Amigas e amigos do blog, com sua obsessão para controlar preços públicos, interferir em áreas como energia elétrica e petróleo, resolver sobre o que os ministros devem fazer no dia-a-dia antes de ouvi-los, pressionar o Banco Central e concentrar uma enorme carga de decisões que outros presidentes descentralizam, e supervisionam, a “gerente” Dilma Rousseff está conseguindo fazer com que o crescimento do país desabe (1% no ano passado) e a inflação comece a realmente preocupar. Vejam só:

Da Agência Estado

Inflação oficial sobe 0,86% em janeiro e é a mais alta em quase 8 anos

Em 12 meses até janeiro, o IPCA acumulou uma alta de 6,15%; problemas climáticos fizeram o preço dos alimentos subir 1,99%

A inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou em 0,86% em janeiro, ante uma variação de 0,79% em dezembro, informou há pouco o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Trata-se da maior variação mensal desde abril de 2005, quando o aumento foi de 0,87%. O índice também foi o maior para meses de janeiro desde 2003, quando a taxa foi de 2,25%.

Em janeiro de 2012, o IPCA tinha ficado em 0,56%, o que fez a taxa em 12 meses acelerar de 5,84% em dezembro para 6,15% em janeiro de 2013, afastando-se ainda mais do centro da meta estipulada pelo governo, de 4,5%.

O resultado ficou dentro do intervalo das estimativas das instituições do mercado financeiro consultadas pelo AE Projeções, que iam de uma taxa de 0,77% a 0,90%, e acima da mediana, de 0,83%. Em 12 meses até janeiro, o IPCA acumulou uma alta de 6,15%, acima do centro da meta estipulada pelo governo, de 4,5%.

Alimentos e Despesas Pessoais

Os preços dos alimentos não deram trégua neste início de ano e subiram 1,99%, puxando a alta de 0,86% na inflação medida pelo IPCA em janeiro.

A alta do grupo alimentação e bebidas ficou acima da taxa de 1,03% verificada em dezembro. O resultado foi um impacto de 0,48 ponto porcentual no IPCA, o equivalente a 56% da inflação do mês.

Segundo o IBGE, problemas climáticos reduziram a oferta de vários produtos, ocasionando fortes aumentos de preços. Os destaques foram o tomate (26,15%) batata-inglesa (20,58%), cebola (14,25%), hortaliças (10,86%) e cenoura (9,83%).

Os cigarros ficaram 10,11% mais caros em janeiro, o que fez o item registrar o principal impacto sobre o Índice IPCA. A alta, causada pelo aumento no Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), resultou em uma contribuição de 0,09 ponto porcentual para a taxa de 0,86% do IPCA de janeiro.

O item puxou a alta de 1,55% no grupo Despesas Pessoais no período, o segundo maior impacto de grupo sobre o IPCA de janeiro, embora tenha desacelerado em relação à taxa de dezembro, quando ficou em 1,60%.

Ainda no grupo Despesas Pessoais, os gastos com empregados domésticos desaceleraram de 0,82% em dezembro para 0,58% em janeiro.

INPC

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) subiu 0,92% em janeiro, após ter registrado alta de 0,74% em dezembro.

Com o resultado, o índice acumulou uma alta de 6,63% em 12 meses, acima da taxa de 6,20% acumulada nos 12 meses anteriores. O INPC mede a variação dos preços para as famílias com renda de um a cinco salários mínimos e chefiadas por assalariados.

(Com informações da Reuters)

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − catorze =

18 Comentários

Corinthians em 10 de fevereiro de 2013

Ter que ler que FHC, que montou o Plano Real, deixou como legado inflação alta, só pode ser piada. Ler que os governos petistas rejeitam os dogmas liberais, sem claro listá-los, também deve ser uma piada - se isso se referir à privatizações, podemos ver que o PT não só privatiza - tanto no governo Lulla, quanto no Dillma - como o faz com resultados pífios. Caso tente algum argumento sobre estatização e Petrobrás - os resultados sa política petista na empresa são visíveis, e também na autossuficiência. O governo Dillma enfrenta a pior crise desde 1929 ? O governo de FHC enfrentou diversas crises - não foi só uma - que teve como resultado um corte do fluxo de capital externo para os países "em desenvolvimento", e como o Brasil ainda estava construindo suas reservas internacionais (também obra de FHC) foi necessário então garantir isso através do FMI. Lembro aqui que em um ato de grande má-fé Lulla pagou a dívida com o FMI um ano antes do necessário, para fazer propaganda política. Uma dívida que tinha como juros de 4%, foi paga com a emissão de títulos que pagando juros de 8% à 12%, prejudicando a população. O goerno Lulla/Dillma enfrentou a crise que afetou principalmente os países desenvolvidos, sendo que mesmo com menos força, os países "em desenvolvimento" viraram foco dos investimentos, ocorrendo um fluxo muito maior de capital externo para estes países. Claro que o Brasil, com o baguncismo econômico causado pelo desgoverno petista, é o único a ter o ministro da Fazenda, ao invés de comemorar, criar barreiras para este investimento, na forma de aumento de impostos (no caso, o IPI para importados que causou a condenação do brasil na OMC) e ir reclamar publicamente do grande fluxo de dinheiro que o país recebe. Resultado, claro, é que de todos os países em desenvolvimento, somos o que menos cresce. Do tão aclamado BRICS, somos o único que consegue crescer menos que os países desenvolvidos que estão sim em crise. Mas está tudo bem... em uma única canetada Dillma tirou milhões da miséria, já que miserável é quem ganha menos de R$ 70 por mês, e colocou um monte de gente na classe média - afinal basta ganhar mais que R$ 300 para ser considerado desse extrato. Viva o Brasil!

Pedro Luiz Moreira Lima em 09 de fevereiro de 2013

Amigo Setti: Renato Tanzi como eu estamos felizes apesar da crise ou crises estamos navegando. Quanto a queda nos níveis de emprego - são conjenturas a toda hora dita e felizmente não sucedida e torcendo para não suceder. Abração Pedro Luiz

Renato Tanzi em 09 de fevereiro de 2013

Quando se dizia que o governo Lula alcançara índices inéditos de avanço social, com pleno emprego, inflação sob controle e crescimento dentro do razoável, a explicação da imprensa era que, diferentemente de FHC, o ex-operário se aproveitara o melhor momento da economia mundial. O sociólogo, por sua vez, tivera que enfrentar inúmeras crises externas, que o haviam levado a desvalorizar o real e pedir socorro ao FMI, deixando para seu sucessor inflação em alta e crescimento em baixa. Tudo muito bem explicado. Agora, o governo Dilma enfrenta a pior crise financeira que o mundo já viveu desde 1929, e, ainda assim, o Brasil tem pleno emprego e crescimento da renda dos trabalhadores, o que certamente explica sua alta popularidade. Onde está a coerência da imprensa e de seus "especialistas"? A resposta é mais simples do que parece: os governos petistas rejeitam os dogmas liberais e, portanto, sempre serão observados com a lupa da desconfiança. Isso pode ser tudo, até mesmo princípio ideológico, mas, no que se refere à imprensa, jamais poderá ser visto como trabalho jornalístico. Crescimento do PIB de 1% em 2012, inflação disparando, o PAC atolado... A queda do nível de emprego vai aparecer já, já, infelizmente. Se você acha bom, então fique na sua e seja feliz.

paolo em 08 de fevereiro de 2013

será que ainda é a herança maldita de fhc agindo? Sem dúvida. TUDO é culpa de FHC, inclusive o rebaixamento do Palmeiras...

Henrique Araujo em 08 de fevereiro de 2013

Sugeri ao Augusto Nunes indicar o presidente do Banco Central, Tombini, como candidato ao título HSV do mês. Provavelmente, ele não vai concordar, mas veja esta frase do sujeito no Jornal Nacional: “Compromisso nosso é total em relação à inflação. Vamos trazer de volta a inflação em uma convergência mais forte em relação a nossas metas”. É hilária pelo significado vazio. E por que ele deve ser candidato? Porque esse sujeito não tem qualquer autonomia. Só faz o que manda a gerentona.

Mario sergio pacheco de sousa em 08 de fevereiro de 2013

O nosso "Amantegado" Ministro pode esperar pelos aumentos decorrentes dos preços dos combustíveis que serão seguidos por outros como transportes.

carlos nascimento em 08 de fevereiro de 2013

Os SINAIS estão BERRANDO, inflação represada ou mascarada, indústria parada, sem alento, infra estrutura em frangalhos, baixo nível de investimentos produtivos, dívida pública na estratosfera, política cambial fora de controle, matando as empresas nacionais, sociedade civil endividada até os fios dos cabelos,acreditaram nos carnes de 60 parcelas, o deficit da Previdência Social está fora de qualquer controle, e para piorar, o ambiente político contaminado, com vários mensaleiros à porta do xilindró. Só não enxerga quem não quer, a Argentina já está no breu, o filme do congelamento de preços é velho conhecido, a Venezuela é questão de meses, quando o bufão sair da incubadora, o barco já estará à pique, por último o efeito Orloff, banânia será a Argentina ontem. Bem que a Regina Duarte avisou....ninguém acreditou, OREMOS !!!!

Marta em 08 de fevereiro de 2013

Você não leu meu comentário ou não entendeu de propósito, pois como jornalista decano você deve saber ler e interpretar texto muito bem. Eu disse que nunca chamaram os políticos do sexo masculino, especialmente os tucanos, de termos pejorativos e abaixo da função que ocupam. Agressivo é o cinismo... OK, agora vem com "cinismo". Machista, misógino, cínico etc. E sou eu o agressivo... "Nunca chamaram"? Você leu todos os mais de 5 mil posts que publiquei desde o início do blog? Leu todos os jornais, blogs, revistas e sites existentes no país? Tem gente que, mesmo antes de ler, já se dispõe atirar pedra em quem escreve.

Marta em 08 de fevereiro de 2013

Nunca vi nenhum jornalista chamar FHC, Serra ou Geraldo Alckimim de MORDOMO, SÍNDICO DE PRÉDIO OU GERENTE como os jornalista desse site fazem com a Presidenta Dilma. Isso é uma clara posição de jornalistas machistas, misóginos e desrespeitosos com a maior autoridade do país. Lamentável esse tipo de conduta de gente que deveria dar exemplo aos cidadão que os seguem. É puro preconceito de gênero, machismo e misoginia. Chamo de gerente -- JAMAIS de síndico de prédio ou mordomo, e nisso você me acusa mentirosamente do que não faço -- porque essa foi a imagem que o lulalato construiu da presidente. Não sou machista nem misógino. Tenho uma filha, que amo muito, e adoro as mulheres. Sua agressividade não se justifica.

josé roberto paranhos j em 08 de fevereiro de 2013

A pior inflação é quando ela vem acompanhada com recessão,desemprego arrocho salarial.risco país mais de 2000,taxa selic até 45%,tesouro no negativo sem os principais patrimônio público.(que saudade de fhc,fmi,malam,fraga,e Mailson)

Paulo Matter em 07 de fevereiro de 2013

Marcha da estabilidade? Com um governo claudicante e pusilânime, pautado pela ideologia retrógrada do início do século XIX ? Ahhhhhhhhhh! Tem dó, petralhada. Cinismo tem limites!

Pedro Luiz Moreira Lima em 07 de fevereiro de 2013

Setti: Então sou desprovido de neurônios - torcendo que os neurônios de vocês estejam errados mais uma vez. Abração Pedro Luiz

Pedro Luiz Moreira Lima em 07 de fevereiro de 2013

Quantas vezes li e ouvi "Agora Quebra!" - e o Brasil atravessa a(s) crise(s) especialmente com os governos petitas de Lula e Dilma - dou o direito a todos de analisarem da maneira mais catastrofista. Com PIBINHO ou sem PIBINHO a economia em frente e o desemprego em queda. Independente da cor partidária - espero que a marcha da estabilidade continue. Pedro Luiz Fica um tanto difícil a "marcha da estabilidade" continuar com a economia quase parando e a inflação subindo -- e sendo mascarada. Não é catastrofismo, basta ter alguns neurônios. E evidentemente, como brasileiro, não torço para que a coisa degringole, não. A imprensa quando liga os altofalantes é porque está preocupada com o país. Isso não é monopólio do PT, dos petistas ou do governo.

Ronaldo em 07 de fevereiro de 2013

Caro Ricardo Setti, corre na rede: Quando Deus criou o mundo resolveu oferecer 2 características aos homens para se desenvolverem. Aos suiços, estudiosos e respeitadores da lei; aos ingleses, organizados e pontuais; aos argentinos, chatos e arrogantes; aos japoneses, trabalhadores e disciplinados; aos italianos, alegres e românticos; aos franceses, cultos e finos e aos brasileiros, inteligentes, honestos e petistas. O anjo percebeu que os brasileiros foram agraciados com três e perguntou ao senhor se não ficariam soberbos. Ao que o senhor aquiesceu. Bom anjo vamos reparar: o que for petista e honesto, não pode ser inteligente; o que for petista e inteligente, não pode ser honesto e o que for honesto e inteligente não pode ser petista!

moacir em 07 de fevereiro de 2013

Setti, Mas os preços da gasolina e do diesel terão que ser novamente reajustados.A Petrobras está importando a preços 17% mais caros do que está recebendo das distribuidoras.É um a relação custo benefício insustentável.Só na área de Abastecimento o rombo pipocou para 23 bilhões em 2012.Devo confessar,a Foster me pareceu saber do que estava falando e consciente do que é servir a um governo que,em vez,não tem muita noção do que pretende fazer com os combustíveis.Ou estou sendo ingênuo? Abraço

Bruno em 07 de fevereiro de 2013

E calma, que o aumento nos combustíveis ainda não chegou às prateleiras dos supermercados!

Tucson58SP em 07 de fevereiro de 2013

UMA COLOCAÇÃO SOBRE "O FUNDO DO POÇO" O governo PT/PMDB, sob nova direção de Renan, Henrique Alvez, Eduardo Cunha, e sob a batuta de Dona Dilma, vão esgotar todos os esforços para que no mais breve possível se encontre o tão desejado FUNDO DO POÇO. Uma vez encontrado, o povo brasileiro poderá ficar mais tranquilo e confiante na certeza que o nosso país deixará de se afundar mais e mais. O Renan, alertado pelo experiente Sarney, afirmou que não será fácil encontrar esse fundo, pois o próprio Sarney cavou por 4 mandatos, assessorou o lulla por 10 anos, usou todos os recursos financeiros possíveis e não conseguiu nem chegar perto desse objetivo. Renan afirmou, entretanto, que mesmo usando de muita tecnologia e monitoramento, e com a ajuda massiva da mídia do norte/nordeste brasileiro essa não será uma tarefa fácil de realizar em apenas 2 anos, mas ele pessoalmente tem esperança de afundar o máximo possível nesse mandato para que o próximo possa começar uma nova era sobre uma base bem firme lá embaixo. Por outro lado, o STF, usando de coisas triviais, popularmente conhecidas por LEIS, tem dado sinal que esse afundamento não se dará por muito tempo. O atual presidente Min. Joaquim Barbosa e o Procurador Geral da República e o Minstério Público, embora preocupados com o tamanho do buraco, estão atuando com serenidade, o que nos dá uma sensação que esse tão almejado FUNDO DO POÇO seja atingido em breve possível, antes mesmo que termine o mandato do Renan, e possamos a partir dai começar a refazer as bases para sair desse buraco que não tem fim. O STF e o Ministério Público tem tentado eliminar os que hoje cavam sem parar sempre com a mesma desculpa de chegar ao fundo do poço, mas mesmo com toda a autoridade das leis, esse pessoal justiça ainda não conseguem remover esses cavadores que sempre lá estão cavando sem cessar.

Ronaldo em 07 de fevereiro de 2013

Quem foi que afirmou que a Dilma Roussef era uma mulher de "competência extraordinária"? R- Foi o analfabeto funcional do Lula. Como é que um sujeito que não consegue redigir um bilhete e formado na escola da transgressão tem capacidade para aferir competência ou incompetência de alguém. Esta senhora nunca me enganou e o que esperava dela já está acontecendo. A coisa vai piorar e muito!

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI