Image
Sebastián Piñera: o presidente “de direita” do Chile é um rico empresário, com um fortuna de mais de 1 bilhão de dólares

Ele mal tinha completado dois meses de governo, em março passado, quando o Chile sofreu o que alguns consideram ter sido o quinto maior terremoto já ocorrido no mundo, seguido de maremotos. Mais de 700 pessoas morreram, e dezenas ainda estão desaparecidas.

Veja como trabalhou o presidente Sebastián Piñera, segundo suas próprias palavras a VEJA, nas “Páginas Amarelas” desta semana:

“O terremoto provocou uma destruição material gigantesca, com custo estimado em 30 bilhões de dólares, 18% de nosso Produto Interno Bruto. Mas o Chile não está de joelhos. (…) Quando assumimos, em março, 1,25 milhão de crianças não podiam voltar à escola porque os prédios estavam destruídos ou danificados. Estou falando de uma em cada três crianças chilenas. Em 45 dias, todos os alunos estavam de volta à escola. Em sessenta dias, apesar de termos perdido um em cada três hospitais, nosso sistema de saúde funcionava com soluções de emergência. Em noventa dias, havíamos conseguido construir 80 mil moradias provisórias. Em 100 dias, recuperamos a infraestrutura de todos os portos, aeroportos e 95% das pontes e estradas haviam sido consertadas. Quatro meses depois do terremoto, a economia crescia a uma taxa de 7% ao ano”.

Piñera é um político “de direita” que venceu limpamente as eleições de janeiro passado, por maioria absoluta de 51,8% dos votos, derrotando um figuraço — um dos líderes da coligação de centro-esquerda que estava no poder há 20 anos, o ex-presidente Eduardo Frei Ruiz-Tagle (1994-2000), por sua vez filho do legendário e presidente Eduardo Frei (1964-1970).

Além de ser “de direita”, Piñera é empresário, e rico — tem fortuna de mais de 1 bilhão de dólares. No Brasil, tem tudo para ser apedrejado nas ruas.

No Chile de hoje, porém, o “Tigre das Américas”, ser “de direita” não apenas deixou de ser um palavrão. Com Piñera, que apareceu nas televisões do mundo inteiro com o resgate dos 33 mineiros que ficaram soterrados durante mais de dois meses a 700 metros de profundidade, também funciona.

Políticos “de direita” — defensores da livre iniciativa, da não intervenção do estado na economia, hostis a idéias socialistas mas intransigentes quanto às liberdades públicas — estão longe de ser execrados na América do Norte, na Europa, na Oceania e nas democracias da Ásia. Longe disso. São populares — e são eleitos.

Até nisso o Chile é mais avançado do que nós.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + 1 =

33 Comentários

Abreu em 15 de novembro de 2010

Quem quer que olhe desatento e despreocupado para essa fotografia (como acabei de fazer), é capaz de enxergar Eike Batista nela! De jeito nenhum, caro amigo Abreu. O topete do presidente Piñera é verdadeiro... Abraços

Isabel NE em 14 de novembro de 2010

Faltou dizer o principal: não tenho nenhum orgulho do país da BANDIDAGEM, da corrupção, da criminalidade, da impunidade, das leis de proteção aos criminosos, da violência, do povo bonzinho mais assassino do mundo, da banalização da vida/morte, da falta de vergonha na cara, ... a lista é longa... Que país/povo!

Isabel NE em 14 de novembro de 2010

Sou mulher-branca-feminina-antifeminista-heterosexual-sertaneja-nordestina-religiosa ortodoxa-capitalista-conservadora-de direita-sionista-monarquista-parlamentarista...-... Posso garantir que ser tudo isso no Brasil, não é palavrão, é CRIME! Acreditem, sendo tudo isso, sou completamente democrátia, árdua defensora dos que pensam diferente de mim (e não me dão o direito de existir). Estarei sempre pronta para defender a verdadeira liberdade lá onde ela estiver sendo cerceada. Nós somos normais, queremos a paz, o equilíbrio, a harmonia. Qdo minha família quer me xingar diz que meu bisavô (olho por olho, dente por dente) estaria orgulhoso de mim. Aceito o infame insulto como um elogio. É preciso ter o dna dele para resistir aos que querem meu extermínio. A inversão de valores nos acusam de todos os 'males' da humanidade: progresso, desenvolvimento, civilidade, educação, bons modos, respeito, disciplina, tradição, ética, família, lei, ordem, propriedade, espiritualidade, temor a DEUS, SANIDADE, ... O Brasil-e-o-Mundo-Sodoma&Gomorra estão aí completamente destruidos para ser reconstruido pelos conservadores reacionários/capitalistas selvagens. Não tenho nenhum orgulho de ser o país da ignorância, do carnaval, do trio elétrico, da poluição sonora, da vulgaridade em nome da arte, da parada gay, das drogas, da prostituição, da vagabundagem, da pedofilia, da alegria dos idiotas felizes, dos adultos com comportamento e idade mental de adolescentes irresponsáveis, da baderna em nome da liberdade, do carnaval nas igrejas em nome de Deus, dos falsos pastores, ... Crime, para mim, é a glamourização, o incentivo e a intitucionalização de tudo o que maléfico para uma nação decente. Piñera, tire a América do Sul do BURACO! Não me decepcione!

Siará Grande em 14 de novembro de 2010

Em minha vida pessoal e profissional, tudo o que faz minha vida valer a pena, computador, roupa, remédio, cinema, música, tudo foi feito por pessoas de países capitalistas. Gosto de desafiar meus amigos petistas a me mostrarem uma só invenção criada por comunistas em uso no Brasil, com exceção do AK-47. Ou então que mostrem um só país comunista que seja próspero e democrático. Para mim a conclusão é clara, só com democracia se controi. Assim, não entendo porque as pessoas neste país acham o comunismo uma coisa boa. Os comunistas assassinaram da forma mais cruel cerca de 150 mulhões de seres humanos e impuseram um jugo cruel sobre bilhões de pessoas. Portanto, caro Ricardo, palavrão para mim é esquerda.

carla lacerda em 13 de novembro de 2010

Gostaria de perguntar a algumas pessoas que de identificam com o esquerdismo, qual seria o pecado em querer ser elite. é melhor assumir-se que fingir ser o que não é embora o seja por fingimento;(exemplo do Lulinha - fenômeno milhardário do dia pra noite)

Fernanda em 13 de novembro de 2010

Ai, gente, que cansaço desse discursinho atrasado e retrógrado sim, caro Felipe (12/11 às 21:37)...eu visitei o Chile há uns dois anos e o achei um país adorável! Fico feliz em saber que existem exceções saudáveis numa América Latina corroída por falsos populismos e um esquerdismo de araque...mas, em minha humilde opinião, chegar nesse nível de desenvolvimento num país tão pequeno e pouco populoso é tarefa bem menos árdua do que seria aqui, por exemplo...é claro que existem muitos brasileiros desinformados e alienados que ainda usam a palavra direita como um insulto pessoal, normalmente seguido do igualmente "ofensivo" elitista...direita elitista, então, é o máximo do desaforo!!! Eu nem levo esses comentários em consideração, prezado Setti...mais parecem conversa de boteco, isso sim...ouviram falar, acharam bonito e ficam reproduzindo sem conhecimento de causa... Todavia, percebo cada vez mais que existem brasileiros sensatos e coerentes que não enxergam no termo "direita" um palavrão, assim como no termo "privatização"...aliás, essas pessoas representam quase 44% do eleitorado, talvez um pouco menos, mas não é um número irrelevante de forma alguma...são pessoas que acreditam num Estado menor e menos "inchado", que defendem as liberdades pessoais acima de tudo, uma melhor eficiência administrativa e um Estado voltado ao atendimento das necessidades mais urgentes da população, como saúde e educação públicas de qualidade...é isso aí! Políticos de direita também não são execrados por parcela considerável da população brasileira, Setti...e acredito que muitos outros sequer sabem a diferença entre direita e esquerda, motivo pelo qual não podem ser enquadrados na parcela que possui ojeriza da palavra "direita". Acho que esses políticos deveriam explicar à essa parcela menos esclarecida da população o que ser de "direita" significa...e aposto que muitas destas pessoas se identificariam com suas propostas! Dessa forma, acho que é, na verdade, uma minoria desinformada que fica a se utilizar da palavra "direita elitista" como forma de agressão...pois, não bastasse, o elitismo nada tem a ver com direita ou esquerda...somente pessoas de má-fé fazem essa associação... Enfim, resumindo: no Brasil ser "direita" também não é palavrão para muitas e muitas pessoas...talvez até para a maioria, pois grande parcela dos brasileiros sequer entende o que significa ser de "direita" ou de "esquerda"...eles não têm como rejeitar o que não conhecem...Tenho certeza que se os políticos de "direita" daqui saíssem do "armário" e explicassem os ideais que comungam, a quantidade de simpatizantes aumentaria exponencialmente... Grande abraço, Setti, e desculpe pelo longo discurso...não quero assumir seu lugar de colunista não, nem teria competência para tanto...

Felipe em 12 de novembro de 2010

Mais avançados ricardo ? Quanta prepotência ao expressar sua mera opinião . Arrogancia. Graças o Grande Brasil "atrazado e retrógrado , de povo tão ignorante e de ideias tãao diferentes dos EUA " ter respondido ao grande governo Lulista e eleito Dilma com margem de milhões a frente de uma direita elitista.

Isabel em 12 de novembro de 2010

O Chile, do realismo concreto, está sempre nos dando lições de civilidade, patriotismo, seriedade, maturidade. O Brasil, do surrealismo alucinante, está longe de ter uma 'respeitavel' presidente de esquerda sucedida por um 'respeitável' presidente de direita; está longe de resistir a um soterramento causado por uma chuva; está longe de ... Deus nos livre de um terremoto!

Amauri em 12 de novembro de 2010

Fostes filosófico, não Ricardo? Mas gostei! Proponho um teste: Damos uma conta bancária com dez mil reais a dois indivíduos distintas, preferencialmente da mesma classe social. Se os dois indivíduos usarem o dinheiro exatamente da mesma maneira no período estipulado dou meu braço a torcer e digo que nossos amigos comunistas estão certos! Me torno eu também um comunista militante! Por quê será que não usei a palavra Socialismo? Bom, para mim o socialista é o comunista que tem vergonha de se declarar como tal ou que não o faz para, como uma raposa, ganhar a confiança da presa...........

Ricardo Castro em 12 de novembro de 2010

ESQUERDA MARXISTA - 11/11/2010 às 17:44 QUAL SISTEMA E MAIS JUSTO O SOCIALISMO OU O CAPITALISMO SELVAGEM ?? Interessante você usar a palavra "selvagem", caro comentarista exaltado das letras maiúsculas. Pois se a analogia que quer fazer é com habitats de animais, vamos avançar. O que, então é melhor, o capitalismo-selva ou o socialismo-jaula? É mais justo ser livre para buscar o que se consegue, sob as rígidas e claras leis da natureza? Ou é mais justo ficar a mercê do alimentador do zoológico, pronto para passar fome dentro da jaula quando ele perder a hora? É mais justo comer mais por correr mais, ou é mais justo comer mais (ou menos) porque o alimentador gosta mais de patos do que de marrecos? Não precisa ser um extremo, a escolha não precisa ser entre capitalismo selvagem e socialismo stalinistico (ou chavista, ou cubano). Mas, se tivesse que escolher um extremo, eu sei qual seria...

Amauri em 12 de novembro de 2010

Olá Esquerda, respondo sua pergunta... O melhor sistema é o que pega a igualdade humana pregada pela esquerda e alia à igualdade de oportunidade oferecida pelo capitalismo. Ambos têm defeitos e qualidades. Se você tem dois filhos deve saber disso e deve amar os dois igualmente... pelo menos é o que eu esperaria... Abraço de-mo-crá-ti-co!

Gustavo Matias em 11 de novembro de 2010

Prezado Setti, Me considero uma pessoa com uma visão ideológica bastante à esquerda, na maioria dos temas (favorável ao aborto, Estado Laico, intervenção moderada do Estado na economia, etc). Isso não significa que tudo o que é de esquerda seja bom e de direita ruim, longe disso. Esse tipo de generalização para mim anda de mãos dadas com a ignorância, beirando a burrice. Gostaria de saber sua posição com relação ao viés econômico de José Serra. Você o considera de esquerda ou direita? Ele não estaria mais à esquerda, mas em virtude das alianças políticas com o DEM, teve que fazer um discurso mais à direita, embora não admita isso (Soninha chegou a dizer com veemência que Serra é de esquerda, demonstrando que você tem razão quando diz que as pessoas vergonha tem vergonha de se assumirem de direita). Essa posição não seria em virtude do discurso da esquerda ter sido "apropriado" pelo PT atualmente determinando a guinada de Serra e do PSDB para a direita? Há inclusive tucanos fundadores do partido possuem passado de militância na esquerda, inclusive na luta armada contra a ditadura. Abraços. Gustavo Matias Caro Gustavo, para mim esses rótulos são simplistas demais. Teríamos que travar uma longa discussão aqui, e não há espaço nem tempo. Em termos muito gerais, eu diria que costumam se dizer de esquerda pessoas que são mais favoráveis à intervenção do Estado na vida das pessoas e manifestam grande preocupação social. Só que existe uma direita liberal que tem, também, preocupação social e que acha que a intervenção do Estado só atrapalha o progresso e tolhe as liberdades públicas, que o progresso, a riqueza e a geração de empregos se realizam sobretudo pela iniciativa privada, com um Estado enxuto e com poderes fiscalizadores. O Serra da campanha é uma coisa, e o Serra fora de campanha é, a meu ver, diferente. Ele pertence à corrente do PSDB mais favorável à intervenção do Estado. Muitos o consideram um estatista, e como exemplo recente de suas preferências há o caso da Nossa Caixa, que poderia ser licitada publicamente e vendida, digamos, ao Itaú ou ao Bradesco, mas que uma legislação especial passou a permitir fosse vendida ao Banco do Brasil. Serra optou por isso, engordou o já pesadão e problemático BB e se vangloriou disso. Ele foi um líder estudantil de esquerda, esteve exilado porque era de esquerda e hoje, por esse critério do grau de intervenção do Estado na economia e na vida do país, teria que ser considerado um cara de esquerda. Mas no Brasil é tudo uma grande salada. O próprio Lula já não disse, em espantosa declaração, que "nunca" foi de esquerda? E, sim, há tucanos, e há pessoas em outros partidos que estiveram na luta armada -- que eu nunca defendi, diga-se -- durante a ditadura. No PSDB, um caso notório é o do senador eleito Aloysio Nunes Ferreira. Abraços

ESQUERDA MARXISTA em 11 de novembro de 2010

QUAL SISTEMA E MAIS JUSTO O SOCIALISMO OU O CAPITALISMO SELVAGEM ??

joselito em 11 de novembro de 2010

Primeiro elogia por ter agido: "...recuperamos a infraestrutura de todos os portos, aeroportos e 95% das pontes e estradas haviam sido consertadas. Quatro meses depois do terremoto, a economia crescia a uma taxa de 7% ao ano..." Depois elogia isto: "...Políticos “de direita” — defensores da livre iniciativa, da não intervenção do estado na economia..."(???) Consistência, por favor. Meu amigo, um presidente da República ordenar a feitura de obras não é "interferência do estado na economia", é parte de seu dever constitucional. Não confunda as coisas, você não é bobo, que eu sei. Abraços

Natale em 11 de novembro de 2010

Porque não o Brasil não tem um milionário, com um patrimonio de US$ 1 bilhão, na Presidencia da República? Porque não queremos, e justifico: Queremos somente bilionários, com patrimonio-doado pelo BC- de mais de 1 bilhão de Euros, para cuidar do novo programa, que certamente será o mais popular do Brasil,da Cef que se chamará:Programa Tudo por Dinheiro(PTPD). Concordas?

Tito Livio Bereta Bereta em 11 de novembro de 2010

Antes de comentar, li o comentário do Natal Santana. Obrigado, Natal. Minhas palavras seriam as suas.

ESQUERDA MARXISTA em 11 de novembro de 2010

A esquerda defende o social a igualdade e a justiça , a esquerda e contra a desigualdade a pobreza e a miseria . Enquanto a Direita defende os RICOS a elite a exploração econômica e social . RICARDO SETTI PREFIRO DEFENDER A ESQUERDA PREFIRO SER HUMANISTA E DEFENDER A IGUALDADE . AO CONTRARIO DE ALGUNS !! Não defendo nem um nem outro. Defendo que todas as posições políticas dentro de uma democracia sejam respeitadas. No Brasil, ser de direita é um palavrão. Em países mais civilizados que o nosso, não.

Zé da Silva Brasileiro em 11 de novembro de 2010

Não sou de direita mas concordo que a nossa democracia precisa de um partido que não tenha vergonha de assumir-se como direita para dar nitidez ao debate ideológico. Nas últimas eleições, por exemplo, o Doutor José Serra, candidato em que os direitistas votaram, acabou apelidado de "Zé Promessa" e deixou a Dilma numa saia justa por prometer, entre outras coisas, incorporar mais quinze milhões de famílias ao bolsa família, décimo terceiro para todos os parcipantes do programa, 10% de aumento para nós aposentados, etc. etc. ao mesmo tempo em que falava em redução dos impostos... O que os direitistas achariam se a Dilma resolvesse cumprir metade das promessas do generoso Doutor José Serra?

Paulo Bento Bandarra em 11 de novembro de 2010

O presidente "de direita" assumiu o cargo em 11 de março de 2010, sucedendo Michelle Bachelet, que era a presidente ainda no sábado, 27 de fevereiro, no fatal terremoto no Chile, com magnitude de 8,8 graus na escala Richter.

Angelo Losguardi em 11 de novembro de 2010

Poxa, Setti, concordo plenamente com a primeira comentarista aqui. Colocar Direita entre aspas também é, no mínimo, timidez. Infelizmente hoje faz falta um partido de Direita, seja ele liberal ou conservador. O DEM é o que temos de mais perto disso, mas mesmo assim encara sua posição ideológica com timidez. Espero que esses 44 milhões de votos da oposição surta algum efeito nisso.

Roberto Xavier em 11 de novembro de 2010

E... por falar nisso, como anda a situação do Nordeste nas regiões que foram atingidas pelas inundações? Parece que não tão bem atendido como foi o Chile, diante de tragédia natural, com seu governo "reacionário".

Natal Santana em 11 de novembro de 2010

As idiotices das chamadas esquerdas é tamanha que, Lula deixou de ir à posse do presidente chileno como ele se ele tivesse uma doença contagiosa! E logo Lula que comparece até em posse de síndicos! Os chilenos tiveram a sorte que nós não temos há oito anos: conviver com essa aberração de barba! É mesmo de dar inveja: Frei sucedeu um general linha dura que aceitou sua eleição (Lula não admite sequer que a oposição tenha candidatos!) e lhe transmitiu o cargo. E Michele, aceitou a eleição de Piñera com a maior naturalidade e lhe transmitiu o cargo também. Algo como fez Fernando Henrique, que Lula já esqueceu!

alexandre fernandes em 11 de novembro de 2010

Não sou de direita mas acho que para uma democracia é importante partidos defenderem esse ideal. O problema no Brasil é a associação entre o regime militar e a direita. No Chile, o regime de Pinochet foi um fracasso nos direitos humanos mas um sucesso na economia. Aqui, foi um fracassos em todos os aspectos. Acredito que só com o tempo a direita pode se tornar novamente uma opção de poder. Hoje quem assumiu esse eleitorado foi o PSDB, que a princípio é um partido de centro-esquerda.

Rodrigo em 11 de novembro de 2010

O Brasil é um país de inconsistência ideológica, caro Ricardo. Nos anos 60 a tal direita brasileira defendeu o golpe militar. Nos anos 80 esteve com Sarney e Collor; depois, com FHC. O Brasil nunca teve uma direita séria e respeitável. E não acho que terá algum dia.

Rodrigo Moreira em 11 de novembro de 2010

Setti, Quisera a direita daqui fosse como esta do Chile. O problema é que nossa direita nao é liberal, é patrimonialista, oligárquica. Prova disso é que a candidatura do Serra nao tinha projeto algum a oferecer - pelo contrário, tinha propostas das mais populistas, o que é completamente incoerente com a postura liberal que parece tentar defender. Se em 2014 tivermos uma direita como esta do chile, comprometida com a eficiência do Estado e com o incentivo à iniciativa privada, estaremos bem. Patronato de direita é que nao dá. Abs! R Obrigado pela visita, R. Abraços

Carol em 11 de novembro de 2010

Realmente, por razões históricas a direita é muitas vezes associada ao pior tipo de conservadorismo e, do mesmo modo, muita gente ainda associa a esquerda a comunistas e terroristas como bem se viu nessa eleição. Também gostaria muito de ver esse reducionismo superado. Direita ou esquerda são posições políticas igualmente legítimas.

jose em 11 de novembro de 2010

Prezado Setti, tenho uma sugestão: Pede para a reportagem da Veja averiguar como estão os locais das últimas tragédias brasileiras...verá quepouco ou nada foi feito. Há uma exceção no Brasil, Santa Catarina, mas o governo pouco tem a ver, trata-se do povo catarinense, este sim, diferente, já que nunca espera nada do governo, se vira sozinho e bem.

Markito-Pi em 11 de novembro de 2010

De fato, esta grosseira diferenciação já não tem sentido. Esquerda ou direita diluiram-se no mar de simplificações.Exemplifico: No Brasil, o PT ainda se diz de esquerda. Que coisa... É a agremiação que tem nos Estatutos e nos programas de governo o mais desenfreado fascismo.Não tem sequer o pudor de disfarçar que copia , palavra por palavra, artigos do programa do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães. Sendo quem são, estes lulistas e zedirceuistas, ignoram que o tal partido é o nazi.a profissão de fé de um certo Adolf Hitler. Ha quem diga até, que barbaridade, que o PP, que tem como presidente " de honra"( imaginem..) um certo Maluf, é de direita. Não é. Nem na teoria , nem na prática.É apenas cleptomaníaco.

kika em 11 de novembro de 2010

Os professores de escolas e faculdades públicas estão doutrinando nossas crianças e adolescentes dizendo que a esquerda é para os pobres e direita é para os ricos... Não sei aonde iremos parar pois, esses jovens serão os médicos, advogados, etc...e políticos tb no futuro! Me sinto um ET no meu próprio país!

maisvalia em 11 de novembro de 2010

Como estou passeando e andando para a patrulha, digo: SOU DE DIREITA E NUNCA ACREDITEI NOS PETRALHAS, MESMO QUANDO EM UMA DISTANTE ÉPOCA - VALE O DITO PELO IVAN LESSA - ERAM OS PALADINOS DA ÉTICA, HEHEHEHE

aliancaliberal em 11 de novembro de 2010

revolução cultural gramsciana conseguiu associar na mente das população que o termo direita e sinonimo de explorador,expeculador,etc. Pois é... Tanto que no Brasil praticamente ninguém se diz "de direita". Medo da patrulha, né?

JT em 11 de novembro de 2010

Li no blog do Reinaldo Azevedo que na Dinamarca a Igreja Luterana é a religião oficial. Pessoalmente, tinha esperança de que o Serra venceria as eleições, baseado no exemplo do Chile. Piñera não era o favorito e as pesquisas indicavam sua derrota. Pois é: como luterano de centro-direita, estou no país errado...

Regina Lacerda em 11 de novembro de 2010

Ah, a evolução...Quando chegaremos a esse ponto, aqui em Tupinicópolis? Defender valores "de direita" ainda tem que ser assim, 'entre aspas'. Se levarmos em conta que até há pouco tempo, esquerdista-comunista era visto como quem comia criancinhas, eles, os esquerdistas, acabaram por conseguir uma revolução. Só que, para mim, revolução é involução.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI