A serviço do Jornal da Tarde, Santiago do Chile, setembro de 1970, após eleição presidencial em que o socialista Salvador Allende venceu, mas sem maioria absoluta.  Para facilitar a cobertura, me inscrevi no Colegio de Periodistas, uma associação não sindical que reúne os jornalistas do país, zela pela ética, debate os problemas da profissão e defende a liberdade de expressão e os direitos humanos.

Apoiado pelo Partido Comunista e outro setor da esquerda, Allende precisaria ser aprovado pelo Congresso para assumir. A oposição democrata-cristã exigia, para isso, a aprovação de um Estatuto de Garantias. Foram negociações longas e difíceis até o OK final. Cobri durante um mês o processo, que terminou com sua confirmação mediante a aprovação de um Estatuto de Garantias, cujo objetivo era proteger a Democracia e as liberdades públicas.

Allende seria deposto três anos depois pelo sangrento golpe militar liderado pelo general Augusto Pinochet, que governou o país ditatorialmente por 17 anos.

DEIXE UM COMENTÁRIO

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × 2 =

TWITTER DO SETTI