ELEIÇÕES EUA: Por que acho Obama melhor — e espero que ele vença

Barack Obama votou, nesta manhã, no centro comunitário Martin Luther King, em Chicago, e Mitt Romney em Belmont, na cidade de Massachusetts

Obama votando, pela manhã, no centro comunitário Martin Luther King, em Chicago, e seu adversário, Mitt Romney, logo após votar em Belmont, Massachusetts

Esse tema é área do campeoníssimo Caio Blinder, mas não resisto em meter a colher.

É incompleto, injusto ou mal intencionado qualquer julgamento sobre a gestão do presidente Barack Obama que não leve em conta a brutal, efetivamente maldita herança que recebeu do infeliz governo do presidente George W. Bush.

Os três vértices da herança foram uma monstruosa crise econômica que deixou de ser combatida em seu nascedouro, se alastrou pelo mundo inteiro e quase levou o país mais poderoso do mundo à quebra, e duas guerras infelizes e mal conduzidas que custaram a vida de 6.604 soldados, ferimentos, muitas vezes gravíssimos e incapacitantes, em outros 50 mil e gastos de 1,4 trilhão de dólares.

A eleição de Obama para a Casa Branca em novembro de 2008 foi um episódio épico e emocionante — e, se é verdade que o primeiro presidente negro da grande República americana decepcionou em relação a muitos sonhos que fez despertar em milhões de compatriotas, seu saldo é sem dúvida positivo.

A base militar de Guantánamo, que os EUA mantêm em Cuba, e onde fica a prisão: promessa não cumprida (Foto: US Marine Corps)

Sim, Obama levou um Nobel da Paz sem que cumprisse sua promessa de desativar o vergonhoso presídio para acusados de terrorismo na base de Guantánamo, em Cuba. É certo que as condições do presídio melhoraram consideravelmente, que sua população carcerária diminuiu e que alguns dos detidos foram enviados a seus países de origem ou julgados devidamente. Mas não há perspectiva de que terá direito a um julgamento segundo a Constituição americana um punhado de cidadãos que permanecerão presos, sem culpa formada, por tempo indeterminado.

Felizmente, o presidente desativou todo o arcabouço legal sórdido engendrado pelos cérebros da repressão do ex-presidente Bush, que justificavam moral e juridicamente a tortura. Guantánamo, contudo, continua lá.

Continua também o impasse no Oriente Médio, e a propalada abertura do novo presidente para o mundo muçulmano não alterou a postura de regimes e grupos fundamentalistas hostis. Seu endurecimento com o inarredável governo de Israel não fez caminhar o processo de paz — e provavelmente lhe custou votos –, e sua política para com o Irã, de início mais branda, e aos poucos mais enérgica, igualmente não levou o regime dos turbantes a arrefecer seus planos nucleares.

A imponente sede da General Motors, em Detroit: empresa recuperada e maior faturamento da história (Foto: USA Today)

Em compensação, por mais que críticas possam e devam ser feitas à condução que deu à economia e à dificuldade da política econômica em baixar a taxa de desemprego, o fato é que a administração Obama salvou os Estados Unidos do caos. As colossais somas de dinheiro injetadas no sistema bancário e na indústria automobilística produziram resultado, centenas de milhares de empregos foram salvos, gigantes como a General Motors voltaram a produzir carros de alta qualidade e a dar lucro — o faturamento no último exercício foi o maior de seus 103 anos de história. Mais, e importantíssimo: o dinheiro empregado em grande parte já voltou aos cofres públicos e ao Fed, o Banco Central americano.

O presidente teve êxito no cavalo-de-batalha de sua administração — a instituição de uma rede de proteção social no setor de saúde, que passou a incluir quase 40 milhões de americanos antes sem assistência. Era promessa de campanha, antevia-se como de aprovação quase impossível por um Congresso historicamente hostil à ideia (até o popular presidente Bill Clinton precisou recuar de projeto semelhante) e terminou por ser a grande vitória política do presidente.

Marines desembarcam suprimentos de um helicóptero no interior do Afeganistão: dezenas de milhares de soldados já foram retirados, e todos estarão de volta aos EUA até o final de 2014 (Foto: Getty Images)

Quanto às guerras, bem ou mal os Estados Unidos cessaram ações de combate no Iraque em setembro do ano passado, de onde retiraram a maioria das tropas, e prosseguem os planos para uma retirada completa do Afeganistão até o final de 2014.

O presidente, todavia, não conseguiu alterar para melhor o enfoque em relação aos dois países, como se esperava, diminuindo a ênfase militar e concentrando-se no que poderia realmente fazer uma diferença — investir fortemente na reconstrução (ou na instalação, no caso do regime de Kabul) da infraestrutura dos dois países.

A esse legado de altos e baixos contrapõe-se um candidato, o republicano Mitt Romney, que muda de ideia conforme sopra o vento em relação a temas básicos, que combate um sistema nacional de saúde, como o de Obama, inspirado no próprio modelo que ele, Romney, criou em Massachusetts quando governador, e que combate o excesso de gastos públicos dos democratas mas propõe um considerável aumento das despesas militares. Ele acha pouco, por exemplo, o plano em curso do governo Obama de construir nada menos do que 300 novos navios de guera a médio prazo.

Romney venceu as primárias republicanas equilibrando-se entre posições moderadas e concessões à direita religiosa.

Essa gente aos poucos domina o Partido Republicano, antes uma espécie de baluarte de valores que fazem parte do DNA dos Estados Unidos: a permanente desconfiança do governo, a postura de que o Estado, em princípio, é uma ameaça às liberdades civis, a crença sem limites na iniciativa privada como motor do desenvolvimento, o apreço à democracia representativa.

Tais valores vêm recuando, dentro do Partido Republicano, diante de posturas ultraconservadoras, quase hidrófobas da direita religiosa em matéria de temas sociais, sua desconfiança dos imigrantes, sua agressividade no plano militar e sua profunda tendência ao isolacionismo.

Na Casa Branca, com maioria na Câmara dos Representantes e tendo essa direita fanática a empurrá-lo, Romney não faria bem ao mundo e nem, creio eu, aos Estados Unidos.

Em contrapartida, o Partido Democrata, de Obama, por mais que abrigue contradições internas, vejo como mais flexível e compassivo.

Por essas e outras, acho Obama uma melhor opção e espero que ele seja reeleito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 + dezoito =

Nenhum comentário

  • Marcelo Meireles

    Ué, então ficou engraçado rsrs

    Obama é democrata. O Partido Democrata apoia sindicatos, em via de mão dupla. Obama tenta ampliar a fraca rede de proteção social do Estado ( e com isso atrai o ódio republicano ). Democratas defendem maior ação do Estado na Economia.

    Obama não é uma esqueeeerda, esquerda mesmo. Mas até canhoto ele é rsrs.

    É sempre interessante ver quem tem repulsa à Esquerda aqui, dizendo que votaria Obama nos EUA.

    A principal esquerda a quem faço oposição, o lulo-petismo, é podre, demagógica, mentirosa — uma “esquerda” abraçada a Collor, Maluf, Sarney, Jader Barbalho etc etc — e corrompida. Fácil de entender.

  • LÉO MEDEIROS

    Preocupados com Obama ou Mitt?

    Preocupem-se com Xi Jinping.

  • Dj

    Setti,
    Você deveria buscar mais fatos e menos propaganda obamista. Tanto o seu retrato do governo Obama quanto o de Romney e do partido republicano são o que diz a campanha do Obama.

    O Obama é um fracasso no cenário internacional.
    Fez o que pôde para alienar a Grã-Bretanha e Israel. Cancelou cooperação militar com a Polônia e República Tcheca para apaziguar a Rússia, sem nem avisá-los primeiro. Os poloneses e tchecos souberam pela imprensa.
    Ele bajula os países muçulmanos desde que assumiu. Só conseguiu com isso trocar ditadores aliados por islamitas inimigos.
    É fraco com o Irã.
    Cochichou recado para o Putin quando se encontrou com o Medvedev. E o recado era que ele teria mais flexibilidade depois da eleição.
    Fracassou em negociar um acordo com o Iraque que permitisse a permanência de tropas lá. No dia seguinte a retirada saiu uma suspeita ordem de prisão contra o vice-presidente. O espaço aéreo do Iraque é terra de ninguém, é usado pelo Irã para apoiar a Síria.
    Os talibãs não precisam lutar para vencer, é só esperar a retirada americana que o Obama trombeteia mundo afora.
    Agora vimos o Obama mentir descaradamente e mandar a Susan Rice mentir também que o ataque promovido contra o consulado americano em Bengazi tinha algo a ver com um vídeo. Ele achou melhor mentir e fazer de conta que o problema era a liberdade de expressão de um cidadão americano do que dizer a verdade.
    O único erro benigno dele foi passar vergonha no jantar com a rainha da Inglaterra. http://www.youtube.com/watch?v=pNRXGRFJdDY

    No cenário doméstico é outro fracasso.
    Basta ver como a economia patina, o desemprego está alto, o preço de energia só sobe. Vemos uma empresa verde quebrando atrás da outra. E vemos que são de doadores de campanha dele que receberam empréstimos federais.

    Na articulação política é outro fracasso. Não se move para o centro de jeito nenhum, vai só para a esquerda e depois sai chorando que os republicanos não colaboram.
    Nunca é demais lembrar que ele é o presidente que colocou um comunista, Van Jones, dentro da Casa Branca.

    É uma pena que você não tenha capacidade intelectual para distinguir entre OPINIÃO — e este é um blog de opinião — e propaganda.

    Então, não dá nem para discutir.

  • Reynaldo-BH

    Será uma longa noite em frente a CNN.

  • AlexRio

    Dj – 06/11/2012 às 21:10 Pq será que todo zero-zero acha que, se temos opinião diferente da dele em politica, é pq somos submetidos à propaganda sem conseguir raciocinar, só eles tem essa capacidade?

  • Hélio

    Creio que apesar do Obama ter feito um governo aquém das expectativas, ainda assim ele se constitui na melhor opção tanto para os EUA como para o mundo. Pelo menos uma das suas promessas de campanha ele acabou cumprindo, ainda que em parte, que foi a de ampliar a cobertura do sistema de saúde americano. Ele pode não ter conseguido fazer tudo o que queria neste aspecto, mas o fato de ele ter batido de frente com o poderoso lobby dos planos de saúde e com a ala hidrófoba dos republicanos, só isso já valeu a pena.

  • BSJ

    O senhor, em matéria de tietagem obamista, só consegue perder para outro esquerdista anti-petista: Arnaldo Jabor.

    Você, tal como outro leitor, não tem capacidade intelectual para distinguir OPINIÃO de tietagem. Este é um blog de opinião, e escrevo o que penso.

  • AlexRio

    Marcelo Meireles – 06/11/2012 às 20:53 No Brasil Obama seria de centro, centro-direita.

  • Eduardo Camargo

    Apesar do Obama não ser lá essas coisas, o tal ‘Tea Party’ é indefensável.

    Deus nos livre de gente fanática como Sarah Palin.

    Eles estão conseguindo fazer nos EUA, pela direita, o mesmo que o PT faz aqui, pela esquerda: uma grande cisão nacional, contrapondo pobres e ricos, religiosos e defensores do estado laico, nativos e americanos, e por aí vai …

  • Denny

    Sem querer entrar no merito da discussao, opiniao que se baseia em propaganda, propaganda eh.

  • Guibor

    Meu respeitabilíssimo Setti,
    que significa isso, tal qual como vc escreveu:
    “Em contrapartida, o Partido Democrata, de Obama, por mais que abrigue contradições internas, vejo como mais flexível e compassivo.”
    Contradições? Isso é normal! A política não é algo monolítico. Portanto, nada há de novo sob o sol!
    Flexivel? Curvas todo mundo faz! Lenin já dizia: ” um passo a frente dois atrás!”
    Agora, compassivo?!
    Compassivo com quem?
    Certas horas não há que se ser compassivo!
    Ahmadinejadi, ganha tempo! Hizboalah, ganha tempo! Hamas ganha tempo! Tudo graças ao sr. (compassivo) Obama!
    A compassividade de Obama, significa dizer, que a democracia perde tempo!
    Afinal, de tão compassivo, Obama, ousou dizer que Lula era “o cara”!
    Menos, mr. Obama!
    Que ganhe, Mit!

  • Marcondes Witt

    Digamos que, pelos mesmos fundamentos, Obama seria o ‘menos pior’.

  • Tcheves

    Nessa estamos juntos, Setti. Obama neles!

  • EDUARDO CAMPOS

    Graças a Deus veremos este Obama ir para os quintos do Quênia! Ele é o maior embuste marxista de todos os tempos! Não é Americano Nato(certidão de nascimento falsa), e o maior promotor mundial de promiscuidade e morte de todos os tempos(gayzismo e aborto). Sem falar que está levando os EUA economicamente ao fundo do poço! Chora PTzada marxista, em 2014 será a vez de vocês!!

    Meu Deus do céu! Em que planeta você vive, Eduardo?

  • carlos eduardo

    Prezado Ricardo

    Em 2008 eu tinha muitas esperanças em Obama , hoje , ele deve ganhar apertado , o pais esta mais dividido do que ha 4 anos , mas , Obama leva essa eleição menos pelos seus méritos e mais pela mediocridade do Romney.
    Serão mais 4 anos do mesmo discursos bonitos do Obama , Congresso Republicano , divisão e paralisia.
    Infelizmente Ricardo eu acho que Obama será lembrado no futuro como o primeiro presidente negro e pelo monstruoso deficit público e só.

  • Reynaldo-BH

    Cabilda!! Sem exageros. Tem horas que fico assustado com alguns comentários. Mesmo.

    E eu, então, amigo Reynaldo. Ah, Portugal…

    Abração

  • Royrogers

    Oi Setti,

    O Eduardo Campos anda assistindo muito o Olavo de Carvalho no youtube. Só recomendaria a ele – sem que ele ao menos o tivesse pedido – para ter um pouco de senso crítico e não acreditar em tudo que diz o Olavo. Pesquise, busque outras fontes de informação e aprenda a pensar e não a repetir, feito um papagaio, o pensamento dos outros!

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Setti:,
    Discordo quando diz que Obama esta retirando soldados do Afeganistão – É RETIRADA MESMO DE DERROTA!
    Assim como no Iraque,assim como no Vietnam e assim em qualquer lugar onde um país ocupa o outro.
    Nunca aprendem.
    Abração
    Pedro luiz

  • Nathalia B.

    Boa noite! quanta gente esquisita comentando por aqui!

    Gente!!!!

    Vcs estao confundindo esquerda do LULOPESTIMO com a esquerda do OBAMA: NAO TEM NADA A VER! Absolutamente nada a ver!

    Quem no Brasil (os tucanos ou outros de centro direita ou super direita e vice-versa esquerdas e esquerditas Petista nao sei lá o que) associarem o Petismo a Lula e PSDB a Romney, estará fazendo uma errônea e infeliz associaçao!

    Recomendo a tal indivíduos leituras frequentes dos jornais internacionais em outros idiomas/países.

    Quem teve ou está tendo a oportunidade de morar fora do país (EUA ou Reino-Unido ), poderá ter grandes chances de fazer assim uma avaliaçao menos monótona em relaçao a democracia dos EUA e do Reino Unido.

    Eu entendi e concordo plenamente com a opiniao do Sr. Ricardo Setti.

    Porém lembro aos amigos que escrevem agressivamente neste blog: isto é um blog de opinoes. O Sr. RIcardo está expondo a opiniao dele e nos temos o direito de termos a nossa, mas para que tantas agressoes de alguns leitores aqui em relaçao a Obama e a opiniao de Sr. Ricardo e tantos outros no mundo inteiro que apoiam o democrata?

    Esse tipo de oposiçao é deveras agressiva e muito baixo-nível e beira também os “extremos”, algo que estamos tentando livrar-nos no atual cenário político Brasileiro!

    Mas lembrem-se: extremos nem de direita, nem de esquerda sao bons para nenhuma sociedade!!

    SAI LULA e PT!

    Go Obama, go!

    ps.: uma Brasileira com dupla nacionalidade que mora/morou há muito tempo em diverso países da Europa e América do Norte.

    Fico feliz por você ter entendido perfeitamente o sentido do blog, prezada Nathalia.

    Se você discordasse por completo de minha opinião sobre Obama, ficaria feliz da mesma forma por comentário respeitoso e com argumentos.

    Que eu me lembre, é a primeira vez que vejo comentário seu neste espaço.

    Espero que volte mais vezes!

    Um abraço

  • Nathalia B.

    ERRATA: Quem no Brasil (os tucanos ou outros de centro direita ou super direita e vice-versa esquerdas e esquerditas Petista nao sei lá o que) associarem o Petismo a Lula e PSDB a Romney, estará fazendo uma errônea e infeliz associaçao!: CORRETO: QUEM NO BRASIL ASSOCIAR O PETISMO A OBAMA e nao o petismo a LULA, lula é o PT!

  • Nathalia B.

    vcs podem apagar meus comentários: errei enquanto digitava. Perdao!
    07/11/2012 às 1:52 &
    07/11/2012 às 1:50 o correto seria:
    Boa noite! quanta gente esquisita comentando por aqui! Gente!!!! Vcs estao confundindo esquerda do LULOPESTIMO com a esquerda do OBAMA: NAO TEM NADA A VER! Absolutamente nada a ver! Quem no Brasil (os tucanos ou outros de centro direita ou super direita e vice-versa esquerdas e esquerditas Petista nao sei lá o que) associarem o Petismo a OBAMA e PSDB a Romney, estará fazendo uma errônea e infeliz associaçao! Recomendo a tal indivíduos leituras frequentes dos jornais internacionais em outros idiomas/países. Quem teve ou está tendo a oportunidade de morar fora do país (EUA ou Reino-Unido ), poderá ter grandes chances de fazer assim uma avaliaçao menos monótona em relaçao a democracia dos EUA e do Reino Unido. Eu entendi e concordo plenamente com a opiniao do Sr. Ricardo Setti. Porém lembro aos amigos que escrevem agressivamente neste blog: isto é um blog de opinoes. O Sr. RIcardo está expondo a opiniao dele e nos temos o direito de termos a nossa, mas para que tantas agressoes de alguns leitores aqui em relaçao a Obama e a opiniao de Sr. Ricardo e tantos outros no mundo inteiro que apoiam o democrata? Esse tipo de oposiçao é deveras agressiva e muito baixo-nível e beira também os “extremos”, algo que estamos tentando livrar-nos no atual cenário político Brasileiro! Mas lembrem-se: extremos nem de direita, nem de esquerda sao bons para nenhuma sociedade!! SAI LULA e PT! Go Obama, go! ps.: uma Brasileira com dupla nacionalidade que mora/morou há muito tempo em diverso países da Europa e América do Norte.

  • carlos nascimento

    Ricardo,
    Pelo andar da carruagem (2:33 hrs) Obama deva ganhar, mas fica evidente que a América está rachada ao meio, o problema dos Republicanos é que a herança deixada por George W.Bush foi trágica, o homem fez tanta besteira,mas tanta besteira, que o sentimento da maioria conservadora do povo americano ficou com vergonha de tirar Obama do poder, vai dar-lhe a chance do segundo Mandato, com aquela desconfiança de que os dias serão difíceis.
    Confesso que Obama me decepcionou em alguns pontos de seu Mandato, esperava muito mais, a sua política externa foi pífia, Hillary não teve estofo para liderar o jogo político do hemisfério, em algumas questões passaram de protagonistas à coadjuvantes, Ângela Merkel deu um banho nos americanos, as questões políticas da AL , Síria, Egito, Irã, Israel, foram mal resolvidas, a situação de Cuba não saiu do lugar, não foram capazes de promover mudanças substanciais, adiaram as tomadas de decisões inevitáveis.
    A economia atrapalhou e demandou esforços, por isso, caso se confirme a renovação do segundo Mandato, Obama terá que ter maior assertividade em suas decisões, não vai poder ficar no meio termo, vai ter que tomar decisões de enfrentamento, afinal de contas a América continua sendo a bússola do planeta.
    Moral da história, ruim com Obama, péssimo será ou seria com Mitt, vamos aguardar o dia amanhecer.
    Carlos Nascimento.

  • Guibor

    Obama, ganhou!
    parabéns mr., Ahmadinejadi!
    Congratulations para o hamas e para o hizboalah!

  • Dj

    Que coisa estranha!
    Ninguém negou que seu post seja de opinião. O problema é que sua opinião sobre Romney e os republicanos é mera caricatura, do jeito que a campanha do Obama retrata. E a opinião sobre o Obama é muito romanceada, também do jeito que a campanha do Obama retrata.
    E os fatos, e os últimos quatro anos? São inconvenientes demais?

  • Sergio the original since 1ª Leitura

    Embora respeite a sua opinião, dela não compartilho e digo porque:
    Os democratas americanos por serem um balaio de múltiplas tendências, acabam abrigando o que há de mais nefasto para a sociedade, vide por exemplo, a legalização do uso da maconha, cujo mais ardoroso defensor é o Clinton que é um covardão porque sem medo do ridículo disse que fumou e não tragou.
    Demais disso, salvo engano, essa maldita onda do politicamente correto ganhou força graças a eles, ávidos por fazerem média com minorias sem pensar nas consequências.
    Por essas e outras não gosto deles e por consequência, de Obama também.
    Já não se fazem mais líderes como antigamente.

  • Jacobucci

    Os dois são medíocres, tanto Obama quanto Romney. Obama teve durante dois anos o Congresso na mão, e mesmo assim fez um governo fraco.

  • Alberto Carneiro

    Vibrei com a eleição de Barak Obama! Gostaria que no Brasil houvesse políticos com o perfil dele, que pensam e se focalização no progresso da Nação.

  • João Leopold

    Seu desejo foi realizado, achei perfeito da sua maneira de enxergar o Presidente Obama.
    O meu desejo também era este embora eu não possuísse todo este detalhamento, algumas coisas que conhecia já me faziam ver ele como o meu preferido.

  • Zaratrusta

    A “imagem” sendo vendida de Obama, que estaria cumprindo um de seus compromissos de campanha à presidência anterior, além de oportunista para reforçar a imagem de “cumpridor de promessas” é um “hoax” ilusionista e marketeiro, pois na realidade os EUA já conseguiram seu intento na região:
    1) Desestocar armas em processo de obsolescência para renovação de estoques
    2) Permaneceram o tempo suficiente para garantir a infiltração financeira-corruptória junto às elites locais e governamentais afegãs de forma a lhes garantir a preservação de seus interesses através da coparticipação “nos lucros”.
    3) Precisam de contingente de remanejamento para regiões próximas à China, para desenvolvimento de conflitos ou escaramuças de baixa-intensidade, com o propósito de sinalizá-la (e ao mundo) quanto aos limites que lhes serão impostos caso avancem nos espaços já ocupados de sua hegemonia planetária…

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Setti:
    Só espero que Obama contrarie o Michael Moore -“independente de quem seja eleito Presidente dos EUA,Republicano ou Democrata,nós o povo americano saberemos qual será o próximo país a ser bombardeado e para onde nossos filhos morrerão.”
    Se contrariar será um Presidente para a História dos EUA.
    Torço e a raça humana também.
    Abração
    Pedro Luiz

  • Ailton

    Obama já comecou a recuperar os EUA, recupera de uma herança maldita deixada pelo W.Bush junior, presidente com a sua sanha bélicosa, simplesmente arruinou o país do tio SAM, G.W.Bush jr. deixou um rombo de U$14.0 tri. entre divida interna e externa o mesmo valor do PIB norte americano um PIB estagnado e decrescente.
    O incompetente Bush causou um gigantesco indice de desemprego, arruinou centenas de grandes conglomerados industriais, inclusive a pesada industria automotiva norte americana, fez grande parte da industria sair do país, com isso, jogou 45 milhões de americanos na mais absoluta miséria, reduziu substancialmente a gigantesca classe rica, classe A, que antes era de 40% de toda a população e agora não passa de 22%, transformou o restante em classse media, após falencia e desemprego desse pessoal.
    Centenas de milhares se viram sem a sua moradia, foram parar nas ruas a esmolar.
    ‘Cruscredo’, comecei a escrever esses dados sobre os EUA, não é que parece com números de um certo presidnte que, por aqui, deitou mandato na decada de noventa!!

  • Pedro Luiz Moreira Lima

    Grande Ailton.
    Quem??? rsrs
    Parabéns pela opinião.
    Abraços você fez falta e faz!
    Pedro Luiz

  • Ailton

    Olá meu nobre Pedro Luiz

    Obrigado por sua gentileza.

    Aceite um grande abraço!!