Crise do Enem vem em má hora para Haddad

Há cinco anos e meio no cargo, bem avaliado até por gente da oposição, para o ministro da Educação, Fernando Haddad, não podia vir em pior momento o vexame do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

Ele é um dos ministros do presidente Lula mais cotados para permanecer no cargo no governo da presidente eleita, Dilma Rousseff.

Independentemente de Lula indicar ou não seu nome — o presidente prometeu não fazer isso, mas na prática não resiste e comenta desejos e preferências com amigos comuns –, Haddad tinha, e provavelmente ainda tem, a simpatia de Dilma.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze − seis =

Nenhum comentário

  • sandoval sader

    Caro Jornalista,

    Ontem, à noite, estava pensando: por que o Ricardo Setti e outros da Veja nao falaram sobre o ENEM. Hoje vi alguma coisa inclusive este seu post aqui. Nós, os comuns mortais, sempre recebemos notícias sobre tudo e todos mas, frequentemente, as matérias corridas das pautas dos tele e jornais. È bom ter uma analise mais acurada, como sempre vejo aqui em seu blog sobre varios assuntos, e quem sabe Voce poderia gastar um tempo discorrendo sobre o ENEM? Abração.

  • Iago José

    Meu querido amigo, tudo bem?
    Bom dia!
    Transcrevo o comentário que tenho feito nos blogs a respeito do ENEM:
    Os petralhas atacam novamente. Primeiro a censura ridícula à cultura de época e o regionalismo do grande Lobato, agora, ameçam os estudantes que nem suas opiniões podem expressar. A censura da era petista se mostra cada vez mais ativa, aos que pensam que isso não existe, aí está o exemplo.
    A educação está sucateada, o ministro fica em cima do muro, e além de tudo, querem processar os estudantes? Que processem. A incompetência e a falta de gerenciamento é do governo. E isso não é de hoje não, já vem de anos.
    Estudantes que fizeram o ENEM: Processem o governo por falhar na administração do site no início das inscrições, e deixar expostas todas as informações dos inscritos.
    O que acham?
    Acabo de ler no Twitter do MEC, a justificativa barata para o tweet que postaram sobre o monitoramento dos estudantes. Eles dizem:
    “Acompanhamento do twitter: monitoramento do Inep diz respeito a quem dizia utilizar celular durante a prova, e não aos comentários na rede”.
    Sabe o que digo sobre isso? Justificativa barata, que não justifica nada.
    No Tweet onde o MEC diz que os estudantes estão sendo monitorados e que podem ser processados, eles deixam bem claro que estão se referindo aos comentários dos alunos na rede, além de usar a gíria “dançaram”.
    Tudo isso é uma grande falta de respeito por parte dos coordenadores da página no MEC no Twitter, e mais ainda, do Sr. Secretário de Educação que há mais de ano é responsável por esta bagunça imensa chamada ENEM.

    Grande abraço meu caro,
    Sucesso!
    Iago José
    http://joseiago.blogspot.com

  • Ivelyse Ferraz

    O Luis Inacio falou: Este Ministro da Educação vai ficar na história…. AGORA URGENTE: LUIS INÁCIO E TIRIRIVA para a organização e revisão das provas do ENEM!!!!! COITADOS DOS ESTUDANTES BRASILEIROS…. ACORDA BRASIL!!!!

  • mosciaro

    São mais de tres milhões de alunos que fizeram a prova, é burrice do ministro da confiança do lula dizer que não houve prejuizo. Agora se esse é um dos melhores ministro do governo lula. Eu aposto que se esse individuo permanecer até 2014 o enem não terá motivo para existir.

  • Corinthians

    Setti,

    A idéia do Enem, de ter questões combinando diversas matérias e com temas sobre o dia a dia das pessoas foi ótima.
    Mas de idéias o inferno tá cheio… além desta idéia eu sinceramente não vi nada mais de bom dele – aumentou o número de escolas ou a qualidade na educação ?
    Não tem pior ou melhor momento… o vexame ocorre quando tem que mostrar os resultados, quando tem que administrar um projeto, e aí aparece…
    Muitas pessoas e especialistas já tinha informado como deveria ser feito, os problemas, mas paree que o PT é uma criança birrenta que faz tudo ao contrário só para ser do contra mesmo.
    Pelo andar da carruagem no ano que vem deve ter mais um problema…

  • Sidney

    Não é de se espantar com o que ocorreu com o ENEM, pois o nosso presidente,como você já mencionou, sempre que pode faz apologia da ignorância e a Dilma não elegeu no seu famoso discurso da vitória, a EDUCAÇÂO como prioridade deste Brasil de analfabetos funcionais.Os estudantes,pais e professores devem ir às ruas para protestar contra esta palhaçada com que transformaram a educação!

  • Herik

    Ministro fala ,Juiz fala …e os alunos que fizeram as provas?Eles são os mais importantes nessa questão, e oque a maioria decidir (eticamente) está decidido.

  • Márcia Freitas

    É claro que o ministro Haddad vai ficar na história.Na histórica incompetencia em relação aõ ENEM.O pt alertou a população que o Serra se eleito acabaria com o exame e quem acabou desmoralizando o ENEM foi o próprio pt.

  • Corinthians

    Herik,

    Discordo de você – não é uma questão de maioria.
    A minoria foi prejudicada, gabaritos causaram confusão na hora do preenchimento, nem todos foram avisados. Provas continham questões repetidas ou faltando.
    É uma prova que deve ser igual para todos, não estamos falando de erros mínimos, mas de uma série de erros. É uma questão de justiça, e o certo é anular novamente as provas e reaplicá-las.
    Mas também sabemos que justiça neste país é algo raro…

  • MOUSINHO

    O Brasil e seu sistema de educação, deve acabar com esse negócio de tanta avaliação no ensino. Já não basta a avaliação escolar? Os milhões de Reais que são carreados para a iniciativa privada, se é que o país tem, deve ser direcionado para as melhorias das escolas de ensino fundamental, médio e universidade pública, para melhoria do ensino em si e abertura de mais e mais vagas de modo a não ser preciso tanta seleção para que nossos filhos acessem um curso para a sua qualificação profissional.

  • Paulo Bomfim

    Setti, sem querer parecer chato, mas… que diabos esse homem fez para ser bem avaliado? Fora a melhora da educação em São Paulo, que não parece ser mérito seu, visto que somente aqui, e em outros poucos estados, ocorreu este fato, a educação no Brasil continua quase a mesma porcaria que sempre foi e que, no governo Lula, melhorou em velocidade de lesma. Sinceramente, depois do que ocorreu com o ENEM no ano passado, ele deveria ter sido demitido.
    Abraço.

    Eu não o defendi, caro Paulo, mas disse uma verdade: ele é bem avaliado, gente séria elogia sua gestão. Não tenho elementos suficientes para fazer uma análise profunda do trabalho do ministro, e a educação não é meu campo principal de trabalho.

  • Paulo Bomfim

    Esqueci de falar: fui uma das vítimas da incompetência do INEP e do MEC no ENEM passado: passei no vestibular da UFSCar, mas, dado a demora na divulgação do resultado (saiu no meio de fevereiro deste ano), não pude ir fazer a matrícula.
    Abraço.

    Que absurdo!
    Abração

  • SergioD

    Ricardo, não sei nem o que dizer sobre essa caso. A Fraude do ano passado se poderia até explicar, mas o que houve agora foi incompetência. Não do Ministro, mas de quem estava encarregado de fazer a revisão do material antes de envia-lo para a gráfica.
    Esse é um grande mal do Brasil. Acertamos muito no atacado, nas idéias gerais. Mas não somos muito apegados a detalhes. Antes do material ter sido impresso deveria haver uma revisão rigorosa do material.
    Uma pena. Um abraço

  • Charles A.

    Tadinho dele, né?Tão progressista e competente!É só ingênuo, aquela ingenuidade dos pensadores socialistas sempre preocupados com o bem da humanidade…

  • sonia monteiro

    A Teoria de Resposta ao Indice (TRI) não é adequada para ser aplicada no ENEM, pois o ENEM é um concurso, existe competição, dai é muito mais complexo do que uma simples avaliação. Se for tentar consertar o ENEM 2010, as provas terão que ser aplicadas para todos e não apenas para um grupo, isto está matematicamente ERRADO.

  • fred

    Caro Setti,
    na verdade o problema do ENEM vem em má hora os estudantes que se preparam para concorrer em um exame mal preparado, mal elaborado e mal executado;para a imagem da educação brasileira e para os cofres públicos.Para o ministro… nada de mais…

  • Reynaldo-BH

    Enquanto o MEC for na prática comandado pela SESU (Secretária de Ensino Superior) e pela ANDIFES (Associação Nacional dos Dirigentes das Instituiçoes Federais de Ensino Superior, nada muda. Dezenas de reitores e vices(ou prós-reitores de dezenas de Universidades Federais comandam os interesses do MEC, ENEM inclusive. A grande maioria, ex-professores (passa a não dar aulas e transformam-se em pelegos oficiais!) sem a menor experiência em administração ou planejamento. Eleitos por cumpadrios e coleguismo, rapidamente se adequam às “exigências” oficiais que se resume a obedecer cegamente ao MEC e a quem esteja no poder. É revoltante, aviltante, vergonhoso e imoral. O que na ditadura vivia-se com os sindicatos pelegos, hoje se vive ainda mais intensamente nas Universidades Federais. Reitores dóceis em busca de um salário maior e benesses corporativos. E uma imensa legião de agregados, pendurados em cargos oficiais, a manter o que o patrão manda e determina. Com isso o poder de barganha aumenta. Um depende do outro. E os alunos, dependem de quem?

  • Karla

    Não dá mais para o ministro.
    Devia pedir o boné.
    Uma forma de poupar o presidente de queimar a sua popularidade inacreditável para defender uma lambança sem precedentes.
    Neste caso o erro sequer foi da gráfica.
    As provas saíram defeituosas do próprio ministério.
    Não havia no ministério ninguém responsável pela revisão.
    Ninguém fez um “check list”?
    Fala sério!

  • Miraneide

    Eu não quero aqui criticar governo ou ministros, sabemos que nada é fácil, principalmente quando se faz algo na dimensão que se faz o Enem, que atende todo o Brasil. A única coisa que critico aqui é a tomada de decisão para não pulblicarem o gabarito hoje, sendo que a maioria dos que fizeram a prova estavam esperando por ele. Sabemos que os direitos daqueles que foram prejudicados devem ser dados, e de forma justa, mas e quanto a nós? Que fizemos e deu tudo certo, e que somos maioria? A justiça do Brasil infelizmente é ainda “verde”, assim como a política, tomam uma decisão para melhorar, e acabam prejudicando uma grande maioria. Deviam ter procurado uma maneira de atender os prejudicados sem nos atingir, afinal de contas a lei deve ser sempre justa, não é isso? Sou estudante e fiquei indignada com isso.

  • Caio S

    fosse o eleito José Serra, o PT…

    já teria mobilizado a juventude petista para protestos com nariz de palhaço com a zona do Enem e, aproveitando a onda Tropa de Elite, bradindo PEDE PRA SAIR FERNANDO HADDAD;
    ja teria mobilizado uma passeata na Paulista com seus pelegos para protestar contra a política econômica dos Yankees;
    já teria a tropa na rua acusando FHC por mais um imposto;
    estaria promovendo um dia sem o SBT e mandando o MST quebrar agências do Banco Panamericano;
    já estaria se programando para o slogan: “FHC traidor do povo brasileiro, fora Serra!

    Mas como Serra não venceu a eleição e como o PSDB, o DEM, o PPS… não são o PT… as coisas seguem EXATAMENTE como nestes últimos anos: oposição zero!

    Ou emplacamos o slogan

    “Lulla traidor do povo brasileiro, fora Dillmá!”

    ou voltaremos a perder uma eleição presidencial, aliás, já começamos a perder…

  • jefferson

    Ele não será ministro será candidato a prefeito de são paulo em 2012.

  • Abilão

    Mais uma vez o Presidente da República se apressou em desqualificar as notícias sobre todas as trapalhadas na execução do ENEM;dizendo que querem q o mesmo ñ dê certo,e ñ isto q está se vendo.O problema a falta de competência do Ministro da Educação;olha o prejuízo p milhares pessoas!………….Deixe de falar besteira,Lula!……….

  • Erika

    Problema? que problema? apenas alguns erros mínimos totalmente previsíveis e dentro da normalidade. Prejuízo? imagina, nenhum estudante deixará de cursar uma faculdade…e mais blá, blá, blá. Nariz de palhaço, cd um coloque o seu.

  • Vera

    Muita gente está feliz com estas notícias, principalmente os que tem interesse em acabar com o ENEM. Não dá para entender. Troca-se locais, empresas, profissionais que fazem as provas e o “ERRO” continua. Só não vê quem não quer. Toda vez que vai se fazer um grande trabalho dessa natureza, precisa-se contratar muitas pessoas. Nesse caso tem muitos profissionais que fazem esses trabalhos SUJOS, algumas pessoas chamam isso de “ESPIONAGEM INDUSTRIAL”. Tem muita grana em jogo. Muitos alunos, digo CLIENTES, pensem nisso.

  • kelvin

    CARTA ABERTA À UNE, UBES E DPU ACERCA DO ENEM 2010

    Brasil, 10 de novembro de 2010.

    Caras Defensoria Pública da União, União Brasileira dos Estudantes Secundaristas e União Nacional dos Estudantes,

    diante da recente suspensão do ENEM, alunos de todo o país tem se preocupado acerca da decisão do Ministro da Educação que objetiva reaplicar a prova do primeiro dia do supracitado exame. Como conseqüência disso, viemos por meio desta mensagem expressar nossa opinião quase sempre reprimida na sociedade e, apesar de não ser esta a função do correio eletrônico criado pelos senhores, tomamos a liberdade de expor alguns pontos importantes e pedir que levem nosso apelo adiante às pessoas competentes para a circunstância.
    Concordamos com uma segunda aplicação de prova, mas com algumas ressalvas:
    1º: Que sejam apenas de primeiro dia, visto que não ocorreram transtornos na aplicação de testes do domingo.
    2º: Que as tais provas de sábado possam ser refeitas pelos alunos que de fato participaram do ENEM em seus dois dias (3,3 milhões), ressaltando:
    • Seu caráter OBRIGATÓRIO para aqueles que se julgam prejudicados pelos gabaritos invertidos e pela prova amarela, mas também OPCIONAL para aqueles que não alegaram problema algum, visto que:
    • Caso uma segunda prova seja aplicada, ainda que a TRI (Teoria de Resposta ao Item) “garanta” que o nível da prova será o mesmo, aqueles que terão o direito a refazê-la terão – como previsto pelo senhor Ministro em referência ao tempo necessário para uma nova aplicação de testes – no mínimo 30 dias para revisarem e aprofundarem-se em conteúdos em relação aqueles que fizeram a prova no dia seis de novembro de dois mil e dez.
    • O princípio de isonomia é ferido se apenas os estudantes prejudicados puderem refazer suas provas, uma vez que o Exame Nacional do Ensino Médio é utilizado por um grande número de universidades como forma de ingresso; seja na primeira, segunda fase ou como bonificação. Portanto, torna-se inconcebível que vestibulandos concorrentes a uma MESMA VAGA de uma MESMA UNIVERSIDADE sejam testados por provas DIFERENTES e datas absurdamente distantes. Se o princípio básico do ENEM era unificar as avaliações das universidades, então estará tomando caminho totalmente contrário ao que propôs e, uma vez isto sendo verdade, seria preferível que as escolas superiores deixassem o exame de lado e retornassem com o processo seletivo tradicional.
    Em suma, o que os milhares de estudantes que apóiam essas idéias e que enviam esta mensagem sugerem é
    ► a aplicação de uma nova prova de primeiro dia para os prejudicados pelos problemas já conhecidos e também para aqueles que não alegam dano, mas OPTARAM por ter direito a um novo teste. Esses fatores, na condição de que a respeito desses dois grupos as maiores notas prevaleçam, beneficiando, portanto, todos os que se dispuseram a uma nova avaliação.
    Eventualmente, pode ser que o Ministro exponha a dificuldade de reaplicar a prova a 3,3 milhões de estudantes em detrimento a quase dois mil, seja ela de ordem financeira ou estrutural. O que pedimos é que isso não seja observado, visto que se houvesse um pouco (ou talvez muito) mais de planejamento erros tão graves não teriam ocorrido e toda confusão a respeito desse exame seria evitada. Não fomos nós, estudantes perigosamente armados com lápis, borrachas e relógios, que pedimos por isso. A inaptidão se comprova agora totalmente do Ministério e do Ministro da Educação e do Presidente do Inep.
    Cordialmente,
    estudantes do Brasil, desejosos que suas vozes possam trazer alguma mudança a esse descaso.

  • ROSANA

    Uma vergonha, um Ministro da Educaçao que fala errado e nao tm comppetência para assumir esse cargo, mas para Lula está tudo sempre bom, o nivelamento é sempre por baixo.

  • flavio alves

    Acho que tiveram tempo suficiente para preparar um exame sem “contratempos”. Total incompetência de todos gestores do enem. Foi lamentável!!!!!!

  • Ze da Silva

    Fora Haddad
    TITIRICA is “the man”

  • gisele

    Olá! eu não consigo entender o pq que o Enem começou a dar errado? se é um exame aplicado há um bom tempo e sem erros só agora (2009-2010)que deu zebra!Será q é tão difícil confeccionar “algumas poucas” provas a mais?

  • massaok

    manter o ministro fernando haddad é premiar a incompetencia, quanto a realização de uma nova prova, no minimo o jovem sairá no prejuizo financeiro se multiplicarmos os 3,3 milhões por 5 reais que é o preço minimo de 2 passagens de onibus lá se vão 16,5 milhões de reais, isso sem contar que muitos perderão vagas em faculdades.

  • Rere

    E’ isso o que dá colocar apadrinhados e “cumpanheros” petistas no aparelho do Estado, invés de técnicos e especialistas. Só pode dar M… mesmo.

  • Torcedor

    Nu prossimu ele a serta.

  • ito

    Não adianta reclamar sobre o pênalti marcado,o négocio é trocar o juiz,como diz “lulla-o filósofo” .Tiririca vem aí como ministro da educação e “tamos resolvido o “probrema”,com certeza.

  • Euripedes Sousa

    Parte da imprensa, veja e Rede Globo a parte,silencia a respeito de mais essa vergonha nacional, o fiasco do enem. Sou pai de aluna e preciso que a imprensa informe o que vai ser feito, mas a conveniencia dos amigos do lula impedem que as noticias sejam veiculadas. Assim não dá!!!

  • Samuel Gueiros Jr

    A prova do ENEM é um tremendo merchandising para uma Revista Comercial. Os textos da redação omitiram seus autores e colocaram o endereço de um site de uma revistinha, que além de abordar temas de forma superficial, ainda tinha uma propaganda de um filme pornô. O site é de variedades, com textos superficiais, estimulando jogos on line, games, eventos da cultura inútil e os nomes e eventos do Grupo que patrocina a Revista. É só acessar o site referido no final dos textos para a Redação e ver a aberração. A autora inclusive deveria reclamar direitos autorais por terem substituindo o seu nome nos textos pelo endereço do site. Aliás, os textos são tão medíocres que a autora deve ter ficado satisfeita pelo seu nome não aparecer, embora seja uma ilegalidade a omissão. Houve tempo em que os textos para a Redação eram autores famosos, mas agora colocam para os alunos refletirem textos pobres, medíocres, autores desconhecidos que vagam pelo cyberspaço, e como no ENEM 2010, fora da realidade do mundo atual do trabalho.

  • carla lacerda

    FOOOOOOOOOOOOOOOORA DILMA

  • Gilberto Barros Lima

    Todo brasileiro que cometer erros em determinadas áreas, naturalmente é reprovado. Agora na questão desse governo, tudo vale, corrupção, desvio de verbas, assistencialismoe outras demagogias petistas. O referido ministro já demonstrou por DUAS VEZES SEGUIDAS que não tem pulso e liderança num dos cargos mais importantes do País. Isso representa o quanto esses incompetentes tratam a Educação de nossos brasileiros. Lamentavelmente o eleitorado aceita tudo isso com a maior naturalidade e defende com unhas e dentes tanta BURRICE . Por favor, homens de bem acordem, estamossendo manipulados por uma corja de políticos com o passado sujo.

  • Azedo

    Vera 21.36, deixe de ver muita televisão pra não afetar essa sua cabecinha que já não é muito bôa vai por mim, que é ideia ok

  • izabel cristina firmino

    a tentativa de minimizar os graves erros cometidos por esse governo na educação pública deste país, só demonstra o desprezo que eles tem pelo patrimonio público,o que eles querem de verdade é privatizar tudo, daí esse descaso, vão empurrando com a barriga, deixando tudo correr de qualquer maneira,porque no fundo sabe que aqueles que necessitam do ensino público, gratuito e de qualidade são justamente as pessoas que não podem pagar, ou as que farão muito sacrificio para pagar, porque quem tem grana mesmo(uma minoria privilegiada)não está nem aí,se privatizar, melhor elitiza a clientela.Quando o povo deixa de cuidar daquilo que é seu patrimonio,o serviço público, ou não recebe educação(de propósito)para identificar o valor disso,permite que essas aves de rapina se perpetuem em forma de sucessivos governos, e depredem o patrimonio público como vem sendo feito a décadas neste país.Para a elite desse país, é secundário discutir educação e saúde pública gratuita e de qualidade, eles já conseguiram resolver as duas coisas,sucateando o que é público e drenando verba pública para financiar universidades e hospitais privados, ainda discutem segurança pública porque daí depende a segurança do patrimonio e pessoal dela. Ai de nós pobres mortais trabalhadores, só nos resta tomar consciência disso e juntos tomar o que é nosso. Aquele que se dizia trabalhador,a muito tempo se esqueceu disso, se é que algum dia foi…

  • Marco Villa

    segundo escandalo na educaçao, fora o descaso, sei nao hein

  • Soraia

    Não é à toa que se diz que para viver bem nesse país tem que ser “político”. Quando será que o governo vai parar de querer ter “coleguinhas” em cargos importantes, e chamar gente competente realmente???
    CHEGA! O ENEM É A MAIOR VERGONHA DESSE PAÍS! será que eles não percebem que a solução não é fica arrumando um probleminha aqui, outro ali, empurrando com a barriga… e com isso vem reclamação atras de reclamação! E nada se resolve… Nosso querido MEC que deveria gerar esperança e oportunidades para o futuro de nós jovens estudantes, está gerando é ANGUSTIA E AGONIA!!!! cada vez mais a desmotivação vem de cima!
    eles estão acostumados a nos ver conformados, calados, toda liminar que quer suspender o enem, mesmo com todos erros, vazamentos, quem sabe até fraudes, é derrubada!
    a pergunta que fica é “o que é pior? Desistir ou aguentar?

  • Beatriz

    queromuito fazer o exame do enem.queria mais informacoes

    Cara Beatriz, você pode conseguir mais informações no site do Enem: http://www.enem.inep.gov.br/
    Abraços,
    SETTI

  • Stenio Gameleira

    O FIM DO VESTIBULAR E SUAS TRAPAÇAS

    O ENEM a meu modo representa o maior avanço do sistema educacional brasileiro. A grande virtude do exame consiste na mensuração individual de cada estudante avaliado e a vantagem de o mesmo se reavaliar sempre que desejar.
    O ENEM de certa forma democratiza a avaliação dos saberes, visto que todos os alunos, sejam das escolas públicas ou privadas são submetidos a um mesmo processo de mensuração, cujos resultados são individualizados.
    O que se percebe durante as aplicações deste exame é a forma como ele mobiliza docentes e discentes em busca dos melhores resultados e assim ingressar no tão sonhado curso superior.
    Quanto às possíveis irregularidades no que se refere ao vazamento de questões e resposta é algo que deve ser apurado de forma severa.
    Ora se o ENEM está sujeito a esta situação o que não poderíamos dizer dos inúmeros vestibulares aplicados por instituições de ensino superior no Brasil.
    Existem escolas privadas de renome que tem acesso a questões e resultados de muitos vestibulares antes mesmo deles acontecerem, pois membros da CEV – Comissão Executiva do Vestibular de muitas universidades públicas fazem comércio de parte destas questões e respostas (conhecidas como bizús) entre as mesmas para que seus alunos se destaquem diante da mídia como os melhores.
    O que se sabe é que quando um aluno com certa capacidade intelectual disputa um vestibular já sabendo de parte das respostas, grandes são as suas vantagens de conquistar uma vaga, principalmente nos cursos superiores mais disputados.
    O ENEM deve ser mantido, pois representa o fim definitivo de um problema de igual forma e teor, porém bem maior, que ocorre na elaboração de diversos vestibulares que representam quantias milionárias gastas pelos estudantes brasileiros e que fazem a alegria de muitos reitores.
    Pequenos ajustes na seleção dos conteúdos e algumas medidas de segurança resolverão o problema.
    Somente assim daremos fim no malfadado vestibular e suas trapaças.