Image
Diplomatas deixam Ahmadinejad falando sozinho no plenário da ONU

Se alguém ainda duvidava que Lula, ao acolher, visitar e estreitar calorosamente o relacionamento com o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, estava dando o seu apoio a um pária internacional cujo desequilíbrio parece não ter limites, a debandada geral de diplomatas de dezenas de países diferentes durante o discurso do dirigente do tresloucado regime dos turbantes nucleares, ontem, na Assembleia-Geral da ONU, é o que faltava.

O esvaziamento da sala começou quando um representante norte-americano decidiu sair, após Ahmadinejad questionar — lançando mão de uma teoria desvairada, absurda, espantosa que irresponsavelmente circulou pela internet — se os atentados de 11 de Setembro não foram causados pelos próprios norte-americanos (“os EUA utilizaram este misterioso acontecimento do 11 de Setembro para atacar o Iraque e o Afeganistão”).

Em seguida, o insano presidente iraniano acusou o mesmo país e uma genérica “ideologia sionista” por “usar redes de meios de comunicação imperialistas que estão sob influência colonialista” e de serem “poderes arrogantes que ameaçam com sanções e ações militares quem questiona o 11 de Setembro e o Holocausto”. Rapidamente, outros 27 diplomatas, todos europeus, foram recolhendo suas coisas e se dirigindo à saída, enquanto Ahmadinejad “caprichava” em seu discurso.

Para ele, “foi criado um mito em torno do Holocausto”. Dezenas de milhares de livros publicados, documentários cinematográficos minuciosos, centenas de milhares de depoimentos colhidos, muitos milhares de sobreviventes ainda vivos, milhões de documentos arquivados por diferentes governos — nada afasta Ahmadinejad do delírio de negar o massacre, em escala industrial, de 6 milhões de judeus pela Alemanha nazista durante a II Guerra Mundial.

Escravidão, uso de bombas atômicas e Guerra do Vietnã também estiveram na pauta do amigo de Lula em seu ataque aos EUA.

Bela companhia, essa, para o lulalato.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − 13 =

22 Comentários

Carlos martins em 05 de agosto de 2014

Te aconcelho a estudar e saber mais sobre a vida do Ahmadinejad antes de chamar ele de "insano", você não passa de um babaca, otário esses caras que saíram de lá não valem nem o Pé dele. E se você acha que isso vai afetar ou intimidar o Iran está muito enganado, vimos a vergonha Norte-Americana da espionagem, e o que o Glorioso Presidente Ahmadinejad disse está mais do que certo, alguém deste mundo ainda dúvida de que os EUA só inventaram essa história do 11 de setembro para invadir e sugar o petróleo iraquiano e do Afeganistão. Iran não foi entendida, nem está sendo entendida e nunca vai ser entendida, os assassinos Norte-Americanos pensavam que era mais um país a ser invadido mas se enganaram a paciência Iraniana Supera toda a ganância dos EUA !!! Você precisa de tratamento.

Farhad Abdollahyan em 03 de outubro de 2011

Caro Ricardo, Chamar alguém de insano é falta de argumento para rebater as coisas que coloca! O Diredtor de Cinema, ganhado de Oscar, Michael Moore fez um documentário - Fahrenheit 9/11 - que também coloca culpa no Governo Bush e seu aliado britânico: http://pt.wikipedia.org/wiki/Fahrenheit_9/11 Sugerindo "a temperatura que arde a liberdade", este documentário ressalta especificamente a relação entre a família Bush e pessoas próximas a ela, com membros de eminentes famílias da Arábia Saudíta (incluindo a família de Bin Laden), em uma relação que se estende durante mais de trinta anos, assim como a evacuação de familiares de Osama bin Laden organizada pelo governo de George W. Bush depois dos ataques de 11 de setembro. Se bem que essa relação de negócios entre os clãs Bush e Bin Laden não seja discutida, a mesma não é amplamente conhecida. A partir daí, o filme dá pistas sobre as verdadeiras razões que têm impulsionado o governo Bush a invadir o Afeganistão em 2001 e Iraque em 2003, ações que, segundo Moore, correspondem mais à proteção dos interesses das indústrias petrolíferas norte-americanas do que ao desejo de libertar os respectivos povos ou evitar potenciais ameaças. O documentário insinua que a guerra com o Afeganistão não teria como principal objetivo capturar os líderes da Al Qaeda e, sim, favorecer a construção de um oleoduto, e que o Iraque não era, no momento da invasão, uma ameaça real para os Estados Unidos, senão uma fonte potencial de benefícios para as empresas norte-americanas. Então vamos devagar, tá? A credibilidade de Moore, caso você não saiba, é bem baixa. Ele "produz" muitas das "verdades" que expõe. Não é um jornalista, um documentarista. É um panfletário. Então vamos devagar, tá?

John em 26 de setembro de 2011

Seu comentário foi suprimido tendo em vista as regras de do blog. Se não as conhece, por favor clique no link http://veja.abril.com.br/blog/ricardo-setti/tema-livre/143081/

Luís Augusto em 25 de setembro de 2011

Bola Setti como sempre fazendo papel de bobo achando que todo mundo vai na ondinha dele. Você pode ser mais específico? E... Bola Setti??????

Corinthians em 25 de setembro de 2011

Jefff - 24/09/2011 às 18:42 Realmente, concedeu o cruzeiro do sul à Fujimori. Só que vamos rever a situação com racionalidade. A medalha foi concedida à Fujimori em 1999 (não em 2000) e era presidente por votação popular, em uma democracia. Até o ano de 1999 não se tinha idéia dos escândalos que se seguiriam no Peru, nem ele havia anunciado que iria concorrer ao terceiro mandato. Quando Lulla apoia o Irã, não é novidade o que se passa por lá. Também quando Lulla chama Kadafi de "meu amigo e irmão", sendo Kadafi o financiador de um dos ataques terroristas mais violentos da história, não existe possibilidade de estar ocorrendo um ato de ignorância. Um pouco de análise mostra a diferença.

Jefff em 24 de setembro de 2011

Nossa não tem post que não se encaixe Lula no contexto. Deita, dorme e acorda com Lula na cabeça. Com coisa que antes de 01 de janeiro de 2003 já não tinhamos relações diplomaticas com o Irã. Alias em 2000 nosso governo concedeu a ordem o cruzeiro do sul ao notorio criminoso que ocupou a presidencia do Peru o senhor Fujimori.

Corinthians em 24 de setembro de 2011

Isso só mostra o quanto o lulopetismo é bom para o Brasil. E ainda tem gente que tenta justificar este tipo de ligação, tem gente que aplaude quando terroristas conseguem matar americanos... Mas o discurso dele não é nada criativo... falou da mídia golpista, dazelitez, enfim... se não fosse iraniano, dava pra arriscar que era um petista fanático falando.

Liana em 23 de setembro de 2011

Eu não ficaria para assistir o discurso hipócrita e de rabo preso do Obama. Terroristas são aqueles que matam seres humanos ,em massa, para manterem seus privilégios.Nisso os americanos e israelenses dão de 1000X0 no ditador iraniano

Paulo Bento Bandarra em 23 de setembro de 2011

Neste aspecto, o seu amigo, Pedro Luiz Moreira Lima, se declarou totalmente a favor da "nossa" atual política externa. Ele vai ficar uma arara, mas foi ele que escreveu! Como ela pode ser compatível com os direitos humanos e a democracia?

Paulo Bento Bandarra em 23 de setembro de 2011

Uma questão para se raciocinar, é que se diz que a democracia é o governo do povo. Quem delegou ao Presidente fazer coisas da sua cabeça? Quem delega a ele se aliar a A ou B e decidir, por fim, que vamos a Guerra por estas estultices? Ainda estamos muito vulneráveis a estes débeis mentais que dirigem o país. Ainda possuem poder demais e se lixam para o povo.

Roberto em 23 de setembro de 2011

Como Lula poderia contestar as afirmações de Ahmadinejad sobre o holocausto? Provavelmente ele pense que "esse tal de holocausto" é aquele adesivo para dor nas costas, o emplasto poroso Sabiá, muito famoso nos anos setenta.

Roberto em 23 de setembro de 2011

Setti, repito o comentário pouco elegante que já fiz essa semana a respeito de Lula. Quem manda eleger para presidente um analfabeto, que não trabalha desde os anos setenta, nunca leu nada mais complexo do que um gibi do Tio Patinhas, que desdenha de quem estudou e, nunca quiz deixar de ser analfabeto, mesmo tendo condições para isso, afinal de contas, tempo é o que não lhe faltou para que tentasse recuperar o que não estudou quando jovem.

veiaco em 23 de setembro de 2011

Talvez o que os tenha aproximado seja a mais pura ignorância. Lula apesar de formado na universidade da vida quando questionado nunca sabe de nada. Para eles o holocausto e o mensalão nunca existiram.

patricia m. em 23 de setembro de 2011

Pois eh, tempos negros para a diplomacia tupiniquim, ja sao quase 9 anos passando vergonha na frente do mundo civilizado. Dona Dilma nao deve nada ao molusco, eh tao ruim e tao amiga de bandido quanto ele. Lembrando que a queridinha da Dilma nao recebeu a iraniana quando ela veio ao Brasil pedir apoio contra o Iran. . A gente so passa vergonha, viu.

Silas em 23 de setembro de 2011

Caro Setti, A "democracia" iraniana, além da cubana, da coreana do norte, venezuelana, boliviana etc., é o que o PT e todos os petistas sonham para o Brasil. Estes senhores, que hoje avacalham o Brasil no exterior e destroem suas instituições aqui dentro, babam orgasticamente com duas coisas: bajular um ditador (a exemplo do "irmão" de Lula, o Kadafi) e atacar as democracias como as do EUA e de Israel.

Inácio em 23 de setembro de 2011

Quem é amigo dos irmãos Castro, de Kadafi, de Chaves, não poderia deixar de ser amigo de Ahmadinejad. A exemplo desses ditadores, conheço vários petistas que ficaram exultantes com os atentados terroristas de 11/09. Essa turma, se um dia lhes forem dadas as condiçoes para tal, não hesitariam em destruir Israel e EUA.

selminha em 23 de setembro de 2011

Boa,Setti. Nota DEZ! O dia em mais jornalistas tiverem conhecimento de História, sem ter o rabo preso, também poderão escrever artigos inteligentes como este. É aquela velha máxima de que "quem não conhece a história está condenado a repetí-la" .

Paulo Bento Bandarra em 23 de setembro de 2011

Olha, caro Setti, mas eu vou ter que discordar de você. Eu creio que este discurso é o mesmo do PT e de Lula. E agora de Dilma na ONU. Não só em apoio ao Irã e a sua fala, como a volta de costas para Israel. Não são coisas ao acaso ou sem um planejamento e um mover de pedras despretensioso. Assim como Dilma se alinha com os que são inimigos de Israel num discurso esquizofrênico pelo Estado Palestino. Lula claramente se negou a ir ao túmulo de Theodor Herzl, neste movimento frio calculado. Dilma apenas fez um movimento a mais. Isto não é coisa pessoal do Lula, um "erro", mas uma política de alinhamento em andamento.

Natal em 23 de setembro de 2011

Ricardo, como diz o ditado: "diga-me com quem andas"... Contra todos os fatos e as provas, Lula e sua turma insistem que o mensalão não existiu; que a imprensa é golpista; que nada havia de bom no Brasil antes dele... É uma questão de lógica que ele apoiasse justamente um bandido que insiste em negar o holocausto e dizer que os EUA matariam milhares de cidadãos para usar como pretexto para ataques aos seus inimigos.

eduardo em 23 de setembro de 2011

. O partido dos incomPTntes, o PT, cresceu com o apoio de intelectuais to tipo ziraldo, chico buarque, caetano, gil e outros ... toda essa gente cantava, escrevia ( e se locupleta na fama de "esquerdistas") contra a prepotencia de quem estava no poder, contra a covardia, contra a tortura, contra a censura, etc. Por que quando o molusko e seu anão moral começaram a defender esses ditadores ridículos esses vermelhóides não se pronunciaram ?? que gente é essa que defende incondicionalmente esses ladrões do PT ??? . que gente é essa que que não manda esses ditadores de merdeka se calarem ?? .

marco em 23 de setembro de 2011

O representante brasileiro não só deve ter ficado como aplaudido, ou me engano?

Fernando em 23 de setembro de 2011

Obrigado Ricardo por nao deixar passar um dos momentos mais negros de nossa diplomacia. Eu posso ateh conceder que tente-se conversar, convencer os teocratas do Iran, mas a maneira debochada que o Lula se prestou a conversar com este obscurantista foi vergonhosa. Que sentasse a mesa e tivessem uma conversa seria, sombria, mas...: http://www.abril.com.br/imagem/lula-ahmadinejad436.jpg Enquanto isto, estudantes da Universidade do Iran eram perseguidos dentro do campus pela policia secreta da teocracia. Uma foto de um momento que antecedeu a invasao: http://inapcache.boston.com/universal/site_graphics/blogs/bigpicture/iranelect_06_15/i19_19370025.jpg Liberdades individuais zero p/ o reizinho populista do...Brasil, []s!

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI