Image
Helle Thorning-Schmidt: beleza e elegância foram desvantagem, mas ela chegou lá

Num partido, como o Social Democrata da Dinamarca, tradicionalmente dominado por sindicalistas “duros” e políticos de longa trajetória, que foram galgando postos na máquina ao longo de muitos anos, Helle Thorning-Schmidt, uma licenciada em Ciências Políticdas de 44 anos, bela, alta, loura, olhos de um azul-turquesa luminosos, que não sai de casa sem maquiagem, veste roupas impecáveis e sapatos de saltos altíssimos, sempre foi uma raridade.

Deputada ao Parlamento Europeu entre 1999 e 2004, apenas uma semana depois de se eleger pela primeira vez para o Parlamento da Dinamarca, em 2005, com os social-democratas que criaram o Estado de bem-estar do país já há quatro anos longe do poder, ela se viu guindada à liderança do partido.

Apelido pejorativo

Com as eleições da quinta-feira, 15, que reconduziram os social-democratas ao poder depois de 10 anos de governos liberal-conservadores, Helle Thorning-Schmidt se tornou a primeira mulher a governar a Dinamarca. Como já ocorreu com outras mulheres na política em outros países, mas surpreendente na avançada e tolerante Dinamarca, sua aparência bem cuidada e o gosto por roupas de grife lhe causaram críticas – como já havia ocorrido ao longo de sua carreira no partido, e como se fossem um defeito. Haveria uma suposta inadequação de sua figura com a de líder de um partido que ainda se considera fundamentalmente “operário”. Daí o apelido, algo pejorativo, de “Gucci Helle” ou de “Gucci Vermelha”.

O jornal Politiken, um dos principais do país, disse, em editorial, que Helle venceu apesar de “ser bem vestida demais para os social-democratas, jovem demais para tornar-se chefe de governo e fria demais para ganhar o coração das pessoas”.

Ela em Copenhague, o marido em Genebra

Helle, decididamente, não é convencional. Casou-se, depois de um período de coabitação sem casamento, com um inglês, Stephen Kinnock, filho do ex-líder trabalhista britânico Neil Kinnock, que conheceu em Brüges, na Bélgica, onde ambos faziam mestrado no College of Europe, instituto de altos estudos europeus. O casal tem duas filhas, mas Stephen, formado em diferentes disciplinas em Cambridge e no College of Europe, vive em Genebra, onde é um dos diretores do Fórum Econômico Mundial, e só passa os fins de semana em Copenhague com a família.

Proteger o Estado de bem-estar social

No que realmente importa – o que fará no governo –, a bela Helle, cujo partido, com 89 deputados, ficou a uma cadeira da maioria absoluta num Parlamento de 179 postos, já fez aliança com três pesquenos partidos de esquerda, promete proteger o estado de bem-estar social e incentivar a economia com o aumento de investimentos públicos. Eleita apesar de sua promessa de subir impostos, ela igualmente promete mudar a política de restrição a imigração dos governos conservadores e eliminar os postos de controle de fronteira que, a despeito das normas de livre circulação existentes entre os integrantes da União Europeia, foram estabelecidos este ano.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 + 1 =

Nenhum comentário

fpenin em 11 de dezembro de 2013

O Obama também é filho de Deus, gente. Eu queria saber se ele seria capaz de encarar D. Rose Noronha, a primeira-dama de fato do Brasil? Até eu ficaria tão extrovertido quanto Obama diante de tanta beleza. É uma pauleira...

Cristiane Leme Høg em 11 de dezembro de 2013

Queria apenas saber, a título de curiosidade, de onde vem essa tradução de "Gucci Helle" para "Gucci Vermelha". Em dinamarquês, vermelho é rød. "Gucci Helle" é um dos apelidos, brincando com a grife de luxo Gucci. "Helle Vermelha" ou "Gucci Vermelha" são apelidos que brincam com o fato de ela usar roupas caras e ser do partido Social Democrata, que tem origens operárias.

arilson sartorato em 12 de janeiro de 2013

ESPEREM AÍ POR FAVOR, AQUI NO BRASIL TAMBÉM TEMOS BELDADE NO GOVERNO,MULHERES LINDAS E FEMININAS, COMO A DILMA, A IRYNI,A GRACIOSA PRESIDENTE DA PETROBRÁS,A IDELLI SALVATTI, A ERENICE GUERRA DE VELHA,A AMANTE DO 'CHEFE' A ROSEMARY NORONHA, ORA SÓ NÃO VE QUEM NÃO QUER. AI. FUI. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Izabella em 12 de janeiro de 2013

"Bom, as idéias – no sentido mais elástico da palavra, claro! – da bela Helle Thorning-Schmidt também não são lá grande coisa. Têm o mesmo cheiro de fracasso de outros países da velha Europa. Prefiro a feiura sem graça da Merkel. Pensando bem, até uma Palin da vida já parece um escolha melhor que a bela nórdica com cabeça de sindicalista barbado. Calma, Rodrigo. Vamos ver primeiro os resultados da política da bela Helle. Mas, tal qual você, gosto da firmeza da Merkel. Abraço." . Rodrigo está certo, Ricardo Setti. Os resultados da política da Helle já são conhecidos desde há muito tempo. É só conferir a série histórica. Não faltam desastrosos exemplos.

JEBANIEL WOLFF em 12 de janeiro de 2013

Comparando com a Helle,sinto vergonha da nossa presidente que é feia, burra e autoritária. Dilma faria um horrível par com Hugo Chavez, se este vier a ressuscitar. Aliás, parece que até já rolou uma paquera entre eles.

tico tico em 25 de setembro de 2011

Teria algo a ver com Yeda Cruziuz? Bem que poderia ter. Pelo menos quanto ao país e eleitores.

Julia em 24 de setembro de 2011

Se não for bonita, nego fala. Se for bonita, nego fala também.. Como se fosse um concurso de beleza. Complicado, viu!

fpenin em 22 de setembro de 2011

Mulher, bonita e inteligente.Igual a Dilma...

Silvia em 22 de setembro de 2011

É o preconceito de que mulher bonita não pode ser inteligente ou competente. Vida longa e muito sucesso para a Helle.

Expedito em 21 de setembro de 2011

A primeira-ministra da Dinamarca poderia contratar os serviços de magia do Harry Porter para transformá-la numa ogra (como aquela mulher do Sherek) ou como a Ideli Salvatti,a Maria do Rosário(ou do Terço),a Erenice Guerra e outras com o mesmo dote físico. Isso acontecendo, ela se redimiria do "pecado original" de ter nascido bonita, ser competente e ter carisma. Consequentemente, não seria patrulhada pelos arautos do politicamente correto. HAJA DEUS.. como dizia uma personagem antiga do Jô Soares no Programa VIVA O GORDO.

celsoJ em 21 de setembro de 2011

Como diria nosso poetinha: as feias que me desculpem, mas a beleza é fundamental!. Talvez por isso o país deles vá para a frente...

Jaimsson dos Santos em 20 de setembro de 2011

Linda...linda..e linda essa ministra. Competente ou nao...mas vai continuar linda! E em Brasilia...o circo dos horrores...festival de botox...se feiura pagasse impostos...quantas delas estariam cheias de dividas...a comecar pela presid"anta". O Vinicius de Morais dizia...as feias que me perdoem...mas beleza...fundamental.

Tuco em 20 de setembro de 2011

. Cada país tem a dirigente que merece: a Dinamarca tem a Helle... http://lc4.in/jhD3 by celeraman+ .

RONALDINHO em 20 de setembro de 2011

ja no brasil temos um timaco de trebufus: dilma, ideli. miriam belchior, etc

Aziz em 20 de setembro de 2011

Eu também prefiro as horrorosas Ideli, Dilma, Marta rgh!

Rodrigo em 20 de setembro de 2011

Estado babá, aumento de investimentos públicos e menos restrições a imigração? Já vimos isso na França, Suécia, Holanda e até na Alemanha, onde a Merkel declarou que o "multiculturalismo fracassou". Ricardo, dá pra acreditar que resultados diferentes sairão das mesmas velhas políticas? Eu não acredito.

patricia m. em 20 de setembro de 2011

Aumentar impostos??? Os caras ja pagam 70% da renda em impostos para o "maravilhoso" welfare state nordico... Nao espanta meus colegas dinamarqueses acharem Londres o paraiso na Terra, eram "apenas" 50% da renda em impostos...

Rodrigo em 20 de setembro de 2011

E confesso que não entendi como o nome da Marta Suplicy veio parar aqui na área de comentários. A sinhá é tão incapaz quanto é feia.

Rodrigo em 20 de setembro de 2011

Bom, as idéias - no sentido mais elástico da palavra, claro! - da bela Helle Thorning-Schmidt também não são lá grande coisa. Têm o mesmo cheiro de fracasso de outros países da velha Europa. Prefiro a feiura sem graça da Merkel. Pensando bem, até uma Palin da vida já parece um escolha melhor que a bela nórdica com cabeça de sindicalista barbado. Calma, Rodrigo. Vamos ver primeiro os resultados da política da bela Helle. Mas, tal qual você, gosto da firmeza da Merkel. Abraço

Mario Arone em 20 de setembro de 2011

Concordo a Sarah é bela !!! Acho que Sarah Palin é uma bela mulher -- com ideias pavorosamente ruins. Abração

Ruben em 20 de setembro de 2011

enquanto isso, no Brasil.......

Maritaco em 20 de setembro de 2011

Sabe algo que me chateia nas nórdicas? Elas acham que os traços físicos bonitos bastam. Não têm cuidado nenhum com dentes, pouco com cabelos e depilação... Ô, pena, viu... Pelo jeito, você não tem visto nórdicas ultimamente...

Marcelo Meireles em 20 de setembro de 2011

Aqui no Brasil, quem deve se irritar profundamente com as piadinhas infames são Gleisi, Manuela, Helen Gracie, Rita Camata, e outras menos famosas. - PRÉ-conceito. Essa palavra devia ser escrita assim. Talvez ilustrasse, desvendasse melhor o que ela realmente significa. - A Gleisi (Barbie) causa espanto por ser combativa, como se a combatividade só pudesse ser exercida pelas feias. - Elen Gracie, cada vez que ia ao Congresso era obrigada a escutar baboseiras como "além de competente a Sra é muito bonita" - A Sarah Palin, a despeito de sua gigantesca estupidez; quando surgiu era tratada na mídia como "o furacão Sarah Palin", sempre com incansáveis referências ás suas pernas. E isso pq ela casada, mãe, e é da ala mais puritana do Partido Republicano. - Nem a D. Dilma que tá longe de frequentar listas de beldades, quando fez plástica, escapou de comentários estranhos até mesmo de opositores. O poder seduz né. - Camila Valejo é outra que luta pra fazer suas idéias suplantarem sua beleza. - Fala-se muito em "renovar a política". O 1º passo é renovar a cabeça imbecil da Sociedade. E como vc vê, não é só no Brasil.

Jefff em 20 de setembro de 2011

Marta Suplicy, Gleise Hoffman, Rita Camata que o digam. Preconceito é sempre burro e tacanho.

caioblinder em 20 de setembro de 2011

Opa, Ricardo, me animei tanto com a dinamarquesa que tropecei na lingua-mãe: melhor a Helle do que as minhas Sarah e Michelle...abs, Caio Querido amigo Caio, é uma honra para mim ter você como leitor. A Sarah Palin é até bonita: horrorosas são as suas ideias, não é mesmo? Um abração saudoso

caioblinder em 20 de setembro de 2011

Mestre Ricardo, gostei, melhor que Helle que as minhas Sarah Palin e Michelle Bachmann, abração, Caio

Reynaldo-BH em 20 de setembro de 2011

Em anos passados, ao trabalhar em uma multinacional de informática (na época a maior delas) era comum ouvir o comentário machista e ofensivo: "Deus quando cria uma nova mulher pergunta a ela: você quer ser linda, elegante e sensual ou prefere ser uma profissional de sucesso na empresa XXX (a dita cuja)?" Era a forma do mando patriarcal se manter. Estratégia errada, até por falta de argumentos reais. Elas são lindas, competentes e nem por isso precisam se masculinizar. Lembro-me de um livro de Rose Marie Muraro - que não é bela e sim inteira como mulher, e por isso apaixonante - publicado na década de 1990: SEIS MESES EM QUE FUI HOMEM. E que teve câncer. O olhar feminino - sim, existe e só os cegos ou os sem sensibilidade não enxergam - é privilegiado. Não são dóceis. Golda Meir e Margareth Tathcer que sejam exemplos desta afirmativa. Não são, a priori, excelentes administradoras: Isabella Perón e Dilma que não me deixam mentir! Mas são sim um outro olhar. Não sei o que fará Helle Thorning-Schmidt. Só sei que pré-julgar a mulher por ser bonita e elegante é sinônimo de obscurantismo intelectual. Ao invés de ser defeito, é virtude. E indiferente ao que ela tem como missão. Boa sorte a sra. Helle e que consiga sucesso. Para isso foi eleita. Pelo visto, apesar de ser bela. E elegante!

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI