Ficam criticando os colunistas, como este aqui, que estabelecem comparações entre o ex-presidente Lula e a presidente Dilma Rousseff – que seriam precipitadas e, sobretudo, mal-intencionadas.

Mas vejam vocês. Em sua primeira viagem internacional depois de assumir o governo, hoje, segunda-feira, 31, em meio a uma intensa agenda que incluiu reunião de quase duas horas com a presidente Cristina Kirchner, discursos de parte a parte, encontro com outras autoridades e a assinatura de 15 convênios, inclusive um sobre cooperação nuclear para fins pacíficos, a presidente fez questão de encontrar-se com a associação Mães e Avós da Praça de Maio – grupo de senhoras que há três décadas quer saber o paradeiro de filhos e netos entre os 30 mil desaparecidos durante a feroz ditadura militar que assolou a Argentina entre 1976 e 1983.

Em contrapartida, durante sua última visita a Cuba, em março do ano passado, Lula confraternizou com o ditador Raúl Castro enquanto um dissidente morria de greve de fome e comparou os opositores do regime que lançam mão desse recurso extremo a bandidos comuns.

Dilma encontrou-se com as incansáveis Mães e Avós da Praça de maio na Casa Rosada, sede do governo argentino, e diz ter sido recebido com “muito carinho” por elas.

Demonstrando estar emocionada, a presidente, aparentemente referindo-se ao período em que foi presa e torturada sob o regime militar, mas sobreviveu e reconstruiu sua vida, observou, em rápida entrevista a jornalistas antes de embarcar de volta para Brasília:

— Acho que elas identificaram em mim o que elas perderam ao longo dos anos.

A ativista de direitos humanos Estela DeCarlotto, presidente do grupo de senhoras, por sua vez, assinalou:

— Compartilhamos com ela a história de seu país, ela que foi vítima da ditadura militar brasileira e sabe o que fala quando o tema é direitos humanos. Dilma fez a gentileza de pedir o encontro e compartilhamos com ela nossas histórias de vida, de luta, de busca da verdade.

Estela há 33 anos busca notícias do neto, desde que a filha dela, Laura, foi presa, grávida, por um grupo de militares. O bebê nasceu no cativeiro, levado para local desconhecido e Laura, libertada em seguida, foi assassinada.

Acho que uma presidente que procura gente assim numa viagem ao exterior, em vez de abraçar tiranos sanguinárioa como Raúl Castro ou Ahmadinejad, do Irã, merece registro.

Quem faz diferente, acaba fazendo diferença.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × três =

Nenhum comentário

carllos nascimento em 01 de fevereiro de 2011

Carissimo Ricardo Setti, Tenho por sua inteligência o maior respeito, tenho por sua índole admiração, mesmo não podendo usufruir do convivio pessoal, apenas virtual, objeto de SONHO, quem sabe um dia possa vir realizar, estamos em patamares díspares, vc é uma Celebridade do mundo jornalistico, eu apenas um simples cidadão, cheio de indignação com os rumos politicos e morais do País, que graças a sua generosidade, nos permite extravasar um pouco dessa revolta em sua Coluna, hoje uma referência em valores de esperanças e conhecimento. Temos muito o que aprender, todos nós, as vezes as palavras soam fortes, as vezes somos exigentes,é assim mesmo, quando PREZAMOS alguém, quando temos RESPEITO por alguém, exigimos demais e queremos que as SINERGIAS ocorram em mesma velocidade. As vezes avançamos em demasia, queira desculpar-me se isso foi cometido,agora, tanto eu como vc já estamos com vários cabelos brancos, as experiências vivenciadas nos deram ao longo do tempo a capacidade de antever certos movimentos, no teu sacerdócio vc tem a capacidade de inspirar e também travar, chamam isso de clarividência, portanto, no atual contexto da vida temos obrigação de arriscar, sempre. EU não tenho a menor dúvida de que lado vc milita, posso afirmar sem o menor medo de errar, vc atua em favor da MORALIDADE, em favor do EQUILIBRIO, em favor de JUSTIÇA, sem exaltação de bajulação, nem eu e nem vc precisamos disso, porém, PRECISAMOS MUITO DE SEU APOIO, temos pouquissimos neurônios no País com essa ISENÇÃO de julgamento, as vezes eu não consigo entender à sua verve recatada e por demais bondosa com os pulhas, esse pessoal não são merecedores desse tipo de tratamento, a linguagem que êles compreendem bem é a dos ilicitos e da imoralidade. Não quero pautá-lo, não é isso, mas as vezes eu acho que se perde oportunidade de FOCAR o ponto exato, vou dar um pequeno exemplo disso que tento explanar, veja: No caso do Silvio Santos, está claro que foi um GOLPE, diante da sua inteligência, não vejo necessidade de DESENHAR, vc apenas está informando o ocorrido, sem emitir o valor de juízo, o que acho errado, vc é um propulsor de INSPIRAÇÃO ou é um PROPULSOUR apenas de informação. É isso. Respeitosamente e com apreço. Abração Carlos Nascimento. Grande Carlos, Obrigado por suas belas palavras a meu respeito. Muitas delas totalmente imerecidas. E eu não sou celebridade jornalística, não... Pode me pautar à vontade. As sugestões são sempre benvindas. Eu não estou baixando o porrete na operação da venda do banco do Silvio Santos por uma razão simples, que não pretendo ocultar de você nem de ninguém aqui no nosso blog: não conheço os detalhes. Não posso sair dando opinião, sobretudo negativa, sem isso. Vou tentar decifrar o que houve para poder seguir no rumo que você sugere. Abração

Paulo Bento Bandarra em 01 de fevereiro de 2011

Desculpe, mas é muito diferente procurar as mães da praça de maio do que os dissidentes cubanos. Isto nós estamos para ver. Se Lula não as recebeu foi porque elas não pediram. Certamente ele fariam umas fotos do lado delas. Não faria com os dissidente venezuelanos, iranianos ou cubanos. E duvido que Dilma faça também. Assim como duvido que Dilva vá ao Camboja, aos Gulacs e as fossas de mortos na China por Mao! Caro Paulo, não há do que se desculpar, não. Eu também espero -- e vou cobrar -- que a presidente, se for a Cuba (o melhor mesmo seria não ir...), se aviste com os dissidentes democráticos da ditadura dos irmãos Castro. Ou os oposicionistas da Venezuela. Ou os pobres e extremamente corajosos dissidentes iranianos que ainda não foram mortos ou encarcerados. Um abração

SergioD em 01 de fevereiro de 2011

Ricardo, a reunião da Presidente Dilma com as Mães e Avós da Praça de Maio produziu as mais belas e significativas imagens das relações exteriores do Brasil nos últimos tempos. Para completar o bom início de ano só falta o STF decidir pela extradição do Sr. Cesare Batisti. Vamos torcer. Grande Abraço Perfeito seu comentário, SergioD -- sempre enriquecendo o blog. Obrigado! Abraço

Roberto Xavier em 01 de fevereiro de 2011

Certamente, Dilma também confraternizou com as vitimas e com os parentes das vitimas dos terroristas argentinos daquele período. Não é mesmo? Ou vitimas só são aquelas que são lesadas pelos militares? Ou a morte dolorosa e cruel só se estende seu braço sobre terroristas e não tem o mesmo efeito sobre cidadãos comuns?

vera scheidemann em 01 de fevereiro de 2011

Ainda acho que é meio cedo para elogiar, principalmente porque não votei na Dilma e detesto o PT, mas, sejamos justos, por en- quanto ela está adotando medidas bem simpáticas e corretas. Continuo na torcida ! Um grande abraço ! Vera

Joe em 01 de fevereiro de 2011

Mais ou menos... Qualquer encontro com ativistas cubanos e iranianos constrageria os governos locais. Um encontro com as Mães e Avós da Praça de Maio não constrange ninguém porque elas são cabos eleitorais da Cristina. Até o Lula e o Celso Amorima poderiam promover um encontro com elas. Quero ver se ela vai se encontrar com grupos espinhosos para os governos locais quando visitar Cuba, China, Rússia, Venezuela... O Irã parece ser carta fora do baralho agora, mas caso ela dê as caras por lá...

carlos nascimento em 01 de fevereiro de 2011

Ricardo, Estou verificando que o João Santana está colhendo frutos em sua estratégia de marketing, até vc anda suspirando, bem eu já adquiri vacina há bastante tempo. Aproveito para oferecer um convite, que tal almoçar com o Celso Arnaldo ? Carlos Nascimento. Amigo Carlos, não faça pouco da minha inteligência, tá? É só isso que digo, por ora, junto com o meu Abração

J.B.CRUZ em 01 de fevereiro de 2011

CALMA GENTE!!SETTI mais uma vez foi felicíssimo em seu comentário: DILMA não è LULA...Não vai ser de uma hora para outra que a nossa Presidente(a)vai se desvenciliar da sombra de lula..Primeiro ela não pode ser ingrata com o EX, pois foi ele que a colocou lá..Mas, já dá para notar que devagar, bem devagarinho,DILMA vai impondo suas vontades e seus planos..É muito difícil, principalmente para ela, mudar as coisas de uma hora para a outra,afinal foram 8 anos de discursos inúteis e promessas eleitoreiras onde o BRASIL ficou mais vagabundo em detrimeto do trabalho..Com Dilma já dá para vislumbrar um País mais justo e honesto para com seu povo..Vamos dar 2 anos,e não 100 dias para a nossa PRESIDENTE(A) colocar realmente o BRASIL nos trílhos...

Pedro Luiz Moreira Lima em 01 de fevereiro de 2011

Amigo Setti: Só tenho a dizer que o Movimento Mães e Avós da Praça de Maio, um movimento de mulheres não desesperadas mas sim de mulheres convictas,corajosas tanto na procura de seus desparecidos 30.000,como também num enfrentamento contra uma ditadura ASSASSINA E CRIMINOSA,COMO TODAS AS DITADURAS O SÃO. Abraços a vc Pedro Luiz

Carlos Costa em 01 de fevereiro de 2011

Li uma notícia a pouco,mas não sei se é verdadeira. Dilma,mandou pintar o Congresso Nacional Brasileiro na cor rosa? Segundo dizem; quando do encontro com Cristina,ela ficou encantada com a Casa Rosada.

Carlos Costa em 01 de fevereiro de 2011

Vem ai o Bolsa " PRAÇA DE MAIO "

observador100 em 01 de fevereiro de 2011

Caro Setti Permita-me discordar de voce mais uma vez. Não acho absolutamente nada demais a presidente se encontrar com as mães da praça de Maio se na sua comitiva, e no seu governo, está o indefectível Marco Aurélio Garcia, amigo de todos os ditadores e tiranos do planeta. Se a postura fosse outra por que a presidente ratificou a decisão do "menas" de não extraditar o Battisti ? Na minha opinião a única coisa que mudou foi a "embalagem". Sem falar nos concahvos com a escória da política nacional. Espero que não seja o ponto de apoio para o início da mudança "estratégica" da VEJA. No blog já começam a vicejar as "FAFA's".Vigilância sempre!! Abraço Caro amigo, não há nenhuma "mudança estratégica" em curso em VEJA, e, se e quando houver, ela não terá jamais como ponto de apoio meu modesto blog. Os colunistas são independentes, emitem sua própria opinião, que não precisa coincidir com a da revista. Quanto ao encontro da presidente com as Mães e Avós, continuo achando muito positivo. Mas concordo com você: gostaria -- e vou cobrar -- de vê-la se avistando com dissidentes, se e quando for a Cuba. Abração e obrigado por prestigiar o blog.

Siqueira em 01 de fevereiro de 2011

Há um ponto que não pode ser esquecido, as mães e avós da Praça de Maio desde sempre apoiaram a ditadura cubana, enfaticamente.

ptsauro em 31 de janeiro de 2011

Desculpe, mas acho q vc está sendo muito otimista com a "dotôra". Aposto que numa eventual visita à Isla de Cuba ela se limitará às photo op sorridentes com o Raul e Fidel (se vivo ainda) e só. Encontro com as "Damas de Blanco"? Duvide-o-dó! No fundo a "dotôra" de araque é só mais uma esquerdopata no universo PeTralha e a permanência do asqueroso top, top Garcia nas RE confirma o fato. Em todo o caso, a conferir...

Celina em 31 de janeiro de 2011

http://www.perfil.com/contenidos/2010/09/29/noticia_0001.html Hebe de Bonafini, a mais mediática das maes da pra¿a, nao é muito amante da democracia, como tem demonstrado ultimamente. Nem tudo que brilha é ouro... Essas mulheres sofreram tanta barbaridades e presenciaram tanta injustiça que temos que compreender seus momentos de exaltação. Até onde sei, Hebe Bonafini joga as regras do jogo democrático. Abraços, cara Celina.

Daniela Contin Garcia em 31 de janeiro de 2011

Vou lhe confessar Ricardo que Dilma na época da campanha era muito odiada por mim, eu realmente passava mal vendo-a e ouvindo-a, eu sempre com as minha emoções... claro que Lula teve uma grande parcela na transferência deste sentimento, mas alguma coisa nela me fazia mal... felizmente alguns atos, como este, dela está amenizando este sentimento ruim que sinto em relação a ela, é claro que isto faz diferença somente em mim pq não gosto de sentir raiva pelas pessoas. Nunca elogiei ela aqui no blog, pq sempre achei que as medidas que ela está tomando no governo não é nada mais do que a obrigação dela, já disse isto aqui, porém espero que ela continue me surpreendendo mostrando um lado mais emotivo, talvez assim ela ganhe aos poucos a minha confiança, vou esperar pra ver... Abs!

fafa em 31 de janeiro de 2011

Pois é.... o poste ainda vai surpreender muita gente! Até o FHC, que não consegue entender o que ela fala, mas isso é compreensivel pois a escola em que ela se formou é outra!

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI