua entre a vida e a morte. Será que esta superexposição - com uma "glorificação" - das torcidas não contribue para este quadro? Até onde a locução de jogos exaltando "bando de loucos", "guerreiros" e "torcedores até a morte (???!!!??)" não contribuem com este cenário? Estes pseudo-torcedores (na verdade, trocedores CONTA terceiros mais que do próprio clube!) não são incentivados a agir como agem? Os novos gladiadores das arquibancadas? Ou esta coisa de futebol não é somente um jogo? Que o Corinthians seja alijado deste campeonato! E que QUALQUER outro que tenha o mesmo comportamento, também o seja. O Corinthians tem responsabilidade SIM! Incentiva e usufruiu desta distorção que transforma um jogo em um espetáculo de arena romana e um torcedor em um celerado que se julga um gladiador pronto a morrrer (E MATAR!) por um time de futebol. Um nojo. Futebol não é isto. Jamis deveria ser. Se é, que se corriga enuqnato é tempo!

Cristiane Oliveira em 22 de fevereiro de 2013

Acho que você está com a razão,porque deve-se primeiro preservar as vidas humanas,para depois pensarmos em futebol.Torcida "organizada na maioria das vezes só arrumam confusão.

Leandro em 22 de fevereiro de 2013

Parabéns por sua postura, Ricardo. Não adianta punir meia dúzia, porque isso não diz respeito a ninguém e, com a memória curta de todos nós, nada impede que a repetição dos fatos volte a ocorrer em tempo muito curto. Uma punição severa ao clube faz os imbecis pensarem dez vezes antes de tomarem outra atitude dessa natureza.

Jair Gouvea em 22 de fevereiro de 2013

Discordo com o sr. Ricardo Setti. A culpa nã é do Corintgians, mas sim, da oraganização do torneio que permite a entrada de sinalizadores em todos os jogos. Puna-se os verdadeiros culpados. Se o tal sinalizador estivesse passado direto e não atingido o garoto não se estaria discutindo o assunto.

cacalo em 22 de fevereiro de 2013

caro amigo, corinthiano tal qual você concordo quando diz que o time deve ser punido: o corinthians e os demais times financiam as organizadas,usam-nas como massa de manobra nas eleições internas e externas, cedem espaço dentro clubes para elas, portanto o timão é corresponsável, por mais que doa reconhecer isso.

Eduardo em 22 de fevereiro de 2013

Como corintiano, e acima de tudo humano que sou, concordo com vc Ricardo. Essa história de punir apenas os culpados não está dando resultado, os culpados estão sendo punidos aos montes, mas na verdade as torcidas estão precisando de algo a mais, e ja que os clubes faturam milhões com os torcedores, tem que fazer doer no bolso sim, dessa maneira talvez os clubes chamem pra si a responsabilidade de educar suas torcidas. Acredito que uma punição mais severa, serviria de exemplo e determinaria um novo passo no comportamento dos torcedores.

wilerson em 22 de fevereiro de 2013

Acho que outra medida que já deveria ter sido tomada há muito tempo é o banimento de torcidas organizadas, tanto do futebol quanto do carnaval, mas não vivemos em um País sério

Vinicius Bordignon em 22 de fevereiro de 2013

Também acho que a vida humana está acima de tudo, mas, infelizmente, a vida desse menino não volta mais. Prejudicar todo o resto da torcida e a instituição por algo que não eles não podem evitar não faz sentido pra mim. Mesmo punindo, infelizmente, isso não vai acabar no nosso país, e provavelmente ainda gere mais revolta na cabeça desses marginais que vão assistir os jogos como torcedores. Cabe uma punição ao Corinthians? Sim. Mas acho que estão sendo muito duros com quem tem uma menor parcela de culpa nessa história. Como corinthiano, aceito a punição ao Corinthians mesmo assim, desde que todos os responsáveis sejam punidos e não só um como está dando à entender. Quero ver se esse estádio de Oruro será interditado e se os responsáveis pela segurança serão punidos.

Marilda Molina em 22 de fevereiro de 2013

Chega de tragédias em arenas de futebol em todo o mundo... A punição deve ser bem dura...

Ricardo em 22 de fevereiro de 2013

Sim. pode excluir... eu sou Corinthiano, e estou envergonhado co o que aconteceu. demoramos 4 anos pra sair da lama e alcançar nosso lugar no futebol, e vem um boçal, animal, bandido safado e mancha tudo com um ato no minimo covarde, indecente. pena que ninguem vai entregar esse safado. esse tinha que ficar preso na bolivia... la, sozinho... em celas com bolivianos. ai sim ele teria um verdadeiro castigo. Aki no brasil nada vai acontecer. esse assassino vai ser solto rapido, se é que vai ser preso. uma vergonha.

Lilia Gentil em 22 de fevereiro de 2013

Acho que os clubes e o autor do delito devem ser punidos o resto da torcida não tem culpa.

natasha em 22 de fevereiro de 2013

Ridiculo. Queria apenas fazer uma comparação, para ver se não colocando o time mais odiado do Brasil em questão, se a opinião mudaria. Imagine você, fazendo qualquer tipo de esporte. Está participando de uma competição, e terá que competir no estádio do adversário. E então, você está lá, e uma pessoa que estava torcendo por você, mata outra na arquibancada, você acharia justo você ser eliminado? Não vejo lógica alguma :) Cara Natasha, o que eu quis dizer sobre o assunto está escrito e mantenho.

junior em 22 de fevereiro de 2013

Parabens, primeiro corintiano com senso de responsabilidade, tirando o fanatismo e vendo o que eh mais importante...

Mauricio em 22 de fevereiro de 2013

"uma vez identificados como integrantes da torcida corintiana os culpados e seus cúmplices". Essa frase resume todo o texto Ricardo. Condenamos apenas quem realmente merece e ponto final. Mantenho o que escrevi, caro Mauricio. Se os clubes não forem punidos, essa desgraça não acaba. E veja só, sou corintiano fanático! Mas a vida humana, pra mim, é o valor supremo. Abraço

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI