Image
Até quando crimes horrendos cometidos por “adolescentes” continuarão merecendo punição mínima? (Ilustração: pixmax.com)

O monstro ia fazer 18 anos dentro de 48 horas. E resolveu se vingar da ex-namorada, na flor dos 14 anos, praticando um crime enquanto sabia estar protegido pelo Estatuto do Menor e do Adolescente (ECA): levou-a para um matagal e a matou com um tiro no rosto, desses que, depois, impedem a família até de mostrar a pessoa morta no velório, tal o estrago horrendo que causa.

Como se isso tudo não bastasse, o rapaz — o “adolescente” — filmou o crime pelo celular. Para arrematar, enviou as imagens da barbárie para amigos. Cometido o crime hediondo, o rapaz foi para casa, tranquilo, assistir a uma partida de futebol e ainda comemorou a vitória de seu time.

Essa história ocorreu domingo passado, dia 9, no Gama, uma das maiores cidades-satélites do Distrito Federal. O criminoso, como você lerá abaixo, não demonstrou o menor arrependimento, e já tinha uma vasta folha de passagens pela polícia.

Se casos como esse não levarem a uma séria reconsideração sobre a maioridade penal apenas aos 18 anos, não sei o que faltaria mais. Um rapaz ou uma jovem de 16 anos ou mais pode dirigir automóveis e eleger presidente da República, mas, pelo ECA, é quase uma criança que não sabe o que faz.

Qualquer brasileiro que já foi assaltado com violência física — eu, por exemplo — sabe que há moleques de 16, 17 anos fortes como touros, com absoluta e perfeita compreensão de que estão infringindo a lei e, quase sempre, zombando dela, por saber-se enquadrados no ECA — como o monstro ainda anônimo de Brasília.

Agora leiam a reportagem do site de VEJA sobre esse caso pavoroso e digam se devemos manter a maioridade penal tal como está.

MENOR MATA EX-NAMORADA, FILMA CRIME E DISTRIBUI IMAGENS PELO CELULAR, DIZ POLÍCIA

Menor confessou o crime um dia antes de completar 18 anos. Ele já tinha passagens na polícia por roubo, ameaça, lesão corporal e porte de arma

Por Eduardo Gonçalves, de Brasília, para o site de VEJA

A dois dias de completar 18 anos, um menor matou a ex-namorada, de 14 anos, gravou o crime com seu celular e enviou as imagens para os amigos, segundo policiais militares que investigam o crime ocorrido no último domingo na cidade-satélite de Gama, no Distrito Federal.

Segundo a delegada Viviane Bonato, o menor confessou e narrou com detalhes como matou a jovem: convidou ela para sair no domingo à tarde, foi até um matagal e disparou contra o seu rosto. Em seguida, ele voltou para casa e deixou a camiseta – encontrada com manchas de sangue – em um cesto de roupas para lavar.

O adolescente ainda teria assistido a um jogo de futebol na sequência. “Ele até disse que comemorou muito a vitória do seu time”, disse a delegada. Segundo ela, o celular apreendido com as supostas imagens do crime foi encaminhado para perícia.

Leia também: Maioridade penal aos 18 anos: um dogma que precisa ser derrubado

De acordo com a delegada, o menor confessou o crime sem esboçar emoção ou arrependimento e declarou que o motivo foi ciúmes. Ele afirmou à polícia que matou a menina porque ela estava namorando outro rapaz de um grupo rival. “Ele disse que a ex estava armando uma ‘casinha’ (emboscada) para ele e se relacionando com seus inimigos”, afirmou a delegada.

Antes do crime, ele já tinha sido fichado pela polícia por porte de arma ilegal, lesão corporal, ameaça e roubo.

O suspeito teve a internação provisória decretada. De acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), ele só pode ficar internado por no máximo três anos.

Se fosse maior de idade, poderia pegar de 12 a 30 de anos de prisão, segundo o Código Penal. A delegada classificou o caso como homicídio qualificado.

A arma do crime, um revólver calibre 32, não foi encontrado. “Ele disse que jogou a arma no matagal, mas não encontramos nada. Falou que ela foi obtida numa troca por uma bicicleta”, disse a delegada.

A vítima foi enterrada no início da tarde desta quarta-feira no cemitério do Gama.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 + dezessete =

Nenhum comentário

marize em 17 de março de 2014

Futuros eleitores do PT? Já são, pois com 16 já votam. E advinhem em quem ele deve ter votado???

Evaldo em 17 de março de 2014

Isso a ministra do "direito dos manos", Maria dos Otários, não comenta... Se cometeu crime, deve ser punido. Até moleques de 12 anos sabem bem o que estão fazendo. Se o Brasil fosse um país sério, essa maioridade penal aos 18 anos já teria caído por terra há muito tempo.

geroldo zanon em 17 de março de 2014

Este chamados DI MENOR são os futuros eleitores do PT

Luiz Albino em 16 de março de 2014

Acredito que cada crime, deva ser punido de acôrdo com sua gravidade. A questão da maioridade penal, distorçe o direito das vítimas, cria monstros amorais, com a proteção permanente do sistema jurídico, e às custas das pessoas honestas que serão seus alvos. Porquê não punir? porquê o tal "garantismo" prevalece no direito penal? Eantão as vítimas é que são os algozes? Porquê um assassino, ou latrocida, recebe tantos benefícios legais, como a tal "progressão de pena"? Com eufemismos como "ato infracional análogo ao crime de", os "infratores" ganham impunidade e tratamento privilegiado, enquanto suas vítimas ganham apenas o abandono completo pelo estado, que deveria garantir seus direitos, inclusive, à vida. É revoltante saber que pessoas hipócritas e oportunistas, filósofos do chinelo, e todo tipo de gente abjeta protejam os verdadeiros culpados, as pessoas que por mal-caráter, escolhem viver na bandidagem. Sem punição, não há bom exemplo, já estamos vivendo em meio ao caos.

pierre em 16 de março de 2014

E jornalistinhas de merda,cooptadas, como aquelas que falam **** **** cooptada pelo lullopetismo, inventaram que quem defende a redução da maioridade penal não tem maioridade moral! Quem são essas pentelhas esquerdizóides idiótas, formadas em escolas canhestras e orientadas por estúpidos professores malintencionados, para falar em moralidade? Qual é a moral do socialismo comunizante que,iludidas,almejam para o país? A moral assassina do regime cubano? A moral estúpida do borivarianismo? Ellas (e ellles) não aprenderam nada! E nunnca aprenderão!

Leonardo Saade em 14 de março de 2014

Caro Ricardo Setti, não sei como os críticos da redução da maioridade penal não se assustam com crimes hediondos como este. Como se a montruosidade de tal ato, estivesse relacionado à maturidade , e não ao caráter, ou melhor, falta de caráter desse assassino. Será que eles pensam que o "dimenor" vai conseguir a maturidade para diferenciar o certo e errado à meia-noite do seu aniversário de 18 anos? Antes ele não tinha a habilidade de julgamento? Baseado em quê os defensores da atual legislação buscam argumentos? A gafe que a Ministra Maria do Rosário cometeu recentemente mostra isso. A Ministra, fervorosa defensora da atual legislação, ficou horrorizada com o homicídio de um produtor de TV homossexual no interior de São Paulo, que foi brutalmente assassinado e teve o corpo jogado em um canavial. A Ministra respondeu que isso " era coisa da horda reacionária e direitista-liberal que não suportam o convívio com os gays". E completou dizendo que " quem cometer um crime contra um gay merecia pena de morte". Ao ser informada por uma repórter que o crime foi cometido por quatro menores que ficaram livres graças à rejeição da proposta da redução da maioridade penal, que ela apoiou, Maria do Rosário interrompeu a entrevista e fingiu falar no celular. Mas foi avisada que o "celular" era o controle do ar-condicionado. Seria cômico, se não fosse trágico.

osmar em 14 de março de 2014

A disseminação da violencia no país é grave.Parece que vivemos uma cultura da violencia.Quanto pior melhor.A passividade do nosso congresso em fazer o que é seu dever, ou seja, criar leis e macanismos para proteger a sociedade, não é feito.De reformular leis antigas que não condizem com a realidade atual, não encontra eco.Estão despreocupados.Mas o que sabem é discutir reeleição 2 anos antes.Discutir cargos e postos no governo oui estatais, sabe-se lá com qual intenção(na verdade sabemos).Poderiam debater um pouco mais a ideia do senador Aloisio Nunes.Que se dane o partidos, é muito mesquinho.Que se dane socialismo ou capitalismo.O que importa são as pessoas.Uma sociedade melhor.Me lembro que o senador petista Eduardo Suplicy, tinha uma ideia na cabeça chamada Renda Minina, o que seria hoje o bolsa familia.Quando FHC entra no governo implanta esta ideia de renda minima, com outro nome, que não me lembro, dando os primeiros passos para diminuir a desigualdade.Hoje a critica que vejo do PSDB não é quanto ao programa, mas sim quanto a gestão.Mas por que estou dizendo tudo isso.Porque existem um projeto que foi colocado em discusão pelo senador Aloisio Nunes e que merece uma discussão mais humana sem PAIXAO politica.S

Indignada em 14 de março de 2014

S.O.S. Civilidade! Já ultrapassamos todos os limites do TERROR! Que povo-bonzinho-alegre é esse que gera uma sociedade perversa, cruel, assassina como a nossa?! Povo BOM é mesurado pelo respeito à VIDA: O BEM mais precioso! Somos o país da MATANÇA oficializada. ABATEDOURO, AÇOUGUE em liquidação permanente de CARNE HUMANA! Nossos Desgovernantes têm altíssima aprovação popular porque são iguais ao povo, sairam do povo. São nossos semelhantes. Merecemos o que temos! Um povo BOM, sério, com DNA que presta, já teria construído monumentos aos MÁRTIRES-HERÓIS-CORDEIROS espalhados pelo país. Já teriam, sobretudo, dado um BASTA na CARNIFICINA! Nossos MÁRTIRES–HERÓIS são duplamente vítimas. São acusados de ‘morrer’ porque reagiram em legítima defesa! Como se as crianças, os idosos, as mulheres, e os que não reagem fossem poupados de morrer ‘mansamente’ assassinados com requintes de sadismo. Matança covarde, gratuita, leviana, banal, selvagem, bárbara... Estamos galopando para o canibalismo explícito! A Policial que recebeu ‘a cabeça do marido numa mochila’, essa mãe, e milhares de VÍTIMAS ANÔNIMAS, já foram socorridas pelos ‘Direitos dos Manos’?! Nossos Desgovernantes já colocaram coroas de flores aos nossos MÁRTIRES DESCONHECIDOS?! Com a arduamente defendida INVERSÃO DE VALORES estamos todos “DIMENÓ”. Até quando?!

Estevão em 13 de março de 2014

Olha, Ricardo! Há paises "esquerdistas" que condenariam rigorosamente este assassino. Coréia (N) por exemplo ! Isso não os torna menos tenebrosos nem menos criminosos.

Roberto Correa Ribeiro de Oliveira em 13 de março de 2014

Esse texto escrevi ano passado sobre a violência que assola nosso país; mas pelo visto, a todo o instante, novos atos bárbaros surgem e aumentam a lista de cidadãos covardemente assassinados em nosso país. E o que podemos fazer? Apenas chorar e rezar. E aí, acabaram de matar pai e filho que saiam para trabalhar, em São Paulo, agora cedo (22/11/13). Você ainda se lembra da menina que recebeu um tiro na nuca? E do tiro no peito do pobre operário? Hoje, são eles, amanhã poderá ser você. Às vezes, fico na dúvida se assisto os noticiários televisivos ou se leio as reportagens das principais revistas brasileiras, sobre o que acontece em nosso país. São tantos os absurdos mostrados nestas reportagens, contra nós pobres cidadãos, que chega a chocar . Foi divulgado, pelos noticiários, que morrem por volta de 50.000 pessoas por ano assassinadas, neste maravilhoso país do carnaval, do futebol e da corrupção. E pasmem, de cada 10 pessoas assassinadas, apenas 1 caso é solucionado. Repito, apenas 10% desses assassinatos são descobertos os seus autores. Depois somos obrigados a enfrentar a morosidade e a benevolência da “justiça” brasileira e a ineficiência do sistema judiciário nacional. Desses 10% poucos ficam realmente presos ou são punidos. O crime em nosso país compensa. Somos reféns do medo e da ineficiência do Estado. A indústria da blindagem de automóveis vem crescendo de forma assustadora, refletindo esse pavor de nosso povo. Mas quem pode blindar o seu carro atualmente ? Isso realmente resolve o problema de segurança nacional ? Não amigos, isso não resolve. No início deste mês de novembro, de 2013, foi noticiado de forma rotineira e habitual, pelos principais jornais brasileiros, 2 casos que deveriam chocar as pessoas de bem de qualquer país responsável e que se diz em desenvolvimento. Repito, deveriam, mas parece que não chocam mais, pois a violência esta sendo banalizada. O fato é relatado com a mesma tranquilidade com que se noticia uma simples batida de carro. E ainda ficamos felizes por não serem nossos parentes. Um absurdo. Daqui a 30 dias ninguém se lembrará mais desses episódios. Se transformarão em frios números que compõem uma triste estatística de nossa violência. Uma linda universitária em São Paulo, de apenas 18 anos, na flor de sua juventude, que poderia ser nossa filha, trafegava na grande São Paulo, em seu carro blindado, quando foi abordada, por um grupo de “animais predadores”. Assustada, saiu do carro e recebeu um tiro na nuca. Foi a óbito depois de alguns dias de internação. Em outro episódio grotesco, um pobre metalúrgico de 45 anos, que estava acompanhado de sua sobrinha de apenas 12 anos , foi abatido a tiros em uma grande rodovia que corta a cidade de São Paulo, quando trafegava em sua moto, em pleno dia. Abatido como um animal qualquer, recebeu um tiro no peito e caiu morto na estrada, em frente a sua pobre sobrinha, também baleada, por esses covardes assassinos. Não vi nenhum depoimento de grupos de defesa dos direitos humanos e muito menos olhos lacrimejados, de nenhum demagogo hipócrita deste governo petista, para dar os pêsames aos familiares dessas pobres famílias infelizes. O que fará esses familiares sorrirem novamente ? O que trará a felicidade novamente a essas pessoas? Os dois não foram os únicos que morreram. Coloquem-se no lugar dessas pessoas e imaginem sua filha, irmã, neta recebendo um tiro covarde na nuca. Não conseguiu imaginar a dor dessa família? Então imagine o seu marido, pai ou filho recebendo um tiro covarde no peito em plena luz do dia e caindo morto em um asfalto “frio” e empoeirado de uma estrada qualquer. Não precisamos ter uma Izabela e nenhum Wanderley na família para imaginarmos a dor desses familiares. Sinto uma dor imensa em meu coração porque pago os meus impostos corretamente, porque tenho duas filhas jovens que estudam e andam sozinhas por esse perigoso país, porque estou refém dos bandidos que habitam as ruas, as câmaras de vereadores e de deputados, o senado, a presidência da república. Sinto dor em meu coração, porque sou brasileiro. Às famílias dessas duas pessoas assassinadas, Izabela e Wanderley, eu um simples e humilde cidadão brasileiro, peço a vocês humildes desculpas e dou os meus pêsames pela morte de seus parentes e pela morte de todos nós cidadãos deste imenso Brejil. Precisamos mudar urgentemente essa situação. Nosso país está sendo assassinado e todos nós roubados. Estão roubando nossa paz, nossa liberdade, nossa dignidade.

Corinthians em 13 de março de 2014

Setti, Pior. Quando este psicopata for liberado, terá a ficha limpa. O Brasil é pró-bandido. As pseudo-esquerdas latrino americanas são pró-bandidos. Esto ansioso aguardando a opinião da dona Dillma e da dona Maria do Rosário sobre o assunto. E a família ? Qual apoio terá ?

A mão que embala o berço em 13 de março de 2014

O ECA é uma ECA mesmo.

Despetralhando em 13 de março de 2014

Um crime barbaro como este não poderia sequer ter limite de idade.

Liane Sanchez em 13 de março de 2014

"A pena de morte não pode ser implantada no Brasil porque é vedada por cláusula pétrea (que não pode ser modificada) da Constituição" é observação que vc faz ao leitor paulo cesar - 12/03/2014 às 20:36. Eu pergunto a você,não estamos todos nós no corredor da morte?! Somos alvos de bandidos que não vacilam em nenhum momento em qualquer circunstância do nosso dia-a-dia.Todos os dias. Todo o santo dia. O quê acontece com os bandidos?! Nada! A justiça brasileira executa uma coreografia,para nos fazer crer que está presente. Os ritos fielmente cumpridos.Folhas e mais folhas se acumulando em processos. Garantias de que os acusados tenham todas as chances de defesa,aquelas mesmas que nos negam quando nos atacam. Os processos volumosos;as penas nem tanto e seu cumprimento,mais das vezes, uma piada. O culpado mesmo quase sempre foi a vítima. Deu mole! Vacilou. Reagiu! Estamos no corredor da morte a espera do carrasco da hora. O que acontece quando um de nós é abatido?! Nem a comiseração da Maria do Rosário,nem o olhar dos direitos humanos e menos ainda o auxílio reclusão. E acreditamos que o Brasil ainda será o pais do futuro!

aldo soares em 13 de março de 2014

Como bem disse o Sen.Magno Malta: que falta pouco pra os adultos pedirem licença aos adolescentes, filhos, para saírem de casa. O que esperar de um indivíduo, não importando a idade,que mata sem piedade e com prazer mórbido sem ter sido ameaçado de nada? 3 anos recolhido é o suficiente? volta com ficha zerada. Assim é a lei feita por esses políticos frouxos que só visam votos. Praticou crime hediondo, não interessa a idade deve ser isolado da sociedade para sempre. [e, 90% da sociedade quer assim; mas os políticos do PT,não!] Para muitos "cabeça de avestruz' o mundo é feito só de bondade; no dia que a maldade observa-lo na toca, talvez comece a ver que não é com flores que se vence uma guerra. E não duvido nada, mais adiante, se formar uma comissão de direitos humanos e pôr o criminoso "CHAMPINHA"na rua.

Helga em 13 de março de 2014

"Quando se sabe que é possível matar sem arriscar-se a um castigo nem reprovação, se mata; ou ao menos se rodeia de sorrisos alentadores aqueles que matam." (Simone Weil, "Carta a Georges Bernanos")

Ser pensante em 13 de março de 2014

Não acho que tenha sido ofensivo. Só fui irônico, pois a visão unilateral da Veja não propõe um debate e, sim, induz o leitor a concordar com o seu ponto de vista. Em NENHUM momento vi, nas dezenas de reportagens publicados pela revista, UM único "porém", alguma consequência negativa em reduzir-se a maioridade penal... Quando isso ocorrer, ficarei feliz em ler as notícias da veja. Por enquanto, está difícil. Meu amigo, eu não sou VEJA. Não tenho essa pretensão. Sou uma pessoa só, um único colunista de opinião que tem um blog no site de VEJA. Comente a revista ou critique-a com a pessoa certa, o diretor de Redação. O email é veja@abril.com.br

ney Brasil de paz... em 13 de março de 2014

A meditação está ajudando uma redução fantástica de violência no Paraná, nos últimos anos , confira em www.eumedito.org .

Ser pensante em 13 de março de 2014

Você me respeite. Seu comentário era ofensivo e foi deletado.

deejay em 13 de março de 2014

Caro Setti. Deviam ter debatido com mais critério a proposta do Senador Aloysio Nunes Ferreira recentemente rejeitada na CCJ do Senado. Ao contrário do que foi divulgada ela não decretava a redução da menoridade, mas sim instituía um mecanismo inteligente para casos absurdos como este. O maior de 16 que praticasse crime hediondo seria submetido a um procedimento de desconsideração de sua inimputabilidade. Este procedimento seria requerido pelo MP, submetido a uma junta multidisciplinar e decidido pelo juiz. Permitiria que em casos assim, o criminoso pudesse receber sanção penal. Pena que a mistificação e a ignorância das esquerdas sepultaram ainda no nascedouro esta proposta. A sociedade merecia pelo menos uma descussão mais transparente e aprofundada em torno desta PEC. O "grande problema" desse projeto é que foi apresentado por um senador do PSDB. Aí a má-vontade do lulopetismo emperra tudo. O projeto, que eu conheço, efetivamente é muito inteligente. Talvez por isso, também, é que não tenha ido adiante...

José Amoêdo em 13 de março de 2014

E se abaixasse a maioridade penal para 16 anos e ele cometesse o crime com 15 anos e 364 dias?

Ser pensante em 13 de março de 2014

Para crimes hediondos como este, a legislação atual realmente é falha. Poderia se relativizar a maioridade penal EM CASOS ESPECÍFICOS para redundar em penas condizentes. No entanto, reduzir a maioridade penal para 16 anos implica cadeias ainda mais superlotadas. Além disso, jovens que respondem por infrações mais leves entrariam em contato com uma realidade mais agressiva e desumana. Não se pode basear LEIS EM EXCEÇÕES. http://vinibocato.files.wordpress.com/2013/04/tipos-de-crimes.jpg Segundo esses dados, 1.4% dos menores cometem homicídio. E a grande maioria como fica??? Qual será o próximo passo? Reduzir a maioridade para 14? 12?

LC em 13 de março de 2014

Esse debate sobre a maioridade no Brasil é muito cercado de hipocrisias, ingenuidades e pieguices por um lado e por outro é carregado de doutrina ideológica que acho ainda pior..... Todo mundo sabe, mas fingem não saber, que alguém com 15 anos hoje é completamente diferente de como eram em 1930, mas a lei é a mesma..... Já cheguei a ver na TV apresentadores de programas policiais referindo-se a pessoas de 17 anos como "crianças" ou "meninos"..... Inclusive, se um "menor" desses violentar uma mulher de 40 anos por ex, a vítima pode ser processada por "pedofilia" !!

Meia Verdade em 13 de março de 2014

Setti muito se fala desses "jovens", são rejeitados pela família, pela sociedade, pelo estado, mas não leio quanto a cumplicidade que indiretamente propicia e fomenta esses "jovens" a criminalidade. Os "direitos humanos", e as ONGs, em defesa desses "jovens" são cúmplices, de certa forma, a esse estado de coisas. Esta na hora das ONGs, direitos humanos,conduzirem realmente os jovens a sociedade, e não os levarem a criminalidade com seus discursos de "proteção". A lei de certa forma inibi, e principalmente protegeria esses jovens que são usados pelos criminosos maiores de 18 anos. O que não enxergam é que estamos formando pessoas a criminalidade. ESTA NA HORA DOS DIREITOS HUMANOS PROTEGERAM REALMENTE ESSES JOVENS.

Atento em 13 de março de 2014

Não entendi o raciocínio do Marckel: a India é capitalista e pobre, ainda mais que o Brasil, dividida em castas, com imensas favelas e a violência não chega a 5% daqui. Por que a culpa é da direita e do capitalismo? Cabe perguntar ao missivista: bebeu,fumou ou é caso de déficit cognitivo?

Antonio R. Melo Jr. em 13 de março de 2014

Somente essa esquerda bandida, criminosa e corrupta defende a manutenção da maioridade penal após os 18 anos. Pode parecer coincidência, mas bandido tem sempre a vocação de proteger outros bandidos. Mas existem várias pesquisas onde o povo manifesta a vontade de que a maioridade penal seja reduzida. O Legislativo, como "representante" do povo deveria estar atento a esse clamor e reduzida há muito a maioridade. Na minha opinião, a maioridade penal deveria começar aos 14 anos, com possibilidade de atenuantes, etc etc. Isso é uma longa discussão. Mas permanecer assim é inadmissível.

Tenham paci^Çencia, pois eu não a tenho mais... em 13 de março de 2014

- Senhor, além da questão do E C A ( meu avô quando não gsotava de uam coisa, dizia: " ECA"...), vejo a coisa por outro aldo, A SACANAGEM, A PUTARIA, como se dizi no nosso tempo.... a molecada só pensa naquilo... O SEXO, dsifarsado de tanta coisa, é estimulado dia e noite na TV, na internet, em todos os lugares... NAS ESCOLAS, NAMORAR NÃO É MAIS PROIBIDO, E A MOLECADA ATÉ FAZ SEXO NOS BANHEIROS, NAS SALAS DE AULA..... mais uma vez, o meu avô Edgard, portugues, nascido lá nos anos 1800 e qualquer coisa, produtor ( pequeno, familiar ) de vinhos em Portugal, pouco e nenhum estudo, mas sabia das coisas..... "quando a cabeça não pensa, o corpo paga "......e outra coisa: ' OS ESPECIALSITA VÃO ACABAR COM O MUNDO "..... um esagero, generalisou, MAS, em algumas áreas,a certou na mosca.. EDUCAÇÃO, SEGURANÇA, E OUTRAS.... CARNAVAL, e as campanhas são senmpre as memsmas: USE CAMISINHA.... NUNCA VI, ASSITI, LI, OUVI UMA CAMPANHA QUE FALASSE SOBRE A MOLECADA ESTUDAR E NÃO NAMORAR.... EM A TRUAM TER JUIZO NO CARNAVLA. dá a IMpressão que no carnaval é nogéoco é fazer sexo, não diversão em si ( não que sexo nãos eja uma diversão, mas deveria ser outra coisa.. ) CAARNAVLA, GRANDES REUNIÕES, SE TRADUZ EM SEXO LIBERADO, QUANTO MAIS SACANAGEM, MELHOR.... a internet veio para piorar a s cosdias, ness sentisdo; BEIJO NA BOCA e por ai... e os alienados, os "macaquinhos de imitação" entram na onda... ONTWEM li, que foi uma "çuceçu " o " BEIJO ME ESTRANHO"... o negócio era beijar quem não conehcia,a sism, pasosu um, pega e beija.... LOGO LOGO, TEREMOS O " dá para o estanho ", OU " come o estranhA, OU O ESTANHO, OS GYAS ESTÃO AI.. KKK ) ... ninguem vai se importar, SERÁ MODA..... - - O ECA TEM MUITA CULPA, MAS A COVARDIA, AOMISSSÕA , A FALTA DE EPRSOLNLIDADE DE DIRETORES, PROFESSORES TEM MUITO A VER COM O ESTADO DE COISA NAS ESCOLAS, e por que não os pais????? - - Mas, eu como o senhro sabemos que isso faz parte do " PRANO" das esquerdas ( vide discurso do Sarkozy ), dos comunas ( vide decálogo de Lenin )

Marckel em 13 de março de 2014

Sinceramente, me desculpa sr. Setti. Você não merece as grosserias que ontem eu postei. Puxa! Que surpresa! Muito obrigado por sua atitude, Marckel. Vamos manter um diálogo civilizado. Eu não tenho o menor problema com críticas, ainda que severas, ao que escrevo, penso ou publico. Sendo assim, você é muito bem-vindo ao blog. Um abraço pra você.

Ismael Pescarini em 13 de março de 2014

É bom que fique bem claro: temos um governo que tem como ideologia que a sociedade tem de suportar esses monstros porque eles foram criados pelas "injustiças sociais do capitalismo". É uma opinião, mas me expliquem: por que a maioria dos pobres são honestos? Não existem mais psicopatas? Aboliram a ciência, e a moral, e trocaram por uma religião chamada marxismo.

Desouza em 13 de março de 2014

Prezado Ricardo Setti, acho que a questão do menor criminoso só resolve da seguinte forma:se tem idade pra cometer crime, tem idade pra pagar. Baixar a maioridade pra 16 anos pouco vai resolver.

estrela em 13 de março de 2014

Este rapaz parece ser um psicopata. Psicopatas são irrecuperáveis, dentro ou fora da cadeia. E aí, o que fazer?

emi yama em 13 de março de 2014

Fui roubado. Dois bandidos em uma moto apontaram uma pistola para minha cabeça e ainda bateram com ela no meu capacete para lembrar que não estavam brincando. Passados alguns dias a policia informa que a moto foi recuperada e era preciso fazer o reconhecimento. Impossível ter certeza. Alem do stress do momento, estavam com capacete. O adolescente que estava passeando com a minha moto tinha 16 anos e contou 2 versões para justificar porque estava com uma moto roubada. Uma delas é que achou a moto com a chave no contato. Quer dizer que se eu estacionar uma moto e deixar a chave no contato significa que estou dando a moto para o primeiro que passar. É pelo menos furto. Será indiciado por receptação por não ter sido reconhecido. Por ser menor terá os beneficios do ECA. Não acaba aí. Ele afirmou que guardou a moto em casa. Que familia é essa em que um adolescente de 16 anos, pobre, aparece com uma XRE 300 nova e nada acontece. Busquei o endereço dele no Google Maps, e é de uma casa muito pobre. Se o dono da casa aceita que se esconda uma moto roubada em casa, deveria ser indiciado, este sim por receptação, e o filho por furto. Vê-se que a culpa não é somente do adolescente, mas de todos os outros familiares que o apoiaram.

mauricio cz em 13 de março de 2014

Com uma monstruosidade deste tamanho, não é o caso de se discutir a menoridade penal, deveria prevalecer a perda da condição de menor e responder pelo crime como adulto e, mais, sem qualquer benefício de redução de pena.

o desPTtizador em 13 de março de 2014

Enquanto esquerdopatas estiverem no comando do Legislativo, do Judiciário e do Executivo - e do 4o poder, a Imprensa, NADA MUDA NESSA ÁREA! Se bem q pode mudar sim - se deixar eles sobem pra a maioridade para 21 anos!

Joel Lima em 13 de março de 2014

Acho que mudar a idade penal ( 16, 15, 14 ou menos ) não é a solução.Afinal, vira e mexe vemos pessoas com abaixo dos 16 praticando crimes inenarráveis. Acho que teria é que se julgar a gravidade do crime, independente da idade ( como o é, se não me engano, na Inglaterra ) . Seria uma mudança menos complexa. Pois, se baixarmos a idade penal para 16,um dos efeitos colaterais que logo viria é o aumento da carnificina no trânsito; pois, não haveria como não permitir o direito a adquirir a CNH para quem fizesse 16.

Marckel em 13 de março de 2014

Peço a gentileza de sumir daqui, com seu linguajar cafajeste e suas ofensas.

Marckel em 13 de março de 2014

Seu comentário, além de grosseiros, contém mentiras a respeito de VEJA e foi deletado.

Occam's Razor em 13 de março de 2014

Marckel, você é um piadista. Capitalismo cria violência? Então faça-me o favor de descrever a extrema violência existente na Suíça e Austrália, que são os dois países mais capitalistas do mundo. Faça isso ou peça desculpas pela sua desonestidade intelectual. Divulgar desinformação deliberadamente é coisa de vigarista.

Cronos em 13 de março de 2014

16 anos é muito.O ideal seria 14 anos.Com um pouco mais de 14 anos D Pedro II já era imperador do Brasil.

Marckel em 13 de março de 2014

Você me chama de "meu caro" e ofende e calunia a revista em que trabalho. Assim não dá, não. Criticar com substância, que é bom, e no terreno das ideias...

Maurilio em 13 de março de 2014

Isso pode ser feito a qualquer momento por um menor de 15 anos. A concepção é que é equivocada. O fator idade não pode ser determinante para o que é ou o que não é crime. Idade, reincidência, contumácia, etc. podem ser fatores atenuantes ou agravantes. 18 anos e 1 dia é um bandido merecedor de todas as penas; 17 anos e 364 dias é um "infrator". Isso é uma insanidade.

Cocadinha de Sal em 13 de março de 2014

Cadê a Maria do Rosário??

luana em 12 de março de 2014

Sr Marckel, na Índia, um caso desses pode levar um à pena capital. Faça-me o favor...informe-se.

andre em 12 de março de 2014

Eu, cidadão brasileiro, exijo dos parlamentares federais desse país, a imediata redução da menoridade penal.Será que os senhores serão tão corvade como esse monstro que matou essa menina? Pense nisso!

Katia em 12 de março de 2014

Que o projeto pra abaixar a maioridade passe no plenario, e vire lei!

Alexandre em 12 de março de 2014

Saibam que a justiça tarda mas não falha, esses esquerdopatas que protegem esses assassinos, bandidos, delinquentes, receberão na mesma moeda, ou seja, sua família, ou eles próprios serão visitados em breve, por justiça, por essas crianças, podem gravar, a justiça será feita.

Kitty em 12 de março de 2014

Meu caro Ricardo, o que você escreve é mais do que certo e, eu, também acho que estamos perante uma completa sensação de desamparo, porque esses monstros são amparados por entes sociais que por ideologia ou incompreensão não querem aceitar uma realidade que nos afligem a todos. Eles, são sim, elementos periculosos..! A Justiça morosa, permissiva, tolerante com esses "dimenor" porque acham que a culpada é a sociedade por serem inadaptados sociais, como se pagando impostos não fosse suficiente para eximir-nos dessa culpa..esses senhores não querem admitir que esses monstrengos mirins deveriam estar recluídos de por vida porque a falha está no seu DNA. Devem ser tratados como psicopatas cruéis e desalmados. É fácil por a culpa na sociedade..mas a pobreza não justifica o crime com requinte de maldade.. ser pobre não quer dizer ser indignos, assassinos, ladrões...Conheço pessoas de escassos recursos econômicos, mas trabalham duro e criam seus filhos dentro das normas da honestidade e sonham que seus filhos sejam doutores...Não sei porque não é aceita a maioridade penal para 16 anos. Um dito de menor, com 16 anos, pode votar para escolher o presidente de seu país, pode namorar e casar, ter filhos, então por que não deveria ser responsabilizado por crimes hediondos, e outras barbaridades que cometem..Quais são os parâmetros que a justiça tem para não enquadrá-los na extrema periculosidade..Quantas pessoas eles matarão antes que esses inoperantes assistentes sociais percebam que esses menores de idade devem ser recolhidos e tirados do convívio social e recluídos para serem tratados, se há alguma possibilidade de recuperá-los, do qual eu duvido. Espero que o senador Aloyso N. Ferreira consiga sensibilizar seus pares para que seja 16 anos a maioridade penal. Será que é muito pedir não ser massacrados, assassinados, torturados como essa pobre menina...quem consola esses pais?.. Tolerância zero para os criminosos e assassinos tanto os que são de 'maior', quanto os que são de 'menor'!!//Um abraço-Kitty

abel em 12 de março de 2014

O PT e os esquerdopatas, a OAB, ONGs, etc vão defender sempre os criminosos, não importa a idade... aliás, uma frase do discurso petralha é "TODO PRESO É UM PRESO POLÍTICO!", ou seja, não importa o crime cometido roubo, assassinato, tráfico de drogas / mulheres / crianças, tortura, sequestro, terrorismo, corrupção, etc

Thiago em 12 de março de 2014

Lembrando que este ano o senado rejeitou a PEC de autoria do Senador A. Nunes que pretendia reduzir a maioridade penal. E é importante divulgar que entre aqueles que votaram contra (a PEC) está o queridinho (até mesmo de alguns setores da oposição) Eduardo Suplicy. Acorda São Paulo!

Marckel em 12 de março de 2014

Vamos abaixar pra 16, 14, 12, 8, 6. Logo chegaremos a 4 anos. A direita no Brasil ainda não entendeu de onde vem a violência. Todo se resume ao modelo capitalismo "foda-se todo mundo, primeiro o meu" O sr. Setti deveria conhecer e procurar saber sobre a índia, onde a pobreza é dez vezes maior que a do Brasil, e a violência não chega a 5% daqui. Que venha, então, o socialismo bolivariano -- com a criminalidade da Venezuela chegando a quase o dobro da existente no Brasil. É isso o que vossa senhoria quer para o Brasil?

Luis R N Ferreira em 12 de março de 2014

A PEC 33/2012 de autoria do senador Aloysio Nunes Ferreira, que prevê a redução da maioridade penal para 16 anos em casos de crimes hediondos não passou por pouco na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, mas o senador disse que tem condições de levar a proposta para deliberação em plenário, onde existem condições concretas para ser aprovada por maioria. Casos como o deste monstro servem para despertar a consciência da sociedade para a necessidade urgente da modificação da lei atual.

renato carvalho em 12 de março de 2014

É ou não é um encanto este país? A barbárie se instalou definitivamente. Agora a competição é pra ver quem comete o crime mais hediondo. E tudo sob o olhar complacente das "otoridades". O exemplo vem de cima. Quer dizer, de baixo. Me explico: de baixo querendo dizer de cima. Ou é de cima querendo dizer de baixo? Entendeu? Nem eu. Mas, será que alguma coisa ainda tem sentido?

Moacir 1 em 12 de março de 2014

Setti, Não é só a menoridade legal que precisa ser repensada. Se esse fascínora com 18 anos completos tivesse assassinado a namorada-criança de 14, seria condenado à pena máxima de 30 anos de prisão ,dos quais cumpriria um quinto.Após 6 anos e aos 24 estaria livre para matar novamente. O Código Penal Brasileiro é de enlouquecer gente sã!E prova inequívoca de que o crime neztepaiz compensa. Abc

ELG em 12 de março de 2014

Cala a boca dilma. ( A campanha continua) Esse monstro ai, é mais eleitor do PT,

Neusa de oliveira em 12 de março de 2014

Ricardo Seti, há leis de mais neste país. Elas vão sendo produzidas em face da ignorância do mandatário, que vai assiná-la; ignorância do judiciário; quanto mais leis, mais confusão, veja o caso dos quadrilheiros do mensalão. Como esses notáveis do saber jurídico não são suficientemente capazes, deveriam rasgar os Códigos Jurídicos e adotar A SIMPLICIDADE do ´Código Jurídico Americano, é muito eficaz, rápido, nada de lengalenga, de duzentos recursos para engordar a conta bancária do advogado de defesa (advogado de criminoso brutal é ADVOGADO DE PORTA DE CADEIA=inescrupuloso). Dizem que os seres humanos nascem bons e de acordo com o ambiente que vivem é que se tornam maus. Mentira, o sujeito já nasce com defeito moral. Como se explicar os ricos, que nada lhes faltou - médico, escola, alimentação, férias, e outros mimos - e cometem atrocidades? As leis atuais são mais do que suficientes para enjaular crianças e adultos às penas dosadas de acordo com o crime cometido. Se é sujeito é DE MENOR IDADE, ele deve ser submetido a uma avaliação médica severa; constatado que é um criminoso nato, tem que ser preso com o mesmo peso de anos de qualquer adulto; esse sujeito "de menor" nunca será recuperado, não há clausura espiritual que vá colocar esse sujeito no seio da sociedade, ele - por que o ser humano reage assim mesmo - será, sempre, olhado com desconfiança. Então esse ECA foi o grande erro jurídico. A proteção das crianças e adultos (bem ou mal) está na própria Constituição, é só conduzir cada caso com o seu grau de importância. Bem, precisamos de presídios, a dilma deveria ter usado o dinheiro que dá aos bolivarianos para a construção dessas casas de repouso.

paulo cesar em 12 de março de 2014

Acho que temos também que implantar a pena de morte para crimes hediondos. O contribuinte não pode pagar os custos da prisão de um monstro irrecuperável como este. A pena de morte não pode ser implantada no Brasil porque é vedada por cláusula pétrea (que não pode ser modificada) da Constituição.

Carlos em 12 de março de 2014

A lei do jeito que está não pode ficar. Esse ECA é uma caca. Mas, acho que não só a redução da idade penal resolve. Não é passando a régua nos 18, 17, 16 anos ou menos que vai resolver. Há crimes e ... crimes. Vamos supor que seja reduzido a 16 anos. Um garoto de 15 que tem passagem pela polícia comete um crime equivalente a esse da reportagem. Iremos mudar a lei novamente, reduzindo a maioridade para 15 ou vamos tratá-lo como tratamos hoje os menores de 18? Além da redução da maioridade, considero interessante levar em conta o tipo de crime e o histórico do criminoso. Isto já podia estar no código penal. Com certeza não estaríamos entregues aos bandidos 'demenores'.

Meia Verdade em 12 de março de 2014

Isso é um absurdo......vou mais longe a partir dos 14 anos.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI