Image
Quimeras de Roman Sakovich — o que poderia ter sido, ou foi, e não o é mais

Às vezes pode parecer uma brincadeira, mas quem vislumbra o trabalho do fotógrafo britânico Roman Sakovich logo percebe que tudo o que ele registra é sério.

Nessa série, “Half” (metade), ele usa modelos maquiados — de um lado do rosto, cheios de saúde, do outro, devastados pelo uso de chrystal met, droga sintética e pesadíssima, que leva embora não só a saúde, a beleza e a juventude dos consumidores, mas também a identidade, a liberdade, a alma e, no final, a vida.

Para criar as fotos, Roman se inspirou na degradação física de amigos próximos, usuários dessa anfetamina seis vezes mais barata que a cocaína e de efeitos dez vezes mais potentes, que deforma a fisionomia de seus usuários.

 LEIAM TAMBÉM:

Da droga para a lama: imagens chocantes mostram a destruição física de viciados

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − nove =

9 Comentários

thiago duarte em 17 de junho de 2013

vejam todo este vídeo http://youtu.be/t9N_RTTLZS4

Aranha em 11 de maio de 2013

Caro Aranha, realmente o material era muito interessante. Mas, se eu abrir uma exceção e publicar textos já postados em outros veículos nesta área destinada a comentários, virá uma chuva de pedidos e cobranças para fazer o mesmo em outras situações. Agradeço de coração sua compreensão. Um grande abraço

evandro em 11 de maio de 2013

Bom dia, Sr Ricardo Setti, este canal no youtube fala sobre as empresas e suas falsas propagandas de produtos. Vai de Banco do Brasil a McDonalds, vale á pena usar de uns minutinhos. Não se espante com o nome, é para chamar a anteção mesmo. Saudações http://www.youtube.com/user/OtarioAnonymous

moacir em 11 de maio de 2013

Setti, Com essa minha cabeça,acredite,quem precisa de drogas? Mas não vi as fotos - quem tem quatro filhos não pode ver jovens se matando por nada.DÓI! Um ótimo sábado para você

JMello em 11 de maio de 2013

Excelente post! Apesar das fotos nao chocarem por sabermos que nao sao pessoas verdeiramente viciadas. O chrystal melt está se tornando a droga mais comum por aqui na América do Norte. Realmente, é preciso uma profunda reflexao a respeito do que é realmente droga, tráfico e o que é um viciado na sociedade. O vicio em drogas pesadas e alcool causam uma devastaçao na saúde do viciado, mas nao só isso, arrasa com a família e amigos do viciado. Sem contar com o cigarro que é causador de milhoes de mortes por câncer e outras doenças relacionadas a seu uso. Porém, o tabaco nao altera o comportamento social dos viciados e nem causa diretamente acidentes de trânsito, ele gera somente gastos exorbitantes para a saúde pública, bem como o desmantelamento de famílias que perdem seus entes queridos viciados em tabaco. Portanto, ao contrário de alguns comentários por vistos aqui, é preciso uma reformulaçao na maneira de lidar com os problemas das drogas e alcool. Somente proibir nao resolve, pois a realidade está aí para nos mostrar a ineficiência da restriçao. Claro, há ainda que se levar em conta os diferentes tipos de drogas. Nao se pode comparar a maconha com cocaina ou chrystal melt. Sendo que a proibiçao da cannabis foi mais por interesses comerciais da insdustria do algodao, no início do s´culo 20 do que uma medida em relaçao à saúde pública. Deixo um link de uma reportagem da Radio-Canada sobre a maconha. Vale lembrar que atualmente a maconha é ilegal no Canada, mas mesmo assim, o pais exporta maconha para os EUA e o consumo aumenta a cada ano. Para quem é usuário, a polícia apenas dá uma multa. Entretanto, os níveis de violência urbana cairam, sendo que uma cidade como Montréal, com uma populaçao somente na ilha, de 2 milhoes de habitantes registrou nos ultimos 4 anos uma média de 33 assassinatos por ano. Em relaçao a outros crimes e delitos, os níveis diminuíram também. É interessante o que aconteceu comigo: liguei para a estaçao de polícia questionando os resultados das estatíticas e eles me madaram em casa, via correio, um catatau de estatísticas sobre os crimes no meu bairro e o chefe de polícia ainda me ligou perguntando se eu tinha alguma dúvida a respeito dos dados no relatório! Por isso, na minha opiniao, associar liberaçao de alguma droga com aumento de violência ou viciados e por isso, pregar a restriçao sem alguma reflexao em alternativas possíveis para o comércio de alguma droga, é realmente andar na contra-mao da sociedade. Debater é preciso! http://www.radio-canada.ca/actualite/lepoint/reportages/2002/09/02/cannabis/cannabis.html

toninho malvadeza em 10 de maio de 2013

Ofereço essas imagens ao Lucas e ao deputado Paulo Teixeira do PT de SP,que estão no "caminho certo" do mundo.(deles)

Sinval Pereira em 10 de maio de 2013

É esse monstro que a vanguarda iluminada do PT quer liberar em cada lar desse país.

lucas em 10 de maio de 2013

Vocês estão na contramão do mundo. Quer dizer, então, que o "chyrstal met" é legal? Tá bom...

Reynaldo-BH em 10 de maio de 2013

Quem não sabe o valor da vida só saberá quando tiver prestes a perde-la. Talvez, aí, seja tarde demais.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI