Dia após dia, se amplia a gama de sintomas da grave crise econômica que assola a Espanha há pelo menos cinco anos.

Os dados que saltam aos olhos mais instantaneamente provêm de índices básicos como o de desemprego, que este mês ultrapassou a estratosférica marca de 27% da população economicamente ativa. Mas as mudanças abrangem diversos outros âmbitos. Entre os quais, o aumento no número de mães que oferecem seus “serviços” de barriga de aluguel.

Barrigas “importadas” e mercado negro

Independentemente da discussão filosófica/religiosa que o assunto sempre levanta, existe um problema: em território espanhol, tal prática é ilegal.

Para não correrem o risco de passar de um a cinco anos atrás das grades, portanto, os cidadãos interessados no método devem recorrer a mamães de praças onde é a prática é permitida sem grandes restrições, como parte dos Estados americanos, o Canadá ou a Índia.

Só que os preços desta empreitada envolvendo barrigas maternas americanas ou canadenses, por exemplo, pode custar entre 170 mil e 250 mil dólares, quantias altíssimas sobretudo para o panorama atual da Espanha. Abre-se assim uma grande brecha para o mercado negro, como também ocorre no Brasil (onde a lei permite a atividade apenas em “caráter solidário”).

Fonte de renda

Por se tratar de uma atividade fora da lei, aliás, não há um levantamento que pontue em números o crescimento dos casos ilegais de vientre de alquiler.

No entanto, especialistas da área garantem que cada vez mais mulheres aderem a esta fonte de renda “por fora”, sem controle médico especializado, e alertam para os efeitos colaterais judiciais, sociais e sanitários que isso pode acarretar.

“Elas [mães interessadas em oferecer barrigas de aluguel] nos mandam e-mails, pensando que a prática é legal na Espanha”, afirmou Mario Caballero, representante da empresa californiana de reprodução assistida Extraordinary Conceptions, ao jornal catalão La Vanguardia.

“O desespero por não poder pagar as contas nos leva a crer que o lucro está por trás do grande número de mulheres espanholas que ‘desejam’ alugar o seu ventre”, disse empregado de outra empresa americana do setor, VDA Fertility Consulting, ao mesmo diário.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × quatro =

2 Comentários

monca d rodrigues em 14 de junho de 2013

boa tarde souu mae d 2 filhos tenho 18 anos e tooo gravida d novoo tenho semanas ainda mais eu nao queria ter outro filho sei q fui errada e td de dar esse mole mt mole mesmo mais aconteceu coisa q eu poderia evitar eu estou akii para dizer q eu queria fazer um aluguel d barriga e quem estiver interesadoo por favor comunicar-se meu numeroa é 6836-0145 se estiver interessados por favor me ajudem nao tenhooo ajuda d mae só de padrinhos meus me ajudem obrigada

Reynaldo-BH em 06 de maio de 2013

Setti, algumas notícias nos abalam (ao menos a mim!) de modo inesperado. Por vezes um detalhe serve para ser o start up de um estado intenso de tristeza. Devo ser doente, só pode! Anormal, sei que sou! Mas não posso deixar de - off topic - comentar uma notícia que li e me deixou mais que arrasado. Deixou-me desesperançoso! ------------ http://www.em.com.br/app/noticia/nacional/2013/05/06/interna_nacional,382734/morre-menina-baleada-ao-tentar-defender-o-pai-em-goiania.shtml ---------------------------- Não é humano. É antinatural. Selvagem. Absurdo. Abjeto. Indecente. Nojento. Revoltante! ESCROTO! Não me falem sobre a insegurança nas cidades! Isto está além disto. É a escrotidão humana elevada à enésima potência. O barbarismo que os ANIMAIS não cometem! Um cão não ataca um filhote! JAMAIS! Os filhotes são preservados pelos animais pois representam a VIDA e a continuidade da espécie! O homem mata filhotes! Mesmo que estes estejam tentando defender O PAI! Hoje, de modo sincero, é um dia escroto, num mundo escroto, em uma vida escrota! Não preciso citar Durkhein, Theillard de Chardin, Hans Kung, Sartre ou qualquer outro pensador. Basta que parem e vejam EM MEUS CÃES a dignidade (e ética) que foi transformada em mercadoria barata neste imenso bazar indecente que estamos transformando o mundo! MERDA! Você disse tudo, Reynaldo. O que posso mais comentar? O que leva brasileiros -- brasileiros, que acostumamos a imaginar cordiais e gentis -- a fazerem isso? De onde veio essa crueldade, essa barbárie? Os casos se multiplicam. Mas não é o MUNDO todo que se transforma em bazar indecente, não. Há muitos países em que a vida humana AINDA é sagrada. Já aqui...

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI