Ela teve surpreendentes, espetaculares 19.636.359 votos no primeiro turno da eleição presidencial.

Aglutinou eleitores jovens, eleitores desiludidos com os grandes partidos, eleitores desejosos de mudanças na política brasileira.

Deixou de apoiar qualquer dos dois candidatos para o segundo turno, como que se resguardando para o que então se esperava ser a deflagração de um movimento por uma “terceira força”, fora do maniqueísmo PT-PSDB e fora dos esquemas de partidos carcomidos e viciados, como o PMDB ou o PTB.

Mas, passados poucos meses da eclosão do fenômeno, onde está, o que faz e o que pensa a ex-presidenciável Marina Silva?

Há uma presidente governando e tomando decisões. Há uma inflação retomando seu ímpeto ameaçador. Por causa disso, há cortes no Orçamento que atingem até programas sociais, mas muita gente de peso afirmando que eles são insuficientes.

Há juros em alta.

Há a perspectiva de o país crescer menos do que se previa.

Há, politicamente, uma pasmaceira na oposição PSDB-DEM.

Há um movimento pela constituição de um novo partido, biônico, encabeçado pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, prestes a abandonar o DEM para juntar trânsfugas de outras legendas num tal PDB, que servirá para muitos políticos como uma espécie de pit-stop, antes de seguirem – a salvo da perda de mandato por infidelidade partidária, por se tratar de nova agremiação – cada um para seu lado, e a maioria para o lado do governo.

Diante disso, e de tantas outros temas de importância, o que tem a dizer Marina? O que ela pretende? O que ela propõe? Que fim levou a “terceira força”?

Há quase 20 milhões de eleitores que, muito provavelmente, estão se fazendo essa pergunta.

Marina precisa voltar ao palco onde foi colocada, em posição de destaque, por todos esses brasileiros.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 + 5 =

Nenhum comentário

ALCIONE em 09 de março de 2011

Caro Antonio Skoldharougs, em política cada voto é importante. Assim, um ou outro conseguido pelo "temor" (Igrejas) do inferno, outros pelo "amor" ao dinheiro (compra de votos e favores extra função parlamentar...), somados com os números das pesquisas pagas e mais os votos conseguidos pela própria competência dialética (de palco, de convencimento e de marketing...) é o que faz um candidato ser eleito ou não. Enquanto muitos candidatos não conseguem se valer de tantos "meios", os que usam continuam se elegendo e assumindo mandatos. Em política cada voto conta, não importa como conseguido. Religião é sim importante, o povo ainda vota em quem aparenta ser, antes daqueles que são, pois confiam mais naquilo que veem, do que naquilo que é (Maquiavel). Abraço.

Antonio Skoldharougs em 09 de março de 2011

Não vou pode acompanhar as respostas, vou sair do país a trabalho e só volto no fim de Março. A cia aéra ababou de colocar um AirBus a380, na pista, não tem como não lembrar do AirFrance do ano pasado, ainda mais que ele vai fazer o mesmo percurso daquele voô que não chegou. Ahh.. se tivesse ouvido a mamãe e ter sido dono de loja de tecidos não precisaria sair tanto do Brasil nessas espeluncas voadoras, más são os ócios do ofício. Shalom a todos.

Antonio Skoldharougs em 09 de março de 2011

Marina só foi ser ministra de Lula com uma segunda intenção, esqueceu de administrar a sua pasta e começou a fazer politicagem apartir dela. Faço uma reparação ao Marcelo Meireles: Marcelo só discordo da parte onde você diz (acha) que as igrejas ainda exercem poder sobre os eleitores religiosos ou religiosos eleitores, O Datafolha mostrou em uma pesquisa outubro/2010 que apenas 4,6% dos evangélicos votariam sob direção da igreja (pastor/bispo) a que frequenta e olha que são apenas 15% da população brasileira que se dizem evangélicos, sabemos que tem religiosos e agremiações religiosa que não vão às urnas, igrejas que se abstem em qualquer eleição,as Testemunhas de Jheovah é um exemplo, eles são maioria no Brasil (depois dos católicos, também não votam as Igreja Messianicas e Igrejas missionárias. todas são classificadas como igreja protestantes e se absatém do voto.

Antonio Skoldharougs em 09 de março de 2011

A máscara de Marina cameça a cair no momento em que ela defende o seu vice, um perfumista proprietário de uma grande marca nacional, na época das eleições as mídias começaram a acusá-lo de pagar uma 'miséria' para os amazonidas, seja índios ou ribeirinhos, uma exemplo muito usado na epoca, foi o valor do óleo de copaíba, que eram pagos R$50,00 por um tambor de 200 lts, ou os R$80,00 por uma tonelada de castanhas e sementes do amazonas, Marina saiu em defesa de seu vice. Pegou mal, afinal ela construira uma vida e uma reputação em defesa dos explorados do Acre e toda a região amazonica

Antonio Skoldharougs em 09 de março de 2011

Marcelo Meireles- 05/03/2011 às 1:18 Desculpe, más discordo de você, as igrejas foram as grandes derrotadas em outubro/2010. Com todas aquelas intromissões em assuntos que não lhes eram da sua competencia. Sairam derrotadas e fracas desse processo eleitoral. Shalom a todos.

ALCIONE em 05 de março de 2011

Sr. Marcelo Meireles, brilhante análise sobre Igreja e eleição 2010 no Brasil!

Marcelo Meireles em 05 de março de 2011

#Esse texto ta melhor revisado. caso postem, postem esse por favor A Marina também teve uma outra dificuldade. - Pesquisas não apontaram, mas seu crescimento na classe média se deu fortemente entre Evangélicos de classe média. Explico. Marina pertence à Assembléia de Deus. A Assembléia de Deus é a maior agremiação evangélica do país, e mãe de todas as outras igrejas pentecostais, inclusive a Universal do Reino de Deus. Pois bem, a Assembléia de Deus tem enfrentado um “racha administrativo”, fruto exatamente da participação de pastores na política. Vários deputados-pastores importantes da Assembléia de Deus tiveram dificuldades envolvidos de alguma forma no escandalo das Ambulancias. Justamente nessa época, liderados por Silas Malafaia, principal “homem de TV” dessa agremiação, um grupo começou a se separar. Hoje, esse grupo se separou mesmo da Assembléia de Deus, se denominando “Assembleia de Deus Vitória em Cristo”. Pois bem, desde os anos 80, as igrejas penteostais perceberam seu potencial de voto, muito superior às igrejas evangélicas tradicionais. Creio que 80 % dos evangélicos eleitos, sejam pentecostais. A liderança , tanto da Assembléia de Deus qto da Universal do reino de Deus, transformaram suas igrejas em verdadeiros “currais eleitorais”. Chegam a mapear por região, orientando de forma às vezes sutil, às vezes explícita; que se “vote com inteligencia”. Com isso, ao longo dos anos, formaram vários puxadores de votos municipais, estaduais e federais. - Portanto, se a Assembléia de Deus “desembarcar” numa coligação, ela detona, porque são vários puxadores de votos, chefes de verdadeiros currais eleitorais, que vão “dirigir” o voto pra o prefeito, governador ou presidente, quase que de forma unânime. No caso da Universal, a coisa ainda é mais forte. Ela havia praticamente dominado o PL. Na época do escândalo do mensalão, com o PL envolvidíssimo, Edir Macedo fundou o PR e ordenou que os bispos se filiassem. - É importante notar, que essas igrejas pentecostais maiores, no momento das eleições, constroem “links” com as neopentecostais. Isso explica por exemplo, o Pr Lincoln Portela (batista) ser aliado de longa data dos bispos da Universal na vida partidária. Eram todos do PL, hj são PR. - Como essa turma não joga pra perder, eles se aliaram com Lula em 2002 e 2006, repetindo a dose agora com Dilma. A Assembléia de Deus oficialmente apoiou Dilma, e a Universal também. Numa coligação tão ampla, puxadores de voto são cortejados. - Repare, que Serra esteve várias vezes em reunioes da Assembléia de Deus tentando abrir flancos. Na Universal ele nao abriria. Ok. Devido à sua discordancia com relaçao à esse grupo, Silas Malafaia resolveu “marcar a diferença” nessa eleição. Sendo assim, Marina Silva , assembleiana, passou a ser opção do grupo do Silas Malafaia, que a apoiou acintosamente, usando o pulpito pra pedir votos. Seu programa nas madrugadas da Band, por pouco nao vira extensão do Horário politico da Marina. - Isso durou até o dia em que foi amplamente divulgado pela internet, a entrevista de Marina no Roda Viva. Perguntada sobre sua crença no Criacionismo, ela gaguejou, se enrrolou. Perguntada se proibiria o ensino de Evolucionismo, ela disse que não, e ainda se colocou como quem ve mais Ciencia no Evolucionismo do que no Criacionismo. - Pois bem. O criacionismos é crença fundamental em todas as igrejas cristãs. Os evangélicos defendem essa bandeira ainda com mais fervor. - Caracteristica de visão politica de igrejas pentecostais = Acham correto misturar Igreja e Estado. - As igrejas tradicionais, como por ex a Igreja Adventista do 7º Dia, á qual pertenço, defendem o Estado Laico. - Sendo assim. Ao não misturar as questoes de Fé e Governo nas suas respostas sobre Criacionismo, Marina atraiu a decepção dos evangélicos de igrejas tradicionais. - Mas nas pentecostais, nas mais numerosas, foi pior. Ela atraiu a IRA !!! - Faltando 1 semana pra eleição, Siolas Mlafaia aparecia esbravejando, como é seu estilo, contra a Marina. - Ele poderia ter apoiado Dilma, mas ai; estaria no mesmo campo da Assembleia de Deus tradicional e da Universal. - Recém protagonista de uma dissidencia, ele quis se diferenciar, apoiando Serra. - Volto a lembrar, que as igrejas pentecostais se tornaram “currais eleitorais”. É praticamente uma “porteira fechada”. - Mesmo nutrindo discordancias entre si, nisso tanto o Grupo de Silas Malafaia, qto o de Edir Macedo e Assembleia de Deus são iguais. Onde o lider mandar, eles vão. - Posso afirmar com segurança, que a despeito de milhoes de pessoas sinceras que ali estão, Univesal do Reino de Deus, Assembleia de Deus e Vitoria em Cristo ( Malafaia) estão a cada dia mais se afastando de seguir Jesus, e seguindo cada vez mais seus lideres. - Assim sendo, Marina ficou chupando dedo na Hora H. - Sua frase “vamos levar 2 mulheres pro 2} turno” era possivel, era factível, até o dia em que Malafaia se irou contra suas respostas dúbias sobre Criacionismo. - Foi nesse exato momento que Marina parou de crescer, Serra deu uma melhorada nas pesquisas. - A Dilma, enrrolada nas quastoes de aborto e casamento gay, também nao detectou o porque de sua queda na hora H. O PT só se deu conta disso, qdo se confirmou o 2º turno. - Como todos puderam ver, Dilma rodeada de pastores da Assembléia e bispos da Universal, recuou na questao do aborto, e fechou a porteira nessas 2 igrejas. Não é brincadeira não. Somadas, Assembléia de Deus e Universal somam uns 12,13 milhoes de votos. Naquele pronunciamento de Dilma não havia NENHUM lider das Igrejas Tradicionais, que via de regra, deixam seus fiéis mais livres pra votar . - O Malafaia, foi de vez com Serra, chegando até aparecer no seu horario politico.. Mas não levou pra Serra mais votos do que Serra já teria no meio evangelico. - Volto a frisar que : 1 – TUDO o que eu disse, se refere mais especificamente à atuação de 3 igrejas pentecostais “lideres de mercado”. Assembleía de Deus, Universal, a Ass de Deus Vitoria em Cristo (Malafaia) - 2 - As igrejas tradicionais, incluindo a minha ( Igreja Adventista do 7º Dia ), não usam o pulpito pra pedir voto, nem fazem curral eleitoral com fiéis. - Creio eu, que somadas, essas igrejas evangelicas tradicionais, que defendem o estado laico, somam uns 2 milhoes de votos no máximo. Mais uma vez peço perdão por me alongar. Fiz assim porque acho que esseponto de vista é amplamente desconhecido a Imprensa e nos partidos tb. Menos no PR rsrs. E o PT, depois do susto, aprendeu algo tb. rsrs - Cravo com absoluta convicção, que os pentecostais foram mais decisivos na realização de segundo turno, do que o caso Erenice, que teve importancia sim; mas pro pentecostal em geral, ele pesou MENOS do que a posição da Marina sobre o Criacionismo

Marcelo Meireles em 05 de março de 2011

A Marina também terá uma outra dificuldade. Pesquisas não apontaram, mas seu crescimento na classe média se deu fortemente entre Evangélicos de classe média. Explico. Marina pertence à Assembléia de Deus. A Assembléia de Deus é a maior agremiação evangélica do país, e mãe de todas as outras igrejas pentecostais, inclusive a Universal do Reino de Deus. Pois bem, a Assembléia de Deus tem enfrentado um "racha administrativo", fruto exatamente da participação de pastores na política. Vários deputados-pastores importantes da Assembléia de Deus tiveram dificuldades envolvidos de alguma forma no escandalo das Ambulancias. Justamente nessa época, liderados por Silas Malafaia, principal "homem de TV" dessa agremiação, um grupo começou a se separar. Hoje, esse grupo se separou mesmo da Assembléia de Deus, se denominando "Assembleia de Deus Vitória em Cristo". Pois bem, desde os anos 80, as igrejas penteostais perceberam seu potencial de voto, muito superior às igrejas evangélicas tradicionais. Creio que 80 % dos evangélicos eleitos, sejam pentecostais. A liderança , tanto da Assembléia de Deus qto da Universal do reino de Deus, transformaram suas igrejas em verdadeiros "currais eleitorais". Chegam a mapear por região, orientando de forma às vezes sutil, às vezes explícita; que se "vote com inteligencia". Com isso, ao longo dos anos, formaram vários puxadores de votos municipais, estaduais e federais. - Portanto, se a Assembléia de Deus "desembarcar" numa coligação, ela detona. Por que são vários puxadores de votos, chefes de verdadeiros currais eleitorais, que vão "dirigir" o voto pra o prefeito, governador ou presidente, quase que de forma unânime. No caso da Universal, ela havia praticamente dominado o PL. Na época do escândalo do mensalão, com o PL envolvdíssimo, Edir Macedo fundou o PR e ordenou que os bispos se filiassem. - É importante notar, que essas igrejas pentecostais maiores, no meomento das eleições, constroem "links" com as neopentecostais. Isso explica por exemplo, o Pr Lincoln Portela (batista) ser aliado de longa data dos bispos da Universal na vida partidária. Eram todos do PL, hj são PR. - Como essa turma não joga pra perder, eles se aliaram com Lula em 2002 e 2006, repetindo a dose agora com Dilma. A Assembléia de Deus oficialmente apoiou Dilma, e a Universal também. Numa coligação tão ampla, puxadores de voto são cortejados. - Repare, que Serra esteve várias vezes em reunioes da Assembléia de Deus tentando abrir flancos. Na Universal ele nao abriria. Ok. Devido à sua discordancia com relaçao à esse grupo, Silas Malafaia resolveu "marcar a diferença" nessa eleição. Sendo assim, Marina Silva , assembleiana, passou a ser opção do grupo do Silas Malafaia, que a apoiou acintosamente, usando o pulpito pra pedir votos. Seu programa nas madrugadas da Band, por pouco nao vira extensão do Horário politico da Marina. - Isso durou até o dia em que foi amplamente divulgado pela NET, a entrevista de Marina no Roda Viva. Perguntada sobre sua crença no Criacionismo, ela gaguejou, se enrrolou. Perguntada se proibiria o ensino de Evolucionismo, ela disse que não, e ainda se colocou como quem ve mais Ciencia no Evolucionismo do que no Criacionismo. - Pois bem. O criacionismos é crença fundamental em todas as igrejas cristãs. Os evangélicos defendem essa bandeira ainda com mais fervor. - Caracteristica de visão politica de igrejas pentecostais = Acham correto misturar Igreja e Estado. - As igrejas tradicionais, como por ex a Igreja Adventista do 7º Dia, á qual pertenço, defendem o Estado Laico. - Sendo assim. Ao não misturar as questoes de Fé e Governo nas suas respostas sobre Criacionismo, Marina atraiu a decepção dos evangélicos de igrejas tradicionais. - Mas nas pentecostais, nas mais numerosas, foi pior. Ela atraiu a IRA !!! - Faltando 1 semana pra eleição, Siolas Mlafaia aparecia esbravejando, como é seu estilo, contra a Marina. - Ele poderia ter apoiado Dilma, mas ai; estaria no mesmo campo da Assembleia de Deus tradicional e da Universal. - Recém protagonista de uma dissidencia, ele quis se diferenciar, apoiando Serra. - Volto a lembrar, que as igrejas neopentecostais se tornaram "currais eleitorais". É praticamente uma "porteira fechada". - Mesmo nutrindo discordancias internas, nisso tanto o Grupo de Silas Malafaia, qto o de Edir Macedo e Assembleia de Deus são iguais. Onde o lider mandar, eles vão. - Posso afirmar com segurança, que a despeito de milhoes de pessoas sinceras que ali estão, Univesal do Reino de Deus, Assembleia de Deus e Vitoria em Cristo ( Malafaia) estão a cada dia mais se afastando de seguir Jesus, e seguindo cada vez mais seus lideres. - Assim sendo, Marina ficou chupando dedo na Hora H. - Sua frase "vamos levar 2 mulheres pro 2} turno" era possivel, era factível, até o dia em que Malafaia se irou contra sua respostas dúbias sobre Criacionismo. - Foi nesse exato momento que Marina parou de crescer, Serra deu uma melhorada nas pesquisas. - A Dilma, enrrolada nas quastoes de aborto e casamento gay, também nao detectou o porque de sua queda na hora H. O PT só se deu conta disso, qdo se confirmou o 2º turno. - Como todos puderam ver, Dilma rodeada de pastores da Assembléia e bispos da Universal, recuou na questao do aborto, e fechou a porteira nessas 2 igrejas. Não é brincadeira não. Somadas, Assembléia de Deus e Universal somam uns 12,13 milhoes de votos. - O Malafaia, foi de vez com Serra, chegando até aparecer no seu horario politico.. Mas não levou pra Serra mais votos do que Serra já teria no meio evangelico. - Volto a frisar que : 1 - TUDO o que eu disse, se refere mais especificamente à atuação de 3 igrejas pentecostais "lideres de mercado". Assembleía de Deus, Universal, a Ass de Deus Vitoria em Cristo (Malafaia) - As igrejas tradicionais, incluindo a minha ( Igreja Adventista do 7º Dia ), não usam o pulpito pra pedir voto, nme fazem curral eleitoral com fiéis. - Creio eu, que somadas, essas igrejas evangelicas tradicionais, que defendem o estado laico, somam uns 2 milhoes de votos no máximo. Mais uma vez peço perdão por me alongar. Fiz assim porque acho que esseponto de vista é amplamente desconhecido a Imprensa e nos partidos tb. Menos no PR rsrs. E o PT, depois do susto, aprendeu algo tb. rsrs - Cravo com absoluta convicção, que os pentecostais foram mais decisivos na realização de segundo turno, do que o caso Erneice, que teve importancia sim. mas pro pentecostal em geral, ele pesou MENOS do que a posição da Marina sobre o Criacionismo

Marcelo Meireles em 04 de março de 2011

Exatamente, Alcione. Mas não creio que Dilma chamaria a Marina pra ser ministra. As 2 viviam brigando rsrsrs. Por ter apoiado o PT no Acre ( os irmãos Viana ), a Marina bem que poderia dar a seus eleitores uma noção de como seria uma administração sua, sendo prefeita de Rio Branco. Poderia ser uma vitrine pra ela, mesmo Rio Branco sendo uma capital pequena. Mas , sinceramente... tenho grande dose de certeza de que na pratica, ela não faria nada de mais.

ALCIONE em 04 de março de 2011

Concordo com o Marcelo. A Marina não tem condições de governar um pais tão grande como o Brasil. O povo votou nela por uma questão de que o outro candidato (Serra) era tão ruim que votar na Marina era o que restava, mas votaram torcendo que ela não ganhasse. Marina É UMA BOA SENADORA. SÓ! Ela perdeu de não ter apoiado diretamente a Dilma no 2º turno, provavelmente votou na Dilma, assim poderia contar com o PT, o Lula e a Dilma para garantir, por ex. a prefeitura de Rio Branco, no Acre. Ganharia fácil! Não teria sumido, mas seria uma das ministras da Dilma. Vai acabar sumindo politicamente!

Corinthians em 04 de março de 2011

Falando em prol da causa verde, mas como bem dito em uma reportagem da Veja, ela tem um coração bem vermelhinho. Vimos que ela conseguiu ser mais boazinha com o PT durante a campanha do que o próprio Serra. Muito bom o comentário de Lúcia - Gyn - 03/03/2011 às 11:29 "Marina pode até ter saído do PT, mas o PT nunca sairá dela."

Marcelo Meireles em 03 de março de 2011

Marina só sabe falar de 1 tema com profundidade : Meio Ambiente. E ainda assim, frequentemente escorrega pro fundamentalismo ecológico. Marina levanta discussões super pertinentes, e que a cada dia se tornarão mais relevantes. Mas só. Se ela ganhasse, precisaria das mesmas forças de apoio de Dilma (PT. PMDB, PSB, PDT ) ou Serra (DEM,PPS, PMDB). Ou seja. Não tinha estofo político para este momento. Quem votou nela, votou numa miragem. Marina é uma espécie de "fuga" de uma parte da Classe Média, que é altamente pretensiosa quanto a "lançar tendências". Com todo o respeito, seria uma irresponsabilidade eleitoral colocar Marina na Presidencia.Ela ainda não amadureceu politicamente. Não está pronta. Tem menos recursos pessoais e políticos do que Collor tinha em 1990. - Vc pergunta sobre a volta da Inflação - Ela comenta rasamente por 10 seg, e tome meio ambiente, economia sustentável e afins - Vc pergunta sobre "Comissão da Verdade", ou Pré-Sal, ou Política externa, ou qualquer outro assunto; a resposta será rasa, curta e , volta pro meio ambiente. - Só os baladeiros alienados metidos a indignados com "tudo isso que está aí", os "Cansei", os "ecologicamente corretos" que falam mas não abrem mão de produtos poluentes; é que embracaram nessa lenda chamada Marina. - A opinião de Marina sobre os fatos políticos atuais ? Se ela tiver, são opiniões rasas. Ela só sabe 1 tema. - Ser presidente é muito mais amploe complexo do que falar bem de 1 só tema - -

Jefff em 03 de março de 2011

Declaração do Delegado Protógenes, que transcrevi dos arquivos da Rádio Câmara: “... não posso deixar ausente os agradecimentos a esses grandes brasileiros que desempenharam papel importante a trazer esses dois eventos para o Brasil (Copa e Olimpíada), que é o presidente de honra da Fifa, doutor João Havelange, e nosso presidente, Joseph Blatter – e por que falo nosso presidente? Porque pertenço à comissão de segurança de estádios da Fifa. Ao nosso presidente da Confederação Brasileira de Futebol, incansável lutador e abnegado pelas causas do futebol brasileiro, doutor Ricardo Teixeira, que enfrentou desafios do futebol internacional. E não posso deixar de lembrar o desempenho do nosso presidente da Federação Paulista de Futebol, doutor Marco Paulo Del Nero. Homens esses que têm profunda identificação com o futebol brasileiro; homens esses que dedicam as suas vidas para que façamos um bom evento aqui no Brasil.” Admirador do Havelange e do Ricardo Teixeira, que dominaram e dominam o futebol brasileiro há quase meio século e o mantêm na indigência, na falta de transparência e na bagunça que todos conhecemos... Que beleza! Eles devem se merecer.

Prof Helena em 03 de março de 2011

Não pensa nem propõe. A 3a. via era mais uma pugilista para reforçar os ataques a Serra.

Rodrigo em 03 de março de 2011

Essa figura não existe. Não passou de uma quinta coluna do PT durante a campanha.

Tito em 03 de março de 2011

A menina maluquinha está onde deveria estar, no ostracismo. Aliás, nunca deveria ter saído.

J.B.CRUZ em 03 de março de 2011

MARINA SILVA: ESTRELA-CADENTE da política brasileira,.VEIO,VIU e SUMIU!!!

Markito-Pi em 03 de março de 2011

Volto para outro assunto, mas aproveito e grito: Marina Silva é uma farsa que merece condescendencia. Fim. A irmã do Chico acordou e chutou o emir da ignorancia para seu canto. O irmão do Eder Sader nunca valeu nada. Sugiro a este boçal que arranje emprego no programa de Sonia Abrão, para falar de sociologia. Ao nível dela. E que o deslumbrado Lula, bata palmas. Agora só falta demitir a plagiadora Chauí de qualquer emprego publico. Que v´pa dar aulas na Uniban, aquela da Geise.....

Markito-Pi em 03 de março de 2011

Vou destoar. Marina era apenas uma esperança. Apenas um retrato na parede, como queria Drummond. Está no lugar que quase merece: um ícone. E aí para tudo.Marina NÃO tem estofo, competencia ou qualquer coisa para ser mais que vereadora. Marina é banal e repetitiva. Com tudo o que lhe atribuiram, com endeusamento idiota e xiita dos ecólogos, com a biografia de integridade, conseguiu conviver na mesma agremiação de José Sarney Filho, convenhamos: não conseguiu elevar este à sua (dela ) condição. Desceu à dele. Perdão, verdes, mas não dá para levar Vocês a sério enquanto este sarney estiver no teu partido.

Lúcia - Gyn em 03 de março de 2011

Concordo com o comentário do José Fernando, 02/03/2011 às 22:11. Marina está mesmo calada e econdidinha, em momentos difíceis essa é a postura dela, como foi, por exemplo, à época do Mensalão. Marina pode até ter saído do PT, mas o PT nunca sairá dela.

Lílian em 03 de março de 2011

Até o site oficial de Marina está assimmm...."sem grande movimentação", http://www.minhamarina.org.br/home/home.php

Rodrigo em 03 de março de 2011

Você cobrando democracia, SérgioD? O seu Lula é amigo do Khadafi, rapaz. O seu Lula defende a ditadura cubana. Ora, ora...

Skander em 03 de março de 2011

Ela continua lá no PV brigando com a reestruturação do partido para capitalizar o tal legado de votos da última eleição. Por mim pode continuar desaparecida assim como o Apedeuta (que virou garoto propaganda da LG)...

Perola em 03 de março de 2011

Eu ia escrever,mas depois de ler o José Fernando das 22;11,nem é necessário - ele disse tudo.Assino em baixo.

Paulo Bento Bandarra em 03 de março de 2011

Creio que ela é dispensável. Não parece ter propostas consistentes de verdade, apenas "boas intenções"! E delas, o inferno está cheio, diz o ditado popular.

Marco Antonio (Curitiba - PR) em 03 de março de 2011

Por falar em entidades, Setti, veja só o tamanho da asneira que Dino da Silva Sader tuitou psicografando Lula: “Não haverá democracia no Brasil, enquanto os políticos tiverem medo da imprensa.” Não tem jeito... Pra essa turma só haverá Céu quando Banânia virar Albânia.

JT em 03 de março de 2011

Vejo na Marina uma personagem com discurso raso e imutável, embora de apelo popular. Se ela ficar exposta sempre, isso será verificado pela maioria, que perderá o interesse por ela. É como a série de James Bond: todos os filmes (campanhas) são praticamente iguais, mas o período de 007 na geladeira (orientado pelos produtores da franquia) serve para aguçar o interesse da audiência pelo próximo lançamento, quando a mesmice é revestida de novidade.

Rosa Maria Pacini em 03 de março de 2011

Setti, segundo notícias mais recentes, a Marina Silva está preparando a "refundação" do PV em convenção prevista para Abril, visando exatamente apresentá-lo como terceira via. Por outro lado, ela está preparando também o lançamento do Instituto Marina Silva, voltado para a educação ambiental e formação política, tendo como público-alvo prioritário os evangélicos. Mas percebe-se também uma movimentação em direção ao público jovem, seja através de atuações em aulas inaugurais, seja por ter seu micro blog como um dos mais populares no Twitter, seja por sua aparição em feiras como a Campus Party e Fashion Week, por exemplo.

observador 100 em 03 de março de 2011

Perfeito o comentário do José Fernando. Conclusivo!

Rielda Cecília Lobato Rodrigues em 03 de março de 2011

"Uma vez Flamengo,Flamengo ei de ser,etc,etc" ... Tenho prá mim,que a Marina "foi fogo de palha", "uma vez petista,petista até morrer"... Duvido que ella não viu o que estava acontecendo,e pior, o seu silêncio atual deixa uma pergunta no ar:ella foi conivente,boi de piranha,para o seu antigo líder,o Barba,para atrapalhar Serra e ajudar a Demotralha ganhar?? Não se trata desta maneira, 20 milhões de eleitores,é um descaso de fazer dó!

Reidson em 03 de março de 2011

Pra mim fica cada vez mais claro que a Marina foi usada pela oposição e pela mídia para levar a eleição para o segundo turno, uma vez que o Serra não subia nas pesquisas. Depois de ser usada foi descartada como um bagaço de laranja. Não se esqueçam também do Plínio de Arruda... aquela múmia que ia fazer piada nos debates e não teve nem 1% de votos. Outro personagem que desapareceu depois da campanha foi a Soninha Francine, que abocanhou um cargo comissionado depois de tanta "luta ideológica". E o Índio da Costa? Nunca mais voltou na rocinha... e a bolinha de papel? E Erenice? E o Paulo Preto? É tanta gente... e tão poucas propostas políticas.

sidney em 03 de março de 2011

Setti O Sr Jose Fernando ( 22:11 ) - acertou na ; moita...... !!! Parabens a ele pelo comentario !!! Abracos

sidney em 03 de março de 2011

Setti Ela esta esperando uma boquinha nao ???? Vamos esperar e saber ok !!! Abracos Ps: Gostei da obs - pasmaceira das oposicoes - ; na mosca !!!!

Pimenta em 03 de março de 2011

Caro Setti: Quando ela aparecer, nada mais fará do que enaltecer o fato de o Brasil - pela primeira vez eleger uma mulher para presidir o País e outros blás, blás, blás. Melhor continuar em seu canto, calada, do que vir à publico dar cobertura a esse governo que já iniciou, enganando.

Mauro Pereira em 03 de março de 2011

Caro Ricardo Setti, boa noite. Por mais que eu tenha me esforçado ao longo desses mais de 50 anos, não consigo corrigir um defeito que às vezes me leva a cometer injustiças e, consequentemente, ao constrangedor pedido de desculpas: a eterna desconfiança. No caso específico da ex-senadora, mas eterna petista, jamais acreditei que ela houvesse realmente reavaliado sequer os seus conceitos políticos, quanto mais o seu conteúdo ideológico. A preocupação do caro amigo me faz acreditar que no peito da defensora do verde jamais deixou de bater um coração vermelho, e de cinco pontas! Seu posicionamento muito além do superficial no segundo turno das eleições presidenciais sucedido por essa retirada estratégica, me dá o direito de colocar sob suspeita a sua saída do PT, onde detinha liderança das mais consolidadas e gozava de imenso prestígio junto ao ex-presidente e poderoso chefão da legenda. Teria sido somente a súbita determinação de salvar os índios e as árvores que a levaram a colocar em risco sua carreira política, das mais promissoras, diga-se, se aventurando em uma eleição sabida, de antemão, perdida? Haviam interesses outros além de yanomamis e buritis a serem salvos, caro amigo. Como toda mentira é tão aleijada que nem perna tem, por pouco o tiro não saiu pela culatra. O inesperado e espetacular desempenho da sua candidatura obrigando a realização do segundo turno, mais do que surpreendente, causou verdadeiro pânico nas hostes amigas, obrigando até mesmo o ex-presidente a lançar mão de expedientes poucos republicanos e a abandonar o emprego para dedicar-se a arte de endividar o País, com especialização em liderança de facção e mestrado em animação de palanque. A “cacica” do verde tinto, por pouco não deu um tiro nos dedões seu e de seu chefe. A pajelança deve ter atravessado madrugadas intermináveis!

lucia s em 03 de março de 2011

Infelizmente e aparentemente, Marina foi um fogo fátuo no processo eleitoral. Uma pena. Será que " está se guardando para quando o carnaval chegar"???????????

Memyself em 02 de março de 2011

Faz realmente diferença o que Marina pensa? Se ela se manifestar, vai ser apenas mais uma manifestação a favor do governo pt.

Jose Fernando em 02 de março de 2011

Caro Ricardo, oportuníssima sua matéria. Marina Silva continua no lugar onde sempre esteve durante toda a corrida presidencial, principalmente quando assuntos polêmicos dominavam os debates: escondida atrás da moita. Conseguiu à época desagradar até mesmo os evangélicos, que a princípio viam nela, sua representante natural, por questão de empatia, ao não se manifestar (ficar atrás da moita) sobre a descriminação do aborto e a exploração da religião durante a campanha. Ela tinha como adversária sabidamente a mulher que causou sua saída do PT, por incompatibilidade ideológica, porem jamais foi alem de fazer algumas insinuações oblíquas sobre os atropelos sofridos pela sua pasta, preterida pela própria Dilma, favorável a construções de usinas, estradas, etc, de maneira não tão sustentável quanto gostaria a Verde. Marina poupou Dilma e atacou Serra. Tinha um objetivo claro. Disputar o segundo turno com Dilma. Falhou feio. Omitiu informações a seus seguidores. Tinha argumentos para questionar muitos dos projetos de Dilma. Não o fez. Talvez atacar Dilma, falar sobre o que sabia, seria atacar a ela mesma, que fora governo por vários anos. Para finalizar, alem de omissa, foi oportunista. Percebeu que sua conduta, de apenas entrar na briga pra ajudar a bater, depois que a vítima já estava cambaleante, via de regra, a vítima era José serra, começava a dar resultado, decidiu não decidir nada, apenas contestar decisões alheias. Marina Silva, sua postura omissa objetiva proteger seus 19 milhões de votos, certo? Pois se assim você os conquistou, assim os manterá, certo? Surpresa!!! Esses votos não lhe pertencem. Em 2002 foram de Ciro Gomes e Garotinho; em 2006 de Heloisa Helena e Cristovam Buarque (Alkmin abocanhou uma parte deles); em 2010 migraram para Marina Silva. Nas próximas eleições, de quem serão? Quem os conquistarão? São votos itinerantes, migratórios, inteligentes, contestatórios e exigentes a procura de uma VOZ que os represente. O passado mostra o que se deve fazer para NÃO manter esses votos. Ficar atrás da moita é uma delas.

cacalo em 02 de março de 2011

desculpe-me peal sinceridade, uma chata de galochas, sem nenhuma proposta viável

SergioD em 02 de março de 2011

Ricardo, não meti o dedo nessa confusão causada pelo prefeito de São Paulo em sua obsessão de abandonar o DEM pois sou do Rio e acho que não devo meter o bedelho em casa alheia. Mas cá pra nós, será que ele acha que o ex-PFL não é tão democrático assim? Se lembrarmos de onde saiu o PFL, do PDS (ex-ARENA), veremos que democracia não era lá um dom muito cultuado por aquela turma. Já tivemos em nosso histórico partidário um PDS, um PDC, um PDT e agora um PDB. Responda rápido: Quem será mais democrata: o PDB ou o DEM? Só pode ser gozação, não? Quanto a ministra Marina, acho que ela está com o mesmo problema do Serra: está na MUDA. Assim como a oposição. Um abraço

Lílian em 02 de março de 2011

Setti, eu tenho as minhas dúvidas, será que Marina está no Brasil? Abraços!

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI