Image
Maruja Torres em ruínas de Beirute: ainda sensível às dores do mundo (Foto: EFE)

Jornalista que acabou incursionando pela ficção, a espanhola Maruja Torres, 69 anos, cobriu dezenas de conflitos ao longo de sua carreira — da guerra civil do Líbano, país a que se afeiçoou a ponto de viver hoje a maior parte do tempo em Beirute, à carnificina na Bósnia.

É jornalista calejada, que já viu de tudo, e do pior.

Mesmo assim, a atual crise econômica, que devasta países e pessoas desde 2008, a assusta. Maruja, cujas experiências não lhe subtraíram a capacidade de ser sensível às dores do mundo, tem uma definição duríssima para uma crise tão cruel:

— É a hecatombe dos cínicos somada à conspiração dos néscios.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × cinco =

Nenhum comentário

moacir em 14 de dezembro de 2012

Setti, Quis conhecer a Maruja jornalista.Não encontrei quase nada.Para que jornal ela escreve? Tentei frases e encontrei essa pérola datada de ontem 13/12/2012: **Embestir Desde que el ministro Von Wert asumió que él es como un toro bravo,esta antitaurina probada sueña,deliro,por el deseo de convertirme en picadora,lanza en mano** Caro Moacir, ela colabora com o El País. Abraço

moacir em 13 de dezembro de 2012

Setti, Não conheço a Maruja jornalista.Li dois dos seus livros,ambos publicados em Portugal.Embora Enquanto Vivemos tenha sido premiado (com o Nadal?)prefiro Um Calor Tão Próximo.É um livro interessante.Ela recua dezenas de anos no tempo, até a Rambla da sua meninice,numa Barcelona de pós guerra.O livro não é absolutamente autobiográfico.É autocriativo. Como se ela,escrevendo-o,reinventasse a própria caminhada,tentando perdoar-se das coisas que viveu e se permitindo experimentar aquelas que esqueceu. Me lembra Cecília: **Saudosa do que não faço, Do que faço,arrependida** É louca, a Maruja,mas de uma santa loucura: serena e desesperada. E o que ela escreve é,SIM, literatura. Que legal que você também a leu, Moacir. Abraço

Pedro Luiz Moreira Lima em 13 de dezembro de 2012

Setti: Israel e EUA já passaram da hora de rever suas políticas. A pergunta que eles fazem - "Porque nos odeiam?" a resposta está no discurso final de Dwight D. Eisenhower Chefe dos Aliados na Segunda Guerra e Presidente dos EUA: " Caso não tomarmos os devidos cuidados com o Complexo Industrial Militar Americano,poderemos chorar a perda da Liberdade em nosso próprio território." O Porquê do "nos odeiam" esta no discurso final do Presidente Dwight D. Eisenhower e o resultado Coreia,Vietnam,intervenções na América Central e Latina,Iraque,Afganistão,Somália,Líbano,Faixa de Gaza... e espero que não cometam uma loucura na Síria e Iran. Esperar não cometer loucura é bom senso coisa que não existe neste Complexo Industrial Militar. Infelizmente nãos se pode dizer "AZAR O DELES" são mortes as centenas,milhares de seres humanos. Alguns infortunados dirão - é o Preço da Liberdade,pois sim! Pedro Luiz

Emilio em 13 de dezembro de 2012

Amigo Setti; Resolvemos recorrer a este estimado amigo para tirar uma duvida , claro se possível e interesse deste renomado jornalista em responder: - Os ministro do STJ estão sempre lendo. Pergunto: Quando que eles escrevem seus votos?Na madrugada? Grande abraço, e parabéns . Emilio e amigos Hahaha, boa, Emilio. Abraço

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI