Image
FHC: “alguém colocou um papel para assinar lá”

Ao longo do tempo, tenho publicado material elogiando vários aspectos da administração do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (1995-2003), bem como itens de sua agenda e seu comportamento político.

Por isso, estou à vontade para me manifestar estarrecido com a ligeireza, que beira à irresponsabilidade, com que o ex-presidente se manifestou junto ao correspondente do Estadão em Genebra, Jamil Chade, quando afirmou ser contra a extensão por mais 50 anos do sigilo sobre documentos do período da ditadura militar.

Como muitos democratas brasileiros, também sou contra. Ocorre, porém, que o sigilo interminável sobre determinados documentos públicos — em algns casos, por tempo indeterminado, o que equivale dizer para sempre — decorre de decreto assinado pelo próprio FHC, no dia 27 de dezembro de 2002, às vésperas de deixar o governo.

Meu estarrecimento se deve à forma como FHC explicou o fato de ter assinado o decreto nº 4553, de 27 de dezembro de 2002, um assunto da maior seriedade e importância: “Fui acusado de ter proibido a abertura de arquivo por 50 anos. Aquilo ocorreu no meu último dia [no governo] e alguém colocou um papel para assinar lá”.

O porte, a responsabilidade e o protagonismo de FHC na história contemporânea do país não combinam, absolutamente, com ter assinado — pelo visto, sem ler — um papel “para assinar lá” que “alguém colocou”.

É ou não é de estarrecer?

Consulte o decreto aqui.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 × 2 =

Nenhum comentário

Erik em 30 de junho de 2011

Eu fico aqui imaginando o que mais ele assinou sem ler da "PILHA DE DOCUMENTOS' Caro Ricardo Setti vc como reporter não fica curioso?! Quem sabe vc não pesquise e publice todos os decretos de 27 de dezembro de 2002.

Biden em 28 de janeiro de 2011

A informação do filho fora do casamento é pública, não inventei. http://oglobo.globo.com/pais/noblat/posts/2009/11/15/fhc-decide-reconhecer-filho-que-teve-fora-do-casamento-241319.asp

Rafael Frank em 28 de janeiro de 2011

NÃO PUBLICAR Setti, O número do decreto está citado errado. Não é 4551 e sim 4553. Abraço Fonte: http://www.planalto.gov.br/Ccivil/decreto/2002/D4553.htm Publico, sim, caro Rafael. Não tenho razão para esconder dos leitores quando me engano. De fato, não sei porque raios digitei o número errado. Felizmente o link para quem quiser ler o decreto está certo. Abração e obrigado pelo alerta.

Altamiro Martins em 28 de janeiro de 2011

Setti, concordo com você. Digo sobre a passagem do FHC pela Presidência da República, em seus dois mandatos (para o bem ou para o mal - ressalva exclusivamente minha, e que não se confunda, por óbvio, com as suas próprias convicções e não se misture, "pilantramente", com a introdução "concordo com você"). Foi, de fato, entre erros e acertos, um período que consolidou mudanças substantivas, avanços. Por outro lado, temo que o FHC, a despeito dos seus méritos, fique na história como um narciso dos mais boquirrotos, ainda mais do que o autocongratulatório L.I. Lula da Silva.

maria em 27 de janeiro de 2011

Concordo com o Ismael das 16:19,FHC não é irresponsavel.

Biden em 27 de janeiro de 2011

**** ***** ***** ***** ***** ****, e essa declaração são, para mim, de uma indignidade tremenda. Por outro lado, comprovam que grandes obras são feitas por humanos e somos todos falhos.

Ismael em 27 de janeiro de 2011

FHC não é burro, nem preguiçoso, nem traidor. Agora, que ele contou uma história ridícula, pode ser. Pra mim, FHC deu um recado a quem interessar possa: seria contra um suposto revanchismo, que ele supunha possível com a iminente ascensão do PT ao poder. Por isso, assinou o decreto, que se o PT (Lula) quisesse, mas não quiz, poderia ter revogado. A desculpa furada foi talvez pra não ficar mal com a esquerda. Aí sim, pra mim, FHC está sendo supérfluo.

SergioD em 27 de janeiro de 2011

Ricardo, um adendo ao meu comentário anterior. Após ler todos os comentários, fiquei com a impressão alguns leitores ainda não tinha notado sua isenção. Gostaria de lembrar a eles que pelo que você escreve aqui já foi taxado de reacionário e mesmo de petista. Acho que críticas tresloucadas quanto esses demonstram a maneira honesta e séria com que comenta os fatos do país. Um abraço Muito obrigado, caro SergioD. Uma avaliação dessas feita por um leitor de seu porte me deixa muito feliz. É como costumo dizer: se petistas me chamam de reacionário, e se inimigos do petismo chegaram a me chamar, como ocorreu, me provocando gargalhadas, de "comunista", é sinal de que alguma coisa certa ando fazendo... Um abração

SergioD em 27 de janeiro de 2011

Ricardo, para uma pessoa do quilate de FHC é mesmo de estarrecer. No entanto, mesmo não tendo votado nele, esse fato não abalará o respeito que sinto pela pessoa de FHC. Posso ter discordado bastante de certas atitudes e algumas omissões de seus dois mandatos, mas, no cômputo geral, seu governo deu uma contribuição inestimável para o país. Tal fato pode ser encarado como um grande ato falho de saída, assim como o de Lula negando a extradição do Sr. Cesare Battisti. Os dois, no mínimo, bastante questionáveis. O primeiro pela não importância dada a um assunto tão sensível para a sociedade brasileira. O outro por se deixar levar pela opinião equivocada de boa parte de seu partido e da esquerda nacional. Espero que ambos os atos sejam revistos com a maior brevidade possível. Um abraço

sidney em 27 de janeiro de 2011

Setti Se me permites um - elogio - !!! Ao Leitor Roberto P.Pedroso !!! Gostei muito das verdadeiras observacoes no comentario, meu tambem muito obrigado e parabens !!! Aos demais ( o mesmo ) !! Grande abraco

sidney em 27 de janeiro de 2011

Setti Muito objetiva a sua observacao a respeito do - cara - !!! Fica sempre a pergunta - PORQUE - ; QUE INTERRESSES PAIRAM SEMPRE , e por ai vai!!! Obrigado pelo comentario ao meu comentario Grande abraco

Marco em 27 de janeiro de 2011

Caro R. Setti: Apenas um erro de cortesia ! Abs.

Natal Santana em 27 de janeiro de 2011

Essa Luana pra zurrar, só precisa de uns detalhes biológicos! Lula "consertar porcaria que FHC fez"?! E quem falou nele, óh irmã de Luiz Gozanga ("... o jumento é nosso irmão..." cantava o Rei do Baião)? O post apenas conta e comenta uma ação do Fernando Henrique, ninguém mencionou aquela coisa asquerosa que pessoas como a Luana resolveram adotar como "guia"! Esse seu "kkkkkkk" certamente tem outro som!

gaúcha indignada em 27 de janeiro de 2011

Volta FHC, PELOAMORDEDEUS, antes que "elles" acabem com o Brasil! URGENTE!

Eduardo Velasco em 27 de janeiro de 2011

É.

Rosa Maria Pacini em 27 de janeiro de 2011

Setti, até posso admitir que FHC tenha sido traído pela emoção de deixar a presidência, mas este raciocínio é perigoso, pois justifica toda e qualquer atitude impensada tomada por presidentes em fins de mandato. E como você bem diz, confessar tal irresponsabilidade como se nada fosse é duplamente incorreto. Embora eu concorde com você que o FHC é a cabeça mais lúcida do PSDB, penso que precisamos urgentemente de novas lideranças e de um novo perfil de político; alguém que finalmente encare o exercício do poder como uma responsabilidade para com o povo, não como um privilégio para poucos.

Luana em 27 de janeiro de 2011

Sempre acham um jeitinho de culpar o Lula por tudo inclusive pela morte de Odete Roitmam. Agora é o Lula que tinha que consertar a porcaria que o FHC fez? Eu morro de rir desses tucanos. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

sandovalsader em 27 de janeiro de 2011

Caro Jornalista, Atitude corajosa esta de falar, desta forma, do Fernando Henrique. Mas até os maiores estadistas pisam na bola de vez em quanto. Mesmo assim, nos sabemos, o Fernando Henrique continua a ser um Estadista. PARABENS pela resposta à petralha da silvana..... Obrigado pelos parabéns. E também continuo tendo em alta conta o presidente FHC, sua agenda e suas realizações. Mas não posso fingir que não aconteceu nada nesse episódio, não é mesmo, Sandoval? Abração

Malur em 27 de janeiro de 2011

Bom dia, Ricardo Setti. Só agora li sua resposta à petistona Silvana. Palmas para você! Ainda ontem me atrevi a comentar que você respondia muito educadadamente, muito finamente, a essa cambada. Pretensiosamente, penso que você levou meu atrevido comentário em conta. Quanto ao presidente Fernando Henrique, creio que anda falando um pouco sem pensar - o que não é próprio da categoria intelectual dele. Essa coisa de meter-se com descriminação de drogas, a perseguição que ele começa a ajudar a fazer-se a José Serra e, agora, a confissão dessa pisada na bola... Entretanto, continua a ser meu presidente. Malur, talvez você não acompanhe o blog desde o começo. Especialmente durante a campanha eleitoral, fui obrigado a dar respostas duras. Não foi esta, portanto, a primeira vez. Quanto a FHC, a avaliação extremamente positiva que faço dele, de seu governo e de sua agenda também não muda com essa pisada de bola. E sou favorável à pregação que o ex-presidente tem feito em relação a se repensar a fracassada, apesar de caríssima, "guerra às drogas", baseada sobretudo na repressão, que no mundo todo consumiu mais de um trilhão de dólares ao longo do tempo e só viu o problema se agravar. Um abração

fpenin em 27 de janeiro de 2011

Setti, Você deu uma aula de como fazer , ao convencer essa fanática Silvana de que é necessário o estudo...para tudo. Profissional diferenciado é isso. Um abraço.

fpenin em 27 de janeiro de 2011

Setti, Gostei da tua aula de categoria, em relação ao que escreveu a Silvana. Antes de tudo, a colega de blog deveria fazer o que o seu eterno presidente não consegue fazer , mesmo que os céus caiam sobre sua cabeça: e s t u d a r ! Com classe, demonstraste o caminho que a tua leitora tem de percorrer. Até para ser fanático é preciso ser lúcido. Bela aula !

fpenin em 27 de janeiro de 2011

Setti, Correta a sua colocação, mas, infelizmente, no Brasil, isso acontece até em cantina de escola: as pessoas assinam sem ler o que estão assinando. Agora, a desculpa é de lascar -colocaram ali, estava em cima da minha mesa, todo mundo faz assim, etc. Os governantes mudam, mas tudo continua do mesmo jeito.

Ismael em 27 de janeiro de 2011

Flando sério, tá na cara que o FHC temia o revanchismo do PT e não queria deixar o governo com fama de ter facilitado as coisas. É óbvio que FHC não era fã do período militar, ou alguém esqueceu de quanto ele também foi perseguido? Porém, depois de ter conseguido estabilizar a economia e solidificar o respeito ao Estado, talvez ele não quizesse ser acusado de revanchista também, deixou a bola pra o Lula, que espertamente também não revogou o decreto. Assim, a "responsabilidade" de Lula nesse epsódio, pela abstinência, foi ainda maior.

Natal Santana em 27 de janeiro de 2011

Uma pessoa correta comete erros (ainda bem, pois, perfeição somente em Deus e seus anjos); pessoas desqualificads, acertam de vez em quando. Entendo que de fato, Fernando Henrique pisou na bola neste caso, mas isso de forma alguma o torna alguém parcido com Lula, por exemplo. Eu sou e sempre fui admirador do ex-Presidente, como intelectual, pensador e como politico, especialmente sua postura de estadista quando Presidente. Na sua época, aliás, eu não via nenhum líder no mundo capaz de lhe fazer sombra como intelectual/estadista e nunca entendi porque ele nunca foi candidato a Secretário Geral da ONU. Portanto, lamento este episódio, mas acredito que isso nçao será suficiente para macular sua imagem de homem público. E imagino que você, caro Setti (acertei o sobrenome, héin!), como admirador de FHC também deve ter ficado triste ao publicar este post, mas, como profissional correto que é, não se furtou em fazê-lo! Abraços

M. de Moura Filho em 27 de janeiro de 2011

Caro Setti, você não se refere ao Decreto n.º 4553, de 27 de dezembro de 2002? Sim, caro Moura, foi para esse decreto que forneci, no post, o respectivo link. Abração e volte sempre.

Telma em 27 de janeiro de 2011

Ele continua sendo um grande homem, para mim. Todos cometemos erros. Só naõ deveria ter dado uma declaração dessas. Era só fazer como o Lula: se deu certo, fui eu;se deu mais ou menos fomos nós: se deu errado, foram os outros.

Eduardo em 27 de janeiro de 2011

Prezado Setti. A pergunta que você fez em "26/01/2011 às 22:08", a meu ver, é o fulcro desse assunto, assim como, é uma rara oportunidade de ver "oposiçao" e "situaçao" (seja do governo que for) de PLENO acordo. Sem dúvida, a resposta verdadeira vai demorar muito a ser conhecida, mas ouso especular que a liberaçao desses documentos nao interessa a nenhum partido político, ou políticos, ou jornalistas, ou demais pessoas envolvidas com esse assunto e com as indenizaçoes vitalícias (!) que se dizem terem sido "revolucionários" ou "perseguidos" naquela época, pois poderia expor fatos que demonstram que alguns nao eram tao "revolucionários" assim, ou que fizeram coisas erradas sem nenhum cunho de combate à ditadura, ou, simplesmente, nunca foram revolucionários coisa nenhuma e apenas surfam na onda das indenizaçoes. Como exemplo, cito a emblemática foto do Tarso Genro (que se auto exilou) "marchando" com militares em uma cerimônia pública em plena era de "chumbo". Penso que os defensores da Comissao da Verdade deveriam opinar. Aceite um abraço. Caro Eduardo, aos jornalistas, interessa, sim... À grande maioria de nós, pelo menos. Um dia chegaremos lá. Abração

Diocleciano em 27 de janeiro de 2011

Se o caso tivesse ocorrido com o Lula certamente iriam dizer que não leu por ser analfabeto.

Rielda Cecília Lobato em 27 de janeiro de 2011

Setti,não chego a ficar estarrecida com FHC, talvez chateada por este asterisco na imagem dele. Votei 2x e voltaria a votar nele outras tantas vezes. Sem dúvida foi um grande presidente,não tem como ser diferente,a história registrará isso. Ao lembrar Sarney,Collor e o EX aí sim,fico estarrecida com nosso povo,como explicar(os tres) aos nossos netos!! Uma pergunta que não quer calar: a petralhada e seu monarca51,viram esta bola fora do FHC... o Monarca/fanfarrão que tanto tripudiou Instituições,que fez do seu cargo um ninho de víboras,enfim fez bobagens e mais bobagens, inclusive falando mal do FHC todo tempo,porque não dedurou o antecessor e revogou o tal decreto(teve 8 anos para fazê-lo)? Sinceramente,acho que o rei e sua turma,assim como o Exército "não estão bem nas fotos"... quanta coisa podre deve estar lá... e o criador, mesmo cometendo todos os desvarios que cometeu(para eleger sua criatura), será que teria conseguido?! Um dia a casa cairá e saberemos. Cara Rielda, como você poderá verificar por respostas que postei a outros comentários, acho que o ex-presidente pisou na bola duas vezes -- ao assinar o decreto e ao contar como foi. Mas isso não diminui o respeito que tenho por ele e por seu legado. Abração

jonas /RS em 27 de janeiro de 2011

rárárá...Adoro suas xingadas,já levei uma e ri muito,me senti como um colegial diante do professor. Essa na Silvana foi quase um livro de xingamentos,cuidado pra não ficar fanático também. Pode não publicar,mas,nada vai me impedir de rir e postar se não for bloqueado.

Joe em 27 de janeiro de 2011

Olá Setti, muito bem colocado o seu post. Desde os tempos que eu era universitário e Fernando Henrique um professor desconhecido do "grande público", nutro por ele grande admiração, mas essa declaração não faz justiça à sua estatura intelectual e política. Praticamente todos os que ocupam cargos elevados na administração pública (pelo menos os que trabalham de verdade) assinam diariamente dezenas, às vezes, centenas de decretos, resoluções, portarias, processos, despachos, ofícios e quejandos, mas nenhum que tenha um mínimo de juízo assina sem saber o que está assinando. É bem verdade que não é possível analisar e discutir o conteúdo de cada ato administrativo, mas em linhas gerais, todo dirigente sabe do que se trata o documento que está assinando. Considero Fernando Henrique um dos mais bem preparados presidentes que o Brasil já teve, mas vc não poderia ter escolhido palavra mais apropriada para definir a singela explicação: estarrecedor. Com relação ao prazo de sigilo, entendo que o poder público caminha segundo a sua própria lógica. Maquiavel já dizia que a vida política tem regras e dinâmica independentes de considerações privadas, morais, filosóficas ou religiosas. Sob esse prisma, todos os governos definem que alguns documentos devem ser mantidos em sigilo por determinado tempo, porém penso que meio século é suficiente para que se superem as marcas de um período traumático para o povo brasileiro e possamos todos ter conhecimento de tudo quanto verdadeiramente se passou naquela época, devendo-se cuidar, entretanto, para que a divulgação não seja seletiva, separando o "nós" do "eles". Comentário bem fundamentado e lúcido como sempre, caro Joe. Você é sempre benvindo aqui. Abração

Roberto P. Pedroso em 27 de janeiro de 2011

Caro Ricardo, realmente é mais um grande absurdo neste país dos absurdos. Concordo com o Carlos Nascimento é chegado o momento de a população brasileira deixar a passividade. E começar provocar mudanças no rumo deste país liderado por pessoas sem o mínimo de escrúpulos e valores. Um país onde a população é manipulada de forma absurda pelo poder político e econômico. Um país onde nomear para cargos públicos importantes pessoas envolvidas em atos ilícitos passou a ser normal e isso independentemente de partido político. Um país onde a corrupção se tornou um fato banal, pelo nível de impunidade destes crimes. Um país onde os órgãos fiscalizadores não fiscalizam e um país onde o Judiciário não pune. Um país onde os legisladores o fazem somente em causa e benefício próprio. Um País onde Crime de Corrupção, vira caixa dois, como se caixa dois não fosse crime. Um país onde o Presidente do País afirma que necessitamos deixar de ser hipócritas, pois todos os partidos tem caixa dois, para que os partidos tenham caixa dois as empresas envolvidas também se utilizam deste mesmo método, sonegando impostos. Como pode esta afirmação do então Presidente em exercício não gerar nenhuma investigação sobre os partidos políticos? Chega de silêncio à corrupção. Não podemos mais aceitar que instituições sem o mínimo de ética e comprometimento com a população brasileira continuem impunes. Não podemos esperar muito dos veículos de comunicação, pois o Governo Federal Brasileiro tem R$ 622 milhões para publicidade em 2011 (http://robertopontocom.wordpress.com/). Com certeza esse dinheiro é um bom cala boca ou um bom direcionador de assuntos que as bocas dos veículos de comunicação falem somente o que o povo deve saber. Os universitários (UNE) que sempre lideraram movimentos de transformação agora assim como as centrais sindicais incluíram-se neste bolo de instituições sem o mínimo de credibilidade, inclui-se aqui a OAB que aparece as vezes somente para dizer que não morreu ainda. Caro Ricardo Setti, gostei muito da sua resposta ao Ricardo no post “Ao admitir a volta de Delubio” Tenho que confiar na Justiça, nas instituições, porque sou um democrata. Se não fizer isso, o que resta? A barbárie? Fazer justiça com as próprias mãos? Uma hora alguma coisa vai acontecer. Tenho esperanças quando vejo magistrados como a ministra Eliana Calmon, do Superior Tribunal de Justiça, que agora é corregedora do Conselho Nacional de Justiça, as declarações que tem feito as atitudes que vem tomando. Obrigado por sua visita e por seu comentário, caro Roberto. E, de fato, a conclusão que você cita, para mim, não poderia ser outra. Se não me restasse alguma fé nas instituições, e na prórpria sociedade brasileira, que parece anestesiada mas não é boba, eu arrumaria minhas malas e iria parar em alguma outra freguesia. Abração

Thales em 27 de janeiro de 2011

Ricardo Setti, em uma outra oportunidade já comentei sobre isso e volto a falar: Os arquivos da ditadura não serão abertos tão cedo, pois ele desmoralizarão as Forças Armadas no período em que elas "estavam por cima", por assim dizer. Eles contem mais fofocas e intrigas do que dados relevantes e assustadores. Não divulgá-los é um modo, ainda que tosco, de preservar o que resta da imagem do Exército.

Milton em 26 de janeiro de 2011

Parabéns pela imparcialidade Ricardo. Será que restará algum político no qual poderemos confiar plenamente? abs, Obrigado pelos parabéns, caro Milton, mas só cumpri meu dever. Acho que FHC cometeu um erro, mas isso não anula sua trajetória. Como escrevi em resposta a outro comentário, além de ter acompanhado de perto sua vida pública, por obrigação profissional, conheço-o pessoalmente, de inúmeros contatos e conversas, e admiro sua agenda, a maior parte das realizações de seu governo, sua postura como cabeça mais lúcida do PSDB e seu modo de pensar o Brasil. É claro que não concordo com vários dos passos que tomou como presidente, mas isso não diminui a avaliação altamente positiva que faço de seu governo e dele próprio como homem público. Abração

J.B.CRUZ em 26 de janeiro de 2011

CARO SETTI: mais uma vez visito o seu blog(do qual fiquei visitante assíduo)e ao deparar com este comentário, fiquei não estarrecido, mas,decepcionado com a atitude de F.H.C...Mas,ao reler o post e vendo a data em que foi assinado a papelada,(27 Dezembro 2.002)resolvi relevar a ação de F.H.C e compreender o estado de Espírito do presidente..Final de mandato, já com pensamentos de cidadão comum, como ele bem disse, alguém colocou o papel lá..Também estou curiosíssimo para a abertura dos arquivos da revolução(Regime Militar) e parece-me que o atual govêrno tem podêres para tal,mas, ao mesmo tempo tem-se a impressão que alguns políticos que ora exercem cargos públicos e que estiveram contra o regime á época é que não querem tal procedimento..Na minha opinião ao ¨abrir ¨¨ o cofre com as informações das ações, haverá surprêsas com as atuações dos dois lados..

sidney em 26 de janeiro de 2011

Eeee Sr Setti Ele - derrapou feio neeee !!!! Que vamos fazer para considerar as - aulas que ele vem dando a tempo ???? Pegou mal , colocaram ?? um papel na mesa e ele tascou a rubrica..... ?? justo no ultimo dia ?? arrume uma melhor e ponto !!! Vai ficar dificil corrigir isso nao ??? Esta parecendo aquela festa de a pouco dos - PASSAPORTES - etc etc Abracos FHC precisaria assumir que cometeu um erro. Mas, cá pra nós, Sidney, por que o ex-presidente Lula não revogou ou mudou o decreto em 8 anos de governo? Abraços

carlos nascimento em 26 de janeiro de 2011

No tocante ao fato de ter assinado o decreto, óbvio que foi PRESSIONADO, muita gente, de vários segmentos, temiam à postura de um governo do PT, por isso................ é o jogo cinico da politica. O ex-presidente tinha e tem estatura suficiente para não praticar atos ao sabor de pressões com cujas intenções ele não concorda. Acredito que ele possa haver assinado o decreto formulado pela assessoria sem o devido cuidado, o que é grave porque o assunto é sério. E Lula poderia -- e deveria -- ter modificado o texto, em novo decreto presidencial.

carlos nascimento em 26 de janeiro de 2011

Então, os últimos dias estão ficando dificeis para mim, pois quem tem neurônio mediano, sabe muito bem avaliar o nível de Política e dos politicos brasileiros, está muito dificil. Os movimentos que estão em voga, são: - o projeto minas. - o projeto kassab. - o projeto pmdb, ocupar os escalões, seja do primeiro, segundo, terceiro, e.... - o projeto pt, com a preparação do banco de reservas para assumir a cadeira que será esquentada até 2014. - o projeto Alckmin, bloquear Serra, evitando a sucessão de 2014. Enfim todos estão com os seus projetos em curso, agora, O BRASIL e os BRASILEIROS, bem, esses, vão se ...., vão ..........., já me auto censurei. No mundo árabe o povo já está se mexendo, cansou das ditaduras, aqui, o País do faz de conta que é democrático, os IDIOTAS acreditam nesses palhaços. REFORMAS REFORMAS REFORMAS REFORMAS REFORMAS ME AJUDEM NESSA CRUZADA, O BRASIL PRECISA DE DIAS MELHORES.

noelia em 26 de janeiro de 2011

Estarrecida não dá mais para ficar! Votei duas vezes em FHC, contra Lula, e nunca me arrependí. Mas também jamais me iludí. Votei depois duas vezes em Lula e agora em Dilma. Mas não me iludo! Todos tres certamente ficarão na história pelo que fizeram de certo mas também pelo muito que fizeram e certamente ainda farão, de errado. FHC, neste episódio, chega a ser cínico! Mas, apesar disto, votaria nele outra vez. Eleitor, no Brasil, tbém tem que ser cínico, pois, nenhum politico escapa...realmente não sobra ninguém... Mas confesso que apesar de já conhecer o seu estilo Setti, às vezes idealizando FHC, você sim, conseguiu mais uma vez me surpreender positivamente. Obrigado por dizer que a surpreendi positivamente, cara Noélia. Quando a idealizar o ex-presidente, acho que você se equivoca. Além de ter acompanhado de perto sua vida pública, por obrigação profissional, conheço-o pessoalmente, de inúmeros contatos e conversas, e admiro sua agenda, a maior parte das realizações de seu governo, sua postura como cabeça mais lúcida do PSDB e seu modo de pensar o Brasil. É claro que não concordo com vários dos passos que tomou como presidente, mas isso não diminui a avaliação altamente positiva que faço de seu governo e dele próprio como homem público. Abração

Kitty em 26 de janeiro de 2011

Caro Ricardo, boa noite!! Precisei ler duas vezes o que voçê postó.Até Augusto Nunes ficaría de queixo caído.Eu sempre admirei o ex-presidente Cardoso,justamente, pela postura de estadista.Não consigo entender como alguém tão ponderado como ele, podería ter assinado qualquer papel ou documento,sem ler.Se tivesse sido o Lula até entendería,ele não lê nem um jornal!! Sinceramente estou decepcionada.Ricardo, estamos tão carentes de líderes e homens públicos que sejam capazes de enaltecer o cargo que lhe foi conferido pelo povo. Claro,que este comportamento um tanto leviano quita brilho á sua trajetória política,mas não o suficiente para esquecer tantos outros aspectos positivos nas suas duas administrações. Mas que estristeceu esso não posso negar!!!! Abração, meu caro amigo virtual. Outro abraço pra você, Kitty. E concordo em que esse episódio não anula o legado de FHC e sua postura de estadista. Como escrevi em resposta a outros comentários, além de ter acompanhado de perto sua vida pública, por obrigação profissional, conheço-o pessoalmente, de inúmeros contatos e conversas, e admiro sua agenda, a maior parte das realizações de seu governo, sua postura como cabeça mais lúcida do PSDB e seu modo de pensar o Brasil. É claro que não concordo com vários dos passos que tomou como presidente, mas isso não diminui a avaliação altamente positiva que faço de seu governo e dele próprio como homem público -- e, hoje, como principal figura da oposição.

vera scheidemann em 26 de janeiro de 2011

Continuo fã do Fernando Henrique, mas essa foi uma tremenda pisada na bola. Caraca... Um abraço ! Vera Prezada Vera, Minha avaliação sobre o ex-presidente é muito positiva. Foi um dos grandes presidentes da história da República. Admiro sua agenda, a maior parte das realizações de seu governo, sua postura como cabeça mais lúcida do PSDB e seu modo de pensar o Brasil. É claro que não concordo com vários dos passos que tomou como presidente, mas isso não diminui a avaliação altamente positiva que faço de seu governo e dele próprio como homem público. Mas ele pisou na bola nesse episódio. Abração

Silvana em 26 de janeiro de 2011

FHC é aquele que quebrou o Brasil 3 vezes e que deixou o país com 20% de inflação e o desemprego nos pícaros? É aquele que mandou esquecer tudo que ele escreveu e chamou os aposentados de vagabundos? Também é aquele que disse que assinou um documento sem ler? Também é aquele que vai pro exterior falar mal do Brasil e chamar o povo brasileiro de caipira? Ah, tá, eu me lembro do falecido. Essa sua avaliação é a dos cegos pelo fanatismo ideológico e por anos de lavagem cerebral petista. Existe um outro FHC, que, junto com o presidente Itamar, trouxe de volta a dignidade ao cargo de presidente, após a desastrosa e fisiológica gestão de Sarney e o catastrófico governo de Collor. Que acabou com a inflação -- os 20% que você menciona, nunca comprovados, foram resultado de uma só coisa: o temor de que Lula, com suas idéias tresloucadas de calote da dívida externa e reestatização das empresas estatais privatizadas, entre outras maluquices, chegasse ao poder (salvou-o a "Carta aos Brasileiros" idealizada pelo ministro Palocci). Que solidificou os fundamentos da economia, apesar de enfrentar várias crises internacionais terríveis, preparando o terreno para Lula surfar sobre a base construída. Que enxugou um Estado gordo e perdulário. Que criou um arcabouço moderno, sobre o qual o Estado brasileiro poderia se reerguer, mais enxuto, mais bem remunerado e mais eficiente, mas que Lula jogou por terra ao loteá-lo entre políticos e enfraquecer entidades fundamentais como as agências reguladoras. E por aí vai. Se você não fosse tolhida intelectualmente pelo fanatismo ideológico e conseguisse se informar melhor sobre esse rico período da história do Brasil que foi o governo FHC, provavelmente mudaria de ideia. Mas, claro, não tenho qualquer esperança que pessoas como você ajam ou pensem de forma diferente do que seu comentário expressa.

maisvalia em 26 de janeiro de 2011

Eu admiro o FHC, mas quando li isto no Estadão, achei que ele literalmente pisou na bola. Não dá para acreditar nesta desculpa.Ou ele ficou com vergonha de assumir a culpa pelo que fez, ou foi negligente ao assinar sem ler.

Telma em 26 de janeiro de 2011

Não sobrou ninguém. Aliás, um amigo sempre me dizia que, em algum momento, a gente vai se decepcionar com todo mundo. Em príncipio, me ofendi. Então entendi que ele estava me protegendo

Zinha_09 em 26 de janeiro de 2011

Que lástima! Será q ele é chegado a mto "mé" também e não saber o que está assinando? Mto extranho,não? FHC pode ser acusado de tudo, Zinha, mas disso não. Mas lamento a declaração e o ato que ele descreve.

VER + COMENTÁRIOS
TWITTER DO SETTI