Image
Ônibus incendiado por criminosos no bairro de Canasvieiras, em Florianópolis: bandidos fazendo uma cidade como refém (Foto: Cristiano Estrela / Ag. RBS / Folhapress)

Amigas e amigos do blog, é espantoso o que vem ocorrendo em Santa Catarina, Estado que apresenta ótimos indicadores de qualidade de vida e cujas autoridades o crime organizado resolveu tentar desmoralizar.

Completaram-se hoje 98 ataques criminosos de todo tipo no Estado — queima de ônibus e viaturas policiais, ataques a delegacias de polícia e postos da Polícia Militar, a um centro de monitoramente por vídeo e por aí vai.

A insegurança nas ruas da agradabilíssima capital, Florianópolis, resultou numa decisão radical dos funcionários das empresas de transporte coletivo: eles só trabalharão das 7 horas da manhã às 7 da noite, até que as autoridades policiais possam garantir a incolumidade física de motoristas, cobradores e outros trabalhadores.

Note-se que a Polícia Militar já realiza escolta nos ônibus, mas a medida não foi suficiente para que os funcionários desistissem de aprovar a medida, em assembléia.

Dezenas de milhares dos 430 mil habitantes de Florianópolis que trabalham, estudam ou por outra razão precisam circular à noite, pois, ficarão ao deus-dará.

Da mesma forma, aulas noturnas foram suspensas nas escolas.

É uma situação inédita, mesmo “neztepaiz” da impunidade mais descarada, da falta legislação adequada para agilizar a condenação de criminosos, da falta do necessário e generalizado punho de ferro para combater o crime, da ausência de providências drásticas para manter os bandidos condenados devidamente encarcerados, e pelo tempo de cadeia a que foram condenados: os criminosos conseguiram fazer de refém, virtualmente, toda a população de uma grande cidade brasileira, e além do mais capital de um dos Estados mais ricos e de melhor qualidade de vida.

O que mais será preciso para que o CRIME — e não “a violência”, como eufemisticamente a grande maioria da imprensa trata o tema — seja prioridade número 1 de todos os níveis de governo?

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dez + dezoito =

50 Comentários

jair jose fin em 06 de outubro de 2014

Eu morei 11 anos em florianopolis de 99 a 2011 quando fui viver la florianopolis era bem diferente de hoge hera uma cidade de gente educada e vc andava de cabesa erguida em qualquer lugar bem diferente de hoge me lembro que esitia uma preucupasao da sosiedade sobre floripa virar uma nova rio de janeiro a maioria nao se preucupava com iso mas a realidade esta ai prevenir e sempre melhor que remediar agora vai se difisel colocar floripa como era antes

Fernando em 18 de fevereiro de 2013

Boa noite,Setti. Sou de bélzonte,uai! Não me passou pela cabeça em momento algum que a solução para a violência no estado de SP é a eleição de um governador petista. Os partidos ainda não definiram seus candidatos,suas planos de governo,etc.;eu nunca votaria em um candidato levando em consideração somente o partido ao qual é filiado,ainda mais em um sistema político personalista como o nosso em que praticamente inexiste coesão ideológica nas legendas. Sinceramente, não entendi a ilação...

Fernando em 18 de fevereiro de 2013

Tudo bem,só que até agora não fiquei sabendo sobre nenhuma morte decorrente dos ataques em Santa Catarina,enquanto que em São Paulo, só no ano passado foram contabilizadas mais de 200 mortes,incluindo policiais e civis. Portanto... Portanto, a solução é colocar o PT no Palácio dos Bandeirantes, não é mesmo? Deus me livre! Você está deixando de levar em conta que o Estado de S. Paulo (não sei onde você vive) tem 42 milhões de habitantes -- é maior do que a Argentina, a Austrália e o Canadá em população --, ao passo que em Santa Catarina vivem 6,3, milhões de brasileiros. Ou seja, São Paulo é quase sete vezes mais populoso. Em qual Estado você acha mais difícil manter a ordem pública?

Fernando em 18 de fevereiro de 2013

Setti, não seria a "2ª grande cidade"? Afinal, São Paulo em 2006 e no ano passado passou por turbulência semelhante, só que muito mais grave devido ao número de mortes... Mas os bandidos não "mandaram" parar o transporte coletivo à noite, as escolas...

fpenin em 18 de fevereiro de 2013

Para praticar "malfeitos" os nossos políticos estão... e andando para a Constituição. Agora, quando o cidadão enfrenta uma quase guerra civil, os mesmos senhores alegam que a intervenção das Forças Armadas viola a Carta Magna. Estão esperando o quê? Que mais mortes aconteçam em SC? Que o movimento bandido estenda-se a outras unidades da Federação? Paciência tem limites! Agora,um fora de tópico, ocorrido há poucas horas: o hospital de Fortaleza, inaugurado às pressas com fins políticos, teve uma área acidentada (desabamento), com feridos. Cid Gomes pagou uma grana para a inauguração fajuta, quando poderia ter usado o dinheiro em benefício do próprio hospital. E agora, doutor?

Bruno em 17 de fevereiro de 2013

Que bom que mais alguém verbalizou o que já digo há tempos! Violência é o cara chegar em casa e bater na mulher, é uma briga de trânsito, num boteco discutindo futebol. O que a imprensa, candidamente chama de "violência" é simplesmente CRIME! E crime tem que ser punido com rigor. Enquanto adolescentes rirem na nossa cara sabendo que não vão ficar 15 minutos presos, e adultos com vasta ficha criminal receberem todo tipo de benefício e indultos para continuar a cometer CRIMES, fica duro acreditar num futuro no Brasil para pessoas de bem.

Ronaldo em 16 de fevereiro de 2013

Ricardo Setti, um país onde criminosos de crimes hediondos tem direito a visita íntima e indulto de natal, não poderia dar outra coisa. O que falta em Florianópolis é firmeza do governador e coragem para decretar ações de guerra dos bandidos, onde não deveria sobrar nenhum para contar. Os responsáveis de dentro da cadeia deveriam ser transferidos com caminho de ida sem volta. Quem não respeita vida alheia de quem estuda e trabalha não merece respeito a própria vida. Com isto as coisas dariam um basta. Eita governador frouxo!

Milton Simon Pires em 16 de fevereiro de 2013

é verdade, Luiz..a palavra "comunidade" é fundamental..rss..rss. Eu tinha esquecido. Obrigado, abraço aqui de POA

Luiz Ismael Mafra Bastos em 15 de fevereiro de 2013

É isso aí mesmo, oposição ao PT e o PCC é acionado como em São Paulo, só idiota não percebe essa politica da esquerdalha nacional.Mas Milton Simon Pires você foi muito feliz em sua análise, falou e disse tudo. só esqueceu de uma palavra de ordem: a COMUNIDADE. Tudo é COMUNIDADE até nas Universidade as reuniões são da COMUNIDADE Universitária e os tontos comandados pelos manipuladores treinados para isso não se dão em conta que repetem como papagaios palavras de comando da ESQUERDALHA NACIONAL.

Augusto Cesar em 15 de fevereiro de 2013

O que parece na verdade é que o Estado protege bandidos e enfrenta os cidadãos. Afirmo isso sem o menor receio, pois não é novidade para ninguém nesse país que o sistema prisional é falho. Não raro toma-se conhecimento de ações criminosas envolvendo os re-educandos, se é que assim podemos chamá-los. É, porque, me pergunto, como pode alguém que já está preso comandar o crime?! Como que não se nota a entrada de objetos que facilitam tais ações nos presídios? Não está na hora de rever tudo isso? Não está na hora de o Estado posicionar-se diante do fato com a seriedade que pede? Receio que não! Pois as nossas leis, infelizmente, permitem que esses BANDIDOS continuem agindo de tal maneira! E o pior acobertam àqueles que são os piores dos criminosos, os quais enquanto deveriam estar zelando pela segurança e ordem na sociedade são coniventes com o crime de modo geral.

Milton Simon Pires em 15 de fevereiro de 2013

Artigo inteiro para eventual colaboração com o blog SANTA CATARINA E MAQUIAVEL – HOMENAGEM A IMPRENSA “ENGAJADA” Quem domina a linguagem domina o pensamento! Toda vez que abordamos os ataques terroristas em Florianópolis como a “questão da violência” estamos fazendo aquilo que uma certa parte (a maior dela) da escória da Universidade e da Imprensa Brasileira querem: unir na mesma definição fenômenos de origem completamente distinta. Assim, a “questão da violência em Florianópolis” torna-se vizinha da “questão da mulher”, da “questão do índio” e da “questão GLS”. Ela sai portanto, da categoria do crime e entra na ordem do dia das “lutas sociais”. Não há que se ter meias medidas com a imprensa que sofre de "Síndrome de Chinelização" (doença que eu abordei em texto específico) pois ela é toda pautada por jornalistas engajados com a intelectualidade. Eles vão sempre procurar ver "os dois lados daquilo que está acontecendo em Florianópolis" e acreditam de fato que existam estes dois lados - aquele de quem ataca e incendeia ônibus e aquele que faz parte da sociedade que criou, através da "exclusão social", as condições para que o ataque ocorra. Daqui a pouco um deles vai sugerir que os bandidos de Florianópolis sejam reunidos para estudarem Michel Foucault, Regis Debray e Mao Tse Tung juntos e vai insistir, neste e em outros blogs, que todos eles são “vítimas” deste modelo neoliberal perverso. A exemplo daquilo que aconteceu em São Paulo é inadmissível sugerir que "isto sempre aconteceu em todos os governos e não adianta culpar especificamente o PT". Respondo rapidamente que adianta, sim ! Todos os partidos políticos até hoje no Brasil tiveram e tem "ligações" com o crime organizado, menos o Partido dos Trabalhadores (PT) por um motivo muito singelo: o PT É O CRIME ORGANIZADO ! É isso que a imprensa não diz e que, mesmo que diga, as pessoas não vão entender. Elas precisariam conhecer a história inteira do Socialismo, saber que Stalin assaltava bancos e que Mao Tse Tung financiou sua revolução com dinheiro do tráfico de ópio. Seriam obrigadas a ler Sartre, estudar o movimento Black Power, Herbert Marcuse e a Teologia da Libertação para saber o porquê da glorificação da violência e da vitimização do bandido e buscar na história o ano de 1967 – época em que o General Golbery do Couto e Silva fez a loucura de juntar na Ilha Grande (RJ) os presos políticos e os traficantes de drogas. Foi ali, e não no Colégio Sion em São Paulo 1980, que nasceu o PT. É isso que Marilena Chauí não conta..isso que Chico Buarque não canta ..isso que a Zero Hora e a Folha de São Paulo não publicam! Este conhecimento, por enquanto fica restrito a algumas “aberrações da direita” e que não tem espaço algum na mídia. Certa vez Maquiavel escreveu que “quando a consciência das coisas mais graves são acessíveis às pessoas mais simples; aí já é tarde demais”. Vamos todos rezar para não ser esse o caso das pessoas de bem em Santa Catarina. 15 de fevereiro de 2012 cardiopires@gmail.com

Milton Simon Pires em 15 de fevereiro de 2013

Quem domina a linguagem domina o pensamento. Toda vez que abordamos os ataques terroristas em Florianópolis como a "questão da violência" estamos fazendo aquilo que uma certa parte (a maior dela) da escória da Universidade e da Imprensa Brasileira querem: unir na mesma categoria fenômenos de origem completamente distinta. Assim, a "questão da violência em Florianópolis" torna-se vizinha da "questão da mulher", da "questão do índio" e da "questão GLS". Ela sai portanto da categoria do crime e entra na ordem do dia das "lutas sociais". É isto Ricardo, que o coitado (ou será ato consciente?) do teu leitor Yuri não sabe ou finge não saber. Não há que se ter meias palavras com estes criminosos, com esta imprensa corrupta nem com leitores que te fazem este tipo de provocação. Daqui a pouco um deles vai sugerir que os bandidos de Florianópolis sejam reunidos para estudarem Michel Foucault, Regis Debray e Mao Tse Tung juntos e vai insistir, neste e em outros blogs, que todos eles são "vítimas" deste modelo neoliberal perverso..rss..rss.rsss

Milton Simon Pires em 15 de fevereiro de 2013

Ricardo, alguns leitores do teu blog, e que vem fazendo comentários "policamente corretos" sobre a "questão da violência" merecem este texto ! Ele foi escrito para eles. abraço, Milton Pires. Síndrome de “Chinelização” Dr.Milton Pires. cardiopires@gmail.com A chinelização é uma síndrome (conjunto de sinais e sintomas) que vem afetando a população brasileira há décadas, mas que se agravou a partir de 2003, e hoje aflige todo território nacional. Os primeiros casos em Porto Alegre ocorreram em 1988. O paciente “chinelizado” não tem sexo nem idade específicos. Também já foi estabelecido que a doença afeta todas as classes sociais. Por algum tipo de lesão neurológica ainda desconhecida, a pessoa afirma que Ivete Sangalo tem o mesmo valor que Mozart, declara sem constrangimento que Paulo Coelho é tão bom quanto Machado de Assis, pensa que o jazz é “uma música” inventada para as comédias do Woody Allen, e não vê a diferença entre um filme de Glauber Rocha e um capítulo de “Avenida Brasil.” Os chinelizados podem ser vistos com frequência no verão vagando pelas praias do Leblon, do Guarujá, ou aqui em Atlântida no Rio Grande do Sul. Eles são capazes de comprar uma Mercedes 380, ou um BMW, e mandar rebaixar o carro no qual instalam sempre luz neon e rodas tala larga. A próxima etapa é colocar um CD do Michel Teló ou da Valesca Popozuda tocando num volume tão alto que, quando o carro está em Torres (RS), pode-se escutar o som em Florianópolis (SC). Muitas vezes o paciente chinelizado não é uma má pessoa e se define como alguém preocupado com aquecimento global, com as focas do Alaska e os ciclistas, além de fazer uma defesa radical do aborto e do casamento gay. Em outros momentos ele apresenta opiniões altamente elaboradas que costuma proferir depois de almoçar e sempre com um palito no canto da boca. As afirmações mais complexas são: “brigar por causa de mulher é besteira”, “religião cada um tem a sua”, e “política não se discute”. Na frente de um aparelho de televisão, o doente consegue passar horas assistindo a um treino de fórmula 1 ou a transmissão de um baile de carnaval de salão, após comer quatro pratos de estrogonofe de galinha com batata palha e tomar meio garrafão de vinho tinto suave fabricado no Brasil. Quando junta algum dinheiro, o chinelizado viaja invariavelmente para Miami ou Nova York (coisa que eu também gostaria de fazer..rss..rss) mas se enfurece ao extremo quando lhe perguntam por que não visitou Londres, Roma ou Paris. Nos casos em que a pessoa é na verdade mau caráter, o diagnóstico fica mais complexo porque neste estágio ela elabora doutrinas próprias sobre as grandes questões brasileiras. Em relação à saúde, por exemplo, ela sustenta que o SUS é um grande avanço já que “qualquer tipo de atendimento é melhor que nenhum” (mas finge esquecer que para si mesma ela não quer qualquer atendimento, e sim o melhor de todos). A etapa mais grave da doença começa quando o chinelizado decide falar sobre Filosofia e História. Aí é que o quadro piora porque afirma que Foucault e Derrida têm o mesmo valor que Sócrates e Platão, ou que a Escola de Frankfurt é tão importante quanto a de Atenas. Questionado sobre a existência ou não de Deus, a pessoa afetada (com vergonha de ser considerada uma fanática) adora dizer que acredita em “alguma coisa superior” ou em certo tipo de “energia além da vida.” Muitas vezes os chinelizados se reúnem em grupos e fazem questão de se apresentar como “minorias.” De uma maneira geral acreditam que “todo Estado brasileiro bem como a sociedade” tem uma “dívida histórica” com eles. Neste período que estamos vivendo agora (o Carnaval) os pacientes portadores da doença afirmam que “é uma festa que faz parte da riqueza cultural do Brasil” e que é uma “oportunidade para as pessoas assumirem a sua sexualidade sem medo de SER (o erro de concordância é deles; não meu) FELIZ. Até hoje não se descobriu nenhum tratamento para a doença. Recomenda-se, de forma preventiva, procurar um bom fonoaudiólogo para não falar com a língua presa, evitar beber coca-cola com cachaça, e frequentar churrascarias com espeto corrido a 15 reais. Fazer assinatura de qualquer empresa de TV a cabo também pode ajudar, e aconselha-se assistir desde documentários sobre monstros até o canal pornô com o objetivo de evitar contato com a Rede Globo aos domingos. De uma maneira geral, a Síndrome da Chinelização tem um prognóstico muito ruim e nos casos mais graves os pacientes terminam entrando para política ou tornando-se professores da Universidade Pública Brasileira. O único caso do qual tenho notícia de cura parcial foi o meu. Consegui melhorar um pouco através do recolhimento, da oração, do estudo constante, e da lembrança deixada por um certo sujeito que morreu há 2013 anos atrás que dizia para “não fazer para o outro aquilo que não quero para mim mesmo” - advertência severa para todo aquele que esquece que, fora da caridade, não há salvação.

lula é o Chefe da QUADRILHA ??? em 15 de fevereiro de 2013

... Porque os Chefões do Crime Organizado só agem nos Estados Governados pelos adversários do PT e do governo federal ?????????? Será que no Rio Grande do Sul e na Bahia não existem problemas nas prisões e na Polícia ?????

Menores em 15 de fevereiro de 2013

Boa parte, ou a maior parte, desses crimes que estão acontecendo em Santa Catarina são perpetuados por menores, que segundo nossa legislação, são impunes. Não existe nenhuma possibilidade de dar segurança aos brasileiros enquanto não se reformar essa legislação, que do jeito que está, apenas beneficia o incentiva a bandidagem.

Eduardo em 15 de fevereiro de 2013

Você vê que a coisa está feia, quando grande parte dos comentários do post são críticas dirigidas ao jornalista, ao invés de serem dirigidas aos responsáveis, diretos e indiretos, pela situação patética vivenciada em Florianópolis. Pois é... Como você sabe, no Brasil de hoje há dois culpados de quase tudo: a) a imprensa; b) FHC que, na verdade, foi quem embicou o país na direção certa, e que o lulopetismo faz tudo para tirar do rumo. Abraços

Lucas em 15 de fevereiro de 2013

O que está acontecendo em Florianópolis tem nome. Chama-se "Toque de Recolher" imposto pelos bandidos sob a população inteira da cidade ao forçarem os ônibus circularem apenas entre 7:00 às 19:00. Não me recordo de nada parecido com isso antes, sobre a população inteira de uma capital do país. O toque de recolher imposto pelos bandidos é mais grave do que as pessoas pensam pois tem um valor simbólico gigantesco. Neste momento há uma parte do território nacional que não está plenamente coberta pela autoridade do estado ou pelo estado de direito.

Ygor Paginnato em 15 de fevereiro de 2013

grupos de extermínio não ajudam agora? não são alemões que estão na cadeia, são brasileiros destruindo o estado e a cidade, com a ajuda do governo do pt. brasileiros querendo retomar santa catarina das mãos do progresso!

Carlos Alberto da Silva em 15 de fevereiro de 2013

Sem mais, não admitir que estamos sitiados é querer manter o nariz em pé, orgulho de um Estado/Capital, que já deu motivos para isso. Enquanto Cidadãos, é preciso admitir, somos reféns, mas não só dos bandidos de ocasião, mas de um governo que não reage e nenhum governante tem de pegar em armas, mas administrar a crise e, o que ocorre em nosso Estado, é uma leniência e a incompetência generalizada, movidas (ou seria)estagnadas, por vaidades que vão das políticas, às pessoais. Que venha a força Nacional, mas que tragam junto um bom Administrador, com poder de mando e mande.

Luiza em 15 de fevereiro de 2013

Tudo é orquestrado, SP tb foi e continua sendo refém do crime organizado,desde 2006. Todo início de ano é isso, em 2012 foi em cidades nordestinas, neste é em SP( além de SP, como de costume. O q falta pra ano q vem ser no Rio?? Tudo é feito nas cidades mais importantes do país, pra chmar atenção mesmo. Tal organização só é possível com o aval do partido dominante, procurem na net sobre Foro de São Paulo.

Ygor Paginnato em 15 de fevereiro de 2013

é esse PT que está ferrando com tudo. o nosso governo está melhor impossível, mas o problema são os nodertinos e cariocas que vem aqui lotar nossos presídios...

Alice no pais da sacanagem em 15 de fevereiro de 2013

Mas que esse governador tem uma cara de babaca , isto tem.

Douglas Correa em 15 de fevereiro de 2013

Uma duvida que me cerca a todo momento . Só os estados dirigidos pelo PSDB ou de interesse do mitômano tem esse tipo de problemas . As cadeias são ruins no pais todo e em alguns estados pessimas é elogio portanto esse não é o motivo. Lulla quer SP e odeia SC desde os problemas com o DEM que ele jurou extirpar da face da Terra. Volto a acreditar na aliança PT/PCC

Alice no pais da sacanagem em 15 de fevereiro de 2013

Combate ao crime? Com este presidente do senado? Camara deptados? Rosegate? Piada Os bandidos tb pensam e veem noticiarios!

flavio em 15 de fevereiro de 2013

Sera que não conseguiram prender nenhum desses bandidos e faze-lo falar, para explicar quem realmente esta por trás disso tudo. Se pegarem verificarão que nenhum deles é de Santa Catarina são todos de fora.

joe dilaime em 15 de fevereiro de 2013

Criminosos, encurralando a justica. Corruptos, presidentes do Senado e da Camara. Genuino e Maluf, sao deputados. O Brasil e uma piada de mau gosto. E muito azar nascer e ter que viver nesse lugar.

PTralhas em Pânico em 15 de fevereiro de 2013

...Ricardo, pode apostar que assim que sair o acordo da ajuda federal, tudo volta á normalidade como aconteceu em SP. Porque será hem??? Dou uma pista: ano que vem, tem eleição. Outra pista: SP e Florianópolis são administrados pela oposição. Concidência não é? Como diz o amigo Casca Fina - 15/02/2013 ás 0:17, a verdadeira quadrilha está no comando do país, o resto é só figuração para enganar a platéia mais incauta.

Lucas Faraco Cantelli em 15 de fevereiro de 2013

Que a coisa está horrível é verdade, mas "PRIMEIRA" é mentira - ou São Paulo já não chegou tão fundo no poço nas mãos de criminosos que acabou negociando com eles?

elian nascimento em 15 de fevereiro de 2013

Isso, é são as regalias que os banidos desse país tem, a falta de leis mais rigorosas, que esses deputados incompetentes do nosso país não fazem, a péssima estrutura oferecida para os policias desse país, não consigo entender, bandidos com tanto poder .aterrorizando a população brasileira, até quando isso continuará?..cade as autoridades desse país? ....

Suzana em 15 de fevereiro de 2013

Todos estamos reféns dos bandidos aqui em Floripa. Saí de casa hoje à noite e o trânsito estava parado, resultado da falta de transporte público. E não há polícia na rua. Crack em cada esquina do Centro e seus zumbis circulando pela cidade. A situação é de insegurança.

Casca Fina em 15 de fevereiro de 2013

Ora, onde começa o crime e a impunidade nestepaiz? No Congresso Nacional! Nos antros e covis desses políticos safados, corruptos e ladrões, verdadeiros saltimbancos fesceninos a executar proezas imorais com o dinheiro publico, em proveito próprio. Não passam de "sepulcros caiados, raça de víboras, ... cheios de imundície por dentro." Esses imundos querem corrigir o quê? Os ladrões me saleiros estão aí, livres leves e soltos. O sórdido Renam é novamente presidente do valhacouto senatorial; o execrável Alves comanda a Câmara... e vai por aí afora, um mar de lama e podridão sem fim. Alguém acredita mesmo que gente dessa laia possa dar um basta ao banditismo no Brasil?

Yuri em 15 de fevereiro de 2013

A matéria distorce o pano de fundo dos ataques: sistema prisional falido. As cadeias devem servir para ressocilizar, não para fazer os criminosos saírem de lá piores do que entraram. Aumentar as penas também não vai adiantar já que muitos dos presos não têm nada a perder (nem todo criminoso é um Carlos Abadia ou Fernandinho Beiramar assim como nem todo jogador de futebol ganha como um Cristiano Ronaldo). A melhor medida é prevenir o crime ao invés de remediá-lo, do contrário, coisas iguais ou piores vão continuar acontecendo nos próximos anos e décadas (se duvidar, séculos). De que forma um comentário como este "distorce" o pano de fundo de qualquer coisa? Não tentei explicar nada! É fácil atirar pedra em jornalista, não?

carlos em 14 de fevereiro de 2013

A guerra contra as drogas, política dos anos 70 dos eua, comprada pelos cucarachas (brasil, méxico, colombia, etc) esta mostrando resultados. Milhares de micro e pequenos traficantes são presos diariamente e viram soldadinhos do crime. O ministro e sua força nacional (200 homens) vão em sc fazer acordo com os traficantes. Só isso.

Alerta Brasil em 14 de fevereiro de 2013

Este nosso Executivo e Congresso são compostos de vigaristas. Se tira por base a última eleição para Presidência do Senado,é de desanimar qualquer cidadão.São tão safados que focaram na Tolerancia Zero ao motorista que fica indefeso, mesmo que seja pego pelo bafômetro por ter ingerido um simples chocolate recheado com licor ( mais um imposto maquiado ).Porque não; Tolerancia Zero ao Crime? Será que temem serem os primeiros?

Valério em 14 de fevereiro de 2013

Ricardo, Floripa é uma Ilha e uma pequena porção continental, e suas cidades vizinhas, que compõe a Grande Fpolis são extremamente ligadas e dependentes de floripa... este termo de a primeira grande cidade tomada é um erro sim, pois nem se compara as outras em relação a tamanho territorial e qtdade de população.Em floripa, quase metade das familias é considerada de "alta renda" pelo IBGE...esses bandidinhos de merda fazem isso por pura birra, não fazem igual em SP e RJ atirando pra todo lado e matando inocentes, isso é uma grande de uma desordem social, isso sim...não é só pq os onibus circulam 12 horas por dia e alguns onibus são queimados q uma cidade "inteira" é refem de bandidos, antes fosse desse tipo de bandidos q tivesse pelo Brasil, muita gente estria viva hj... Se privar a população de condução pública a partir de 19 horas por temor aos bandidos não for fazer a cidade de refém, não sei mais o que seria. E a suspensão das aulas noturnas?

francisco pape em 14 de fevereiro de 2013

auxiliada por estes atos de barbarismo,já começou a campanha do PT ao governo do estado de SC,Ideli à vista !!

Angelo Losguardi em 14 de fevereiro de 2013

Setti, . O crime é a prioridade número dos governos, em especial os petistas. Digo, a prática, não o combate...

Geraldo de Freitas em 14 de fevereiro de 2013

Não é. Rio de Janeiro e São Paulo já passaram por isso; Belo Horizonte está indo para o mesmo caminho. Enquanto as autoridades não chegarem à conclusão de que essa política equivocada de tirar os policias da rua só aumentam a criminalidade isso não vai melhorar. No Rio, ao "inventar" as UPPs não fizeram nada além de voltar com o policiamento ostensivo.

Jose Maria em 14 de fevereiro de 2013

... O Brasil é refém do crime, infelizmente. O país não tem diretriz, seus governantes são paupérrimos, exímios demagogos. Tudo isso resume o país a miséria absoluta, povo sem dinheiro, liberdade ou paz.

nedinho em 14 de fevereiro de 2013

Moro em Florianópolis. O problema é que o governador é da oposição e é um canastrão. Sua Secretaria de Comunicação (se existe) é composta por bananas. Vai concorrer com Ideli para se reeleger como governador e aí está o medo de ajuda do governo federal (leia-se PT). Podia vir em cadeia estadual de tv e rádio dizer que NÓS OS CATARINENSES ENTREGAMOS NOS ÚLTIMOS CINCO ANOS 'X' BILHÕES DE REAIS EM IMPOSTOS E HOUVE UM RETORNO DE 'Y' BILHÕES SOMENTE. ENTÃO NÃO ESTAMOS PEDINDO AO GOVERNO FEDERAL QUALQUER AJUDA OU SOCORRO E SIM, QUE ESTE DEVOLVA AOS CATARINENSES SOMENTE PARTE DO DINHEIRO COBRADO NESTES ÚLTIMOS ANOS. LEVAR UNS 50 BANDIDOS CONDENADOS PARA PRISÕES FEDERAIS NO ACRE, RONDÔNIA, SEM DIREITO A VISITAS ÍNTIMAS E OUTRAS 'BOBAGENS'. E MANDAR UNS 5.000 MEMBROS DA FORÇA DE SEGURANÇA NACIONAL. E AÍ O CARDOZINHO VAI TER QUE VIR A PÚBLICO DIZER QUE NÃO TEM TAL QUANTIDADE DE TROPAS (UMA VERGONHA)

sebastiao roberto de oliveira em 14 de fevereiro de 2013

Em sao paulo e Rio de Janeiro, e por consguinte todo o Brasil, o crime organizado eh pior do que qualquer coisa que se imaginar a respeito de tipos de crime. o crime agora nao tem territorio e nacional. deixa de dizer que eh so SANTA CATARINA E onde é que você leu, em qualquer dos mais de 5 mil posts que já publiquei no blog, que é "SÓ" em Santa Catarina? Fique bravo com os bandidos, com o governo do Estado, com quem quiser -- não comigo.

roberto em 14 de fevereiro de 2013

Ora este bando de mocos aí tem de parar de achar que só o pt ou só o pv ou pc que rouba são tudo farinha do mesmo saco ,enquanto ns trabalhadores abaixarmos a cabeça e aceitar tudo e esperar que governo conserte vai ser esta zorra mesmo o dia que juntar a população e exigir, que politicos ganhem salários absurdos e leis sejam engavetadas p não ferirem um parente ou amigo do deputado será sempre pior ,tenho até pena dos policiais deste brasil ,quando ele prende um bandido ,primeiro tem de pegar ele com algodão pois pode machucar,depois aí leva p a dp e, antes de acabar de fazer os papéis que é uma burocracia sem tamnho o vagabundo ja esta solto , não pode ficar preso é menor, tem menores aí que são maior que muita gente de academia ,só p ser preso e trabalhar que a lei diz ser menor ´[e sem explicação ...

Valério em 14 de fevereiro de 2013

Ricardo,acho correto afirmar o controle do terror sobre o povo de floripa, mas um enorme erro afirmar q é a primeira... Mesmo assim,é ridiculo presenciar as reações dos politicos locais sobre o ocorrido: esta tudo sobre controle. amo Floripa, e o povo nao merece essa corja de pamonhas! Exército nas ruas já !!! Não é erro, não. Até agora os bandidos "mandavam" em favelas, em bairros do Rio (agora, menos) etc. Uma capital INTEIRA estar sujeita à chantagem desses criminosos é a primeira vez. Não é "enorme erro", não. Me mostre outro exemplo do mesmo teor. Abraço

jota em 14 de fevereiro de 2013

O povo catarinense deve cobrar providencias ao Governo do Estado, que parece estar amedrontado diante ações dos bandidos.

moacir em 14 de fevereiro de 2013

Setti, No dia em que o combate ao CRIME for prioridade número 1 em todos os níveis governamentais e os banditos forem todos punidos com a força das leis, ADVINHA QUEM VAI MORAR NA CADEIA?

carlos alberto em 14 de fevereiro de 2013

O quê se passa em Florianópolis? Os bandidos resolveram aterrorizar a cidade porquê? Bandido que é bandido não faz espuma, só quer fazer seu ganho na maior maciota possível. . O que está ocorrendo em Floripa é coisa de terrorista, coisa política. No final do ano passado, São Paulo foi palco da mesma tragédia. Trocado o governo de oposição de São Paulo, os ataques terroristas, que visavam particularmente policiais, mas gerava um clima de terror em todos, diminuiu muito. . Santa Catarina paga o preço por ser oposição e o PT não perdoa.

Arildo Souza em 14 de fevereiro de 2013

A prova do que acabei de dizer é a eleição de dois fichas sujas para presidir as casas da democracia, O Senado e a Câmara. O que pensam os bandidos nesssas horas, quando percebem que seus colegas, os de colarinho branco, estão enchendo os bolsos com nosso suado dinheirinho? Oras, percebem que governos estão tão desorganizados e corruptos que não conseguem enquadrá-los e puní-los; logo sentem-se livres para aterrorizar a vida de cidadões honestos e de bem.

Arildo Souza em 14 de fevereiro de 2013

Prezado Ricardo Setti. Que tal você elaborar um novo artigo vinculando os ataques em Santa Catarina e São Paulo, a tragédia em Santa Maria com a corrupção e a imoralidade governamental com a administração dos bens públicos? Que ligação há entre estes fatos com a corrupção? Ora Ricardo, tanto a irresponsabilidade dos donos da boate quanto os ataques dos criminosos são ambos consequências da corrupção governamental.Governos não combatem bandidos e não fiscalizam os estabelecimentos de reuniões públicas, evitando desastres, porque estão mais preocupados em desviar do que administrar. O povo que se exploda.

cristiano dagostin em 14 de fevereiro de 2013

santa catarina sitiada,e a secretaria da justiça fazendo campanha pelo interior do estado.fora ada de lucca

Cideval em 14 de fevereiro de 2013

É a triste realidade. Em nome do falsamente alardeado direitos humanos, ficamos refém dos bandidos. Criou-se um estado em que o bandido vale muito mais que o cidadão honesto. Que os criminosos são chamados de movimentos sociais ou quando muito de violência urbana. Insegurança total, deterioração geral do direito dos honestos e daqueles que diariamente suam a camisa em tarefas dignas. Não há ação, não há ação, somente o desespero de pais de família, de trabalhadores, de estudantes e de todos que sonham em poder viver em paz e segurança.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI