De onde Serra tirou que foi “o ministro do real”?

É muita petulância do candidato a presidente pelo PSDB, José Serra, proclamar-se em sua campanha pela TV “o ministro do real”.

Além de, pura e simplesmente, não ser verdade.

O Plano Real que domou a inflação no Brasil, é bom lembrar, foi implantado não no governo do presidente Fernando Henrique Cardoso (1995-2003), mas em fevereiro de 1994, quase um ano antes do presidente Itamar Franco (1992-1995) terminar seu mandato.

O ministro da Fazenda de então, como se sabe, era FHC.

José Serra foi ministro durante o governo FHC, mas no Ministério do Planejamento – que não trata de política monetária –, onde permaneceu apenas um ano e meio, com o real já implantado e pilotado, isto sim, pelo ministro da Fazenda, Pedro Malan, que permaneceu com FHC durante os oito anos de seus dois mandatos.

Se houve um “ministro do real”, este foi FHC. Se houve dois, foram FHC e Malan.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 + 6 =

Nenhum comentário

  • Ricardo Balbachevsky

    Me parece desespero… Agora parece ser a hora de fazer qualquer coisa que renda votos. Assim como a declaração dele de que quer dar 13o salário para o bolsa-família. Vale tudo!
    Não gosto da Dilma, odeio o PT. Mas com uma oposição dessas…

  • Sergio

    Acho que o Serra despirocou de vez. Está prometendo 13o salário para quem recebe bolsa-família.Será que tem algum petista na equipe dele?

  • Se Lula que é de outro partido pegou para si os méritos de seu antecessor, porque Serra que é do mesmo partido de FHC não pode fazer o mesmo. Afinal estamos cometendo uma tremenda injustiça com Fernando Henrique, parece que o povo esqueceu da época em que os preço eram remarcados diariamente. Espero que a história trate de reparar este erro e ponha abaixo este marketing mentiroso usado principalmente por Lula como se ele tivesse sido o criador da base econômica que originou o crescimento que temos agora.

  • Markito-Pi

    Bm Setti.
    Matou a pau e restabeleceu a verdade.
    Só peço que V. reconsidere o papel, que julgo fundamental, do Gustavo Franco, cuja coragem e exposição frequente, peitando os canalhas que NÃO queriam o Real, foi preponderante.

    A história vai reconhecer a importância de Gustavo Franco para a estabilidade que o país alcançou. As pessoas inteligente já o fazem.

  • Blumenau

    Ricardo.
    Melhor ficar lendo uma lista interminàvel de mentiras do pt.Agora se o Serra falou algo TÃO grave para merecer esta reportagem,sinceramente,já tinha achado um absurdo e mandei comentário e não sei onde colocasse,pois não li em lugar algum.
    A tua opinião sobre a saúde da dillma e a chance do temer assumir a presidência foi de um mau gosto.Continuo sem entender ,ou prefiro NÃO saber mais o que se passa na tua cabeça.
    Quero garantir a nossa democracia,e tu que deves ser muito melhor informado do que eu,sabes bem pra onde iremos ,caso a bandida,comprovada em documentos,assumir a presidência.
    Acho que estou perdendo meu tempo com um petista doente,como o são na maioria.Tem pessoas que a idade traz sabedoria,este não é o seu caso.Retrógado.

    Não entendi seu comentário. Ora você parece que vai elogiar, de repente você passa a criticar — e é um sei direito. Mas faltou clareza a seu comentário. E não acho de mau gosto abordar a questão da saúde de Dilma. A saúde de um candidato à Presidência, sobretudo um candidato favorito, como já exaustivamente defendi neste blog, é assunto de alto interesse público.

  • Marcello

    Não sei se o Serra, quando diz que foi ministro do real” quer dizer que foi o ministro que criou o real. Seja como for, faria ele melhor se dissesse, toda vez, que a turma do PT foi sempre contra o real, e contra o real trabalharam arduamente.

  • Roberto Aliberti

    Caro Ricardo,
    Isso é coisa do Luiz Gonzales, o marqueteiro que acha que FHC não é um aliado valioso, que chama o Serra de Zé, que bota a cara do Lulla na propaganda do Serra, que ignora a fábrica de dossiês na Casa Civil, e que trata gentilmente as bandalheiras dentro do governo.

    Caro Roberto,

    Concordo com você quanto à covardia que é “esconder” o ex-presidente Fernando Henrique, sem cujo governo Lula não teria conseguido fazer nada do que apregoa ter feito. Mas isso não é coisa de marqueteiro, é dos próprios candidatos, em sua maioria. A campanha de Serra em 2002 já foi uma vergonha: era o candidato do PSDB à sucessão de FHC, e não defendeu as principais bandeiras que, essas sim, tornaram o Brasil respeitado no exterior e mais bem preparado para dar o salto que está dando, graças aos fundamentos fincados por FHC e à boa conjuntura internacional.

  • Marco

    Já foi comentado aqui o papel do Gustavo Franco na construção do Real, mas ainda falta muito: o maior crime contra a memória nacional recente está na falta de reconhecimento dos méritos daquela equipe.
    Solicito correção caso haja engano, mas não houve na História humana uma operação de troca de moeda em tal magnitude e tão bem feita. Só isso já bastaria para serem enaltecidos, não fosse ainda todo o conjunto da obra.

  • Marco

    Caro R. Setti: Acho q o Serra pode estar descaracterizando o PSDB. Se for isso é lamentável!
    Abs.

  • Indignada!!!

    O candidato é o marqueteiro. Eles é que ganham a eleição. Quem consegue embromar, melhor, ganhar a eleição. É a era Duda Mendonça. Aliás, é vergonhoso!!!

  • Sandra D'Agostini

    Ricardo. Vc quer, com isso, dar uma mãozinha à quadrilheira?

    Cara Sandra,

    Não pretendo dar mãozinha a ninguém, e sim relatar e comentar FATOS.

    Obrigado por sua visita.

    Abraço do

    Ricardo Setti

  • ALVARO

    O LULA NÃO DESCOBRIU O BRASIL EM 2003!!!! PO QUE O SERRA QUE FEZ PARTE DO GOVERNO NO PLANO REAL TB NÃO PODE SER PAI DESTE FILHO???? ELE É UM DOS IDEALISADORES SIM DO REAL E NINGUÉM TEM COMO PROVAR O CONTRÁRIO.

    Os idealizadores do Plano Real foram economistas convocados pelo então ministro da Fazenda, Fernando Henrique Cardoso. Serra chegou a ser ouvido, mas não esteve entre os formuladores do plano.

  • Paulo Santos

    Ainda na fase de implantação do plano Real,tbm foram ministros do governo Itamar depois de FHC Rubens Ricupero e Ciro Gomes.

    Caro Paulo,

    Você tem toda razão. FHC chegou a elogiar muito o papel de Ricupero na explicação do Real à população e na facilidade que tinha de se comunicar.

    Já Ciro Gomes, que de fato foi ministro, ocupou o cargo por pouco tempo — menos de quatro meses, de 7 de setembro de 1994 a 1º de janeiro de 1995.

    Obrigado pela visita, volte sempre.

    Abraços do

    Ricardo Setti

  • leo

    Além de tudo, o Serra fazia oposição ao Malan. Por isso FHC o tirou do Planejamento e colocou no Ministério da Saúde!

  • Luiz

    Caro Ricardo,

    Voce é critico na mesma medida com o presidente Lula e o PT?

    Caro Luiz,

    Sugiro que você visite o blog sempre que possível para chegar à sua própria conclusão.

    Um abraço do

    Ricardo Setti

  • Esron Vieira

    Pelo que me consta à época, o Plano Cavallo (Argentina) e Plano Real( Brasil) foram impostos pelo FMI. Os economistas dos dois países, apenas acataram pra poder receber os socorros financeiros do mesmo. Agora vem esta trupe toda de politicos, querendo ser pai do Real. Em temmpo: se alguem lembrar, no meio do ano de 2002 foi feita uma reunião com: Lula, Serra, Garotinho e Siro gomes. Assinaram um documento garantindo a presidencia do Banco Central ao competentissimo Meirelles ( evitando as histerias dos mercados). Qualquer Presidente eleito à época collheria os frutos. Não adianta as viuvas de FHC falarem que ele é o idealisador do Real que não é. O governo do Itamar é quem acatou as normas do FMI pra receber recursos financeiros. Agora o Serra além de não usar de Democracia dentro de seu próprio partido ( aceitando as prévias), se entrega à todo tipo de sujeira e jogo baixo pra conseguir reverter seu quadro politico. No Aécio eu votaria com todo prazer ( ele sim conseguiria coesão dentro do PSDB).

    Caro Esron,

    Você está misturando as coisas.

    As reuniões que o então presidente FHC fez com os quatro candidatos mais bem postados nas pesquisas de intenção de voto se destinaram a dar ciência a eles — algo que não tinha sido feito anteriormente por outros presidentes — do teor do acordo que o governo estava fechando com o FMI, uma vez que um dos quatro ocuparia, no dia 1º de janeiro do ano seguinte, a cadeira presidencial.

    O acordo foi necessário devido à deterioração das contas externas do Brasil diante do temor de investidores quanto ao que poderia fazer, no poder, um Lula presidente. Isso diante do que Lula pregou durante a maior parte de sua trajetória, inclusive a delirante defesa do calote da dívida externa, que teria levado ao Brasil a uma crise catastrófica. Mesmo tendo retificado suas posições radicais na famosa “Carta aos Brasileiros”, os investidores continuavam assustados, daí o acordo com o FMI.

    Nada houve, nessas reuniões, de acordo sobre a escolha de Meirelles. Não sei de onde você tirou isso. Meirelles foi escolha de Lula após as eleições, e nem chegou a ser sua primeira opção.

    O Plano Real jamais foi imposto pelo FMI. Não posso responder pelo Plano Cavallo, mas também me parece um delírio seu, já que o FMI não demorou a adotar postura crítica à equiparação entre a moeda argentina e o dólar, que com o tempo levou o país vizinho a uma gravíssima crise, devido principalmente ao crescente custo de seus bens de exportação.

    Itamar não foi o idealizador do Plano Real. Este mérito coube à equipe de economistas, aí incluídos Pérsio Arida e André Lara Resende, que FHC convocou para elaborar um plano de combate à inflação quando o presidente Itamar o designou ministro da Fazenda.

    Mas ninguém pode retirar do presidente Itamar o mérito e a coragem de ter bancado o plano que, como vimos, deu certo e permitiu a Lula viver um período de bonança.

    Um abraço, volte sempre.

    Ricardo Setti

  • ALVARO

    ORA BOLAS, O LULA MENTE FAZEM 7 ANOS E 9 MESES QUE MUDOU O BRASIL, MUDOU O BOLSO DELE E DE SUA QUADRILHA, AGORA QUER CALAR A IMPRENSA QUE O FEZ SER MITO, NÃO DEIXA DE SER UM MENTIROSO CACHAÇEIRO, TEM COISA MAIS IMPORTANTE PRA NOTICIAR NA IMPRENSA DO QUE ACENSURA QUE O PT QUER IMPOR.

  • Dulce Toledo / BH

    Setti, meu querido,
    vamos fazer justiça aqui, sem delongas: Malan e Fraga fizeram a MELHOR equipe econômica deste país desde sempre. Se não fossem eles, com sabedoria, discreção e trabalho – MUITO trabalho – este país não estaria onde está agora. Incansáveis e conhecedores de suas áreas, atuaram belíssimamente na condução dos rumos futuros do Brasil quando FHC presidiu o Brasil. Não teremos outra equipe igual. Fernando Henrique soube escolher. A estes dois, Malan e Fraga, temos que tirar o chapéu com todo respeito e gratidão.
    Grande abraço.

  • Dulce Toledo / BH

    correção: onde se lê “dos rumos futuros do Brasil quando FHC presidiu o Brasil” leia-se, por favor: “quando FHC o presidiu”. Obrigada.

  • Márcio

    Caro Ricardo,
    se Lula e Dilma, que são 2 mentirosos de primeira podem dizer que implantaram o Real e controlaram a inflação desenfreada deixada pelo governo FHC, por que o Serra, que nunca foi oposição ao governo de Itamar ou de FHC não pode dizer isso? A bem da verdade conceitualmente ele tinha as divergências, como sempre teve, mas nunca foi oposição ao plano.

  • Giovanni

    Eu duvido que o Serra tenha feito isso. Isso é coisa de marketing. Infelizmente, os candidatos sequer assistem a todo programa político e não vi esse programa passar.

  • Paulo Vitor

    Nossa! Esse cara mente demais!
    É concurso de mentiras, ou disputa eleitoral para presidente da república?

  • NEY NOBRE

    Alvaro!!!!!!!!!!! vc sabe o que é cronologia amigo! o Serra entrou no governo FHC bem depois do real implantado….e outra coisa, quem disse que ele e o pai dos genericos, os ministerio da saúde ja articulava a quebra das patentes,ele pegou carona só isso,….

  • f tavares do B

    se a canalha petista encomendasse um candidato para disputar a eleição com a musa-terrorista, não conseguiria nada melhor que esse governador serra… perfeito seria manter o tal de gonzales como marqueteiro da oposição. depois de colocar fotos com o fora-da-lei no programa eleitoral, tratar de escolas municipais e crack como prioridades da campanha presidencial – o que revela a amplitude das ambições do candidato…- vem o candidato serra, como cego em tiroteio, assumir um papel na história que nunca foi seu. só pode ser efeito de remédio…

  • Marcelo

    Mais uma mentira nessa horrível campanha de Serra. Eu votei em Alkimin na última e sou contra o Governo Lula, mas minha inteligência se recusa a votar em candidatos mentirosos como José Serra tem se mostrado. Proposta de minimo de 600, 13 de Bolsa Família, calúnias contra a adversária, tudo isso demonstra o despesro de um candidato derrotado. Faltou personalidade, faltou coragem. PSDB dessa vez perdeu meu voto, agora to com Marina.
    O candidato era pra ser Aécio, não esse velhaco careca antipático e mentiroso do Serra.

  • falei

    Por mim ele fale o que quiser, no pt eu não voto nemm debaixo de porretada!!!!!!!!!!!!!!!

  • Márcio

    Me parece que o mentiroso é vc, Marcelo. Fica com essa conversinha de que votei em A, sou contra Lula, mas não voto no Serra. Isso é para parecer isento e ter seu comentário publicado? Assume que vc defende esse governo mentiroso e corrupto, mas de uma maneira que o moderador não te bloqueie. Não fica parecendo conversinha pra boi dormir.

  • Esron Vieira

    Não entendí porque vc censurou meu comentário de ontem. Fiquei envergonhado.

    Caro Esron,

    Não censuro nada nem ninguém. Só não publico comentários com ofensas pessoais ou com palavrões.

    Não liberei seu comentário a tempo — é impossível fazer isso o tempo todo — porque queria respondê-lo, como já fiz.

    Um abraço, volte sempre.

    Ricardo Setti

  • mafalda

    Em meio a tantas inverdades que o PT apregoa você vem pinçar essa peninha que aparece por segundos na propaganda? Faça-me o favor! Pelo menos o Serra não foi contra o Plano Real, como foram todos os petistas.

  • André

    O PSDB é o campeão das mentiras, o Plano Real foi criado no governo ITAMAR FRANCO e o mentor do plano foi o ministro RUBENS RICUPERO, o sociologo FHC, que nada entende de economia, foi apenas obra midiática, na intenção de o eleger presidente. Um dia isso ainda irá aparecer nos livros de história.

    Calma, caro André.

    O ministro Ricupero não foi o mentor do Real porque, na época de seu lançamento, no final de fevereiro de 1994, era ministro do Meio Ambiente e da Amazônia Legal.

    Os autores do plano foram economistas convocados pelo então ministro da Fazenda, Fernando Henrique Cardoso, entre os quais a dupla Pérsio Arida e André Lara Resende.

    E, sem dúvida, o Plano Real foi lançado no governo do presidente Itamar Franco (1992-1995), e consolidado por seu sucessor, FHC.

    Pode-se ser contra FHC, contra os tucanos, contra quem quiser, caro André.

    O que não se pode é querer, estalinistamente, reescrever a história. Há pelo menos dez livros sobre o Plano Real encontráveis nas livrarias, ali você pode se informar melhor.

    Um abraço do

    Ricardo Setti

  • André

    Sugiro procurar no youtube “Histórias do Poder – Brasil 1900-2000 | Cap. 5 – parte 4”, e ver o que Itamar Franco fala a respeito da criação do plano real, não satisfeito, sugiro tambem entrar no site da Receita Federal e ler os documentos a respeito da história do plano real, e ver quem assinou a medida provisória que criava o plano.
    Eu estava na 8º série em 1994, mas lembro do escanda-lo das parabólicas, envolvendo o ministro Ricupero, que assume, sem saber que estava indo ao ar, que estavam utilizando o real pra eleger FHC.
    O próprio FHC já admitiu que Ricupero era o mentor técnico na equipe, afinal era o que realmente entedia de economia.

    Caro André,

    É claro que foi o presidente Itamar quem assinou a medida provisória que depois virou lei criando o real e seus fundamentos. SÓ PRESIDENTES DA REPÚBLICA assinam medidas provisórias e as enviam ao Congresso.

    Não vou mais discutir com você sobre a autoria intelectual do Plano Real e a iniciativa de promover os estudos que levaram a ele. Desisto. Acredite no que quiser. Fique com sua cultura de Youtube e estamos conversados.

    Atenciosamente,

    Ricardo Setti

  • Vítor

    Ricardo, impressionante como as pessoas que acessam a Veja são. No primeiro post que vejo contra o candidato do PSDB , aparecem avalanches de respostas dizendo que é mentira e xingando ao próprio autor do blog, que tanto elogiam quando o mesmo transmite notícias sobre o PT e a Dilma.

    Caro Ricardo, o segredo para seu blog ter uma popularidade alta aqui neste site é agir bizarramente como por exemplo, seu colega Reinaldo Azevedo o faz.

    Esse talvez seja um dos grandes problemas do país, as pessoas culpam os mais pobres e ignorantes pela situação que o país se encontra (apesar de muito ter melhorado com o FHC e Lula ) mas aqui mesmo são eleitores que acreditam em tudo que veêm e facilmente manipulados. Alguns chegam a citar que o Serra não teria nem conhecimento disto , e seria culpa de seu marketing(?!) Ou seja, muitos culpam os outros mas não olham para o espelho.

    Sinceramente, tenho certeza você deve ter vergonha alheia algumas vezes que abre a caixa de comentários.

    Caro Vítor,

    Obrigado por seu comentário e desculpe a demora em responder. Estávamos com problemas técnicos, como anunciei no blog.

    Quanto ao blog ter “popularidade alta”, embora a audiência seja muito benvinda e muito gratificante, audiência não é meu principal objetivo. O que pretendo, como diz a frase ao lado do título do blog, é o seguinte:

    “Este espaço pretende apresentar boas histórias e opinião independente. Não será neutro diante dos descalabros do Brasil e das dores do mundo, mas rejeitará qualquer compromisso com o azedume e o mau humor.”

    Para isso fui convidado pelo diretor de Redação de VEJA, Eurípedes Alcântara, a fazer companhia a meu amigo Augusto Nunes na redação de VEJA.com

    Se o resultado do que faço e fizer for uma boa audiência, é claro, ficarei muito feliz.

    Um abraço do

    Ricardo Setti

  • soley

    A insensatez de alguns politicos em busca do poder, e conhecedores da acefalia historica do povo brasileiro, com o uso da força da mídia através das suas falacias transformam opiniões em um jogo desleal que deveria ser esclarecido para reverter a sua aceitação no dia das eleições.

  • soley

    Existem siuações ambiguas que pela complexidade tornam se ponderaveis para um estado democratico,quando a interpretação apresenta se subjetiva ao longo do tempo.

  • bruxa velha

    Entendo que voce nao gosta do Serra, e gosta muito do FHC. Tantas mentiras comprometedoras do Lula, e uma frase mal interpretada vinda do Serra merece um artigo nao apenas informativo, mas ate mesmo ofensivo. Petulancia ele defender o plano real, dizer que participou, que apoiou? Penso que ha algo mais, alem do que nos leitores sabemos, entre o Serra e o FHC, ao menos e o que sugere as atitudes de ambos. Nao quero crer que voce apenas quis jogar uma isca pra atrair os radicais lula-petistas.

    Caro leitor,

    Não joguei isca alguma. E, como jornalista, procuro não “gostar” nem “desgostar” de ninguém, e sim analisar atitudes e atos de homens públicos.

    A frase do Serra não mereceu um “artigo” meu, mas um simples post.

    Que eu saiba, nada existe entre Serra e FHC, embora FHC não deva estar propriamente feliz pelo fato do candidato de seu partido ter vergonha de dizer que sempre esteve ao lado dele.

    Abraços do

    Ricardo Setti

  • BETHS

    Gostei que vc tivesse lembrado disso. Também estranhei essa estória de ministro do real.

    Tenho idade suficiente para lembrar MUITO bem do que aconteceu e conhecimento suficiente para saber quais foram os protagonistas.

    Agora, aparecem os falsos autores de um lado e de outro.

    Votarei em Serra, com pesar, mas entendendo que a outra opção é desastre na certa. Já há algum tempo, sofro com essa espécie de escolha da Sofia às avessas: ter que escolher entre o menos pior…fazer o que?!

    Cara Beths,

    Obrigado por seu comentário e por sua visita.

    É incrível como as pessoas — inclusive alguns frequentadores deste blog — se esquecem tão rapidamente da história contemporânea.

    Abraços, apareça sempre.

    Ricardo Setti

    A história cuidará de manter a verdade e dedicar o mérito das boas decisões àqueles que realmente merecem, no caso do Plano Real, Itamar Franco, FHC, Lara Resende, Pércio Arida e, ainda como construtores e mantenedores da estabilidade e saúde econômica como Pedro Malan, Armínio Fraga e até Gustavo Franco.

    Não é porque já escolhi o candidato que fecharei os olhos para seus erros, ao contrário!

  • ana

    Vamos ver se seu blog é tão imparcial quanto os blogs que os tucanos chamam de “sujos”.

    Eleições 2010 para quem não sabe aí estão alguns esclarecimentos sobre algumas mentiras entre outras ditas pelo candidato do PSDB Sr. José Serra em entrevista ao JN:

    O Plano Real foi feito no governo Itamar Franco e não no governo FHC
    Os Genéricos não foi Serra quem fez e sim Jamil Haddad no governo Itamar Franco
    O programa da AIDS não foi de Serra e sim de Lair Guerra e Adib Jatene

    Serra defendeu Roberto Jefferson ao dizer que ele era denunciante quando na verdade Roberto Jefferson é RÉU e teve seu mandato cassado por falta de ética

    O vice escolhido pelo PSDB ( Sr. Indio da Costa ) não tem qualificação e sua ficha segundo uma vereadora tucana acima de qualquer suspeita, está suja e lambuzada de merenda escolar

    quinta-feira, 28 de agosto de 2008
    RECORDANDO FHC DO PSDB: FHC chama aposentados jovens de vagabundos
    FHC chama aposentados jovens de vagabundos.

    RIO – O presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou, ontem, que “pessoas que se aposentam com menos de 50 anos são vagabundos, que se locupletam de um país de pobres e miseráveis”…Primeiro, só para relembrar, FHC disse há algum tempo que aposentado era vagabundo, tendo ele pelo menos duas aposentadorias: uma como professor da USP e outra como parlamentar.

    “Petrobrax”: a marca do Brasil Tucano Pefelista
    Matéria publicada no NovaE. Aborda as tentativas do governo FHC de privatizar a Petrobrás

    Um dos momentos mais tristes do governo tucano pefelista de FHC foi sua tentativa de iniciar um processo de privataria contra o maior patrimônio público brasileiro: a Petrobrás.

    A sociedade civil se levantou impedindo mais este crime lesa-pátria. O jornalista Janio de Freitas, em janeiro de 2001, denunciava. “A necessidade comercial de mudança do nome Petrobras para PetroBrax em nada serviria às atividades da Braspetro e aos produtos BR. Mas, os fantásticos R$ 100 milhões constituiriam um negócio com muitas serventias. Como os
    R$ 2,7 milhões que, em acesso de modéstia, a ‘consultoria de comunicação’ diz ter gasto na operação frustrada.”

    Ainda, Janio: “O acionista majoritário e controlador da Petrobras é o Estado, logo, o uso dos recursos financeiros da estatal interessa ao patrimônio público e ao Tesouro Nacional. Parlamentares, Tribunal de Contas da União e, se acionado, o Ministério Público são encarregados de verificar o que o governo e seus prepostos fazem com o dinheiro público em poder da Petrobras e de estatais em geral.”

    Quantas CPIs ocorreram para investigar o fato: nenhuma!

    Leia o clipping

    ELEIÇÃO SE GANHA CONQUISTANDO A CONFIANÇA DO POVO E ISSO LULA JÁ TEM HÁ 8 ANOS MOSTRANDO QUE NÃO FEZ UM GOVERNO DE PROMESSAS E SIM DE REALIZAÇÕES CONCRETAS PARA O POVO BRASILEIRO. NÃO NECESSITOU USAR DE ARTIMANHAS E MENTIRAS COMO FAZ HOJE O CANDIDATO DE OPOSIÇÃO JUNTO COM O PIG* ( PARTIDO DA IMPRENSA GOLPISTA )

    Obs.: Quanto ao Plano Real, tem um vídeo que assisti em 23/09/2010 em que o Sr. Itamar Franco esclarece mais amiúde.

    Me parece que vocês estão bem desinformados. Para saber tem que pesquisar. Pesquisem. Ainda tem
    muitos fatos não esclarecidos aqui
    Vamos ver se há realmente a tão famosa LIBERDADE DE IMPRENSA por parte de vocês.

    Cara Ana,

    Aí está seu comentário. Este é um espaço democrático, não precisa se irritar comigo porque é, sim. E vou publicar tudo que não contenha ofensas pessoais, ameaças ou palavrões.

    Volte sempre.

    Abraços do

    Ricardo Setti

  • Adélia

    FHC foi o pior de nossoa governantes. Privatizou a Escelsa, a Companhia Siderurgica Nacional, Usiminas, Vale do Rio Doce, o setor de telefonia e outros e para onde foi o dinheiro dessas privatizações? Todas essas empresas agora usam nossos trabalhadores como “escravos” pagando-lhes baixos salários, enquanto quelucros vão para o exterior, enriquecendo, cada vez mais, os países capitalista e empobrecendo as nações exploradas. O próprio Plano Real foi uma exigência das grandes nações, pois, como poderiam continuar vendendo seus produtos industrializados para países com tão alta inflação? Acorda, FHC queimou, de vez, o PSDB, porque quem pensa e analisa, vota em qualquer outro partido, menos nesse e seus aliados.

  • Adélia

    FHC foi o pior de nossos governantes. Privatizou a Escelsa, a Compahia Siderúrgica Nacional, Usiminas, Vale do Rio Doce, o setor de telefonia e outros, e para onde foi o dinheiro dessas privatizações? Todas essas empresas agora usam nossos trabalhadores como “escravos”, pagando-lhes baixos salários, enquanto que, os lucros vão para o exterior, enriquecendo, cada vez mais, os países capitalista e empobrecendo muito mais as nações exploradas.
    O próprio Plano Real foi uma exigências das nações imperialista que, desde o século XIX, vem acharcando esse mundo, pois, como poderiam vender seus produtos industrializados para países com tão alta inflação?
    Acorda, FHC queimou, de vez, o PSDB, porque quem pensa e analisa, não vota nesse partido nem em seus aliados.

  • Luiz

    Os elaboradores do (maldito) plano real foram André Lara Resende, Pérsio Árida e Edmar Bacha. Os Malan e Gustavo Franco aprovaram; Itamar e F.H.C., leigos no assunto, puseram em prática. Nenhum deles teria do que se orgulhar, porque o plano real foi um confisco de poupança e arrocho salarial mais criminoso ainda que os praticado sob o Plano Cólor. Este foi explícito, aquele foi dissimulado. Determinou-se que a URV se aplicaria a todos os valores, EXCETO SALÁRIOS E CADERNETA DE POUPANÇA. Na virada para o Real, tudo estava corrigido e atualizado, menos salários e poupança. A desvalorização salarial foi absoluta. O confisco das poupanças foi geral e proporcional à data dos respectivos aniversários.

    Criticar o Plano Real da forma como você faz só pode ser piada.