ELEIÇÕES 2014: Haverá algo de podre no reino do Maranhão?

Lobão Filho: depois de ganhar de presente de papai uma cadeira de senador, agora disputará uma eleição de verdade: é o novo candidato dos Sarney ao governo do Maranhão (Foto: Lia de Paula / Agência Senado)

Lobão Filho: depois de ganhar de presente de papai uma cadeira de senador, agora disputará uma eleição de verdade: é o novo candidato dos Sarney ao governo do Maranhão (Foto: Lia de Paula / Agência Senado)

Vejam quanta coisa esquisita anda acontecendo no Maranhão em relação às eleições de outubro.

Em primeiro lugar, o candidato dos Sarney à sucessão da governadora Roseana Sarney (PMDB), o ex-secretário estadual de Infraestrutura, Luiz Fernando Silva, escolhido há meses pelo próprio senador José Sarney (PMDB-AP) e apoiado pela presidente Dilma e por Lula, decide desistir de concorrer.

Seu substituto, escolhido pelo clã, será o senador Lobão Filho (PMDB-MA), que na verdade é apenas o suplente em exercício do próprio pai, o ministro das Minas e Energia, Edison Lobão.

Lobão Filho jamais teve um único voto na vida — os primeiros, disputará agora.

Ganhou de papai, de graça, uma cadeira no Senado da República, que já exerceu por mais de dois anos na legislatura passada, quando Edison Lobão foi ministro de Lula, e por outro ano e quatro meses na atual legislatura, período em que o genitor voltou ao cargo no governo Dilma.

Tudo graças à legislação imoral que permite aos candidatos ao Senado indicarem, como suplentes, a mulher, o marido, o pai, o irmão, o tio ou outros parentes, sem contar as indicações de financiadores de campanha, ricaços que na prática compram pedaços de mandato.

Um candidato escolhido há meses, que já estava em virtual campanha por todo o Estado, substituído por um noviço nas urnas? Hmmmm….

Mas tem mais: candidata tida como certa ao Senado, a governadora Roseana Sarney, na reta final, desistiu da corrida, anunciando que permanecerá no Palácio dos Leões até o final de seu mandato, a 1º de janeiro de 2015. Era tida como eleita, e importante para compor a base do governo Dilma no Senado, caso a presidente se reeleja em outubro.

Isso tudo num cenário em que o candidato que até agora lidera disparado as pesquisas de intenção de voto, Flávio Dino, ex-deputado do PCdoB — que, curiosamente, NÃO é apoiado pelos tradicionais aliados do PT — deixa claro que não estará com Dilma na campanha e já fechou acordo para ter, em seu palanque, os dois principais adversários da presidente: Aécio Neves, do PSDB, e Eduardo Campos, do PSB.

Haverá algo de podre no meio século de domínio quase ininterrupto do clã Sarney no Estado que está sempre disputando o campeonato dos piores indicadores de desenvolvimento humano do país?

Algo assim como uma derrota eleitoral à vista?

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 Comentários

  • Lorney

    Sugestão à oposição brasileira, na presente quadra da vida nacional.
    Como enfrentar Dilma Vana Rousseff?
    – Com uma gramática rudimentar e a aritmética.
    Como enfrentar Luiz Ignácio Lula da Silva?
    – Com o Código Penal Brasileiro.

  • ze do matogrosso

    ..como sempre, é uma famiglia de oportunistas e bucaneiros. Tais e quais os ratos, são os primeiros a abandonar a canoa furada da gerentona. Tomara que esta onda se propague pelo norte/nordeste, paraiso do bolsa familia e dos coronéis cangacistas, no dizer do odorico paraguassu.

  • GUGA10

    Os ratos estão abandonando o barco. A coisa está feia

  • Leonardo Saade

    Prezado Setti, esse é um dos absurdos que o bagunçado sistema político brasileiro permite:parlamentares sem voto!
    Aqui no Espírito Santo, a Senadora Anã Rita do PT, ganhou 4 anos no Senado por ser Suplente do ex-Senador Renato Casagrande, que se elegeu Governador em 2010. A Senadora capixaba sem votos é uma das mais ferrenhas opositoras da CPI da Petrobras. Além disso , Ana Rita e uma parlamentar que acha nosso sistema penal “muito pesado e opressor” e afirmou: ” Não é uma questão de punição do ponto de vista penal. É social. Essas pessoas não são perigosas, não pegam em armas, não agridem ninguém. Essas pessoas têm dificuldade de lidar com a incapacidade financeira. Hoje, você tem uma questão de propaganda de shampoo, comida, iogurtes e roupas que é insuportável. É muito difícil você resistir. Isso não justifica pegar nada que seja dos outros. Mas uma vez que não deu pra resistir a essa vontade, isso é um problema que deveria ser levado a um serviço social”. A Senadora defende um código penal mais “leve”…
    Sem falar no Senador Zeze Perrela do PDT-MG que ganhou 7 anos no Senado por ser suplente do falecido ex-presidente Itamar Franco.O Senador Itamar era um ferrenho opositor ao governo. Perrela é da base do governo e votou contra a CPI da Petrobras . Esses fatos políticos são como jabuticaba: Só no Brasil…

  • Vera Scheidemann

    Pobre Maranhão !
    Vera

  • joao rumão

    Odorico Paraguassu fica no chulé de D. Bigodon, mesmo que per cam nas eleições, os juízes colocados por eles, lhes dão o poder fácil fácil, e tem muita gente que tem rabo preso no MARANHÃO, TODOS DEVEM FAVORES OU SERÃO TAMBÉM DECAPTADOS! KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK E AINDA ACHAM QUE O MARANHÃO TEM ALGUM JEITO? KKKKKKKKKKKKKKKKK

  • João Augusto

    As mudanças só dependem do povo do Maranhão. Se escolher votar no “Lobinho”, é porque gosta de sofrer.

  • Peter Pablo Delfim

    O Maranhão padece de todos os males possíveis e imaginários. Principalmente daqueles impossíveis de se imaginar mas que existem puxados por Sarney e Lobão. Triste sina a do povo maranhense!

  • Corinthians

    Infelizmente o Brasil é um grande Maranhão… um emaranhado político mesmo…

  • Maria Luz

    Esse filho do Lobão não nega a quem puxar. *** como o pai. Nepotismo desavergonhado! Que sina a do Maranhão em ter de aturar gerações de incompetentes de uma mesma família como seus representantes. Deveria ser proibido colocar como suplente familiares e amigos. Suplente é o que não recebeu votos suficientes para exercer o cargo, é o 2o.mais votado. Como pode essa aberração?

    Essa forma de suplência que você menciona, cara Maria Luz, não existe mais desde a Constituição de 1988. Os candidatos ao Senado já constituem chapa com um primeiro e um segundo suplentes, cujos nomes, porém, praticamente nunca são divulgados. A escolha dos suplentes se dá na mesma convenção em que o candidato ao Senado é decidido, e em geral é ele próprio quem indica quem quer que fique na suplência.
    Evidentemente as designações de parentes são uma imoralidade.
    A boa norma é a dos Estados Unidos: o senador morre, realiza-se uma eleição específica para preencher sua vaga. Se está no finalzinho do mandato, o governador do Estado indica um substituto provisório. Em geral, para homenagear o morto, fica a viúva, por alguns meses apenas.
    No Brasil, eu até esta prática baniria por completo.
    Uma alternativa à eleição no caso de morte seria proibir por lei a escolha de parentes para a suplência e extinguir o segundo suplente, uma excrescência.

  • Allef gustavo silva dos santos

    O Maranhão vive a 50 anos sob dominho da oligarquia Sarney. Agora tentam perpetuar seu prisipado apresentando Lobão filho como candidato ao governo maranhense,uma pessoa corrupta,com uma extensa fixa suja,porém Dilma que diz combater a corrupção o está apoiando,o problema e que o PT aprova sim essa política corrupta,onde nos imaginária os que um presidente do supremo tribunal federal fosse ameaçad