Eis a fatídica derrota para a Itália, que tirou do Mundial a seleção mais brilhante, a do Brasil. Tomando o terceiro gol a 14 minutos do final, o time lutou muito e criou várias chances de gol, inclusive numa forte cabeçada do zagueiro Oscar que o goleiro Zoff salvou por milagre no finalzinho do jogo.

Do que vi no trabalho, Oscar foi grande destaque, embora pouco comentado: não me lembro de ter perdido uma só disputa de bola na Copa inteira.

Na foto, Serginho recebe entrada do zagueiro Bergomi, que substituíra Colovatti. Eu apareço na foto, assinalado, ao lado do mestre Alberto Dines, que fazia reportagem especial para “Playboy” sobre a Copa, e próximo dos jornalistas Juca Kfouri e Carlos Maranhão, de “Placar”, e do legendário Oldemario Touguinhó, do “Jornal do Brasil”.

A 5 de julho de 1982. (Foto: Rodolpho Machado/Placar)

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

onze − dez =

TWITTER DO SETTI