Image
Chávez, Evo, Correa e Raúl: segundo o presidente do Equador, “ciclo progressista” pode estar chegando ao fim (Fotos: Jorge Silva/Reuters :: Juan Karita/AP :: AFP :: Adalberto Roque/AFP/Getty Images)

Está no resumo publicado no jornal Folha de S. Paulo para a entrevista feita pela jornalista Monica Bergamo com o presidente “bolivariano” do Equador, Rafael Correa, o inimigo 1 da imprensa livre em seu país:

“A retomada conservadora na América Latina, com a articulação das direitas internacional e dos países da região, ameaça colocar fim ao ciclo progressista iniciado quando Chávez chegou ao poder na Venezuela, afirma Rafael Correa, presidente do Equador”.

Eta ameaça boa! Que ela se cumpra — pelo voto. Embora o regime “progressista” da famélica Cuba, mantida a ferro e fogo pela ditadura dos irmãos Castro, ainda deva resistir por mais tempo do que os demais. O regime de Evo Morales, na Bolívia, por ora, não dá sinais de grande erosão.

Por falar em “retomada conservadora”, o governo “conservador” e “direitista” do presidente Juan Manuel Santos, recentemente reeleito para um segundo mandato, pilota um céu de brigadeiro — apesar de enfrentar a narcoguerrilha das chamadas “Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia” (Farc), com pelo menos 12 mil homens em armas.

Com guerra e tudo, a Colômbia do nada bolivariano presidente Santos terá este ano, segundo o FMI, a menor inflação da América Latina (1,9% ao ano), enquanto, por comparação próxima de nós, a do Brasil explode o teto da meta de 6,5%, apesar das inúmeras tentativas do governo de mascará-la com contrele de preços na área de energia e outras manobras.

O PIB colombiano terá crescimento perto de 5% (no Brasil de Dilma, se tudo correr bem, chegaremos a esquálidos 1,8%), a indústria deve passar de 6% (a nossa anda em crescimento negativo) e o tamanho da economia ultrapassou o da Argentina, tornando-se a segunda maior da América do Sul.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro + 14 =

19 Comentários

Mauro Pereira em 27 de julho de 2014

Viva, Marcos.

Despetralhando em 26 de julho de 2014

A Colômbia não é bolivariana (bom para ela), apesar das tentativas das farc e da esquerdaotoloide que querem ver o povo na miséria enquanto a "nata pensante" (incompetentes) vive seu 'status caviar'. O que elle entendem por progressista nós entendemos por atraso, retrogrado; Um regime que governa com olhos e diretrizes de "DOIS" séculos de atraso não pode jamais ser dito como PROGRESSISTA.

marcos em 26 de julho de 2014

Viva Chavez,Fidel,Ivo,Rafael,Cristina,Mojica,Maduro,Bachele,Raul e o Grande LULA.

Gilmar Fernandes em 25 de julho de 2014

O mais interessante de tudo é que a "investida" dos conservadores de direita coincide perfeitamente com o efeito bumerangue da catástrofe anunciada em que se transformam os ditos governos progressistas.

Fernando Costa em 25 de julho de 2014

Só há um remédio: Aécio neles!

Renato em 25 de julho de 2014

Que Deus realmente nos ajude e que caiam todos os bolivarianos da américa latina. A história irá contar mais uma vez os anos que perdemos com essa corja corrupta no poder. Entre eles o própio Brasil sob um governo atrasado, corrupto e que tentou acabar com a nossa jovem democracia.

josecatunda em 25 de julho de 2014

Alguém disse,não sei quem,que, para onde o ""Brasil for,a Americal do Sul iria".Que bom começo,o Governo (des) daqui,já esta à cair.Bando de vigaristas que não pensam nas Nações/Estados que tiranizam.Pensam só em suas egolatrias (LULA e assemelhados).Que Deus se apiede de nós,nos livrando o quanto antes, desses........

Deva Carneiro em 25 de julho de 2014

Se um país precisa ou governo precisa se preocupar com a liberdade de imprensa é porque as coisas vão mal.

lulão$$$$ em 25 de julho de 2014

Acredito mesmo que a **** ***** consiga se reeleger o ParTido dos ********** vai se acabar

Julio em 25 de julho de 2014

Ricardo, Acabou o dinheiro fácil das commodities, acabou o bolivarianismo. Sempre que isto acontece, os esquerdistas entregam o poder para a direita "arrumar a casa".

Moacir 1 em 25 de julho de 2014

Prezado Setti, A Venezuela e Argentina, os dois vizinhos que caíram de boca no intervencionismo estatal , hoje atravessam as piores crises políticas e econômicas da América Latina.Em vez,o Chile, o Peru e a Colômbia, os três países sul americanos que menos foram contaminados pelo bolivarianismo , são hoje os queridinhos do mercado ,apresentando bons índices de crescimento,inflação baixa e contas equilibradas. A Venezuela - o país com as maiores reservas de petróleo do mundo - que chegou a crescer 9% ao ano, está completamente destroçado, política e economicamente.Inflação de quase 100%,câmbio esquizofrênico, desabastecimento,criminalidade desenfreada, manifestações e barricadas nas ruas,mais de 40 mortos nos protestos,brutal repressão do regime,tortura,prisões arbitrárias, black out da mídia nacional e estrangeira, sucateamento do parque industrial,colapso energético, empobrecimento da população, PIB negativo...a treva!! A Argentina, que nos anos 50 era um dos sete países mais ricos do mundo, hoje está em queda livre em todos os rankings econômicos e sociais e à beira de mais um default de consequências desastrosas para si e imprevisíveis para nós.Falida como nos pagará ela por nossas exportações? O Peru tornou-se o favorito de 9 entre 10 investidores .A Colômbia livrou-se dos cartéis e dos guerrilheiros e é mais atrativa do que o Brasil.O Chile, apesar dos terremotos e vulcões se transformou numa economia diversificada,sólida e em expansão. Enquanto isso,o Brasil deixou de ser visto como aquele Cristo Redentor decolando para voltar a incorporar a velha metáfora do gigante bobóide adormecido em berço esplêndido.Perdemos mais 12 anos.E o jogo transformou-se numa blitzkrieg de 7% de inflação versus 1% de crescimento anual. Paramos.E a PresidentA não sabe porque o país não cresce.Bastaria que a CriaturA conferisse o ranking de liberdade econômica para que - FIAT LUX!! - a ficha caísse : as nações que apresentam maiores índices de liberdade econômica são aquelas mais ricas.E , de quebra , mais civilizadas e democráticas.Quanto mais intervencionismo governamental, menos desenvolvimento e mais autoritarismo. É tudo magistralmente simples.Trata-se apenas de escolher certo entre dois caminhos : mais estado ou menos estado. As experiências dos governos bolivarianos populistas latino americanos são estrondosos fracassos movidos a uma ideologia esquerdopata cujo fim é o well being, não dos povos , mas dos mandatários.Apesar dessas falências econômicas e sociais terem sido tragédias anunciadas, é assustador ver aonde los hermanos chegaram em tão pouco tempo. Governados pelo comissariado petista mais 4 anos ,chegaremos ao caos igualzinho ...Ninguém duvide. Abraço

pedrao em 24 de julho de 2014

Elles devem estar preocupados porque já sabem que Dilma,Lulla,PT,Psol,PCdoB e todos os neo-bolivarianos do Brasil,serão escorraçados do poder! E o novo presidente da republica vai cobrar todas as prebendas que,covardemente, o PT lhes concedeu! E não são poucas! Sigilosamente entregues para esses tiranos corruptos e incompetentes, à revelia do congresso brasileiro e em prejuízo da gente brasileira!

Toninho Malvadeza em 24 de julho de 2014

Por aqui pelo menos,vamos erradicar essa esta praga daninha de nossas vistas. Outubro PT,é a data de seu fim !

Virgínia Souza Pereira em 24 de julho de 2014

Que venham os "conservadores de direita"!!! Espero que as eleições no Brasil, em 05 de outubro, inaugurem uma nova era de verdadeira prosperidade, liberdade, respeito ao Estado de Direito e tudo o mais que verdadeiras democracias lutam por construir.

Carruagem de Fogo em 24 de julho de 2014

Progressistas?-Onde?-Como assim?-Progresso,supõem-se no mínimo avanço!-No Brasil,o único avanço é o da inflação e da degeneração para pior da indústria,do comércio,sem falar da saúde,da educação,da segurança e infraestrutura!-Progresso vê-se,sim,no Chile,no Peru,Colômbia e México.Os outros países da região,sobretudo os bolivarianos,tratam seus nacionais,como idiotas e incapazes!

Kitty em 24 de julho de 2014

Querido Ricardo, A Venezuela é o exemplo vivo dessa decadência,era questão de tempo que eles todos perceberiam que não se pode regredir 50 anos, os muros caíram e sem crescimento sustentando não se pode distribuir riqueza. Lembrou-me de Margareth Thatcher quando disse que o socialismo dura até se acabar o dinheiro dos outros..só petróleo não resolve, nem demagogia e muito menos o populismo dos amantes do fracassado bolivarismo...Uma excelente notícia, caro Ricardo, boa mesmo, espero que o Brasil intenda esta tendencia promissora e não se deixe levar por caminhos que os membros do Foro de São Paulo gostariam que fossemos..!///Um abraço-Kitty

TROVÃO em 24 de julho de 2014

Setti, depois de ler esse texto e analisando os indices mencionados, chegamos a conclusão que a corrupção desenfreada, o desgoverno, a impunidade, a imundice política instalada naquele escritório da corrupção, vulgo congresso, tudo isso somado, acabou até com o futebol brasileiro, porque a corrupção somada a impunidade, acrescida da safadeza dos políticos corruptos,impede a criação de uma cpi da cbf para apurar os desmandos, a fuga do ex-presidente, etc.

Rafael em 24 de julho de 2014

O recado do presidente colombiano está dado: "Esses bons índices econômicos se devem a quais políticas? Eu sou terceira via. E a terceira via se define assim: o mercado até onde é possível e o Estado até onde é necessário. O Estado tem de ser efetivo, tem que ser eficiente e temos que ter com que financiá-lo. Nós temos sido muito prudentes em não aumentar o tamanho do Estado a um ponto que afogue o setor privado. É preciso manter sempre esse equilíbrio, e temos ido bem." Fonte: http://veja.abril.com.br/noticia/internacional/presidente-colombiano-ve-as-farc-trocando-armas-por-votos

Reynaldo-BH em 24 de julho de 2014

Setti, meu amigo. Era previsível. A aventura farsesca desta doutrina (?) bolivariana sem eira nem beira, se escopo ou fundamento, com o eterno desrespeito à história, abusando da corrupção e apadrinhamento, criando moinhos de ventos sem nunca terem grandeza de serem quixotes, só poderia desaguar no que estamos assistindo. O calote argentino contra os abutres (como foram abutres Nestor e CK na ditadura, de onde vem a fortuna da família), a volta atrás de Maduro que não soube ser uma caricatura de Chaves (por si só uma caricatura de si mesmo), a eternização de Evo, partindo para um quarto mandato, a prepotência de Rafael e o comportamento com um a todos eles, de desprezo às liberdades democráticas. E o Brasil. Assistindo estupefato ao butim de fim de festa em um nojento baile da Ilha Fiscal. O papel higiênico que falta na Venezuela não pode ser comprado no mercado externo. Só doado. Ou alguém confiaria em fornecer algo ao governo que de maduro apodreceu em meses? Na Argentina os abutres (e são) sabem que CK fez o mesmo quando pode. Argentina é um pária nas nações mundiais, menos pelo que pode efetivamente fazer. Mas sim pelo que prefere fazer. O Brasil segue a sina dos anões. Tínhamos o mini-ministro moral Celso Amorim (o nanoministro) e temos hoje – declarado em alto e bom som em todo mundo, para nossa vergonha – a diplomacia nanica. O bolivarianismo ruiu. O tal socialismo do século XXI (insisto, só existe em um paper de um americano!) encontro o fim da mágica. Usaram o preço do petróleo, as intimidações (e roubos, com a refinaria da Petrobras na Bolívia), as perseguições (caso do senador boliviano), os arroubos de “macheza latina” (como o defunto insepulto da Venezuela alertava para ataque iminente dos USA ao país caribenho), as emolas (bolsas de todos os tipos) substituindo educação e saúde, etc. A mágica acabou. O coelho fugiu da cartola. Assim como Maduro hoje tenta (e Rafael Correa também!) uma aproximação lenta (sem se expor) com o mundo civilizado, este será o caminho de TODOS os outros. E agora José? Hora de recuperar uma década (ou mais) perdida por loucos e caudilhos, a partir de Lula, o adorador de ditadores ao redor do mundo. E deixar para a fossa da história o que cheira mal, é sujo e transmite pestes. Destes a profilaxia se dá com o voto. Limpemos o Brasil. E vamos ver uma América Latina à altura do que esta merece. Restará uma urna de vidro guardando um corpo putrefato. É o suficiente.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI