Image
Sergio Ramos e Casillas tentam impedir que o Chile marque, mas Vargas faz o primeiro dos 2 x 0:  a ex-campeã despenca para profundezas do abismo (Foto: EPA)

Um dia tinha que terminar, e terminou, para a seleção espanhola que ganhou os principais títulos mundiais entre 2008 e 2012 — duas Eurocopas entre as fortíssimas seleções europeias e o Mundial de 2010.

O show de bola que os espanhóis tomaram da Seleção brasileira no ano passado, na final da Copa das Confederações, parecia que antevia o que ia ocorrer.

De fato, a bisonha eliminação ante o Chile, time muito aplicado ao esquema do técnico argentino Jorge Sampaoli, com vários bons valores individuais e muito da velha e boa garra — que hoje insistem em denominar de “atitude” –, arremessa La Roja da glória para a profundeza dos abismos, sobretudo porque já tivera a espinha partida pela humilhante goleada que sofreu da Holanda logo na estreia.

Fala-se muito que é o fim do estilo de jogo que encantou boa parte do mundo — embora no Brasil muita gente o considere “chato”, como se a beleza do futebol já não fosse, para nós, brasileiros, um valor essencial.

Image
Vargas comemora: o técnico espanhol admitiu que “não há desculpas” para a derrota porque o Chile foi melhor (Foto: Getty Images South America)

Fala-se também no final de toda uma geração.

Não concordo com nenhuma das assertivas, e explico, começando pelo segundo item.

Mesmo antes da eliminação, e após a derrocada ante a Holanda, já se mencionava o “fim de uma geração”.

Isto é apenas parcialmente verdade. Pela implacável passagem do tempo, infelizmente é o fim de carreira na seleção para grandes nomes do futebol espanhol e mundial, como Casillas, Xavi, David Villa, Xabi Alonso e Iniesta, a caminho da aposentadoria que já levou o zagueirão Puyol (autor do espetacular gol de cabeça que eliminou a Alemanha da semifinal em 2010), além de outros bons valores como o goleiro Pepe Reina e o lateral Juanfran, ambos reservas.

Por seu talento e juventude, porém, continuarão por muito tempo ainda nos gramados nomes como Jordi Alba (23 anos), Javi Martínez (25), Pedro Rodríguez (26), Juan Mata (26), e mesmo Gerard Piqué (27 anos), Cesc Fábregas (27), Sergio Ramos (28) e Cazorla (29) , sem contar o provável goleiro titular no futuro, De Gea 23 anos, 1m91), titular do Manchester United.

Image
Fim de uma geração? Nada disso. Até pela idade, nomes como Jordi Alba, Piqué, Fábregas, Sergio Ramos e Cazorla continuarão (Fotos: Li Yong/ Li Yong/Xinhua Press/Corbis :: Christophe Simon/AFP/Getty Images :: Luis Gene/AFP Photo :: AFP Photo/Kimmo Mäntylä :: Miguel Riopa/AFP)

Por outro lado, não considero que o fim desta seleção espanhola que ganhou quase tudo e consagrou tantos craques seja, necessariamente, o fim do tão falado tiki-taka.

O que ocorreu nesta Copa, em minha modesta opinião de torcedor, é que esta seleção NÃO CONSEGUIU jogar adequadamente o tiki-taka, e um dos fatores para isso foi a insistência do excelente treinador Vicente del Bosque em escalar o centroavante “referência” Diego Costa entre os 11 titulares.

O sergipano tornado espanhol tem um estilo que não guarda qualquer relação com o que a seleção passou a adotar quando começou a ser treinada em 2004 pelo velho sábio Luís Aragonés, preparando-se para a Eurocopa onde, com clara inspiração no formidável toque de bola do F. C. Barcelona, o tiki-taka encheria os olhos da torcida mundo afora.

Diego Costa é um bom jogador, um artilheiro, um atacante perigosíssimo. Sua escalação no time, porém, foi uma espécie de transplante de órgão que não deu certo.

Image
Pep Guardiola, técnico do Bayern de Munique, mostra que o futebol espanhol ainda vive (Foto: Getty Images)

O estilo genial de jogar da Espanha não entrou em campo hoje, com um time irreconhecível que não acertava passes, chutava mal e tinha até colossos como Iniesta tropeçando na bola.

A maior mprova de que o tiki-taka não morreu está além-fronteiras da Espanha — ali, na Alemanha, onde se exibe o atual melhor time do mundo, o Bayern de Munique, treinado pela maior expressão do estilo entre todos, seu técnico Pep Guardiola, o homem que mais ganhou títulos na história do Barça.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 − 1 =

Nenhum comentário

wagner em 22 de junho de 2014

Setti, não entendo porque você insiste em crucificar o Diego Costa. Ele foi colocado ali porque o Del Bosque entendeu que, sem alguém que saiba marcar gols, a Espanha perderia como na Copa das Confederações. Veja a Copa de 2010. A Espanha foi campeã porque ninguém conseguiu furar sua defesa, não por ter um bom ataque. Como as seleções aprenderam a marcar o tiki-taka da Espanha, o Del Boque buscou um centro-avante de referência. Note bem: nem a Espanha nem o Barça e agora nem o Bayern sabem sair perdendo. Se tomam o primeiro gol, a tendência é abrir a porteira, muito mais do que obter a virada. O Guardiola está acabando com o Bayern, que era um time unido e virou uma central de discórdia. O Barcelona o ganhou tudo por ter Messi; sem ele, quem marcaria os gols? Veja que, toda tentativa de colocar um goleador (alguma dúvida da excelência de Ibra ou do Eto'o??) foi minada pela panela espanhola/Messi no Barça.

Alexandre em 20 de junho de 2014

Concordo com Fernando Portela: tb nunca gostei daquele estilo espanhol de infinitos toques laterais sem muita capacidade/ tentativas de ataque, esperando o erro do adversário e entediando quem assistia. Raridade ver mais de 1 gol numa partida (vide Copa 2010). Enfim, o que salva a Espanha é tão somente o entrosamento de seus jogadores(dos clubes e seleção, jogando juntos desde criancinhas) medianos, com poucas exceções como Iniesta ou Xabi Alonso. Jogadores como Xavi não jogariam nada em outro clube ou seleção.

Leonardo em 19 de junho de 2014

O carrossel holandês encantou o mundo e não ganhou nada. A Espanha ganhou uma copa e duas euros. Os jogadores espanhóis tão cheios de títulos não só pela seleção como pelos seus clubes (Real, Barça e Atlético) já não tem mais ambição. O campeonato espanhol chegou até o fim indefinido o que deve ter causado um desgaste muito grande nos atletas (boa parte da seleção espanhola provém destes clubes), isto sem falar da final da Champions League.

Hobben em 19 de junho de 2014

A Espanha só vai mudar o esquema de jogo quando mudar o técnico; o Brasil, também, só vai mudar o esquema de jogo quando derem as contas do Felipão esganiçado por contrato publicitário. Você já viram uma pessoa depois de velho mudar? Com todo respeito aos vovôs e vovós.

Fernando Portela em 19 de junho de 2014

Encantou o mundo? Você está brincando. O antigo estilo espanhol era uma verdadeira chatice, bocejante, robótico, sem emoções. Ao assistir a jogos do falecido Barcelona, dava vontade de dormir. Vade retro! Charles também tem direito de opinar e de discordar de Charles.

Ronaldo força em 19 de junho de 2014

Concordo inteiramente. Em primeiro lugar ocorreu o desgaste dos atletas envolvidos, devido a idade. Depois o tic-tac foi descaracterizado, pois não dispunha de um centro avante enfiado como o Diego Costa. O time da Espanha terá de substituir suas peças que já não aguentam o peso da idade. Outra coisa como ganhou os últimos mais importantes torneios, alguns atletas eram tidos como intocáveis.

Saulo Costa em 19 de junho de 2014

Discordo das colocações, o Mourinho q sempre fala muita besteira, hj conseguiu resumir bem a situação da Espanha, todos aprenderam a jogar contra ela, naum existe estilo perfeito q dure pra sempre e essa situação vem sendo notada naum desde a derrota da Espanha para o Brasil, mas da derrocada do Barcelona, esse sim é o grande termômetro da Fúria, veja bem, até mesmo Pepe Guardiola citado acima, teve seu Bayern massacrado esse ano, será coincidência? De forma alguma, a conclusão é só uma, o tik-taka deu oq tinha q dar, naum é questão somente do "tempo", se formos puxar um pouco a memória, a Espanha foi campeã mundial muito em função da sorte tb, passou pelo México e Chile na marra e naum fosse o pênalty perdido pelo Paraguai, jamais teria sido campeã e sem falar do gol perdido do Roben, oq isso demonstra?? q mesmo no auge a Espanha apresentou falhas e dificuldades contra times aplicados taticamente e com um mínimo de técnica, jogar aberto contra a Espanha é suicídio, mas uma marcação recuada com um contra-ataque eficiente se mostrou suficiente para furar a defesa de um time q tem um excelente toque de bola, mas que naum apresenta variações de jogo necessárias a jogos difíceis, e esse é o maior defeito da Espanha, ela naum tem um plano B.

wilson em 19 de junho de 2014

A Espanha jogou desfalcada de Messi, CR7 e Neymar.

Bruno Sampaio em 19 de junho de 2014

Confesso que torci pela Espanha depois da demonstraçao agressiva e criminosa de chilenos no maraca. Tem mais ë que deportar mesmo. Sera que ja ë o efeito Bachelet? - Fora isso, a Espanha perdeu feio mesmo, tanto Holanda Quanto o Chile simplesmente jogaram mais bola.

carlos nascimento em 19 de junho de 2014

Ricardo, Não adianta buscar culpados ou justificativas para o "fracasso" espanhol, leio aqui que o Diego Costa é o bode expiatório, menos, ele tem estilo próprio, prova da sua valorização é o contrato que vai assinar com o Chelsea. Como tudo na vida, o esporte idem, há os "ciclos", o da SELEÇÃO da Espanha acabou ontem, será lembrado nas páginas da História, como um ciclo maravilhoso,grandes conquistas,(ponto final). Vamos aos fatores que contribuíram para essa derrocada: - fadiga de material, o tiki-taka é um sistema de jogo que precisa ser jogado com muita intensidade, entrega, ontem o Xabi Alonso resumiu o problema, nos faltou "FOME". - estrelas e símbolos não renovados em tempo hábil, a demora em substituir algumas peças, como por exemplo, Casillas e Xavi, em declínio físico e emocional. - O campeonato espanhol inflado por "legiões estrangeiras", acaba meio que mascarando o potencial do futebol espanhol, o Real Madrid é uma legião estrangeira, veja que o time com maior número de nativos - Barcelona - já apresentava declínio acentuado. É hora de reflexões, trocar o comando fará um bem danado, a base precisa ser revitalizada. Resta um consolo, as páginas da História serão generosas. Amigo RS,não chores pela La Roja ou seria La Fúria. abração.

Roberval em 19 de junho de 2014

Ricardo, em primeiro lugar, desde sempre La Roja é a seleção do Chile. Segundo, ninguém mais aguenta aquele tiki taka irritante, que não teria funcionado perante o Chile que mostrou muito mais preparo físico. Terceiro, essa exaltação do futebol da seleção espanhola como algo fenomenal é meio exagerado. Eles não foram, não são e talvez nunca serão lá grandes coisas. Quarto, o que o Diego Costa tem a ver com isso? Quinto, Pep Guardiola só está trazendo o que tem de pior pro Bayern. Ele pegou um time ainda com uma certa inércia, mas já começaram os tropeços.

Ana Valeria em 19 de junho de 2014

O que aconteceu com a Espanha foi um mixto de arrogancia,prepotência inchada pela imprensa e toda a midia . Chegaram de salto alto na Copa das confederaçoes em clima de "Maracanazo" nao apredenderam a liçao e repetiram a mesma historia neste mundial.

Pedro Luiz Moreira Lima em 18 de junho de 2014

Duas explicações: 1 - A Holanda jogou muito mais. 2 - O Chile jogou muito mais. Coisas do futebol, nada além disso. Abraços Pedro Luiz

Álvaro Costa em 18 de junho de 2014

HULK, com certeza, deveria ser o centro avante da seleção nacional. Fred e Jô sao inúteis.

Eduardo L. da Silva em 18 de junho de 2014

Vc tá certo Setti, não é o fim de uma geração. É o fim da MELHOR geração espanhola. E a forma com que isso aconteceu deve-se a inércia do treinador Vicente Del Bosque. Abs

Ezequiel-SP em 18 de junho de 2014

Apostei errado. Agora terei que dar outro chute...kkk

Na Planície em 18 de junho de 2014

Outras surpresas virão, é só uma questão de tempo, vamos aguardar. Ou melhor, pensando bem nem será surpresa, pelo que se tem visto nessa copa. Será uma coisa natural, justa, como justa foi a eliminação da Espanha.

Rose Araújo em 18 de junho de 2014

Discordo da matéria!!! A Espanha não repetiu o futebol de 2010, pelo simples fato de não ter matéria prima, não renovou a seleção...vai voltar a ser medíocre como sempre foi !!!! Sempre achei que a Holanda merecia mais que ela o taça de 2010 !!!

Caio Frascino Cassaro em 18 de junho de 2014

Prezado Setti: Sempre achei o estilo de jogo consagrado pela Espanha uma enorme chatice. A falta de contundência sempre foi a marca desse time - foi campeã do mundo marcando apenas 8 gols, a menor marca da história. Os diferenciais eram Iniesta e Xavi, este último um dos maiores "maestros" que vi atuar em um campo de futebol. O declínio de Xavi, percebido já no ano passado, consolidou-se este ano, transformando a Espanha em um time comum, até mesmo fraco, como se pôde constatar nesta partida contra o Chile. Sou mais fã do futebol total praticado pelo Bayern de Jupp Heynckes e pela seleção alemã de Joachim Löwe, que mostram o esporte da bola jogado com desassombro e intensidade, com uma busca permanente pelo gol e muito mais verticalidade. A Espanha não perdeu por culpa de Diego Costa. Diego Costa é que não funcionou por causa da Espanha. Abs

joseph neto em 18 de junho de 2014

SETTI, Dilma peita o Congresso e promove tuitaço pedindo que o povo "ocupe o governo". Hoje no palácio do Planalto o governo usando meios oficiais para promover a democracia direta COMUNISTA, BOLIVARIANA, STALINISTA, COMO QUISER), aquela que pretende passar por cima do seu, o meu, do nosso voto livre e secreto e do Congresso Nacional. Houve palavras de ordem. Setti é golpismo. É o chavismo sendo oficialmente propagado no Brasil. E vejam quem está organizand, isso tudo, pelo governo federal, com recursos puyblicos FAZEM ATOS CONTRA A CONSTITUIÇÃO, QUEREM MUDAR O SISTEMA POLITICO NA MARRA POR DECRETO. ACORDA SETTI... Ou voce concorda com isso? Temos ótimos comentaristas de futebol, acho que voce deveria se ocupar de politica... O Portal Brasil é uma página oficial do governo federal. Não há dúvida alguma que o PT está querendo passar por cima das instâncias democráticas e colocar os ditos movimentos sociais a derrubar a nossa democracia. Por trás de tudo, a mão traiçoeira e suja de Gilberto Carvalho. Com a palavra, o Congresso Nacional. ABRAÇOS ACORDA SETTI

joseph neto em 18 de junho de 2014

Caro Joseph, não publico comentários em maiúsculas porque contrariam as regras do blog, mas respondo sua pergunta com link de post escrito pelo Reinaldo Azevedo: http://veja.abril.com.br/blog/ricardo-setti/politica-cia/apoio-a-padilha-para-governador-de-sp-por-maluf-antes-a-figura-do-diabo-em-pessoa-para-o-lulopetismo-significa-a-venda-do-pouco-que-resta-da-alma-do-velho-pt-preco-1-minuto-e-16-segundos-no-ho/ Abraços

Daniel em 18 de junho de 2014

A Espanha estava mentalmente estourada. Tem que trabalhar a cabeça primeiro. Limpar a mente e começar do zero, treinando fundamentos. Praticamente uma reprogramação. Depois o corpo responderá melhor. Mas vale aquela máxima: No Barça, No Spain. Abraço!

Lucas em 18 de junho de 2014

Gostei de suas colocações, Setti. Mas acho que o que precisa mudar urgentemente na seleção espanhola, é o TÉCNICO!

Moacir 1 em 18 de junho de 2014

Setti, Exatamente porque a gente viu esta geração fantástica ganhar um Mundial e duas Eurocopas e arrasar nos seus times , seja nos campeonatos espanhóis seja na Champions,não acredita no que presenciou ele não jogar no Brasil.Que time curvado é esse no qual até Iniesta pisava na bola? Talvez o Diego tenha ajudado na derrocada mas não explica o tamanho da implosão. Não me lembro de uma seleção que tenha feito tanto e que tenha começado uma Copa Campeã do Mundo saindo dela humilhada assim.É melancólico esse último capítulo dessa Roja. Abc

Mario Arone em 18 de junho de 2014

A Espanha não teve o sangue frio para manter seu estilo depois da derrota contra a Holanda, deveriam ter mantido o estilo, tentaram mudar hoje de ultima hora, não deu certo. Acabou o Tic-Tac, quando enfrenta vontade, preparo físico e talentos, a derrota é certa, foi assim com o Brasil, foi assim com a Holanda e foi assim com o Chile.

JT em 18 de junho de 2014

Esses jogadores da Espanha precisam fazer um estágio no Palmeiras para aprender a jogar bola com o Valdívia, o craque da Copa. Viva o Chile!

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI