Debate da Record: Dilma se afasta de Lula ao se comprometer com a meritocracia

O ponto mais positivo das intervenções da presidenciável do PT, Dilma Rousseff, no debate entre candidatos que terminou à meia-noite na Rede Record foi seu compromisso solene com a meritocracia no serviço público.

Ou seja, o mérito, as qualidades e capacidades dos servidores públicos, a serem aferidos em concursos, prevalecerão em seu provável governo, segundo ela.

Se assim for, Dilma estará se distanciando enormemente do governo Lula, a que pertenceu até abril passado. E, durante os próximos quatro anos, terá que dar um jeito nos estimados 22 mil funcionários que, sem concurso, e com base em padrinhos políticos e sindicais, e não na competência, ocupam postos importantes na administração, pilotando os chamados “cargos de confiança”.

Nada impede — e tudo aconselha — que os funcionários a ocupar cargos de confiança sejam escolhidos entre os servidores de carreira, concursados. Mas não tem sido assim em nenhum governo, especialmente no de Lula.

LIMPAR AS AGÊNCIAS REGULADORAS — Além disso, Dilma, se for fiel à sua palavra, precisará limpar as agências reguladoras — entidades teoricamente responsáveis pelas normas e políticas, e pela fiscalização de sua execução, em setores fundamentais como petróleo, energia elétrica, gestão dos recursos hidricos, medicamentos ou planos de saúde — da sórdida politicagem em que mergulharem durante o governo Lula.

Elas deveriam ser integradas por técnicos independentes, mas na prática foram atulhadas de gente indicada por políticos, e loteadas entre partidos da base governista e seus caciques — umas têm como “dono” o PT ou o PMDB, outras o PC do B, ou o PSB ou o PDT, e assim por diante.

Se Dilma cumprir sua palavra, enfrentará uma grande briga política, mas o país ficará melhor.

Vamos esperar — e cobrar.

Deixe uma resposta para Tiago pereira Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

treze − doze =

Nenhum comentário

  • Germano Alves

    Com todo respeito.
    .
    DiLLma faz parte desse aparelhamento político. Durante toda a vida, DiLLma sempre ocupou cargos públicos por indicação política. E quem promoveu o aparelhamento do estado? A faxineira? Não! Foram as DiLLmas, as Erenices, os Paloccis, os LuLLas, enfim, esse pessoal que aí está.
    .
    Se DiLLma se comprometer com a meritocracia, o primeiro ato é pedir demissão.
    .

  • Tiago

    Se depender da palavra da Dilma, então pode esperar o dobro de cargos de confiança, só com pelegos. Eu bem vi a meritocracia desta senhora, ao nomear Alceu Collares e João Vaccari Neto para o Conselho Administrativo de Furnas…

    Sem falar da Erenice Guerra: o único mérito dela foi montar um dossiê ilegal contra Dra. Ruth Cardoso, além de ajudar a encobrir o currículo falso da Dima na plataforma Lattes. Méritos suficientes para receber a indicação de Dilma para assumir a Casa Civil. Deu no que deu!

  • Walter Carlos Zanetti

    Vamos esperar pra ver. Será? Pelo menos ela parece mais séria do que o Lula. Deus queira que seja.

  • Diogo Carvalhaes

    Ver para crer. Seria um grande passo adiante.

  • Selma Segretti

    Vou torcer pra isso acontecer. Mas, com o PT no poder…

  • Wanderley Vilkas

    Estou com a Dilma e não abro. Mais uma razão pra votar nela ricardo.

  • Ricardo Amaral

    Isso é tão provável de acontecer quanto um raio cair na cabeça de Lula.

  • Cesar

    Taí, gostei da frase do Germano Alves: “Se DiLLma se comprometer com a meritocracia, o primeiro ato é pedir demissão.” Deveria virar slogan do Serra. Muito feliz essa frase.

  • Indignada!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    E você acreditou nesta senhora? Pelos desmandos da Casa Civil, já sabemos o que nos espera. Ela não passa credibilidade. Parece um robot(gago) falando.

    Cara Indignada!,

    Benvinda seja na volta ao blog.

    Não acredito nem deixo de acreditar. E vou cobrar. Achei que o post deixava isto claro. Releia-o, por favor.

    Este post tem o cuidado de o tempo todo dizer “segundo Dilma”, “se ela cumprir sua palavra” etc.

    Registrei uma declaração que, do ponto de vista jornalístico, foi importante.

    Abraços do

    Ricardo Setti

  • ctl

    Lamento, mas é uma mentira da grossa. Dilma, como disse o Plinio, ou é incompetente ou é omissa.
    A meritocracia somente existe em Prefeituras, Estados, onde não o PT não chega. O resto é balela, pois onde o PT governou, a começar por Chapecó, Concórdia, Sapiranga, sempre e apenas companheiros de reputação pouco ilibada é que estão nos cargos comissionados.
    Quem não te conhece não deve comprar essa mentira da Dilma. Quem a conhece sabe muito bem que ela não priveligia a meritocracia, tendo como exemplo maior, a Erenice Guerra.
    A qualidade dos serviços públicos, apesar dos escorchantes impostos só tem caído e, vão cair muito mais se a competente em escândalos, em serviços inacados (abandona o barco como fez no RS), em prejuízo aos cofres públicos e ao cidadão quanto às contas de luz (deram mais de 1 bilhão em cobranças indevidas, por não ter tido a competência de rever equívoco no programa).
    Isso é joguinho de cena, pois ela de competente não tem nada, ou então o PAC não seria esse embuste, teríamos importantes obras acabadas e não somente inaugurações de lançamento de “pré-projetos”.
    Quem espera competência dessa ilustre desconhecida, melhor esperar sentado ou deitado e não deixar o cavalinho na chuva.

  • ctl

    O independência né: Dilma mentiu o tempo todo. Discordo da sua conclusão, pois deveria ser: se Dilma cumprir com a sua promessa, desiste da sua candidatura por absoluta falta de capacidade para o cargo.

  • RICARDO

    Ricardão,
    Observe: o PT passou toda a sua vida oposicionista afirmando que os cargos públicos deveriam ser preenchidos por servidores aprovados em concurso público. Não foi uma nem duas vezes que vimos, no gov. FHC, duras críticas a esse respeito.
    E o que aconteceu?
    Simplesmente quadriplicou-se o número de MINISTÉRIOS (Pesca? Igualdade Racial?), como assim saltou o número de servidores comissionados para os atuais 21.000 cargos!
    Os EUA, com toda a sua burocracia, embaixadas e consulados espalhados por quase todo o mundo têm menos da metade disso.
    Dilma, se eleita, herda literalmente tudo de seu antecessor. O atual governo tem como marca registrada descartar as pessoas (ex. Ciro), mas não os partidos, sindicatos, ONGs etc etc, que dão sustentação as falcatruas que vemos cotidianamente.
    Daí que chega às raias da ingenuidade considerar que doravante – durante o seu governo – vá haver mudança significativa dessa posição fisiológica.
    Não! Mil vez não! Os cargo públicos vão continuar a serem destribuídos a apaninguados políticos ou a apolíticpos derrotados nas unas, e a sua quantidade e qualidade deverá permanecer a mesma, a final os dois grandes partidos dessa coligação precisam pagar e manter suas contas em dia, se é que me entendeu.
    Um abraço.

  • Siará Grande

    Não entendi, caro Ricardo, a que meritocracia a Você se refere. Será a mesma meritocracia que levou a PhD Dillma Russeffe a escolher a Dra. Erenice Guerra para sua principal assessora e depois sucessora na Casa Civil do governo Lulla? Pois meritocracia no PT significa fazer o que manda o chefão.

    Meu post tem o cuidado de o tempo todo dizer “segundo Dilma”, “se ela cumprir sua palavra” etc.

    Registrei uma declaração que, do ponto de vista jornalístico, foi importante.

  • Marcos Santos

    OS DOIS SÃO FARÍNHA DO MESMO SACO,TANTO DÍLMA QUANTO LULA,SÃO ÍMCOMPETENTES,POIS DEIXARAM POR OITO ANOS UMA QUADRÍLHA SE INSTALAR NO FUCÍNHO DOS DOIS PELA ERENICE E NENHUM TEVE COMPETÊNCIA DE DESCOBRIR NADA, OU ESTAVAM ATOLADOS ATÉ O PESCOÇO TAMBÉM COM A COMPANHEIRADA DO TAMIFLU.FÔRA PETRALHAS.45NELES.

  • domingos roberto

    É muita ingenuidade pensar que a dilma vai cumprir éssas promessas, mesmo porque quem vai comandar não é ela e sim lula com os camaradas do pt.

  • Anônimo

    Seus posts sobre lula e dilma são declarações de amor de petista. Exalam admiração e sabujice.

    dilma está falando o que foi ensinada a falar.

    O senhor é patético.

    Caro (ou cara?) Anônimo,

    Você não sabe do que fala. Não pertenço nem sou adepto de nenhum partido político, muito menos do PT.

    Meus posts “exalam admiração e sabujice” pela turma do PT? Acho que você não lê este blog com regularidade. E que tal não ofender os outros, mas sim, discutir civilizadamente.

    Este post tem o cuidado de o tempo todo dizer “segundo Dilma”, “se ela cumprir sua palavra” etc.

    Registrei uma declaração que, do ponto de vista jornalístico, foi importante.

    Apesar de sua agressividade e má educação, convido-a a voltar ao blog para acompanhar meu trabalho.

    Atenciosamente,

    Ricardo Setti

  • Pricila

    Acorda.. que Dilma o que, ElA é pessima não sabe nem português, não responde as perguntas, acoberta corrupção. acorda povinho, PÉSSIMA ah e é amiga do lulla.

  • Julien

    Sobre o sistema DAS (Direção e assessoramento superiores), aqueles 22000 aos quais você se refere, recomendo ler o relatório do OCDE de 2010, intitulado
    Avaliação da Gestão de Recursos Humanos no Governo, é disponivel gratuitamente neste endereço > http://www.planejamento.gov.br/secretarias/upload/Arquivos/noticias/srh/100520_estudo_OCDE.pdf.

    De fato falta transparência para a nomeação deste funcionários, mais

    1) Há no governo federal mais de 900.000 servidores públicos ativos (civis e militares). Portanto estes 22.000 representam apenas 2% de todos os servidores públicos ativos federais. Nada que possa configurar loteamento.

    2) O relatório reconhece a importância deste tipo de nomeação usada por exemplo por países da Europa,e afirma que o numero de 22.000 se encontra na media dos demais países da Europa.

    Reproduz em baixo alguns trechos do relatório:

    O sistema DAS (Direção e assessoramento superiores) compreende cerca de 22 000
    cargos, incluindo a maioria dos cargos de gerência e diretoria e posições menos seniores,
    permitindo um confortável grau de flexibilidade no sistema, dado que o acesso é aberto a
    candidatos provenientes de fora do serviço público (com algumas cotas). Esta prática está
    alinhada com a evolução nos países membros da OCDE, incluindo aqueles com sistemas
    baseados em carreiras como a Bélgica, a Coréia, a França e a Irlanda. No entanto, é
    necessário melhorar a exigência de transparência para as nomeações para estes cargos
    que, com exceção talvez dos cargos de alta administração, precisam ser sistematicamente
    baseados numa avaliação dos perfis de competência dos candidatos e procedimentos de
    recrutamento transparentes (mas nomeações de fora do serviço público podem
    permanecer). Novos processos de recrutamento para cargos DAS poderiam ser usados
    como uma experiência-piloto para modernizar o processo de recrutamento para os cargos
    mais qualificados do serviço público.

    O sistema DAS tem seis níveis e os níveis mais altos podem ser considerados como
    gestão sênior. Em março de 2009, havia 20 664 pessoas no sistema DAS comparado a
    16 000 a 17 000 nos dez anos anteriores. Destes, 4 229 estavam nos três níveis mais altos
    que são consideradas cargos de gestão, dos quais 208 no nível mais alto e 978 no segundo
    nível mais alto. O número de pessoas nestes dois níveis seniores aumentou mais de 40%
    durante os últimos dez anos.

    O sistema DAS provê ao sistema muito complexo e relativamente estático de
    carreiras um elemento necessário de flexibilidade. Suas vantagens principais são
    possibilitar a alocação adequada das funções governamentais principais e prover
    oportunidades de carreira para servidores públicos habilidosos e talentosos, independente
    de sua categoria de emprego. Ele também permite que o governo traga competências
    externas. Sua limitação principal, como discutido abaixo, é a sua falta de coerência e
    transparência.

  • Alline

    Acho incrível como esta candidata um dia enxerta um título falso no próprio currículo e no outro diz que é favorável à meritocracia. Pior é que sempre tem um desmemoriado pra acreditar nessas promessas vazias…

  • Marco

    Fecho com o nobre relator !
    Abs.

  • Tiago pereira

    É Brincadeira ve que os Brasileiros não tem inteligencia, como pode uma pessoa que nem siquer se prepara para um debate estar na frente nas pesquisas, ou será que só vão votar nela para comtinuar recebendo migalhas do bolsa familia(programa alias que é do PSDB) Sem contar que a Dilma esta sendo marionete do PT quem vai madar no BRasil é o presidete do Satanismo(seu Vice) e ainda tem coragem de dizer que o Brasil é de Jesus.
    Vamos Ser sabios, e votar em quem realmente esta preparado, e não em quem foi fabricado por ideias sem sentido.
    Que Deus Abençoe o Brasil!

  • mariaa

    e eles sabem o que é “palavra”?
    esse povo só tem compromisso com a roubalheira.

  • Marcello

    “Taí, gostei da frase do Germano Alves: “Se DiLLma se comprometer com a meritocracia, o primeiro ato é pedir demissão.” Deveria virar slogan do Serra. Muito feliz essa frase”.
    Somos dois.

  • Alice

    A meritocracia seria o passo mais acertado e um bom começo de governo. Quero ver se ela teria coragem mesmo. Outro ponto fundamental a ser mudado: o PNDH3. Isso arrasta o país para o fundo do poço e com ele sua tradição, sua cultura, seus valores, seu povo! Só de ter assinado o pndh acaba com a sua imagem, tudo o vem de dilma é mentira, ela mente para ganhar as eleições. depois que ganhar, volta atras. Dilma é fraca diante do PT. ela não vai governar sozinha a nação. Do lado dela ou no lugar dela vai os cumpanheiros! Dilma não é testa de ferro, e sim lingua mentirosa. tudo o que fala é trapaça.

  • Markito-Pi

    Teu comentário está reencaminhado a José Dirceu, Luiz Gushiken e Rui Falcão.
    Vão morrer d rir.

  • Jocelio Neves

    Veja essa:
    Hugh O’Shaughnessy – do jornal britânico Independent:
    “A ampla vitória de Dilma prevista para a próxima eleição presidencial será comemorada com encantamento por milhões. Marca a demolição final do “estado de segurança nacional”, um arranjo que os governos conservadores, nos EUA e na Europa uma vez tomaram como seu melhor artifício para limitar a democracia e a reforma. Ele sustenta um status quo corrompido que mantém a imensa maioria na pobreza na América Latina, enquanto favorece seus amigos ricos.”
    Perfeito…

  • José Carlos Colodette

    Pô, Ricardo!, uma mulher que mentiu no episódio da venda da Varig, mentiu no episódio no caso D. Nilda sobre a investigação da Receita a Sarney, mentiu no caso do Dossie D.Ruth Cardoso/FHC, mente em tudo que fala e voce me vem com essa? Sai dessa.

    Caro José Carlos, releia o post. Eu registrei que a postura de Dilma quanto a isso a afasta do Lula, e disse que vou cobrar.

  • marcos iran

    Como no Brasil tudo acaba em festa duvido que
    a Dilma consiga tal proeza, sera que tem bala na gulha para enfrentar a base do acordão duvido pois
    acordos e favores politicos parecem que é comum em Brasilia.

    Não devemos votar em quem esta tentando nos enganar, esta na cara que essa mudança de postura não vai acontecer.

  • Luzia Macedo

    A candidata a presidente Dilma disse pertencer ao serviço público ha 25 anos.
    Palavras dela no debate deste domingo.
    Ela ja fez concurso público? Quando? Para qual cargo? Foi aprovada?
    Ou será que nesses 25 anos onde ocupou vagas no serviço público foi indicada e/ou nomeada por alguém?
    Gostaria de saber a resposta, porque concorrer a eleiçao ela não concorreu, esta é a primeira.
    Qual a resposta?

  • Siará Grande

    Caro Ricardo, já que Você fez questão de registrar a promessa da PhD Dillma Russeffe de implantar a meritocracia caso seja elleita, gostaria de registrar aqui a promessa do presidente Lulla da Silva de combater a corrupção feita em seu discurso de posse de 1o. de janeiro de 2003:

    “Não permitiremos que a corrupção, a sonegação e o desperdício continuem privando a população de recursos que são seus e que tanto poderiam ajudar na sua dura luta pela sobrevivência. Ser honesto é mais do que apenas não roubar e não deixar roubar”.

    Portanto, reitero minha afirmação, meritocracia no PT significa fazer o que manda o chefão. Afinal, a madrinha da Dra. Erenice Guerra é ninguem mais ninguem menos que a PhD Dillma Russeffe. A Dra. Erenice Guerra cumpriu todas as ordens da chefe, portanto, é altamente qualificada no conceito petista de meritocracia.

  • RICARDO

    Ricardão,
    A propósito do comentário de Julien, às 10:13, decerto que a burocracia governamental impende admitir ao seu quadro de pessoal os chamados cargos em comissão de livre nomeação e exoneração pela autoridade competente.
    A questão não é essa, mas o seu número exorbitante, sim, inclusive, repito, quando cotejado com o contigente americano.
    Ademais, ao adotar como paradigma os países europeus, esquece, pois, de mencionar que o titular do cargo comissionado, diferentemente “destepaiz”, não reserva 30% de seus estipêndios para fazer caixinha do partido que o nomeou, como acontece aqui.
    Um abraço a todos.

  • Anonimo

    Ricardo

    Será que a D. Dilma percebeu que se afastou do sr. Lulla?

  • Rogerka

    As agências reguladoras poderiam ser um instrumento poderoso para o estado brasileiro. Infelizmente, quando não foram aparelhadas pelo PT, foram entregues a corruptos ou simplesmente “castradas” a fim de torná-las inócuas, devolvendo-se o poder real a algum ministério mais fácil de controlar.

  • Joabe Souza

    Concordo que essa é realmente uma questão a ser vigiada de perto pela sociedade a partir do próximo governo, qualquer que seja o presidente. É certo que o número de cargos por indicação política aumentou nos últimos anos em ritmo maior que nos anteriores, mas acho muito difícil que o novo governo, qualquer que seja, simplesmente abra mão dessa prerrogativa e mande um projeto de lei para o congresso obrigando a indicação de servidores concursados para os cargos de chefia ou extinguindo os cargos hoje existentes. É muito difícil abdicar desse tipo de poder, e é uma discussão que não interessa ao legislativo, já que os parlamentares se beneficiam muito com isso. Só com muita pressão da sociedade poderia haver alguma evolução.
    Já na questão das agências reguladoras talvez seja interessante discutir também que tão nocivo quanto os aparelhamento político é a cooptação delas pelos próprios agentes econômicos que deveriam regular, perigo que parece muito próximo do perfil defendido pela oposição.

  • Walter - Barueri

    Talvez a distância desse nobre jornalista com o poder, não tenha permitido observar o grau de profissionalismo da administração pública federal. Não existe nenhum paralelo com os modelos de gestão anterior. O Brasil que esta dando certo, deve muito a competência dessa gente.

  • cel Ciapina

    Quem não te conhece que te compre, marionete

  • sinisorsa

    “Se DiLLma se comprometer com a meritocracia, o primeiro ato é pedir demissão.”

    Germano Alves, você acaba de matar a cobra e de mostrar o pau!!!

  • LUG

    A Dilma não é de fiança. É, sim, mentirosa contumaz. Basta recorrer ao currículo dela, seu título de “doutora”, o dossiê contra FHC e d. Ruth, a conversa com a dra. Lina Vieira, e por aí vai. Portanto, se ela me diz que é dia, eu vou acender a luz, pau vira pedra e a bruxa transforma-se em fada… Acredite nela quem quiser.

  • Wilson Batista

    SIMPLESMENTE NÃO ACREDITO QUE ELA CUMPRA.

    1 – NÃO TEM PULSO,
    2 – NÃO TEM MORAL,
    3 – O PMDB NÃO VAI ACEITAR SEM ESBRAVEJAR MUITO.
    4 – O PT NUUUUUNCA ACEITARIA ISSO.

  • edimilson jose correa

    “A dilma infelismente não tem condições de gover
    nar uma nação desta proporção,o lula fez uma infe
    liz escolha”.Por isso irá para o segundo turno e
    dai vai dar SERRA,apertado. OBRIGADO!

  • edi

    “Dilma não tem condições de governar nosso país,
    isso é por varios motivos,que não vou comentar,se
    não teria espaço nessa pagina.SERRA ganha apertado
    no segundo turno”. OBRIGADO!

  • Roberto Silva

    Eu me admiro a VEJA que se diz imparcial publicar este tipo de burrice.Um elemento que escreve isto é tendencioso e safado.Ainda bem que a maracutaia do poder de vocês morreu na de um Homem de Deus.Vocês mentiram como agora,inventaram como agora e irão perder como sempre.

    Roberto,

    Faça o favor de me respeitar e não me ofender. Tenho 45 anos de jornalismo honesto, sem uma mancha sequer. “Elemento tendencioso e safado”, pelo visto, é você.

    O que fiz foi simplesmente constatar que Dilma, ao defender o mérito no serviço público, o concurso como forma de acesso, distanciou-se de Lula, que inchou a máquina do governo de gente indicada por políticos, loteou cargos e esvaziou e desmoralizou as agências reguladoras, que deveriam ser órgãos técnicos.

    “Vocês” mentiram quem, seu injuriador mal-educado? Quem são “vocês”? Não pertenço a qualquer partido, critico a quem me parece merecer criticado, sou um jornalista independente e não admito leitores

    Se for para continuar assim, dispenso, gostosamente, sua leitura.

    Vá procurar sua turma.

  • Oilfinder

    Bem ou mal, hoje temos concursos para agências reguladoras, com salários decentes. Na época de FHC, o genro (agora ex-, salvo engano) era o dirigente, e não me lembro de ninguém deste periódico criticando o loteamento de cargos entre parentes e agregados do presidente. Vários colegas meus sairam da BR para a ANP sem prestar concurso, apenas por conhecer fulano ou cicrano, ligados ao PSDB paulista.