E o título de eleitor agora serve para quê?

E o título de eleitor agora serve para quê? (Foto: Cláudia Ramos - CCS)

Está tudo muito bem, está tudo muito bom: o Supremo Tribunal, por 8 votos a 2, decidiu que o eleitor pode votar em sua seção com qualquer documento de identidade com foto.

Agora, se levar só o título de eleitor, dança. Não vota.

Cabe então a pergunta: para que serve, agora, o título?

Não foi por acaso que o presidente do Supremo, ministro Cezar Peluso, desabafou: “Esta corte acabou de decretar a extinção, a abolição do título eleitoral”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nenhum comentário

  • bruxa velha

    Quanta palhacada! Os brasileiros que vivem no exterior alem de tudo tiveram de trocar os titulos que haviam sido feitos na ultima eleicao presidencial. Quanto dinheiro jogado fora, quanto tempo desperdicado…

  • Tufikarizi

    Esclareço: O título de eleitor é uma prova de que o cidadão está cadastrado na Justiça Eleitoral e apto a votar. É um número de cadastro assim com o do CPF da Receita Federal.
    Apenas um número, mas como dói!!!!

  • noelia

    Sempre votei com minha identidade,no mesmo lugar e na mesma zona eleitoral, anos e anos a fio. Tenho 72 anos.Meu nome está sempre lá, registrado. O título na verdade´, so serviu, durante toda a minha vida, para definir local e zona eleitoral. no momento np mpmento c, s

  • Jornalista Nasser

    Ta facil,e só colocar foto no titulo,claro que só sera possivelpara as proximas eleições,até la…

  • Edda

    O Ministro Lewandovski já havia dito que pensava nos alagoanos e pernambucanos vítimas das enchentes, que haviam perdido seus documentos. Ora, se perderam TODOS seus documentos, como poderiam votar??
    Me parece que aí está, mais uma vez o “jeitinho”
    e o STF não deveria se prestar a isto.

  • Pro que sempre serviu. Tirar e renovar passaporte.
    eidia
    http://www.oquevivipelomundo.blogspot.com

  • FERNANDINHO BEIRA RIO

    DILMA DIZ: NEM MESMO CRISTO ME TIRA ESSA VITÓRIA.

  • bruno

    STF. um bando de palhaços. Sem comentários…..

  • Martha

    Agora o título eleitor serve para a mesma coisa que muitos políticos. Não serve pra nada!

  • Marcos Aarão Reis

    Embora sem liderança sobre a Corte que formalmente preside, Peluzo está se demonstrando bastante capaz de turvar as águas de onde tenta pescar alguma notoriedade.

    Fato: sempre foi possível votar sem o título de eleitor, desde que o cidadão soubesse a que Zona Eleitoral/Seção comparecer; lá encontraria o seu nome inscrito entre os habilitados ao voto e, apresentando documento de identidade com foto, ou seja após provar que era ele mesmo, poderia exercer seu direito.

    O que há muito deixou de ser possível foi votar sem comprovação de identidade.

    Como em nosso país o voto é obrigatório, o cidadão deve alistar-se como eleitor ao completar 16 anos [opção] ou aos 18 [obriga´toriamente], e o título é o documento que prova ter ele feito isso.

    O título indica a ZE e a seção onde o cidadão vota: por isso continua necessário. E o seu número é exigido nas declarações de imposto de renda, para obter passaporte etc.

    Não se deve imaginar que um ministro do STF ignore tais detalhes.

    Muito lúcido, ponderado e bem argumentado seu comentário, caro Marcos.

    Volte sempre, você tem trazido ótimas contribuições aos leitores do blog.

    Abraço do

    Ricardo Setti

  • Carlos Marques

    Para evitar constrangimentos como esse, devemos votar em deputados com certo conhecimento e competência, evitando assim criar leis que não tem valor ou sentido algum.
    Fico agora imaginando qual a verdadeira função do congresso…
    Não seria muito mais interessante e econômico para o país montar uma câmera de juízes para elaboração das leis?
    Gastaram tempo, dinheiro e muito papel oficial para criar o título de eleitor, para a três dias das eleições vir a saber que ele não tem razão de existir !!!

  • Paulo Bento Bandarra

    Sabe o que ocorre com quem não leva o título de eleitor? A DIFICULDADE BRUTAL da justiça eleitoral achar a a Zona, a seção, a mesa que o distinto pertence. Uma coisa é ter meia dúzia sem título, outra são centenas. E pensem milhares fazendo filas do dia das eleições para descobrir onde deve votar!

  • cacalo kfouri

    caro, em muitos paises não existe tal papelucho, que, sem foto, é um perigo real. se eu sei em que seção estou inscrito, meu nome está na lista, e provo que sou o dono do nome ao mesário, pra que o título? é a mesma coisa que exigir certidão de nascimento pra quem tem carteira de identidade, sem a primeira ninguém tira a segunda. abraço

  • Walfrêdo Rodriguez Neto

    Sinceramente, como advogado há trinta anos vejo que esta decisão do STF foi a mais ridícula da história: o título é útil e válido, mas desnecessário. Se fosse um aluno de direito numa prova acadêmica tal argumento seria motivo de chacota. E o pior: sete maiores da magistratura sufragaram (sem título) esse mostrengo de lógica. E o povo que se dane, o dia todo tirando segunda via de um título imprestável.
    Pra não falar no argumento da inconstitucionalidade: é inconstitucional o que assegura com maior segurança (perdoe-me a ênfase) o direito do voto, do exercício da cidadania.
    Pra nao dizer que o STF passou a ser legislador.
    Bem,mil argumentos teria para comentar sobre a pérola jurídica do século: um título que não serve pra nada, desprovido de finalidade, ainda que a lei dê tanta ênfase a ele.

  • Lia/SP

    Algumas dúvidas para o STF: (que fez do título de eleitor um documento inútil, sob as vistas e beneplácito do Ministro Lewandovsky, atual presidente do TSE) se o nome do eleitor não estiver na lista que os mesários recebem, como eles verificarão que o eleitor está inscrito naquela zona eleitoral, que é ali mesmo que ele vota? No caso de pessoas com nomes comuns, passíveís de homonímia, como ter certeza de que se trata mesmo do eleitor que consta na lista e não de alguém querendo se passar por outrem? Os mesários devem ligar para os ministros do STF, na hora, para esclarecer e resolver o que fazer? Se o título de eleitor é um documento inútil, por que o TSE não o aboliu antes?
    Incrível! Como disse, outro dia, um articulista de um grande jornal, o STF parece estar usando uma das máximas que Chacrinha usava em seus programas: “eu não estou aqui para esclarecer, mas para confundir”.

  • sergio

    Neste mes de setembro caiu o último reduto de sensatez dos 3 poderes. Também com 9 indicados pelo governo lulla,não poderia ser diferente.
    Resultado:executivo desleixado, corrupto; legislativo:bem,voces sabem…
    judiciário: decide que só não se pode votar se levar o título de eleitor, depois do empate do ficha-suja.

  • Marcelo F

    Setti,
    muita calma nessa hora! O ministro Peluso exagerou. Parece que ele perde a calma quando é voto vencido.
    Cada seção eleitoral tem a relação dos eleitores inscritos e habilitados para votar naquela seção. Basta verificar se o eleitor é quem alega ser e se o nome está na lista. Se o gajo esquecer em qual seção vota, terá de consultar o site do TRE ou perder um tempão consultando a listagem geral afixada no local de votação.
    O título não deve ser descartado, pois ele comprova o alistamento do eleitor. Deve ser apresentado em várias situações (por força de lei), acompanhado dos comprovantes recentes de votação, para tomar posse de cargo público ou para tirar passaporte. Não perdeu importância nenhuma.
    O problema todo foi criado por uma lei recente, que teve parecer favorável da Casa (Ci)Vil de Dilma Ruimssef, recebeu a sanção do presimente Mula, e entrou em vigor no ano passado, impondo a exibição do título e de uma carteira de identidade com foto no momento da votação. Durante a campanha eleitoral, o marqueteiro petista João Santana levantou a possibilidade de aumento de abstenções dos leitores das classes C e D por conta disso. Daí veio o PT com a Adin para nulificar a lei. Isso está no Estadão de hoje, não inventei nada. O STF fez o que tinha de fazer: julgou a Adin. A meu ver, com qualidade (basta a carteira de identidade, como tem ocorrido nas últimas eleições).
    Abraço e sds.,
    de Marcelo.

  • berto

    Está comprovado. Juízes do Supremo adoram legislar. As nobres vestais do Olimpo planaltino deixam passar a grande oportunidade de fazê-lo de fato e de direito. Câmara Federal e Senado estavam aí de urnas e portas abertas.

  • Mirian

    Ricardo, coisa bizarra. Se você não tiver o título de eleitor, não tira passaporte e não consegue emprego.
    Ele só não é necessário para … VOTAR!
    Abraços.

  • Robert

    O STF julgou o que não estava em julgamento. O PT entrou com uma ação direta de constitucionalidade. Ou a lei era constitucional, e não cabe ao STF “flexibilizar” leis, ou era inconstitucional e deveria ser derrubada. O STF exorbitou do poder constitucional que detém, o que parece ser normal na era do vale-tudo lulista.

  • Robert

    Correção: ação direta de inconstitucionalidade

  • maria monteiro

    Ora, Ricardo, serve para:
    1) tirar passaporte;
    2) jogar nosso dinheiro pela janela (impressão de novos títulos, propaganda para orientar o eleitor) 3) DESMORALIZAR DE VEZ o STF: onde se lia STF leia-se SUPREMO-CIRCO;
    4) e para perguntar: a propaganda do STE é feita pela casa (não creio) ou contratam-se terceiros, com licitação e tudo mais? A 3 dias da eleição chama-se quem já estava contratado, porque tempo para começar do zero não há, certo? Preciso me informar sobre isso. Tá vendo, essa inconstitucional aberração é educativa. E ainda reclamo de ter meus direitos aviltados!
    Devo achar que estou na Inglaterra onde, segundo a candidata-SUMIDADE-EM-IGNORÃNCIA no debate de ontem, há ingleses. E eu que nem tinha notado!

  • eduardo

    Diante das decisões deste tribunal , como obrigatoriedade de documentos para votar e o ficha limpa , cabe perguntar, para quê o supremo se não decide nada e quando decide toma postur ?????

  • jayme guedes

    Ricardo, seria difícil para a direção da campanha do Serra repetir em todos os programas eleitorais, como um mantra, a seguinte advertência ao eleitor: se você basear-se no que os candidatos dizem, você desejará votar em todos eles e isso não é possível. Portanto, esqueça o que os candidatos dizem e baseie-se exclusivamente no que fizeram. Essa linguagem o Zé Ruela entende.

  • RICARDO

    Ricardo,
    Embora desfocado da pauta, mas depois de ler a excelente reportagem de Veja desta semana sobre as investidas do presidente Lulla contra a imprensa, gostaria de dirigir-lhe a seguinte indagação:
    Havendo deixado a presidência da República e não sendo mais o presidente de honra do partido, portanto, teoricamente sem voz e vez, como a imprensa livre e independente deveria tratá-lo doravante?

    Caro Ricardo,

    Acho que a imprensa deve cobrir suas atividades, antes de mais nada.

    Aí, dependendo dos atos e gestos do ex-presidente, chegará a vez de analisá-los.

    Vamos aguardar e ver quais serão as atividades e como será a vida de Lula pós-Presidência.

    Um abraço do

    Ricardo Setti

  • Flávio Carvalho

    Que maravilha a nossa corte suprema. Parabéns senhores. Não é à toa que este país está neste esculhambação. Começa na mais alta corte do país.

  • Ana Carol

    ALGUEM AQUI PASSOU PROCURAÇAO PARA LULA VOTAR NO NOSSO NOME?

    Eu, ao eleger a presidenta Dilma, quero ter muito cuidado para que não haja da minha parte nenhuma intromissão em qualquer coisa que ela queira fazer.

    Lula, que substituiu o povo ao dizer que elegerá Dilma

  • Camada von Ozonio

    SERVIRÁ COMO PROVA HISTÓRICA SOBRE A INCOPETÊNCIA DO STJ

  • V.H.

    A pergunta está equivocada! |Deveríamos perguntar para que serve o legislativo se o supremo faz ou interpreta como quiser qualquer lei inclusive a constituição

  • Bruno

    Título de eleitor era um documento que dava orgulho em muita gente!!

    Hoje ele não serve pra nada!! Até isso essa PETRALHADA acabou!!

    Fico com sérias dúvidas que isso naõ seja o primeiro passo para um golpe amplo, geral e irrestrito!!

    abraços

  • Luz

    Pois eu ainda acredito que se nao levarem o titulo no dia da votacao, sera um transtorno gigante. A maioria nao lembra de cabeca onde vota. Ate lembra o local mas nao a secao. So esperando para ver.

  • carlos nascimento

    Estranho STF, no apagar das luzes muda as regras do jogo, parece cartola de futebol na época das viradas de mesa,estranho STF no impasse do julgamento dos fichas suja, o empate parece jogo combinado nos bastidores, estranho STF, agora tem vídeo na praça gravado com genro e sogro envolvido até o pescoço, estranho STF que faz dormitar nas gavetas o julgamento da maior quadrilha organizada criminosa – palavras do ex.procurador da República – as alegações vão de dores na coluna à jogo combinado.
    Bem, na era das trevas, na era do molusco, o conjunto da obra só poderia oferecer esse assombro de Tribunal. Tempos tristes e pavorosos, oxalá passe rápido, e possamos respirar outros ares, que saudades dos grandes juristas, onde STF era sinonimo de alto nível.
    Agora nada mais surpreende, até Toffoli (pode) tivemos que engolir, a história é cruel, ela irá espelhar com espanto essa “maravilha” de desempenho.
    Ricardo, diga ai, vc concorda ou discorda do seu amigo comentarista ?????

    Caro Carlos,

    É difícil dizer se concordo ou não com o amigo comentarista. Você levantou muitas questões.

    No geral, tendo a achar que o Supremo se mantém em geral independente das paixões políticas. Não vejo má-fé na questão do empate no julgamento da aplicabilidade da Lei da Ficha Limpa para esta eleição. A questão é complexa. Se tivéssemos o número normal de 11 ministros, matematicamente não haveria empate.

    Excetuado o ministro Toffoli, que realmente não tem currículo à altura do Supremo, considero de razoáveis para boas as designações feitas pelo presidente Lula para a Corte, com a aprovação do Senado.

    Quanto ao processo do Mensalão, o grande problema é que os advogados de defesa dos réus arrolaram centenas de testemunhas, que vivem em diferentes partes do país e até no exterior. O ministro Joaquim Barbosa, ao que se sabe, tem trabalhado muito no caso. Acho que ainda poderemos ter surpresas.

    Um abraço, volte sempre.

    Ricardo Setti

  • Vítor

    O título de eleitor é necessário para se tirar passaporte alguns empregos e outras coisas. Ou seja , Ricardo, ele tem utilidade….

  • Helo

    só serve pra dizer a seção que a pessoa vai votar…

  • Gione Oigen

    O Brasil deve ser o único pa;is do mundo que tem um documento oficial que não serve para nada.

    Nem para limpar a b….

  • Glenio Amalio Gastaldo

    Com a extinção do título eleitoral,extinga-se por
    extensão o TSE e todos os TRE,que se tornaram obso-
    letos!

  • mafalda

    Já vi gente achando que como não precisa do título pode votar em qualquer lugar. Vai dar confusão!

    Você tem razão, Mafalda. O eleitor pode votar sem o título, mas na seção em que está inscrito. Não em qualquer lugar.

    Abraços, obrigado por sua contribuição

    Ricardo Setti

  • Jose figueredo

    Pois é Seu Ricardo;a graça disso tudo é que quando fiz meu titulo,ainda aquele antigão,grande,branquinho,com minha foto.Achava eu que tinha conquistado o meu naco de Brasil,mostrei orgulhoso para meus familiares,dizendo que ja era homem de responsabilidade e que aquele papel me traria benesses mil.Pelo menos poderia mandar os políticos trabalharem em prol dos meus sonhos.Um BRASIL justo.38 anos após, 8 homens incomuns o reduziram a um pedaço de papel(nem para higiênico serve,porque foi bastante diminuido pela informatica e ainda plastificado)

  • Jose figueredo

    Se fizermos as contas do custo desta maldita lei dos dois documentos ,analizando a utilização da estrutura da cãmara e do senado,considerando ainda a estrutura do executivo na aprovação final,custou o olho da cara de nós brasileirinhos.VAMOS CHORAR O PREJU?

    quantas casas sairiam do papel?

    Vale a pena manter o congresso aberto?

    Com a palavra os senhores congressistas.eles nos devem uma explicação.Ficam legislando leis inconstitucionais?

    O que é isso companheiros!

    Não brinque, caro José. Claro que precisamos de um Congresso aberto.

    Se deputados e senadores não estão à altura do que esperamos, o negócio é votar em bons nomes.

    Congresso fechado é sinônimo de ditadura.

    Melhor um mau Congresso do que Congresso nenhum.

    Melhor ainda é um bom Congresso. E isto depende só de nós, brasileiros.

    Abraços do

    Ricardo Setti

  • Almir Bohana

    Caro Ricardo Setti:
    Vou dizer, com todo sinceridade, para que serve o
    titulo de eleitor: rasgar e jogar no lixo. E quem
    determinou que assim fosse, foram os 8 ministros do
    STF que votaram pela apresentação de um documento
    com foto, principalmente o ministro Ricardo Lewandowski, presidente do TSE. Não só isso, eles
    afirmaram que o TSE não serve para nada.
    Essa é a mais alta corte da justica brasileira.
    Ém uma pena. É uma vergonha.

  • Jose figueredo

    Caro Ricardo,e não estamos numa ditadura sindical?O congresso vota o executivo veta e o STF extingue.Existe outra explicação.Se legisla por meio de MPs E pEcS e o diabo a quatro.pra tudo só se diz Amem.

    Caro José,

    Estaríamos em situação melhor se o Congresso, eleito pelo povo, cumprisse a contento suas funções.

    A Constituição atribui ao Congresso uma série de poderes, especialmente no campo da fiscalização, que ele, por uma razão ou outra, não exerce. No passado, exerceu muito mais — nos anos anteriores ao regime de 1964, por exemplo.

    Quem sabe o novo Congresso saído das urnas não será melhor? Depende de nós, brasileiros, e do nosso voto.

    Um abraço do

    Ricardo Setti

  • jefferson

    Serve para o senhor ficar de biquinho!

    Me respeite, Jefferson. Mas aí está seu comentário infatilóide.

  • Tucano Otimista

    Realmente a cada momento nós fazemos questão de realçar o nosso amor pela burocracia, pelos papéis e pela nossa herança ibérica. O presidente do STF demonstrou ser um burocrata militante. O título de eleitor serve apenas para localizar a zona. Nada mais.

    Futuramente, com o desenvolvimento dos sistemas de informação ele poderá ser totalmente dispensado. O cidadão, de sua própria residência, via internet ou terminais próprios da justiça eleitoral, informa o seu CPF e o sistema informa a zona para a qual deverá se dirigir. O cruzamento dos dados do CPF com a situação eleitoral é perfeitamente factível.

    Aliás não faz sentido essa quantidade de documentos como Carteira de Identidade, CPF, Título Eleitoral, Carteira Profissional, etc. etc. Isso só nos leva a perder tempo, dinheiro e muita chateação. Um único cartão magnético poderia reunir todas essas informações, significando considerável economia de tempo e dinheiro para todos nós.

  • Dulce Toledo / BH

    Caro Setti,
    não é uma vergonha, isto? Mudar as regras no meio do jogo é no mínimo desrespeitoso! Dificil é acreditar nas instituições deste país, viu.
    Um abraço
    Dulce

  • Atá

    Deveríamos todos mandar uma carta com o título de eleitor dentro para o STF, iriam receber milhares, talvez milhões de cartas e entupiríamos eles lá, mandando eles usarem o título para limpar…….

  • jefferson

    Sei que o senhor deve preferir o “educado” Diogo Mainardi ou o “intelectual” Reinaldo Azevedo. Se biquinho fosse a única palavra ofensiva desse semanário estariamos no paraíso.

  • Angela RAMarques

    Vcs deviam conhecer mais a legislação. Pela lei, o único documento que o cidadão é obrigado a portar é a carteira de habilitação. Os demais, exige-se apenas o registro: o registro de eleitor, o registro geral (identidade), o registro da CTPS, o registro do CPF …
    Quem anda com o título no bolso? Quem não dirige, às vezes, porta a identidade (e não é obrigado por lei alguma de apresentá-la).
    Então, se vc tem o registro eleitoral e tá lá bonitinho na lista de registrados (votantes) na lista do tribunal, comprova-se o direito ao voto.
    Ora, isso é claro. Dizer que acabaram com o título é piada – de péssimo gosto!
    Bom voto a todos com seu documento COM FOTO.

  • Duda Cardoso

    Data Venia, pra limpar a b…

  • alexandre ataíde neto

    STF CASSA O TÍTULO DE ELEITOR A VESPERA DA ELEIÇÃO DE 2010. PARA O STF O TÍTULO É “FICHA SUJA” PORQUE NÃO TEM CARA

    O JUIZ GILMAR MENDES FOI O RELATOR DESTA NEGLIGÊNCIA ELEITORAL, ESTE MESMO JUIZ, NEGLIGENCIOU O ELEITOR NA VOTAÇÃO DA FICHA LIMPA, AO COLOCAR A CULPA NO PRESIDENTE LULA, POR NÃO TER NOMEADO O JUIZ PARA DESEMPANTAR TAL PROBABILIDADE.

    03/10/10.
    As negligências aprontadas pelo STE e STF são tantas que é impossível ficar calado e engolir a seco tais aberrações. Cassar o Título de Eleitor, o mais importante documento apresentado pelo eleitor no dia da votação, era a medida inconstitucional menos esperada pelo povo, principalmente partindo de um órgão federal que tem a obrigação de zelar pela constitucionalidade de tal documento. Só mesmo num país de absurdos, acontecem tais disparates, e quando tais disparates partem do próprio guardião das leis, é dolorido e de difícil absorção. Pergunto a quem recorrer para pedir a punição dos responsáveis por estes crimes eleitorais, ou juizes desses portes, são inatingíveis, mesmo cometendo tamanha arbitrariedade? O que faz MP e a Procuradoria Geral da União neste caso fica calada e se junta as tais usurpadores?

    Atenc.
    Alexandre Neto. Belém – Pá.

  • alexandre ataíde neto

    O CRIME ELEITORAL COMETIDO PELA CORTE MAIOR DO PAÍS (STF) AS VESPERAS DAS ELEIÇÕES. A CASSAÇÃO DO TÍTULO DE ELEITOR

    É com indignação que escrevo essas palavras.

    Senhores Juízes: vocês não foram questionados para cassar tal documento, tão pouco para descartá-lo e invalidá-lo, bem como, tirá-lo de circulação aos seus bels prazeres.

    Vocês foram questionados para assegurar ao eleitor o direito de votar apresentando apenas um documento, ou seja, na falta do documento e símbolo maior da eleição – o título – outro documento com foto. Vocês deveriam saber – isso é previsível – que nem todo eleitor tem outros documentos, apenas o título, principalmente o eleitor interiorano. Vocês deveriam saber que este documento é o único que impõe sanções e punições ao eleitor se não usá-lo no dia do seu uso.

    Os outros documentos apenas privam e freiam o eleitor de continuar em busca de seus objetivos. O fato de serem questionados, não lhes deu o direito de cometer tamanha arbitrariedade, já que vocês não são os donos da verdade.

    Se vocês fossem os donos da verdade não cometeriam essa atrocidade eleitoral. Nas suas decisões ultimamente – ficha limpa não decidida, liberação de parlamentares bandidos, a não retirada da urna de bandidos confessos, a permissão que estes continuassem persuadindo o eleitor a votarem nos mesmos – na se vê um mínimo de sabedoria!

    Por quê? Porque, sabedoria é nata, vem de berço. Sabedoria não é sinônimo de conhecimento, tão pouco de estudo. Ninguém nasce sabendo nadar, tão pouco andar de bicicleta, aprende-se, e o que vocês têm é apenas aprendizado e saber acima da média. A pergunta que não quer calar. Porque vocês estão sempre do lado do bandido não do eleitor?

    Que digam estas decisões incongruentes tomadas por vocês: ficha limpa não decidida, liberação de parlamentares bandidos, a não retirada da urna de bandidos confessos, a permissão que estes continuassem persuadindo o eleitor a votarem nos mesmos, a culpa pela não aprovação da ficha limpa atribuída ao Lula por não ter nomeado 11º juiz. Quando iniciei este comentário, já havia votado. Antes de ir votar, pela manhã, me veio a idéia de ir primeiramente à sede do TER, pedir através de um requerimento, um salvo conduto, para poder votar, apresentando apenas o título. Desisti. Cheguei à minha zona as 08h15m.

    Estimei que houvesse umas 50 pessoas na minha frente, e que no máximo ficaria na fila uma hora, até votar. Fique 02h: 30m. Protestei pela demora. Antes de entregar o título a mesária do listão, me dirigi a presidente da zona, perguntando a mesma, se poderia votar só com o titulo.

    Esta respondeu que não. Argumentei que sempre votei apresentando apenas o título. Disse mais a esta. Que quem deveria ser cassado não era o título, sim o juiz, ou juizes que o cassaram, considerando que o ato era inconstitucional. A tapada me respondeu que na próxima eleição o título seria complementado com a foto.

    Atenc. Alexandre A. Neto. Belém – Pá.

  • solngesa

    isso e uma verdadeira molecagem, quer dizer que gastam dinheiro confeccionando o titulo pra nada isso e so mais uma robalheiro, bando de ladroes, corruptos , covardes

  • Isabella nardoni Bruno lo´pes

    PARA LIMPAR *** ****

  • Guaciara Teixeira

    Hoje eu tive vergonha de ser brasileira, pois fui cumprir meu direito de cidadã, não sou uma pessoa de assistir televisão porque sai para trabalhar ás 5:30 da manhã e só retorno as 20:00, eu não estava sabendo que os ministros do TRE, tinha acabado de destruir o titulo de eleitor, pois hoje o único dia que todo brasileiro tirava ele da gaveta para assim cumprir sua cidadania, esses poderosos acabaram com isto,pois não tive direito ao meu voto , pois não levei a RG a mais de trinta anos que exerço o meu dever cívico, fui até a minha sessão e tive meu voto negado, negado pelos senhores do TRE, que transformaram o titulo de eleitor em nada.
    O que deveria fazer agora e que todo brasileiro joga-se o seu tituto de eleitor fora , já que a identidade e quedar direito de voto.

    A necessidade de levar documento de identidade com foto foi amplamente divulgada durante meses e meses a fio, e é exigência da lei.
    Não houve uma conspiração de “poderosos” para coisa alguma. O que se pretende é evitar que uma pessoa use o título de outra para votar, fraudando a eleição. Como você sabe, o título de eleitor não traz foto de seu titular.